30 dicas simples para juntar dinheiro rápido mesmo ganhando pouco em 2018

ANÚNCIO

Quem ainda não tem o hábito de economizar ou está com muitas dívidas pode ter dificuldade na hora de juntar dinheiro rápido! Mas, o que poucos sabem é esse comportamento pode ser adquirido em qualquer fase da vida.

A receita é muito simples: mudanças na rotina.

ANÚNCIO

Pensando nisso, separamos algumas dicas bastante simples para todas aquelas pessoas que querem fazer de 2018 um novo ano, cheio de realizações e muito dinheiro no bolso. Confira!

1 – O começo

Para quem ainda não tem o hábito, é preciso entender que todo começo é vagaroso. O importante é começar em uma velocidade lenta – separando uma pequena quantia por mês.

O mais importante de todos os hábitos é ser consistente, portanto, se você coloca uma pequena quantia por mês na sua poupança, mas faz isso de forma concisa, seu objetivo será alcançado.

ANÚNCIO

Com a criação do hábito, aí sim, recomenda-se aumentar o valor investido.

2 – Anotar os gastos

Quando você anota os gastos, você sabe exatamente para onde o dinheiro está indo, identificando as melhores formas de poupar dinheiro.

Analise as despesas e veja se há formas categóricas de cortar alguma conta mensal – isso ajuda na hora de juntar dinheiro rapidamente.

Tenha aplicativos ou anote manualmente os gastos! O importante é fazer isso sempre, inclusive, com aqueles custos que são considerados menores, como os cafezinhos.

3 – Gaste menos do que você ganha

Esta é a regra de ouro para se chegar ao equilíbrio financeiro.

Não há uma forma melhor de acumular patrimônio, se não conseguindo ter uma economia de dinheiro ao final do mês – guardar dinheiro só é possível quando uma pessoa gasta menos do que ela ganha.

Esse equilíbrio financeiro é fundamental para quem quer juntar dinheiro.

4 – Quite as dívidas

As dívidas são as principais inimigas de quem está tentando juntar dinheiro rápido.

Para ter sucesso nessa missão, o ideal é quitar todos os débitos (inclusive, com os juros que estão alocados neles).

A recomendação dos especialistas é começar pelas dívidas que tem maiores juros, mesmo que elas não sejam os de valores mais altos no acumulado.

Logo, a prioridade é pagar as faturas do rotativo do cartão de crédito e a do cheque especial.

5 – Faça um empréstimo pessoal

Se você não tem condições de pagar todas as dívidas de uma vez, o ideal é fazer um empréstimo pessoal, que tem juros menores e pagar todas as outras.

O empréstimo consignado também costuma ter bons valores. Mas, estes tipos de créditos são voltados para as pessoas que tenham carteira assinada ou são aposentados.

6 – Faça uma Reserva Financeira

Ter um fundo de reserva voltado para emergências é importante porque dá ao investidor a chance de tomar as melhores decisões de suas vidas.

Por mais que você ache que nada vai acontecer você, saiba que uma hora o carro quebra ou as doenças de saúde aparecem. Além disso, com a crise, o número de desempregados cresceu em todo país.

O valor dessa quantia que você precisa ter é bastante variável, mas acredita-se que tenha a ver com a sua renda e o seu estilo de vida – uma sugestão é a de ter uma reserva que equivale a 6 vezes da sua renda líquida atual.

7 – Fale sobre dinheiro

Em todas as fases da vida precisamos aprender a lidar com o dinheiro. Assim sendo, sempre há um momento para falar sobre dinheiro, finanças, empréstimos, investimentos. E isso pode ser feito com os membros da família e os amigos.

É importante criar diálogos francos e abertos sobre o tema – para que todos compreendam os seus papéis na busca pelo equilíbrio financeiro.

8 – Tenha objetivos financeiros

Se você tem um objetivo em mente, algo que quer muito, isso torna muito mais fácil a sua missão de juntar dinheiro rápido. Logo, o fator funciona como um “disciplinador” na sua vida.

