Como juntar dinheiro rápido na poupança? 10 cuidados na Renda Fixa

ANÚNCIO

Se você quer juntar dinheiro rápido, existem várias alternativas bastante simples: venda suas coisas que não usa mais, encontre algum trabalho temporário que te dê um dinheiro extra ou invista para receber juros ao longo do tempo.

Neste artigo vamos falar sobre a última opção: “juntar dinheiro rápido investindo para receber juros ao longo do tempo”.

ANÚNCIO

Beleza, 1º ponto estamos decidimos.

Agora, vamos ao 2º! É preciso entender a diferença entre juntar dinheiro rápido e receber juros para ganhar dinheiro ao longo do tempo.

A caderneta da poupança é uma boa alternativa para juntar dinheiro rápido? Sim, pode ser.

ANÚNCIO

E pode ser se você estiver disposto a guardar boas quantias lá todos os meses ou semanas. É uma forma de acumular dinheiro porque funciona exatamente como um cofrinho.

Sabe aqueles porquinhos que as crianças ganham para juntar dinheiro? Então, a caderneta da poupança é igual – ótima para juntar dinheiro.

Agora, outra pergunta: a poupança é uma boa alternativa para receber juros e ganhar dinheiro ao longo do tempo? Claro que não!

Então, vamos supor que você queira ter uma aposentadoria confortável no futuro ou queira rentabilizar seus recursos… Nesse caso, o mais aconselhável é sair da poupança e ir direto para a renda fixa.

Por quê? Porque a renda fixa te paga bons juros e te fará ganhar dinheiro. É um trabalho que vai dependente do tempo de investimento e dos juros que são pagos, mas, de alguma forma, você vai ganhar dinheiro – o que não acontece na poupança.

Mas, a poupança também não paga juros? Sim, mas é muito baixo. Tão baixo que praticamente é QUASE NADA.

Portanto, vamos fazer o seguinte… Vamos considerar que você queira sim juntar dinheiro rápido, mas que você optou por fazer isso de forma mais inteligente, está bem? Vamos falar em juntar dinheiro na renda fixa.

E se você não sabe nada da renda fixa, fizemos um tópico curtinho para você entender alguns dos mais famosos tipos de investimentos financeiros dessa modalidade, acompanhe!

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Como Estão os Investimentos Financeiros nos dias de hoje

Esses tópicos são apenas informativos para você se atualizar sobre o mercado financeiro.

A poupança perdeu rentabilidade após a queda constante da taxa básica de juros da economia ao patamar de 8,25% ao ano – assim outros fundos se tornam mais atrativos para os pequenos investidores, mas só aqueles que têm baixas taxas de administração.

Os investidores mais tradicionais podem continuar aplicando dinheiro no Tesouro Diretotambém, dizem os analistas. Isso porque ele não tem taxa de administração.

Marcelo Billi, da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais) diz que à medida que os juros caem, cada aplicação pode ter uma resposta diferente à isso.

“Quando as pessoas vão comprar uma geladeira ou um carro, elas pesquisam, vão em várias lojas, veem vários modelos e comparam as características do negócio. Na hora de escolher um investimento financeiro, elas não dedicam toda essa energia, mas isso é muito importante no cenário atual”, garante.

Da caderneta da poupança para a renda fixa

Há algum tempo a forma de rentabilizar dinheiro na poupança mudou e isso fez com que os investidores resolvessem optar pela renda fixa, que também é segura, só que muito mais rentável.

A boa notícia tem a ver com o fato de que o mercado financeiro oferece uma gama enorme de possibilidades para investir dinheiro e valorizar o capital (o que não acontece na poupança).

A dica primordial, portanto, é buscar conhecimento sobre cada uma dessas aplicações, para que a tomada de decisão financeira seja assertiva.

“Ao estudar e aprender sobre as oportunidades que o mercado oferece, o investidor estará mais preparado para escolher as aplicações financeiras que mais se encaixam em suas expectativas”, avaliam os analistas do mercado.

