Notícia Atualizada: melhor banco para investir dinheiro

ANÚNCIO

Se você considerou que 2018 pode ser o ano divisor de águas na sua vida financeira e quer começar a investir dinheiro… É melhor saber qual é o melhor banco para investir. É isso que vamos mostrar neste artigo, conforme pesquisas.

Antes, porém, entenda que estamos falando de uma dezena de bancos e cada um tem suas próprias particularidades, como taxas e rentabilidades.

ANÚNCIO

Além disso, é importante saber que todos podem fazer investimentos públicos (como no Tesouro Direto) e os privados (como CDBs, LCIs, LCAs e outros). Mas, o comum é que os bancos façam apenas os investimentos privados – que é quando eles ganham mais dinheiro.

Ah, e se estamos falando em melhor banco para investir, você precisa saber que “ao realizar um investimento financeiro privado, você está emprestando dinheiro ao banco. Como todo empréstimo, esse também é remunerado”.

Essa é a melhor definição para “investimento financeiro”.

ANÚNCIO

Como escolher o melhor banco para investir

Ao invés de só pensar na instituição financeira, o investidor precisa se atentar a alguns fatos importantes: o valor das taxas cobradas (na aplicação e na retirada) e a remuneração do investimento (que é a rentabilidade).

Separamos esses dois pontos para você entender um pouco melhor!

O melhor banco para investir e suas taxas

A taxa é algo importantíssimo em um investimento financeiro. Se ela for alta, perdemos rentabilidade, ou seja, ganhamos menos do que poderíamos.

Normalmente, a taxa de administração é paga no momento do vencimento da aplicação – ou seja, quando você receberá o dinheiro aplicado.

Elas variam de banco para banco e alguns podem até isentar esse custo (o que é muito raro).

Ao procurar o melhor banco para investir, o primeiro passo que se deve dar é comparar as taxas cobradas em cada um dos investimentos, especialmente os CDBs. – Isso fará uma grande diferença para você realizar seu objetivo (de ganhar dinheiro).

O melhor banco para investir e suas remunerações

A maior parte dos investimentos privados leva em conta uma taxa chamada CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Ela é um índice praticado entre os bancos.

Dessa forma, quando você opta por um título da renda fixa, como o CDB, você tem que saber que ele vai render algo com base no CDI, que pode ser 85% do CDI ou 90% do CDI, por exemplo. Quanto maior a porcentagem, maior a remuneração.

Isso é tudo que você precisa saber sobre a remuneração.

Mas, qual o melhor banco para investir em 2018?

É praticamente impossível reconhecer o futuro, ainda mais quando se trata de números.

Mas, vamos considerar, então, os últimos resultados.

O mês de outubro de 2017 registrou uma alta de 0,02% no Ibovespa (mercado de ações) e acumulou alta de mais de 23%. Já na renda fixa, o CDI ficou em 0,65% e o Tesouro Direto em 0,71 (no caso do IPCA + 2019).

A nova poupança rendeu apenas 0,47% e o mercado cambial ficou no negativo, em 3,3%.

Referente a este mês que passou, vamos apresentar agora os resultados. Confira cada um dos investimentos financeiros e descubra por si só qual é o melhor banco para investir.

Fundos DI

Os Fundos DI se destacam quando as taxas de administração ficam abaixo de 1% ao ano e que rendem acima de 87% do CDI (algo em torno de 0,56%). O problema é que quando isso acontece, os valores para aplicação inicial são altos.

Veja na tabela!

Banco                   Fundos DI          Aplicação (R$)     Taxa Adm (%)      Rentabilidade (%)

  • BTG Pactual       Yield FI Refer         3 mil                      0,30                     0,65
  • Brasil Plural       Yield Refer             3 mil                      0,31                    0,65
  • Caixa                FIC Premium          100 mil                  0,30                    0,63
  • Banco Brasil      Ref. Premium          50 mil                    0,70                    0,62
  • Caixa                FIC Sigma              100 mil                  0,35                     0,62

Fundos de Renda Fixa

Esses são os fundos indexados aos índices de inflação.

Banco                 Fundos Renda Fixa     Aplicação (R$)    Taxa Adm (%)  Rentabilidade (%)

  • Sparta            FICFI RF Créd Priv       5 mil                     0,71%                  0,71
  • Votorantim      VIntage FIC FI            25 mil                    0,35                    0,71
  • Bradesco         Prime FICFI                 100 mil                 0,50                    0,67
  • Capitania         Top FIC FI                   25 mil                   0,32                    0,66
  • Brasil Plural     High Yield                    3 mil                     0,50                    0,66

Fundo de Renda Simples

Eles foram criados para serem opções aos investidores iniciantes, portanto, são todos de baixo capital para aplicação inicial.