Os especialistas recomendam definir três sonhos: sendo

  • de curto prazo (até 2 anos),
  • de médio prazo (até 5 anos) e
  • de longo prazo (acima de 5 anos).

Considere aquilo que é importante para você – quitar as dívidas ou comprar a casa própria são boas opções de escolha para atingir a independência financeira.

9 – Saiba quanto vai poupar mensalmente

Divida o valor dos seus objetivos traçados e divida também pelo número de meses que você tem para conseguir realiza-los. Isso te ajuda a fazer as contas e saber quanto terá que acumular.

Um intercâmbio no valor de 12 mil reais em 24 meses daria 500 reais por mês – por exemplo.

Todos os sonhos são possíveis de serem realizados – seja pela quantia investida ou pelo tempo médio que você ficará juntando o dinheiro.

No vídeo abaixo, um milionário propõe um método para ficar rico que não demanda muito do seu salário… Apenas 10%, confira!

https://youtu.be/tXfddhCV5mA

10 – Considere as formas de guardar o dinheiro

Além de saber quanto você vai juntar é preciso também ficar atento ao tipo de investimento na qual você vai aplicar o dinheiro.

Para um sonho de longo tempo, recomendam-se os títulos públicos do governo federal (tesouro direto) ou mesmo o mercado de ações. Já para o curto prazo, o ideal é ter um CDB com liquidez diária.

A poupança tem baixíssima rentabilidade e só é recomendada para um prazo muito curto, de meses.

11 – Diversifique sua fonte de renda

Um jeito de juntar dinheiro rápido bastante objetivo é ganhando mais dinheiro – e você pode fazer isso criando outras formas de gerar renda.

Existem algumas profissões que são versáteis, como vendedores e pessoas que sabem fazer manutenção em equipamentos eletrônicos. Essas opções, como outras, pode te fazer ter uma atividade extra, além do âmbito do trabalho formal.

12 – Opte por comprar à vista

Além de ser mais econômico, esse é um bom exercício para se gastar menos do que ganha.

A ideia é que você junte o dinheiro primeiro e depois compre o que for preciso.

Negocie também, afinal, quem tem dinheiro na mão tem mais opções para efetuar o pagamento, com bons descontos.

13 – Troque peças de roupas com os amigos

Os itens de vestuário costumam ter valores significativos no mercado e podem representar ganhos no orçamento mensal – portanto, uma boa dica é trocá-las com os familiares e amigos.

14 – Evite compras desnecessárias

Tome cuidado com as propagandas que aparecem nos jornais, televisão, internet. Elas dizem eu estar na moda é legal e isso é necessário para você ser aceito na sociedade, mas isso não é bem assim.

Essas técnicas de marketing induzem os consumidores a comprarem algo que não precisam… Apenas para impressionar outras pessoas.

Elas nada mais são do que armadilhas emocionais. Se você é uma pessoa autêntica, sabe que é necessário consumir apenas aquilo que faz bem para você.

15 – Opte por comer em casa

Comer fora de casa, mesmo que sejam em lugares econômicos, pode te fazer gastar mais dinheiro do que você deveria. Isso sempre representa um gasto excessivo no orçamento mensal da família.

Se não é sempre que você pode almoçar em casa, tudo bem. Procure formas de tomar o café da manhã e o fazer o jantar por lá. Além disso, levar marmitas garante que sua refeição seja saudável, além de ser mais barata.

16 – Os descontos sazonais

Depois das datas que representam as maiores vendas do comércio (natal, dia das mães) é comum que os produtos fiquem com desconto para serem liquidados.

Essas são boas oportunidades de comprar produtos por preços acessíveis.

A dica é ficar de olho para saber se os descontos são verdadeiros. O ideal é pesquisar o preço do produto algumas semanas antes das datas comemorativas.

17 – Tenha lazer barato ou gratuito

Todas as cidades têm programas legais e baratos aos finais de semana – e isso tem que ser aproveitado quando o nosso foco é juntar dinheiro rápido.