Quem não está satisfeito com os juros da caderneta da poupança, mas ainda não conhece muito do mercado financeiro tem que começar pela renda fixa. Confira algumas delas.

Como juntar dinheiro rápido na poupança? 10 cuidados na Renda Fixa
Reprodução: Google

Tesouro Direto

Para muitos especialistas de finanças, é o 1º passo para quem quer sair da poupança.

O programa foi criado pelo Governo Federal (em parceria com a Bolsa de Valores Brasileira) e oferece segurança e praticidade.

O investimento inicial é baixo, a partir de 30 reais.

Em poucos cliques, os interessados podem acessar o site oficial e adquirir títulos, não sem antes terem uma conta em uma corretora de valores.

Mesmo com a incidência do imposto de renda, o Tesouro Direto é mais vantajoso (financeiramente), do que a caderneta da poupança. Óbvio que juntar dinheiro no tesouro direto é uma melhor opção para você.

Nos últimos anos, é crescente o número de novos cadastrados no Tesouro.

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

São títulos emitidos pelos bancos e também são melhores opções do que a poupança para quem quer juntar dinheiro rápido.

“Você consegue encontrar no mercado um CDB que rende 100% do CDI e oferece liquidez diária. Ou seja, tem a mesma característica da poupança só que renda mais, mesmo depois de descontado o Imposto de Renda”, diz Ricardo Rocha.

Nesse caso, são várias possibilidades – títulos com liquidez diária (como a poupança, que permite sacar os recursos quando você quiser sem que haja prejuízos) e outros que pagam taxas melhores para quem deixar o dinheiro aplicado por mais tempo.

Eles não são garantidos pelo governo federal, como o tesouro direto, só que contam com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que assegura investimentos de até 250 mil reais por pessoa para cada banco.

Isso traz um ponto muito positivo para o mercado – até os bancos menores ficam seguros e você pode investir em qualquer um deles. Logo, a dica é pesquisar sobre os melhores produtos e, o que se sabe é que os bancos menores têm melhores retornos financeiros.

Saiba sobre prazo de carência e invista seu dinheiro de forma mais rentável.

“Nos grandes bancos você não vai encontrar taxa de 100% do CDI. Em geral, eles pagam 85%. Portanto, você só vai encontrar essa boa rentabilidade em corretora de valores, plataformas de investimentos ou bancos médios e pequenos”, orienta Sandra Blanco.

Letra de Crédito do Agronegócio e Letra de Crédito Imobiliário

As famosas LCA e LCI.

Elas são um pouco mais parecidas com a poupança porque tem a isenção do Imposto de Renda. Ou seja, se você optar por essas aplicações financeiras para juntar dinheiro, você estará isento de ser cobrado pela receita federal.

Claro que os retornos não serão tão altos, mas, normalmente, são maiores do que os CDBs e o Tesouro – e obviamente, bem mais alto do que a poupança.

Essas letras são títulos que funcionam como uma ponte entre os investidores que querem valorizar seu capital e as pessoas que buscam financiamentos para as atividades desses setores (agronegócio e imobiliário).

Elas também contam o FGC.

Certificados de Recebíveis

Chamados de CRI e CRA.

Eles são diferentes das letras de crédito porque estão atrelados ao fluxo futuro dos recebimentos de aluguéis de determinados bens.

Na prática, é quando um dono de empreendimento resolve locá-lo para outra empresa e consegue vender o fluxo de renda futuro por um valor presente.

Em geral, os valores iniciais são altos, a partir de 100 mil reais. As taxas são atreladas à inflação e o investidor fica isento do risco da inflação. Para somar a rentabilidade, ele adiciona uma taxa de juros real.

Eles também são isentos de imposto de renda para a pessoa física.

Os riscos acontecem quando o investidor “saca” o recurso antes do tempo devido.

