Juntar Dinheiro em 2019 – essa é a meta dos brasileiros!

A Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) sempre fazem uma pesquisa anual para saber os principais interesses dos brasileiros e neste ano não foi diferente.

A única diferença foi no resultado: a maioria da população quer juntar dinheiro e, logo em seguida, sair das dívidas (pagar contas atrasadas). Seguindo a ordem, ainda vem: comprar um imóvel próprio ou reformar a casa, viajar, comprar ou trocar de carro e, por fim, estudar!

O estudo foi feito com mais de 700 pessoas e mais da metade querem acumular dinheiro! E os motivos são os mais distintos, como o medo de não conseguir pagar as contas, ter que abrir mão de confortos ou perder o emprego.

“Apesar de os brasileiros continuarem sentindo os efeitos da crise, a possibilidade de crescimento da economia impõe novos desafios para o sucesso dos projetos de cada um. E isso passa pela capacidade de poupar dinheiro”, diz o presidente da SPC Brasil.

Outro dado importante é que entre os entrevistados, 20% disseram que foram parar na lista de inadimplentes do SPC, do Serasa ou do Boa Vista. 

Com base nessas informações, que são reais e atuais, nossa equipe preparou uma lista com 5 dicas incríveis para quem quer juntar dinheiro em 2019 e não sabe muito bem por onde começar.

Na verdade, são 5 degraus de uma escada que pode te ajudar a chegar ao final do ano com dinheiro no bolso e sem dívidas. Para aí, no início de 2020, a resposta para a pesquisar ter a chance de ser outra, como, por exemplo, “enriquecer”.

Juntar Dinheiro em 2019 – essa é a meta dos brasileiros!

1 – O Fim das Dívidas

Com dívidas ninguém consegue poupar dinheiro porque toda grana que entra vai para o custeio desse empecilho na vida de muita gente. Portanto, o primeiro passo é justamente quitar as dívidas.

E claro que não é preciso fazer isso de uma só vez, dá para renegociar a dívida com o banco, pegar um empréstimo com juros menores e assim por diante. Mas, é importante dar um jeito de acabar com ela logo nos primeiros meses do ano.

Ainda que seja por 12 meses, é importante dar fim às dívidas porque elas nos impede de progredir na vida financeira.

2 – O Estilo de Vida

Com dívida ou sem dívida, outro ponto a ser estudado é o seu estilo de vida. Será que você está vivendo aquém do que o seu salário permite? Comece a estudar os seus gastos…

Por exemplo, será que o seu veículo não está muito além do que seu bolso suporta? Isso porque os gastos do carro vão além das parcelas do financiamento, né. Tem o combustível, manutenção, seguro, etc. Até o IPVA de um carro mais barato será menor.

Outra coisa é sobre as compras feitas durante os finais de semana, com tênis, roupas, alimentos. Entenda que estamos em um ano que requer paciência e consciência financeira. Nada de sair por aí gastando mais do que você pode.

3 – A Relação com o Dinheiro

A forma como você lida com o dinheiro é super importante. Porque se você não dá a ele o devido valor, ele some, voa, desaparece.

Então, estude as formas de gastar e investir o seu dinheiro. Porque você vende a sua hora de trabalho e deve valorizar isso, sempre.

Tem gente que sai por aí comprando tudo que vê, sem pesquisar, sem encontrar o que é realmente importante. E no fim do mês, nada sobra para alimentos e itens essenciais para a sobrevivência humana.

Por mais chato que seja, um orçamento financeiro é importante para que a situação com o dinheiro não seja a pior possível. Por outro lado, os resultados serão sempre muito bem vistos, já que assim é possível encontrar os principais problemas financeiros.

4 – Os Pequenos Gastos

Também se deve considerar os pequenos gastos quem deseja juntar dinheiro ao longo de todo o ano. Porque eles são representativos em boa parte do nosso orçamento. Até mesmo o café, a bala e coisas bem pequenas e baratas.

Com o planejamento que foi citado acima vai dar para ver que existem gastos que são pequenos, mas que na somatória fazem diferença. E essa diferença é o essencial para economizar dinheiro.

Jantar em restaurantes caros, comer pizza toda sexta-feira, comprar tênis luxuosos… Tudo isso são gastos que podem ser evitados, mesmo que você passe no cartão de crédito (porque a conta chega para você, no fim das contas).

Então, seja mais minimalista com seu orçamento e considere os gastos menores também.

5 – O Investimento Financeiro

A última dica é sobre investir dinheiro, que é uma forma de juntar dinheiro mais rapidamente, já que aqui se trabalha com juros compostos. Claro que inicialmente, com pouco patrimônio, os juros parecem se insignificantes.

Mas, no decorrer do tempo, se tornam importantes sim.

Ainda mais quando se tem bons valores acumulados. A dica é optar por opções que sejam simples, mas que ao mesmo tempo rendam mais do que a poupança, que hoje tem um rendimento dos mais pífios de todo mercado financeiro.

A recomendação é estudar o mercado, os governos, opções e fazer a escolha de acordo com a necessidade de cada pessoa, levando em conta que existem objetivos para o curto, médio e longo prazo.