Um lanche em casa com os amigos pode ser uma das ideias.

Além disso, parques e praças oferecem boas opções de passeios.

O que se sabe é que quem consegue buscar alternativas, consegue se divertir sem gastar muito.

18 – Considere o custo-benefício

Você não precisa ter o último Smartphone que foi lançado há 2 dias, né? Em alguns meses ele já vai estar super desvalorizado… Alias, você precisa mesmo experimentar essas funcionalidades novas?

Conforme pesquisas, um smartphone básico pode suprir 80% de tudo que você precisa.

Assim, quando você compra um produto novo ele sofre depreciação e faz com que você “jogue dinheiro fora”, quase que literalmente.

19 – Use a tecnologia a seu favor

Isso vale para aquele momento que você vai criar o seu próprio orçamento financeiro pessoal ou para quando vai pesquisar os preços dos produtos.

Também é uma boa opção para assistir vídeos gratuitos ou fazer cursos online.

Entre os cursos online gratuitos, temos uma boa indicação: Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos!

20 – Considere os gastos do carro

Se você quer juntar dinheiro rapidamente, não deve deixar passar a chance de fazer as contas sobre os gastos com o carro… Será que ir trabalhar de Uber, bicicleta ou metrô não é mais barato?

Isso porque ter um carro próprio implica em muitos gastos, como com impostos, seguros, combustível e manutenção – além de outros.

21 – Opte pelos exercícios ao ar livre

Ir para o trabalho de bicicleta é um ótimo exercício, mas se isso não for possível, você precisará se exercitar de alguma forma – o ideal é optar pelas atividades ao ar livre.

Elas são super saudáveis porque te coloca em contato com a natureza e, além de tudo, são econômicas e não te fazem gastar dinheiro (nem com academias, nem com medicamentos).

22 – Evite passear em centros comerciais

Se você está tranquilo e resolveu ir passear no shopping, saiba que essa não é uma boa pedida porque lá você vai estar cercado de ações de marketing que vão te levar as compras.

Esses lugares são verdadeiros “templos de consumo”.

Sempre que possível realize suas compras pela internet – isso barateia o seu consumo.

23 – Planos pré-pagos para o celular

Em termos econômicos, ter um celular pré-pago é uma boa orientação porque te faz “andar na linha” sobre o uso dos seus créditos. Isso te faz evitar gastar com pagamentos mensais mais caros.

Se você tem um plano pós-pago, dificilmente conseguirá conter as ligações e mensagens. E isso vai trazer maus resultados na sua fatura.

24 – Economize energia

É aquela velha e boa recomendação sobre “apagar as luzes quando não estiver ninguém no local” ou “tirar os eletrônicos da tomada quando não estiverem em uso”.

Essas medidas podem parecer simplistas demais, mas, acredite: trazem economia de mais de 20% na sua conta de energia elétrica.

Nunca se esqueça de também que o chuveiro elétrico e o ferro de passar roupas são os principais vilões dos gastos de energia domésticos.

25 – Cancele o envio automático de mensagens com ofertas

Quanto menos expostos às imagens publicitárias você estiver, menos vontade de comprar você vai ter, também. Todos nós recebemos e-mails com “ofertas únicas” ou “pela metade do preço”… Mas isso é um grande perigo para quem quer juntar dinheiro rápido.

Essas técnicas te forçam a comprar algo que você verdadeiramente não quer. O melhor é se descadastrar dessa lista de e-mails ou produtos.

26 – Poupe o dinheiro extra

Se no final do ano você recebeu vários bônus (13º salário, férias, participações, comissões), guarde o seu dinheiro ao invés de gastar com “bobeiras”.

Se você souber escolher um bom investimento, vai ver esse valor aumentar exponencialmente ao longo do tempo.

Foque sempre nas suas prioridades e busque objetivos maiores.

27 – Aprenda a fazer reparos

Você não deve mandar uma calça jeans embora apenas porque ela tem um furinho aqui ou acolá. Essa falha pode ser “remendada” facilmente… Se você tem criatividade, pode até estilizar o produto.