Para quem quer juntar dinheiro é uma boa opção, só que não no curto prazo. É importante que se conheça as garantias das empresas antes de se investir nelas.

Para se investir nessa opção, o mais recomendável é procurar uma corretora de valores ou uma área especializada do seu banco.

Fundos de Renda Fixa

É preciso se atentar à taxa de administração.

Os especialistas recomendam investir em fundos que tenham taxa de, no máximo, 1% ao ano, porque ele incide de forma direta no seu rendimento.

Fundos Multimercados

A renda fixa estava com bons rendimentos no Brasil – 1% ao mês.

Agora, com a queda dos juros, essa rentabilidade caiu um pouco. Por isso, muitos investidores têm optado pelos fundos multimercados, mas é preciso muito cuidado: eles têm ganhos maiores, mas são mais arriscados, também.

“Há multimercados conservadores que oferecem menor risco com um bom retorno, entre 105 e 120% do CDI”, diz Sandra.

O jeito é ficar atento à instabilidade do fundo – quanto mais instável, maior o risco.

Debêntures

“As debêntures são produtos da renda fixa que possuem dois grandes atrativos: rentabilidade e baixo risco. Algumas têm isenção do imposto de renda”, diz Alexandre Sandoval.

Fundo de investimento em direitos creditórios

Os FIDCs são fundos de investimentos que compram recebimentos que as empresas deveriam receber dos seus clientes.

Por exemplo, os fundos de recebíveis da Petrobras… Caso os fornecedores precisem de dinheiro para o seu capital de giro, elas podem vender esta renda futura (recebíveis) a um FIDC com desconto.

Eles são fundos de renda fixa diversificados, mas é preciso avaliar o risco de crédito da empresa para ter garantias.

Começar a Investir Dinheiro na Renda Fixa

Essa última parte do texto vai ser muito interessante para você que quer começar a investir na renda fixa – vamos trazer as informações de uma forma nada convencional.

Bom, a ideia não é falar para você “compre este ativo” ou “compre aquele outro”. Não! Vamos trazer à tona alguns tabus, ou seja, algumas falsas informações que tem sobre esse mercado financeiro.

Considere que o investimento em renda fixa é diferente da renda variável. Confira os tópicos e entenda tudo para começar a investir dinheiro em renda fixa a partir de hoje!

Investir em Renda Fixa é Arriscado

Afirmação Falsa Detectada!

O primeiro mito sobre a renda fixa é dizer que esse é um investimento arriscado. Porque não é! Claro que todo tipo de investimento financeiro tem seu próprio risco, uns maiores e outros menores e a renda fixa é considerado a parte menor.

Assim, o maior risco nesse caso se daria pelo não pagamento dos títulos. Ou seja, o risco é o banco não pagar o que te prometeu. Ou o governo, no caso dos títulos públicos.

E, vamos combinar, isso é muito difícil de acontecer.

Por quê?

No caso do governo, a garantia é federal, e só aconteceria se o país quebrasse.

No caso dos bancos, há uma garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), para valores até 250 mil reais. Assim, mesmo se o banco quebrasse você teria esse dinheiro reavido.

Portanto, todos analistas consideram a renda fixa como um investimento isenta de riscos de perdas!

Investir em Renda Fixa precisa de Muito Dinheiro

As pessoas que ainda não tem muito conhecimento do mercado financeiro costumam acreditar que precisa de uma grande quantia financeira de dinheiro para começar a aplicar. Outro Fato Mentiroso!

Para se ter uma ideia, no Tesouro Direto, basta 30 reais e você já se torna um investidor financeiro dos títulos públicos.

Claro que tudo é uma questão de perspectivas – se você aplicar mais dinheiro, seu retorno será maior, ainda que não seja necessário.

Dentro da Renda Fixa, existem fundos de investimentos que tem valores iniciais de 1 mil reais e alguns ótimos CDBs com aplicação de 5 mil reais. Tudo é uma questão de pesquisar, encontrar e investir naquele produto que tem a ver com você.

