Leasing Financeiro – O que é?

Leasing é um termo em inglês que significa Locação Financeira ou Arrendamento Mercantil onde é feito um contrato adquirindo um bem escolhido pelo cliente que pagará por um prazo determinado, conforme informações do Wikipédia.

Na teoria, o leasing é um instituto jurídico que foi criado por uma evolução contratualista americana após a guerra, na qual admite-se que uma pessoa física ou jurídica use certo equipamento comercial ou industrial (inclusive, imóveis) por intermédio de um arrendador por prazo determinado.

Na prática, funciona assim: imagine que você quer comprar um carro. Daí, o banco compra o carro e financia para você. O carro será seu apenas quando você pagar tudo que deve ao banco. O Leasing, portanto, funciona de forma muito parecida à um empréstimo bancário.

Ficou fácil entender, não é? Só que agora vem a parte ruim deste artigo – tem muitas armadilhas escondidas nos leasings que ninguém te conta, muito menos os gerentes dos bancos – confira!

Negócio Jurídico

O negócio envolve uma relação entre arrendatário, arrendador e fornecedor. Isso é importante saber para entender o restante do artigo.

Logo, o arrendatário pede o produto ao arrendador, que adquire o produto de um fornecedor, para firmar o contrato do leasing.

O contrato de leasing é um pagamento de alguém com a possibilidade de compra do produto no final do contrato. Assim, o compromisso é pagar as prestações do valor acordado, sendo que quase sempre a aquisição da propriedade é certa ao final.

Portanto, esse não é um contrato de locação.

Tipos de Leasing

O leasing é considerado um aluguel e atualmente é uma operação muito usada por empresas, mas que também pode ser feita por pessoas físicas. Confira os principais tipos.

Leasing Financeiro

Esse tipo de leasing tem um tempo mínimo de dois ou três anos, a depender da vida útil do bem arrendado. Existe ainda a opção de compra ou devolução dele ao final do contrato, onde o arrendatário pode renovar o leasing.

O valor é preestabelecido na hora do contrato.

Leasing Operacional

É uma modalidade mais rápida que a citada no tópico anterior – ele tem um tempo mínimo de contrato de apenas 90 dias. Depois, quando o período vence, é possível realizar a compra do bem pelo valor de mercado atual.

Nesse caso, o mais comum é que as instituições financeiras façam a intermediação da operação, comprando o veículo de uma produtora, por exemplo, e locando para o cliente. Ao final o contrato, vende o produto para o produtor, novamente.

Leasing Back

Também chamado de Leasing de Retorno é quando o cliente vende o bem para o arrendador, que aluga o bem para o próprio cliente.

Funcionam quando uma empresa precisa de capital de giro em tempo hábil e não quer perder a posse do bem. Nesse caso, apenas empresas podem participar.

Leasing Imobiliário

Acontece na qual o arrendador, a pedido do arrendatário, compra um terreno e nele constrói um imóvel, alugando-o para o arrendatário com a opção de compra no final.

Vai Financiar um Imóvel ou Carro? Confira esse Guia Completo sobre o CET

Leasing Financeiro – O que é?

Reprodução: Google

As vantagens e desvantagens do Leasing

As vantagens do leasing são várias.

Podemos destacar, por exemplo, o fato de que é possível financiar até 100% do bem considerando todos os encargos legais.

Além disso, normalmente, há rapidez na resposta e na contratação, o que possibilita também do bem posteriormente ou a renovação de um novo contrato de leasing.

Nessa transação há a isenção do imposto selo na comissão de abertura e juros do leasing. Levando em conta que normalmente são mais baratos do que os financiamentos comuns.

Para a empresa, há benefícios fiscais.

Já quanto as desvantagens, é preciso tomar cuidado porque o leasing não fornece o direito de propriedade até que o financiamento seja liquidado na totalidade.

Fora isso, as comissões costumam ser mais elevadas em caso de antecipação do leasing. E, no caso de automóveis, é essencial que se tenha seguro contra danos próprios durante o período contratual.

Leasing Bancário ou Financiamento Bancário

No leasing, a propriedade fica sendo propriedade do banco, que dá o direito ao uso para o cliente, conforme determinando prazo e condições. Assim, existe a possibilidade de adquirir o bem ao final do contrato.

Em financiamentos (ou CDC – Crédito Direto ao Consumidor), o cliente compra o bem com recursos financeiros de terceiros, no caso, o banco. Assim, ele já se torna dono do bem desde o momento da compra. Isso é chamado de Alienação Fiduciária.

Comparando essas duas opções de crédito, ainda há alguns pontos a se considerar.

No Leasing não há a cobrança do IOF (Impostos sobre Operações Financeiras), o mínimo do parcelamento é de 24 parcelas, precisa de autorização da instituição financeira para a revenda, não há descontos para a antecipação das parcelas.

Guia Rápido para Juntar Dinheiro e Comprar um Carro

Economizar Dinheiro

Nunca é cedo demais para começar a guardar dinheiro para algum objetivo.

Se você pensar em ter o seu próprio bem automotivo, comece a guardar dinheiro desde já, separando uma parte da renda mensal. Quanto antes isso acontecer, mais rápido você atingirá o seu objetivo final.

Considere por exemplo a idade com a qual vai tirar a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) ou, se já tiver, daqui a quanto tempo você gostaria de comprar seu carro sem ter que entrar em dívidas financeiras.

Definida o seu Objetivo Financeiro

O seu objetivo financeiro não está definido apenas no tempo em que vai querer comprar o carro, que pode ser daqui 2, 5 ou 10 anos. Mas, tem a ver também com o valor que você precisará ter.

Escolha uma quantia que seja superior ao valor do carro. Isso porque você vai ter outros gastos, como taxas, impostos e afins. Pense de forma realista nisso.

Você pode pensar em juntar 40 mil reais para comprar um carro novo, porém, se você der a si mesmo apenas um ano para juntar dinheiro suficiente, provavelmente não vai conseguir – a não ser que tenha uma boa renda mensal.

E quanto às taxas, o ideal é ter uma soma sempre em 20% superior ao valor total do veículo.

Se você planejar um empréstimo ou algo parecido, leve em conta ter, no mínimo, 50% do valor total para dar de entrada e diminuir os juros do financiamento.

Considere outras Despesas

Se você tem contas como atividades de lazer, roupas, produtos eletrônicos e qualquer outro, é hora de começar a rever isso. Considere que você precisará poupar um pouco de dinheiro a cada mês.

Faça um plano de economia e subtraia o total do que você realmente consiga juntar.

Leve em conta o Preço do Carro

Quando começar a juntar dinheiro para comprar um carro, tenha em mente pensar, inicialmente, sobre o valor dele.

Se quer um modelo novo, esportivo ou elegante, vai ter que pagar mais caro. Se optar por um econômico e popular, o dinheiro não precisará ser tão alto no seu montante.

Sempre vale a pena pensar nos usados e seminovos que costumam ter valores muito melhores e mais acessíveis.

Note que o preço de um carro não é apenas o que é pago no veículo em si, mas existem outros fatores, como seguro, confiabilidade, combustível… Tudo que envolvem o que é chamado de gasto com manutenção.

Com informações do meubolsozaul e jusbrasil