Existem várias formas de juntar dinheiro apenas reparando alguns serviços – e não apenas nas roupas, como em casa: torneira quebrada, chuveiro queimado, troca de lâmpadas, pinturas… E assim por diante.

28 – Pague as contas em dia

Se você é daquelas pessoas que gostam de pagar todas as contas em dia, continue nesse caminho. Isso evita que você pague juros e te ajuda a juntar dinheiro.

Além disso, outra dica é concentrar todos os pagamentos em um único dia, dependendo de como for sua organização financeira. Isso pode ser vantajoso.

29 – Venda coisas que não usa mais

Praticar o desapego é uma técnica do novo século que faz bem para o bolso e para o meio ambiente. Em cada canto da sua casa há itens que estão lá há bastante tempo e que não apresentam mais utilidade.

Isso pode ser de valor significante para outras pessoas e render um bom dinheiro para você!

A dica é fazer uma inspeção em casa e listar todos os objetos que você não usa mais e que poderiam ser vendidos para outras pessoas… É uma maneira excelente de juntar dinheiro rápido.

30 – Evite ir as compras quando está de mau humor ou com fome

Conforme pesquisas, esses dois sentimentos podem te fazer comprar mais do que você desejaria. As emoções tem tudo a ver com o nosso hábito de consumo.

As pessoas que são consideradas consumidoras compulsivas alcançam este estágio quando suas dores emocionais se apresentam nas compras.

30 dicas simples para juntar dinheiro rápido mesmo ganhando pouco em 2018
Reprodução: Google

O que fazer com o dinheiro economizado?

Se você reconhece várias formas de juntar dinheiro rápido, resta saber o que fazer com ele, não é mesmo? Afinal, você tem muitos objetivos para serem concretizados…

O mercado financeiro é um assunto habitual para você? Se não for, pense em começar pela renda fixa…

Investir em renda fixa – 5 produtos bancários

A ideia do investimento é aquele velho chavão de “colocar o dinheiro para trabalhar para você” porque você aplica os juros funcionam a seu favor.

Listamos algumas opções, mas apenas com informações básicas, confira.

1 – Poupança

A caderneta da poupança é a forma de investir dinheiro mais antigo que existe no Brasil.

Ela tem facilidades, como a isenção do imposto e a liquidez diária (liberdade para sacar dinheiro quando quiser).

Outro ponto importante é sobre o valor para investir e a periodicidade que se poder fazer isso: é livre!

Logo, você pode aplicar 2 reais ou 200 mil reais. E pode fazer isso 1 ou 10 vezes ao dia. Para isso, não há restrição.

Essa facilidade é que faz a poupança ser uma forma de ganhar dinheiro com investimentos financeiros nos bancos.

Mas, como ganhar dinheiro?

Ah, sim. A poupança tem um pequeno rendimento mensal, que segue alguma regra especifica.

Desde 2012, ela se transformou… Passou a não ser ideal para ganhar dinheiro, apenas para preservar o seu patrimônio.

Isto acontece porque quando a Selic (que é a taxa básica de juros da economia) está baixa, a caderneta rende apenas 70% desse índice + uma taxa referencial.

Logo, o rendimento dela está bastante baixo.

Seria um erro se aconselhássemos vocês a nunca usar a caderneta da poupança.

Ela pode ser útil se você quer acumular patrimônio para fazer uma aplicação melhor.

Portanto, de forma geral, se você tem já tem um capital maior do que 1.000 reais… saiba que a poupança não vai ser, de longe, o melhor investimento financeiro de 2018.

O lado positivo dela é pode sacar os recursos quando quiser, além de não ter a incidência de impostos.

Só que em termos de rentabilidade (para ganhar dinheiro) ela é péssima opção de aplicação financeira.

2 – Fundo de Investimento

Os Fundos de Renda Fixa são interessantes de serem estudados.

Bom, o que é um fundo? Imagina que você ainda não saiba, exatamente, onde vai aplicar dinheiro na renda fixa…

  • Seria no Tesouro?
  • LCI/LCA?
  • CDB?

