Investir no Tesouro Direto: Existe a Possibilidade de Calote? 3 vezes NÃO

ANÚNCIO

Quem acompanha o Mercado Financeiro e a Política Nacional sabe que o Governo Federal não tem conseguido arcar com as próprias despesas – isso porque o Brasil é um dos países que mais cobram impostos da sua população. O rombo para 2017 está previsto em 159 bilhões de reais.

A pergunta que fica é: Quem Investir no Tesouro Direto pode Perder Dinheiro?

ANÚNCIO

Vamos responder essa dúvida que é muito frequente na vida dos brasileiros e que, muitas vezes, pode ser um motivo para que as pessoas “fiquem com um pé atrás” na hora de investir nos Títulos Públicos.

– No Final do Artigo vamos dar um Passo a Passo de como Investir Dinheiro no Tesouro Direto.

Histórico e Rombo do Brasil

Com o aumento de 139 para 159 bilhões de reais que deve acontecer no Brasil neste ano, algumas medidas foram efetivadas, como o congelamento do reajuste de funcionários públicos, além da proposta de redução dos salários iniciais e o fim de mais de 60 mil vagas que estavam abertas.

ANÚNCIO

Outra medida do Governo foi cortar a verba de vários ministérios, para que a emissão de passaportes ficasse suspensa. Os dirigentes do país ainda querem aprovar a Reforma da Previdência até o fim deste ano.

Outra resposta imediata dos governantes e que refletem imediatamente no bolso dos brasileiros é o aumento de impostos – como acontece com o combustível, nos últimos dias.

Economizar Dinheiro Calculando Gastos com o Combustível – 19 Aplicativos

Ainda mais preocupante para os investidores é o novo “boato” de que os Investimentos Financeiros terão tributos do Imposto de Renda aumentados em porcentagens que deve diluir os rendimentos financeiros.

Além disso, algumas modalidades que eram isentas, como as LCIs – Letra de Crédito do Agronegócio – também poderão começar a ser tributadas.

Sendo assim e levando em conta todas essas medidas adotadas pelo Governo Federal, será que existe algum risco de os Investimentos feitos no Tesouro Direto serem prejudicados? Será que o Governo pode dar um calote nunca antes visto?

A pergunta é ainda mais inquietante quando levamos em conta o pensamento de décadas atrás, quando o governo de Fernando Collor de Melo fez uma experiência para acabar com a inflação – Por Meio de uma Medida Provisória, ele bloqueou a poupança e as aplicações financeiras da época.

Desvendamos a fórmula para Ficar Rico no Tesouro Direto em Menos Tempo

Entenda, brevemente, o que é um Título Público

Quando um investidor compra um título que é emitido pelo Tesouro Nacional, ele empresta dinheiro para o Governo Federal por um tempo determinado – que é o vencimento do título.

Em troca desse empréstimo, o investidor recebe uma remuneração baseada em uma taxa de juros que vai determinar o rendimento do investimento financeiro.

Assim sendo, fica o pensamento de que é possível um possível congelamento desses investimentos. Será?

Para especialistas, a resposta é NÃO. O Tesouro Nacional não dará calotes em investidores do Tesouro Direto. E para provar isso, eles dão alguns motivos. Confira!

Por que os Investidores do Tesouro Direto não vão receber Calote

Conforme a opinião dos especialistas, listamos 3 princípios básicos e fundamentais que são prova de que os investidores não serão “caloteados” pelo Governo Federal.

1 – Dinheiro em Caixa

Atualmente, o Tesouro Nacional tem 1 trilhão de reais em caixa, tudo destinado ao pagamento dos títulos públicos. “Poucos governos no mundo tem um caixa tão grande”, garante José Roberto Afonso, que é pesquisador de economia aplicada do Ibre/FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas).

“O que está acontecendo é um problema de fluxo. O governo gasta mais que arrecada. Mas não falta dinheiro para pagar dívida contratada”, diz.

Na opinião dele, tudo se explica pelas medidas tomadas pelo governo com a finalidade de equilibrar os gastos e as receitas, onde a meta do superávit primário subiu para 159 bilhões de reais.

“O governo está cortando os gastos porque a arrecadação diminuiu. Mas esse processo não afeta os compromissos financeiros, como os títulos do Tesouro”, ele garante.

2 – Possibilidade de Rolagem

Além disso, existe a hipótese de que o governo, se não tiver caixa para pagar determinados vencimentos da dívida pública, poderá, através do Tesouro Nacional, emitir uma nova dívida para levantar os recursos que forem solicitados. O processo já é conhecido no mercado e recebe o nome de “Rolagem”.