Banco      Fundos Renda Fixa     Aplicação (R$)     Taxa Adm (%)      Rentabilidade (%)

  • Caixa          FI RF Simples              50                     1,50                            0,53
  • BB              Renda Fixa Simp          50                     1,95                            0,48
  • Bradesco     FI RF Ônix                   50                    2,00                            0,48
  • Caixa          Fic Fácil                       50                    2,00                            0,48
  • Santander   Renda Fixa Simp          100                   1,95                            0,47

Esse são só alguns exemplos de aplicações que podem ser feitas no banco.

Mas, aí, temos uma questão importante: e se você quiser optar por um investimento que esteja em um banco e, mais tarde, em outro que esteja em outro banco? Vai precisar abrir conta em dois bancos? E se optar por um terceiro?

Essa dificuldade em escolher os melhores produtos do mercado fez com que crescesse a importância das corretoras de valores. Elas conseguem “abraçar” qualquer produto bancário, independente da instituição.

Entenda um pouco sobre a Corretora de Valores

As Corretoras de Valores ganham cada vez mais espaço no Mercado Financeiro do Brasil – em outros países, eles já são muito representativos.

Por aqui, ainda há muitas dúvidas sobre como usar essas corretoras para ganhar dinheiro em investimentos financeiros. Vamos desmistificar alguns mitos e listas as corretoras com maiores valores da atualidade.

Uma crescente (quase que inexplicável) das Corretoras de Valores no Brasil

Mercado Financeiro de Investimentos do Brasil soma mais de 1,5 trilhão de reais. E é considerado um dos mais concorridos do mundo.

Nas últimas informações publicadas, a XP Investimentos puxou a fila de uma série de outras corretoras independentes que tem incomodado as grandes instituições, que concentram a maior parte do dinheiro do brasileiro.

Conforme informações mercadológicas, 95% dos investimentos dos brasileiros se concentram em cinco instituições: Banco do Brasil, Itaú, Bradesco, Santander e Caixa.

Em outros países, os números são bem diferentes – 90% dos investimentos dos americanos (Estados Unidos) estão em posse de agentes independentes de investimentos financeiros. Enquanto os grandes bancos focam apenas em áreas como crédito ou meios de pagamento.

Aí, na atualidade daqui, colocamos um ingrediente todo especial: a queda da Selic. Sabe o que acontece?

As corretoras de valores são procuradas ainda mais pelos investidores brasileiros devido à revolução que tem proporcionado em suas plataformas digitais, que torna possível o investidor montar sua própria carteira de investimentos.

“O setor passou a ter um modelo de negócios lucrativo graças à tecnologia”, diz Mario Malta, que é sócio fundador do fundo americano Advent no País, que comprou uma fatia da corretora Easynvest.

Logo, as corretoras de valores se tornaram “supermercados de investimentos” ou para os mais teóricos, “plataformas digitais em que há diferentes produtos para se investir dinheiro, como os papéis de renda fixa ou as ações ou ambos”.

Uma das pioneiras, a qual não se pode deixar de falar, foi a XP Investimentos. Para Guilherme Horn, que é diretora de Inovação da Consultoria Accenture, a abertura de capital da XP vai favorecer ainda mais o mercado.

“O IPO ajuda a dar credibilidade ao setor, um atributo essencial quando o tema é investimento”.

Em se falando da atratividade do setor, Marcio Cardoso, que é sócio da Easynvest, diz que isso é visto pela expansão do número de clientes – em dezembro passado eram 130 mil e 9 bilhões de reais.

“Quatro meses depois, após o aporte da Advent, são 170 mil pessoas e mais de 11,5 bilhões de reais”.

Outra corretora que pode ser citada é a Genial Investimentos, que tem 6 bilhões de reais sob custódia e 150 mil clientes, sendo que 30 mil foram atraídos nos últimos 12 meses.

Eduardo Moreira é sócio-diretor da corretora e diz que não se trata de um jogo fácil, já que o segmento exige muito investimento. “São diversas variáveis envolvidas na disputa pelo cliente, incluindo produto, tecnologia e marketing”.

“O cliente está começando a entender que não precisa centralizar tudo no banco”, diz Aline Sun, que é sócia da corretora Guide Investimentos.