Então, um fundo é uma única carteira que contempla vários ativos, podendo ser, inclusive, esses que citamos – CDB, LCI/LCA, Tesouro e até mesmo poupança.

E quanto ao rendimento, você vai perguntar.

Bem, o rendimento vai depender das porcentagens desses ativos na carteira.

Apenas para você entender: se você está em um fundo que aplica mais de 50% na caderneta da poupança, então tem que saber que ele não vai render muito.

Talvez esse fundo nem exista – nós só estamos exemplificando, tudo bem?

Agora, pense em um que aplica muito mais em CDB e pouquíssimo na poupança… Aí seria melhor né?

Portanto, a rentabilidade vai depender das porcentagens dos ativos.

Um fundo de renda fixa quer dizer que todos os ativos serão da renda fixa, portanto, não haverá aplicações em ações, por exemplo.

Ficou fácil né?

Boa parte das características se mantém: liquidez variável, valores médios, impostos.

Mas tem algo que muda e que pode fazer toda a diferença – é isso que vai fazer o fundo de renda fixa ser o sei melhor investimento financeiro de 2018 ou não:

A taxa de administração!

Essa explicação é muito importante para este artigo e vai ser útil para todos os fundos de investimentos que serão citados a partir de agora!

No mercado financeiro, há um padrão entre os valores dessa taxa – eles vão de 0,5 a 3% ao ano.

É uma taxa cobrada pela instituição para arcar com os custos que ela tem, inclusive, com o do gestor.

Observe que em um fundo, o investidor não tem opinião ativa e é o gestor que vai determinar os ativos que serão alocados na carteira. E isso, obviamente, tem um custo.

E por que essa taxa de administração é tão importante? Porque ela tem o poder de diminuir sua rentabilidade… A questão é com quanta força ela faz isso!

Se você quer entrar em um fundo que tem mais de 1,5% de taxa de administração, saiba que muito dificilmente você estará aplicando no melhor investimento financeiro de 2018.

O que os analistas dizem? Que todo fundo que tem taxa de administração em 1,5% ou mais não são financeiramente vantajosos. Essa não é uma lei, mas uma verdade para os dias atuais.

Então, para entender os fundos considere que ele poderá ser uma boa opção para ganhar dinheiro, mas só quando tiver taxa de administração abaixo de 1,5%.

Se assim for, faça as contas considerando também a rentabilidade e os outros encargos e veja se esse é o melhor investimento financeiro para você!

3 – CDB (Certificado de Depósito Bancário)

O CDB é um produto bancário que funciona de forma parecida com o Tesouro Direto – mas há diferenças.

As semelhanças têm a ver com o fato de ter um rendimento melhor do que o da caderneta da poupança, só que tem o imposto de renda e pouca liquidez.

Quanto ao rendimento, especificamente, ele está atrelado ao CDI (Certificado de Depósito Bancário), que é uma taxa de juros praticada entre os bancos.

Há CDBs que pagam 80% do CDI e outros que pagam até 110% do CDI… Claro que quanto maior a porcentagem, maior o lucro do investidor.

Do lado das diferenças entre o Tesouro e os CDBs é que neste último o valor para aplicação inicial é, geralmente, mais alto, partindo (na maior parte das vezes) dos 5 mil reais.

Há ainda outra grande diferença – quanto à segurança desse investimento. Os CDBs não têm a garantia do Tesouro Nacional.

Portanto, será que o CDB está muito longe de ser o melhor investimento financeiro do ano?

Calma!!

Mesmo sem a garantia do governo, o CDB pode ser considerado uma aplicação segura. Isto porque conta com o FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

O FGC é um órgão que dá alguns benefícios ao investidor, mas tenha atenção… Ele cobre apenas valores que vão até 250 mil reais por pessoa.

Logo, se você 500 mil reais investidos, o que deveria fazer? Aplicar o dinheiro em dois bancos diferentes… dividindo o patrimônio acumulado.