Investir em Renda Fixa é Só para Especialistas

Já falamos um pouco disso, mas vale relembrar – você não precisa ser formado em economia para começar a investir dinheiro na renda fixa.

Só que é preciso ter o mínimo de conhecimento, que você pode adquirir através de cursos online e gratuitoe-booksvídeos do Youtube e lendo notícias, como você está fazendo agora.

Os títulos da renda fixa funcionam de forma semelhante à poupança, a qual você já está acostumado – você deposita o dinheiro e acompanha os rendimentos.

No entanto, existem outras modalidades, como o mercado de ações, que, aí sim, o conhecimento precisa ser um pouco maior e mais especifico.

Investir em Renda Fixa Apenas nos Grandes Bancos

renda fixa é um investimento feito conforme um empréstimo. E isso, como todo mundo, não precisa ser feito nos grandes bancos – a garantia deles é a mesma dos médios e pequenos bancos.

Todos os bancos tem a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito), que é para valores de até 250 mil reais. Logo, um CDB de grande banco tem a mesma garantia de um CDB de pequeno banco. Os riscos são os mesmos, independente do banco.

Investir em Renda Fixa te fará Enriquecer Rapidamente

Esse pode ser um mito ou não, depende de como você vai analisar.

A renda fixa é um investimento seguro, portanto, a rentabilidade é menor e, pensando assim, o enriquecimento rápido é mais difícil. Ao mesmo tempo, tudo vai depender do quanto o investidor tem para aplicar.

O fato é que a renda fixa não te deixará rico da noite para o dia, mesmo porque todos os investimentos financeiros tem a premissa de trabalhar nos juros compostos, ou seja, conforme o tempo passa.

Como juntar dinheiro rápido na poupança? 10 cuidados na Renda Fixa
Reprodução: Google

Como investir na renda fixa para juntar dinheiro rápido? 10 Cuidados

“Quem aplica na renda fixa, de certa forma, está emprestando dinheiro para alguma instituição em troca de uma remuneração, ou seja, de uma rentabilidade que vai receber mais à frente”, diz a Cetip, líder em registro de títulos de renda fixa no mercado brasileiro.

Os títulos são divididos entre os pré-fixados e os pós-fixados.

“Engana-se quem pensa que em renda fixa o rendimento não pode variar. Nos títulos pós-fixados, o cálculo está atrelado ao comportamento de algum indexador, como a taxa DI (Depósito Interbancário) ou algum índice de inflação, como IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) e o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado). O universo da renda fixa é grande e variado”, diz a instituição.

Por isso, antes de investir na renda fixa para juntar dinheiro rápido, considere alguns cuidados!

1 – Títulos prefixados com liquidez

Se você vender seu título antes do vencimento, vai perder ou ganhar mais dinheiro do que o “combinado” – conforme as taxas do mercado.

“Diferente do que as pessoas pensam, dentro da renda fixa existem ativos que podem gerar remuneração maior do que a esperada ou dar prejuízo. Para não ser surpreendido, fique atento ao comportamento do mercado e a taxa de juros”, diz Ezequiel Karling, da Moinhos Investimentos.

“Tudo depende da situação de mercado no momento no qual o investidor comprou o ativo e o quanto ela (situação) variou no momento que foi vendida (ativo). O ideal é tentar comprar este ativo no final de um ciclo de alta taxa de juros”, diz Nathaniel Bloomfield, da Confiança Investimentos.

2 – Limite da Cobertura do FGC

Já falamos um pouco do FGC. Portanto, a dica é nunca deixar um investimento passar de 250 mil reais em bancos porque não há garantia sobre o excesso desse valor.

“O FGC paga até o valor de 250 mil reais considerando o principal mais os juros. Então, antes de fazer a alocação temos que prestar atenção no vencimento da operação. Pois se o investir aplica mais, o FGC só pagará o principal”, garante Licelys Marques, da Praisce Capital.