“A rolagem é um procedimento normal. Mas ela tem um custo. Quando os investidores percebem que o governo está sem dinheiro, eles exigem uma taxa de juros maior para a compra dos novos títulos”, diz Mauro Calil, que é especialista em investimentos do Banco Ouroinvest.

3 – Credibilidade do País

Outro fator importantíssimo e que não pode ser deixado de levar em conta é sobre os efeitos que um calote do governo soariam à imagem do país – péssimos.

Logo, o Governo Federal vai preferir cortar outros gatos, como aconteceu com a emissão de passaportes, do que suspender os pagamentos de seus compromissos financeiros.

“É mais fácil o governo deixar de pagar algumas contas do que dar calote na dívida pública. Pagar dívida é sempre prioridade. O título do Tesouro é, em tese, o papel de menor risco do país”, analisa Paulo Azevedo, professor de estratégia financeira do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais).

Ainda sobre esse risco de calote, ele diz que isso provocaria um efeito cascata, que teria fuga de recursos dos investidores estrangeiros, inclusive. Para conseguir tais recursos novamente, o governo teria que subir muito as taxas de juros pagas pelos títulos, o que encareceria a dívida pública.

Por fim, nesse efeito, os fatos negativos seriam ainda mais péssimos sobre toda a economia nacional, de forma generalizada, levando em conta que forçaria o governo a cortar ainda mais os gastos, inclusive em áreas ditas “prioritárias”, como saúde e educação.

Tesouro Direto ainda Vale a Pena – Saiba como Investir Dinheiro no Título Público

Além da elevação dos impostos, o que já tem acontecido, e que está prejudicando o crescimento do país, gerando desempregos, entre outros malefícios.

“O governo deu o alarme. Está chamando atenção para um problema que é grave. Quase 93% de tudo que o governo arrecada é gasto para pagar a previdência e o funcionalismo público”, diz Calil.

“As contas já tiveram em situação pior. O déficit já chegou à 78% do PIB [Produto Interno Bruto]. Hoje está em 70%. Mas é preciso adotar medidas para que ele não dispare no futuro”, finaliza o especialista.

Passo a Passo de como Investir Dinheiro no Tesouro Direto

“O Tesouro Direto é um Programa do Tesouro Nacional desenvolvido em parceria com a BMF&FBovespa para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas, por meio da internet.”

Investir no Tesouro Direto é uma boa opção para quem não tem muito dinheiro e para quem não correr riscos no mercado financeiro. Só que a recomendação é que os investidores façam isso apenas se estiver pensando no médio e longo prazo.

Quando opta por investir em títulos públicos, o investidor torna-se um credor, já que empresta dinheiro para o governo. Em troca, recebe juros.

Para fazer isso é muito simples: basta ter cadastro em uma instituição financeira (principalmente corretoras de investimentos) e no site do Tesouro Direto. Assim, o investidor recebe uma senha no e-mail e poderá começar a investir dinheiro no tesouro.

Como quase todos os fundos de investimentos, no Tesouro Direto também há a incidência do Imposto de Renda, que trabalha em um alíquota regressiva. Logo, quanto maior o período de aplicação, menor será o desconto no IR.

Investir no Tesouro Direto: Existe a Possibilidade de Calote? 3 vezes NÃO
Reprodução: Google

Por que o Tesouro Direto é considerado o investimento mais seguro do país?

De forma história, a poupança é considerada o investimento mais seguro do país. Mas isso acontece devido à sua popularidade, simplicidade e visibilidade de retorno. No entanto, em época de crises, o investimento não é rentável.

Se você não entendeu, lembre-se do bloqueio que houve em março de 1990, quando o então presidente Fernando Collor utilizou uma estratégia heterodoxa para controlar a inflação que só crescia no Brasil e retirou de circulação todos os recursos da poupança.

A repercussão foi enorme e a estratégia não funcionou. Na verdade, isso só prejudicou a economia e gerou total insegurança de quem havia guardado suas economias no que era o investimento mais seguro do país.

Isso não vai mais acontecer, claro. Agora, temos na nossa constituição uma emenda que veda a edição de medidas provisórias que viabilizem o confisco da poupança, desde 2001.

Se não haverá mais congelamento das poupanças, ela volta a ser o investimento mais seguro do país? Não é bem assim!

risco de crédito também existe e deve ser levado em consideração. Quando alocamos recursos na poupança, o risco de a instituição quebrar tem que ser levado em conta. Aí, o FGC entra e ação e garante um valor de até 250 mil reais para cada investidor.