Vamos supor que você tenha 5 mil reais para investir e não tenha pressa para resgatar a aplicação… Neste caso, encontramos uma ótima opção para você.

O CDB, nesse caso, pode ser o seu melhor investimento financeiro em 2018.

Tipos de CDBs

No atual mercado financeiro existem dois tipos de CDBs: os prefixados e os pós-fixados.

Os prefixados

O CDB prefixado é aquele na qual o investidor saberá exatamente a rentabilidade que terá na hora que iniciar o investimento – as taxas se mantêm durante a vigência do título.

A dica para quem vai investir em CDB prefixado é buscar as instituições financeiras menores, que oferecem as melhores taxas fixadas do mercado.

Muitas pessoas tem medo de investir em bancos menores porque desconhecem o fato de que eles também são garantidos pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito). Todo banco tem a garantia de até 250 mil reais por pessoa, dependendo do investimento financeiro.

Os pós-fixados

Nesse caso, a rentabilidade é baseada em taxas de referências, ou seja, que podem se alternar durante o período de vigência do título. Normalmente, usa-se o CDI (Certificado de Depósito Bancário), que fica sempre próximo à taxa básica de juros, a Selic.

Quando o investidor opta pelo CDB pós-fixado, ele sabe que terá uma rentabilidade muito próxima à Selic, acompanhando as variações do mercado.

Neste caso, porém, o grande segredo é que o percentual pago sobre o CDI não é fixo e varia de banco para banco, dependendo do valor e do período de investimento.

4 – LCI/LCA (Letra de Crédito Imobiliário / Letra de Crédito do Agronegócio)

Esse tipo de aplicação é muito parecida com os CDBs.

É um produto bancário, tem incidência do imposto de renda, tem liquidez baixa, rende mais do que a poupança, a rentabilidade tem a ver com o CDI e tem a garantia do FGC.

Só que há algumas diferenças.

A se começar pelo valor inicial de aplicação – que é bem mais alto do que os CDBs.

No atual mercado financeiro é muito difícil encontrar uma LCI ou LCA que exigem um valor menor do que 20 mil reais para a compra do título.

Outra diferença é a finalidade de uso do dinheiro. Nesse caso, os bancos usam os recursos para financiar imóveis ou a área do agronegócio.

Enquanto no CDB, os usos são mais generalizados.

Ficou fácil: se as letras de crédito rendem conforme o CDI só que exigem um valor inicial mais alto… É óbvio que elas não fazem parte do grupo do melhor investimento financeiro do ano, certo?

Na verdade, essa pode sim ser a melhor aplicação financeira se o seu foco for ganhar dinheiro.

Isso porque ela tem um ponto crucial e que a diferencia das outras opções já citadas aqui (Tesouro Direto e CDB).

As letras de crédito tem a isenção do imposto de renda – logo, a rentabilidade não é diminuída pelo “leão” da Receita Federal.

Para concretizar a teoria de que uma Letra de Crédito pode ser o melhor investimento financeiro de 2018, faça as contas… E compare com os CDBs.

5 – Fundo Multimercado

O fundo multimercado é para você que achou que o fundo de renda fixa é conservador demais, mas que o de ações é muito agressivo.

O multimercado é um meio termo, ele une alguns ativos da renda fixa e outros da variável, podendo mesclar CDBs e ações, Tesouro e debêntures, LCI e dólar, ouro… Assim por diante.

Nos dias atuais, com a queda da Selic, alguns investidores têm encontrado no fundo multimercado uma forma de aumentar os ganhos com investimentos.

Ele tem um perfil moderado porque tem a garantia dos ativos conservadores com a agressividade da Bolsa de Valores.

Mas, novamente, é preciso cuidado com a taxa de administração para que ela não minimize muito a sua rentabilidade.

Nós não sabemos se é o seu caso, mas para muitos analistas, o fundo multimercado é o melhor investimento financeiro de 2018 – que começou a ir bem após os constantes cortes da Selic.

Com informações do guiabolso

ANÚNCIO