Corretoras de Valores são Melhores que os Bancos para o Pequeno Investidor

Não há como negar: nos bancos do Brasil, quem tem mais dinheiro tem mais “benefícios”. Como cartões internacionais ou isenção de taxas administrativas.

Além disso, mesmo que informalmente, há um preconceito sobre investimentos financeiros, inclusive, com gerentes “forçando” o pequeno investidor a optar pelas previdências privadas ou poupanças.

Pensando nisso, especialistas recomenda que os pequenos investidores busquem mais informações em corretoras de valores, que tendem a ser mais competitivas em termos de valores ou menores aplicações disponíveis.

“Você tem um rol de produtos e de marcas e escolhe qual o mais adequado para você”, diz Liao Yu Chieh, professor de finanças do Insper.

Para eles, existem produtos de bancos e gestores menores que não tem a mesma estrutura dos bancos, mas conseguem distribuir produtos melhores. Essas casas não ligadas a instituições financeiras tradicionais recebem o nome de supermercado de investimento, no mundo informal.

Maior Investidor do Mundo Seleciona Investimento para Depois que Morrer

“Há vários bancos emissores e gestores de fundos. No banco, a oferta é de produtos de própria emissão do banco ou de fundos geridos pela gestora do banco”.

Para Cesar Caselani, que é professor da FGV (Fundação Getúlio Vargas), como as instituições grandes não precisam se esforçar para conseguir novos clientes, elas não remuneram muito bem quanto poderia.

“Eles têm bases grandes de clientes e oferecem uma comodidade às pessoas, que costuma se traduzir em um retorno menor”.

A opinião é compartilhada por Francis Wagner, que é criador do aplicativo Renda Fixa e diz que enquanto os grandes bancos oferecem taxas de retorno para CDBs de 78% e 82,5% do CDI, os títulos das instituições menores podem render até 116% do CDI.

“A diferença é muito grande. Mas essas opções estão apenas nesses bancos menores ou nas corretoras, que oferecem uma diversidade maior”.

Confira uma brevíssima simulação dessa diferença com um investimento de 5 mil reais em CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) que tenham resgate previsto para 12 meses:

  • CDB 78% do CDI gera lucro de 294,08 reais
  • CDB 82,5% do CDI gera lucro de 311,04 reais
  • CDB 107% do CDI gera lucro de 403,41 reais
  • CDB 116% do CDI gera lucro de 437,34 reais

Rentabilidade? O que você prefere?

Com taxas menores e custos maiores, por que alguns investidores preferem continuar com o dinheiro investido nos bancos e não nas corretoras de valores?

A maioria vai dizer que é por conta da comodidade – já que na corretora é preciso transferir o dinheiro e concluir a operação, no banco o valor é debitado da conta.

“Os bancos ganharam bem trabalhando com essa comodidade de investir com eles”, afirma Liao Yu Chieh.

O fator segurança também parece pesar no gosto do consumidor brasileiro.

“O investidor tem receio de tirar o dinheiro do banco com o qual já tem relacionamento há anos e colocar o dinheiro em outros bancos e fundos, por mais que os outros bancos tenham a mesma garantia do FGC – Fundo Garantidor de Crédito”, diz o professor do Insper.

O que considerar entre as Corretoras de Valores e os Bancos?

Na hora de abrir conta em uma corretora de valores, é preciso atenção – consulte informações na internet e acesse a página de entrada. Preencha o cadastro, informa os dados pessoais (como CPF e RG) e envie comprovantes de residência.

Em alguns casos, as casas podem pedir informes da renda antes que você comece a investir. O aplicador fará uma análise para que a corretora ofereça produtos adequados ao seu perfil.

Por fim, leve em conta os seguintes benefícios e desvantagens:

Bancos tem o benefício da comodidade (débitos em conta corrente) e pode melhorar o seu relacionamento com ele (com taxas melhores). Por outro lado, tem as desvantagens de ter custos menos competitivos e tem rentabilidades menores.

Já as Corretoras de Valores tem as vantagens de oferecer maior gama de produtos financeiros, como títulos bancários, ações, Tesouro Direto e outros. E, além disso, não tem estrutura como as do banco, que oferecem taxas maiores e custos menores.

Por outro lado, podem gerar custos com a transferência do dinheiro para a concretização da operação. E tem o risco de o dinheiro ficar parado na corretora até que você decida o que fazer com ele.

Da Redação com informações do desfixa e minhaseconomias

ANÚNCIO