3 – Aprenda a calcular

As letras de crédito são isentas da cobrança do imposto de renda e os CDBs não.

Então, fica a dúvida sobre saber qual é a melhor opção.

Nathaniel diz que há uma fórmula a ser usada para saber a liquidez de um CDB.

Rentabilidade líquida = rentabilidade bruta x (1-(alíquota/100))!

Na prática é fácil entender…

Um CDB que rende 100% do CDI e tem carência e vencimento entre 1 e 2 anos, terá uma alíquota de 17,5% que equivale a uma LCI de 82,5% do CDI.

  • Rentabilidade do CDB – 100% do CDI
  • Alíquota de IR – 17,5%

Rentabilidade líquida = 100 x (1-(17,5/100)) = 100 x (1-0,175) = 100 x 0,825 = 82,5!

4 – Ter uma reserva de emergência (segurança)

“Manter sempre uma reserva de segurança que esteja disponível na sua conta para um giro (com liquidez diária e imediata), mesmo que tenha que abrir mão de um pouco de rentabilidade. Um dia de juros no cheque especial pode representar alguns meses de rentabilidade na renda fixa”, diz Alexandre Amorim, da Par Mais Investimentos.

O valor que você vai deixar nessa reserva depende da sua situação, mas acredita-se que cerca de 6 meses de despesas pagas costuma ser um bom número.

5 – Fundos DI e as taxas de administração

Os fundos DI são ótimas opções de investimento para quem quer estar atrelado à taxa de juros – porém, com taxas altas não compensa.

Alexandre Amorim diz que para obter boas taxas na renda fixa é preciso ter um investimento inicial mínimo.

“Um fundo com taxa de 0,5% costuma exigir aporte de 100 mil reais. Por outro lado, o valor mínimo de permanência é baixo. Portanto, sempre que tiver algum valor disponível na conta, aplique no fundo com menor taxa de administração”, diz.

6 – Tesouro Direto e CDB como garantias na Bolsa de Valores

Esses dois investimentos financeiros da Renda Fixa podem ser usados como margem de garantia para os futuros investidores da bolsa de valores.

Eles funcionam como um “cheque caução” para que você invista. E são dispostas em algumas operações, sendo que você pode usar os títulos como garantia ao invés de depositar valores na conta.

7 – Diversificação da Carteira de Investimentos

O interessante é investir em mais de um título de tipos diferentes – assim, você protege o seu capital e pode até ganhar mais dinheiro.

Quando um título não tem boa rentabilidade, os outros títulos escolhidos podem compensar a baixa rentabilidade – é assim que os grandes investidores fazem.

8 – Evite aplicar na 1ª opção que o gerente te sugere

Alguns investidores acabam não pesquisando as melhores opções do mercado ao aceitar o que o gerente do banco diz…

“Como em qualquer mercado existe a concorrência entre os bancos e os produtos, sendo assim as taxas podem ser diferentes entre as instituições”, diz Bruno Setti.

9 – Não saber o prazo da aplicação financeira

Como falamos o tempo todo em juntar dinheiro rápido, considerar o prazo da aplicação é essencial.

“Em caso de emergência, esses investidores não conseguem resgatar seu dinheiro ou resgatam com altas penalidades, anulando qualquer vantagem de rentabilidade”, diz Bruno, da Criteria Investimentos.

Como no caso do Tesouro, quando o investidor vende o título antes do prazo, pode ter prejuízo financeiro.

10 – Não considerar a inflação ao calcular a rentabilidade

Um investimento financeiro pode render 10% ao ano… Só que se a inflação for de 9% no mesmo período, ele renderá bem pouco, praticamente nada, já que há perda de valor envolvida.

“Muitos investimentos parecem atrativos, porém acabam rendendo menos que a inflação e sua renda fixa se torna uma perda fixa, pois a valorização do seu patrimônio é menor que a desvalorização do seu poder de compra”, diz.

Com informações do terra, uol, infomoney

ANÚNCIO