Portanto, ainda que não seja dos maiores, há um risco em se investir na poupança.

Por outro lado, os títulos públicos aparecem como principal concorrente direto dela.

Eles são emitidos pelo Governo Federal, logo há garantias especiais, no que é chamado “Risco Soberano”, ou seja, o risco de um país quebrar é sempre muito pequeno. Logo, esse risco público é sempre muito menor do que o risco de crédito de uma instituição privada.

POR QUÊ?

  1. O governo tem controle sobre a sua receita e pode aumentar os impostos, por exemplo;
  2. O governo pode emitir moeda para pagar a dívida, o que garante os pagamentos.

Logo, é notável que investir no tesouro direto é um investimento com risco muito baixo e eficaz, por isso, considerado o mais seguro do país.

Além do Tesouro Direto, existem outros investimentos em Renda Fixa que são considerados seguros e tem rentabilidades melhores do que a poupança. Entre eles, os CDBs, as Letras de Crédito, entre outros.

Fizemos um Guia Completo para você conhecer todo tipo de renda fixa, onde é possível ganhar dinheiro de forma segura. Baixe, é gratuito!

Qual a Melhor Corretora para Investir Dinheiro no Tesouro Direto?

Essa questão é bastante pessoal, já vamos dizendo. É como perguntarmos, qual o melhor banco para movimentar o seu dinheiro? Muitas pessoas vão dizer que é um, enquanto outras vão dizer que é outro.

O fato é que todos têm os seus benefícios e as suas desvantagens, então, caberá ao investidor escolher aquele que melhor lhe representa! Então, como saber qual é a Melhor Corretora de Investimentos para mim?

Bom, além do mais, focamos no Tesouro Direto porque, como você já sabe, se quiser comprar ou vender títulos públicos como o Tesouro Prefixado (LTN), o Tesouro Selic(LFT) ou o Tesouro IPCA+ (NTN-B), assim como qualquer outro, vai precisar abrir conta em uma Corretora, afinal, ela será a intermediária, chamada também de agente de custódia.

Se você ainda não notou, essas Corretoras de Investimentos são as mesmas que os investidores usam para investir na Bolsa de Valores!

Leia o texto até o final, vamos falar também sobre quais as melhores corretoras de investimentos conforme um relatório feito pela Proteste, a associação dos consumidores, que mostrou as que têm o melhor custo-benefício para investir online.

Características Imprescindíveis para uma Corretora ser uma Boa Corretora

Taxa de Administração

A taxa de administração tem que ser baixa porque quanto menor ela for, maior será a sua rentabilidade.

Pense, se você investirá 10 mil reais em títulos públicos e uma corretora te cobrar 0,50% ao ano e outra cobrar apenas 0,10%, então, significa que você fará um pagamento de 50 ou 10 reais mensais. Para um investimento de 100 mil reais, a diferente é de 500 e 100 reais ao ano.

Então, a Conclusão desse tópico é: se você não vê diferença entre várias corretoras, não há porque pagar mais ou menos por uma ou outra. O que deve ser analisado é o custo-benefício oferecido por essas instituições!

Atendimento

Algumas corretoras oferecem vários tipos de atendimento: por telefone, e-mail, chat ou WhatsApp. Outras preferem atender de forma automatizada e têm aquelas que atendem de maneira humanizada.

Umas têm profissionais qualificados, outras tem robôs, literalmente. Então, o importante é conhecer essas formas de atendimento e saber com qual você lhe dá melhor. O importante não é QUAL a forma de atendimento e sim COMO.

Independente se for por telefone ou e-mail, você que é investidor, precisa sentir segurança, ser bem tratado e ter conforto.

A Qualidade não é uma questão intrínseca nas corretoras de investimentos, mas precisa haver em todos os lugares e, obviamente, você não vai querer ter uma agente de custódia que parece não ligar para você, não é?

Como Investir no Tesouro Direto mês a mês

Site

Em pleno século 21, já dá para você reconhecer uma boa corretora pelo site que ela tem. Pode parecer ser importância, mas não é.

Quando uma corretora apresenta um site bem formulado e explicativo, você já pode tirar a maior parte das dúvidas por ali e isso prova que a empresa está de acordo com a atualidade do mercado.

