Júnior, Pleno e Sênior – saiba a diferença entre eles

ANÚNCIO

Você já passou alguma vez na sua vida por uma situação não soube identificar qual é o seu nível de cargo? Se sim, fique tranquilo, você não está sozinho. Assim, quere saber se você é júnior, pleno ou sênior é algo muito comum entre os brasileiros.

Essa é uma dúvida que assola muitas pessoas. Mas, a verdade é que no próprio mercado de trabalho existem divergências em como classificar os profissionais. Por isso, a definição não é tão fácil de ser feita. Só que a gente foi atrás de algumas boas respostas.

ANÚNCIO

Afinal, em quase todas as explicações vemos que isso não se volta apenas pelos anos de trabalho, mas também pela experiência ou graduação do profissional.

Júnior, pleno ou sênior?

Vamos agora acabar com suas dúvidas com o assunto e entender as diferenças que são apresentadas em cada uma dessas categorias. Para isso, vamos nos basear em 2 sites de empregos que são muito usados por brasileiros: Tutano por Trampos e Vagas.com.

Júnior

A primeira categoria, júnior, se caracteriza por oferecer cargo menos complexos, com tarefas mais restritas, que não exigem uma aptidão profissional tão apurada. Geralmente, não é incumbido para tomar decisões, apenas executar função. Isso de acordo com o Vagas.com.

ANÚNCIO

Já para o Tutano por Trampos, o profissional júnior, na maioria das vezes, acabou de se formar, possui pouca ou nenhuma experiência. Justamente por isso, aceita funções mais simples.

Para ambos os sites, pode ser que sejam cobrados habilidades técnicas e capacidades específicas, todas sem muito aprofundamento. Essa categoria profissional refere-se também a quem está estudando ou já adentrou ao ramo e conta com uma média 2 anos de trabalho.

Além disso, o júnior ainda acaba recebendo ajuda de outros profissionais, especialmente sobre como executa menos funções. Desse modo, ele oferece sua força para desempenhar funções com superiores.

Pleno

A categoria pleno já é um degrau acima do júnior. Nesta, o profissional já recebe funções com exigem uma complexidade maior para conseguir realizar e a maturidade para tal trabalho precisar ser muito maior

A partir daqui o trabalhador começa a ser mais independente e até adotar postos de liderança e se torna responsável por tomar decisões. É o que diz o Vagas.com.

O individuo que atinge essa categoria, na maior parte das vezes, já terminou sua graduação. De modo que o profissional Pleno já tem uma bagagem muito maior que o júnior. Por isso, ele já desempenha cargos que exigem maior conhecimento.

Mesmo já sendo responsável decidir muitas coisas, ainda assim não costumar toma decisões sozinho. Para isso acontecer, é necessária a aprovação de suas ideais por seus por superiores. De qualquer forma, já estão aptos para comandar equipes. O tempo de experiência no mercado de trabalho acaba tendo uma variação de 3 a 7 anos.

Sênior

Para fechar esse estudo sobre júnior, pleno ou sênior, vamos a última categoria que também pode ser considerada a mais importante. No site da Vagas, a gente vê que estes profissionais devem apresentar um domínio completo de todas as tarefas de sua área.

Portanto, possuem uma grande maturidade não apenas no trabalho, mas emocional também. Ao passo que ele deve possuir uma ampla habilidade de tomada de decisão e competência para ser incumbido de postos de líder.

Tomando por base que o Trampos, o sênior é indivíduo responsável por tarefas que exigem grande complexidade. Só que isso não quer dizer que ele é obrigado a ser pós-graduado ou ter MBA, se bem que isso já costuma ser comum para quem chega nesse nível.

De qualquer forma, a responsabilidade é altíssima diante a empresa. Por isso mesmo, é confiado a ele uma autonomia para adotar decisões e deliberações que outros profissionais não são capazes.

Pra isso, é obrigatório possuir conhecimentos plenos naquela área que ele atua. Muito desse alto grau de conhecimento que obteve é através de muita experiência, muitas vezes passando antes pelas categorias de júnior e sênior, em mais do que 5 anos de trabalho.

A importância de entender cada cargo

Júnior, Pleno e Sênior

Agora que você entendeu quais são as qualificações de cada uma dessas categorias fica mais fácil entender a importância delas. Não é mesmo? Só que independentemente de você ser júnior, pleno ou sênior saiba que poderá ter os seus benefícios, como a experiência adquirida.

Ao se inscrever em uma vaga de trabalho e não entender essas nomenclaturas, isso já pode ser um critério para exclusão. Imagina uma pessoa que acabou de se formar e se candidata a uma vaga de sênior? As chances são nulas – exceto em casos como de empresas familiares.

Outra dica importante é não se esquecer de colocar sua categoria em um currículo. Por um lado, isso é bom porque você fica mais focado. No entanto, por outro você pode ficar fora de seleções automáticas que acontecem em sites de emprego.

Desse modo, fica claro para a gente que entender a sua categoria é importante até depois de contratado, pois você pode ter sido contratado com júnior e estar fazendo funções de pleno sem saber. O que é errado especialmente pelo salário que você recebe mensalmente.

Leia Também:

Mas, tendo essa informação, pode ser possível conseguir uma promoção ao longo do tempo. Afinal de contas, como já mencionamos considere que sempre dá para subir de cargo e mesmo que na sua empresa não se use essa nomenclatura, os níveis vão existir de uma forma ou outra.

ANÚNCIO