Aprenda como levar remédios em uma viagem de avião

ANÚNCIO

E você resolve fazer uma viagem de avião. Aquela viagem que sempre sonhou. Você planejou tudo, cada detalhe, cada centavo, cada roteiro. Só esqueceu de uma coisa: será que pode levar remédios na mala do avião? Quantos? É de uso contínuo? É para uso emergenciais? Quais as regras?

Se você vai viajar e está na dúvida se pode ou não levar seus medicamentos com você, saiba que esse texto é bem legal, totalmente informativo e é para você mesmo. Nós, buscamos algumas dicas e opiniões de especialistas para trazer tudo dentro da lei.

ANÚNCIO

Portanto, no decorrer do artigo, vamos tirar essas e outras dúvidas na hora de levar remédios para a sua viagem de fim de ano, de férias, de descanso, à trabalho ou qualquer outra. Confere aí.

Sobre por que ter cuidado com os remédios

A ideia de fazer uma viagem e de levar remédios nessa viagem pode parecer não ter nada a ver com assuntos de finanças. Mas, tem sim.

Você pode ter problemas na sua viagem e ter, inclusive, que cancelar ela se não tiver alguns cuidados. Imagine que você seja proibido de tomar um remédio que é importante para você. isso pode te custar a viagem ou a vida, né.

ANÚNCIO

Então, é muito interessante, até mesmo para evitar perder dinheiro, conhece as regras que se tem ao transportar remédios em viagens para dentro do país mesmo ou para outro país, onde as regras tendem a ser mais rígidas.

Por isso, fique ligado nas dicas abaixo porque elas podem fazer toda a diferença na sua próxima viagem.

Aprenda como levar remédios em uma viagem de avião

Sobre levar remédios nas viagens

Pode pode sim. Claro que você pode levar remédios nas suas viagens, afinal, se faz o uso é porque precisa e ter a prescrição médica, certo? Então, essa é a boa notícia!

Agora, calma! Calma porque não é tudo assim meio bagunçado, sem regras. Sempre tem regras, né.

A verdade é que na hora de viajar, independente de para onde você vai, o recomendável é levar o seu remédio na bagagem de mão e, preferencialmente, dentro da embalagem original dele – daquela caixinha de papelão, sabe?

Isso ajuda você a evitar problemas durante toda a viagem. Ainda mais em casos onde você precisa tomar o remédio durante o vôo, né. Os enjoos estão aí para provar isso e são mais comuns do que você pode pensar.

Além disso, nada mais desagradável do que perder o seu remédio e outros pertences na hora da sua bagagem a ser despachada.

Essa é a principal dica: remédios na bagagem de mão sempre.

Sobre a quantidade de medicamentos

E qual é a quantidade certa de medicamentos que se pode levar em uma viagem de avião? A verdade é que isso vai depender da sua viagem, obviamente.

O recomendável pelos especialistas é levar uma quantia suficiente para toda a duração da sua estadia, né. Só que, claro, você pode levar uma quantidade extra para uma ou duas semanas a mais caso tenha imprevistos ou queira curtir mais a viagem, também.

Caso você queira ficar um pouco mais no destino ou simplesmente se tiver alguma dificuldade na hora de retornar, como em comuns casos de vôos atrasados ou cancelados, aí você tem para onde correr, aliás, tem o seu pequeno estoque.

Este problema é até comum e acontece mais do que deveria na vida de quem usa medicamento controlado, que são aqueles de uso contínuo.

Portanto, se você é um desses passageiros, saiba que pode viajar sem problemas e pode levar uma pequena quantidade a mais também.

Sobre a prescrição médica de cada remédio

Os passageiros que fazem uso de medicação contínua ou mesmo controlado podem viajar tranquilamente com os seus remédios desde que tomem algumas medidas preventivas.

Por exemplo, embora não seja obrigatório aqui no Brasil vale a pena levar uma prescrição médica registrada no nome do viajante.

E isso vale para todos os medicamentos que serão levados na sua viagem.

Em viagens ao exterior

Já para viagens ao exterior, as normas são diferentes e vale a pena pedir ao seu médico para fazer uma versão em inglês da receita também.

E, se possível, sempre leve a nota fiscal dos medicamentos, ok?

Uma coisa importante de se notar é que a prescrição médica brasileira não é válida no exterior.

Aí que para isso você teria que consultar no hospital local e obter uma receita no país em que você estará nos próximos dias.

Vale lembrar que para consultas clínicas não emergenciais como essa o seguro viagem sempre cobra por isso. Então, mais um motivo para levar a quantidade correta de remédios durante sua viagem e aqueles medicamentos de uso rotineiro.

Sobre os remédios proibidos no exterior

O último tópico deste conteúdo é extremamente importante. Trata-se dos remédios que são proibidos em alguns lugares e em outros, não. Isso pode trazer graves problemas para o viajante.

Por exemplo, no Brasil a gente tem o hábito e o consumo excessivo da dipirona sódica, certo? Só que esse remédio é proibido nos Estados Unidos. Isso porque ele contém a codeína, que é de tarja preta.

Aliás, o contrário também vale: quem vai países como Peru e Bolívia e toma remédio de chás à base de coca para aliviar os efeitos da altitude tem que saber que pode ter sérios problemas ao trazê-los para o Brasil.

Por isso, evite causar esses problemas. Aliás, evite esse tipo de coisa que pode te causar problemas em uma viagem que é para ser proveitosa e inesquecível.

ANÚNCIO