Saiba como calcular a margem consignável de empréstimos

ANÚNCIO

Esse texto foi criado para a gente explicar o que se deve fazer para calcular a margem consignável de empréstimos. Porém, antes disso, a gente também deve considerar o que é essa margem consignável e como ela funciona no mercado financeiro.

Portanto, o que temos aqui é um artigo objetivo, mas bem completo sobre o assunto. Se você está com dúvidas sobre o assunto continue lendo. Além do empréstimo consignado, vamos falar também da margem do cartão consignado. Acompanhe.

ANÚNCIO

O que é a margem consignável

A margem consignável é considerada um dos itens mais importantes e de interesse de quem vai solicitar um empréstimo consignado ou pedir um cartão de crédito consignado. O motivo é que ela é que determina o máximo que o banco poderá descontar da renda do interessado.

Simples, não é mesmo? Mas, vamos explicar com um exemplo para ficar ainda mais fácil.

Imagine que a sua aposentadoria paga pela previdência social seja de R$ 2 mil no mês. Então, você vai até o banco e pede o empréstimo consignado. Então, a margem consignável será de 30% (que é um valor comum no mercado financeiro).

ANÚNCIO

Logo, o banco só poderá descontar do seu salário um valor máximo de R$ 600 das parcelas mensais e nada além disso. Lembrando que ainda temos 5% de margem consignável, que poderá ser usada para adicionar algum limite no seu cartão de crédito consignado.

Então, de modo geral, a regra é que o banco pode descontar 30% do salário do interessante e usar outros 5% para permitir um limite no cartão. Ok?

Como calcular a margem consignável

Com o exemplo acima ficou bem fácil entender o que é a margem consignável de empréstimos, não é mesmo? Então, agora vamos aos números, que não costumam agradar muita gente, mas são importantes.

Para isso, vamos usar outro exemplo prático.

Agora, nós temos um aposentado do INSS, que recebe R$ 2.500 de salário mensalmente. Logo, ele vai até o banco para pedir um empréstimo consignado, que tem taxa de juros mais baixa do que o empréstimo mais tradicional.

Então, como fazer o cálculo? Vamos dividir essa parte do texto em 2: empréstimo e cartão.

O empréstimo

No caso do empréstimo consignado, considere que o cálculo feito é simples: devemos pegar o valor líquido do benefício pago pelo INSS e multiplicar por 30%. Esse número vai dar o valor total das parcelas que podem ser cobradas pelo banco.

Então, temos um valor de parcela de R$ 750.

Por isso, saiba que o banco só poderá descontar R$ 750 ou menos, mensalmente, desse nosso aposentado. Agora, é importante saber que o interessado pode precisar de menos dinheiro e, então, o valor da parcela será menor do que isso.

O cartão

Quanto ao cartão de crédito consignado, a regra se mantém, mas muda o valor percentual. Então, teremos o valor do benefício líquido multiplicado por 5%. Logo, o resultado será de R$ 125. Sendo assim, o aposentado poderá ter um cartão com limite de R$ 125.

Por que é importante saber isso

Ficou muito fácil entender sobre a margem consignável de empréstimos e como fazer as contas, não é mesmo? Agora, por que é importante saber isso? Justamente para ter conhecimento e entender que o banco não poderá cobrar a mais do que isso.

Se você precisa de um empréstimo bancário mais alto, o banco poderá aumentar a quantidade de parcelas, ou seja, o tempo de pagamento. Mas, jamais poderá cobrar mais do que essa margem mensalmente. Essa é uma lei que deve ser cumprida.

Agora, há outras contas a serem feitas. Por exemplo, considerando a taxa de juros. Como mencionamos acima, os empréstimos consignados possuem taxas mais baixas do que créditos tradicionais. Ainda assim, existem tais taxas.

Por isso, fique de olho para não pagar além das taxas. O único jeito de saber isso é analisando o contrato antes de assinar o documento. Procure as letras pequenas que falam sobre isso e sobre as tarifas, também.

Em caso de dúvidas

E caso você se sinta lesado pelo banco, considere que você tem que tomar algumas previdências. Por exemplo, sempre tenha em mãos um extrato do INSS provando quanto é o seu rendimento mensal.

Depois, fique à vontade para ligar para o SAC do banco para tirar as suas dívidas. É importante anotar todos os protocolos para o caso de precisar entrar com ações no futuro. Além disso, se a situação não se resolver, então, procure a justiça para saber mais sobre como proceder.

Qualquer pessoa pode pedir o empréstimo consignado?

Para finalizar essa matéria sobre a margem consignável de empréstimos, considere que você tem que saber que esse tipo de crédito não é acessível para todo mundo. Os bancos criam regras e requisitos mínimos para chegar até ele.

Descubra a diferença entre o empréstimo consignado e o empréstimo com garantia

De um modo comum, como ele desconta direto da folha de pagamento, os mais aceitos são os beneficiários do governo, que recebem aposentadoria e pensões do INSS. Além deles, servidores públicos também levam vantagens, assim como militares.

margem consignável de empréstimos

Já para quem atua com carteira assinada, então, será preciso saber se a empresa tem parceria com algum dos bancos que oferecem esse tipo de empréstimo. De modo geral, o empréstimo consignado não chega a autônomos e empreendedores.

ANÚNCIO