O importante é reconhecer os mercado financeiro e tirar todas as suas dúvidas, pois a Corretora será muito importante na escolha dos seus ativos e é quem vai, direta ou indiretamente, controlar o seu fluxo de dinheiro.

Como Não Perder Dinheiro Investimento em Títulos Públicos: Taxas e Custos

Se você leu um ou dois artigos aqui do Blog ou se viu algum vídeo do Trovó, já deve ter notado que não somos adeptos aos investimentos feitos pelos bancos.

Você não precisa confiar cegamente em nós, basta fazer uma breve pesquisa para ver como as taxas cobradas por eles são bem maiores do que as cobradas pelas corretoras, como mostramos no exemplo acima: entre o Banco do Brasil e XPi.

Isso, no entanto, é considerado “normal” já que os bancos, na verdade, não tem o interesse em estimular o seu investimento, vias de fato. Ainda mais no Tesouro Direto.

Porque eles querem lucrar com os fundos de investimentos, as previdências privadas e os planos de capitalização, que são mais vantajosos para eles.

Oras, se eles começarem a cobrar valores baixos para o Tesouro Direto, todos os clientes vão migrar desses fundos para o Tesouro, obviamente. Quer fazer um teste: Vá até o seu gerente e pergunte qual o melhor investimento para você… Ele nunca vai dizer que é o Tesouro Direto, mesmo que seja.

Por outro lado, ele vai te indicar os Fundos DI, Previdências e Capitalização. Nunca se esqueça que o seu gerente tem que bater metas, o que estimula a venda de produtos próprios, que, por fim, gera mais lucro para o banco.

Como Conseguir Acumular 270 mil reais no Tesouro Direto para a aposentadoria?

Imagina que a Pessoa 1 resolva fazer um investimento de 300 reais mensais na poupança durante os próximos 30 anos, pensando na aposentadoria. Agora, imagina que a pessoa 2 resolva fazer o mesmo, só que opta pelo Tesouro IPCA.

Ao final do período, o que temos?

  • Pessoa 1 acumulou 108 mil reais, e
  • Pessoa 2 tem 270 mil reais!

Com um mesmo valor investido e no mesmo prazo, uma pessoa tem 162 mil reais a mais do que a outra. É mais que o dobro. Isso é possível? É possível e acontece muito. No curto prazo, nem prestamos atenção porque, normalmente, os valores são baixos, mas, no longo prazo, tudo se torna mais visível, não é?

Ah, e antes que você diga algo, deixamos a pessoa 1 com 108 mil reais, que é o valor que ela gastou para investir porque, como sabemos, até o ano passado a poupança perdia para a inflação, logo, não houve rendimento nenhum. Então, vale comentar também que os valores aqui são ilustrativos, para que você tenha uma ideia geral do todo.

Mas, se quiser aprender como fazer a conta com exatidão, contando os centavos, faça o nosso curso online e gratuito. Lá, você vai aprender muito mais do que meras ilustrações!

WORKSHOP 100% ONLINE E GRATUITO: RISCO ZERO NOS INVESTIMENTOS

Melhores Corretoras de Investimento para investir online, conforme a Proteste

No início deste mês, a associação de consumidores Proteste divulgou um estudo que mostrou quais as corretoras que tem o melhor custo-benefício para investir online.

Para adiantar, saiba que para investir pela internet, por meio de um sistema home broker, a pesquisa indicou que as melhores são as Corretoras Clear e Mirae. Já para os títulos públicos, o estudo sugeriu a Easyinvest e a XP Investimentos, que não cobram taxa de corretagem.

Bem, para conseguir chegar à essas indicações, a pesquisa avaliou a qualidade dos serviços prestados pelas corretoras que tiveram maior movimentação em 2016, conforme informações da B3 (Antiga BM&FBovespa). Já as corretoras Bradesco e Itautrade foram incluídas porque foram eleitas as melhores para investir em ações no mesmo ano, pela Proteste.

Ao todo foram 9 corretoras analisadas, que foram observadas pelos seus custos, critérios qualitativos (transparência das operações) e as informações fornecidas para ajudar o investidor na plataforma online e quanto á segurança do site.

“Todas as corretoras ficaram com notas altas na análise qualitativa. No fim, o que definiu a escolha foi o preço cobrado”, contou Veronica Dutt-Ross, responsável pelo estudo.

Na tabela abaixo, listamos os custos cobrados por cada corretora para investir em ações, por meio do home broker para 3 tipos de perfis investidores. Repare que a mesma corretora cobra valores diferentes, conforme a frequência da operação.

A lista está formada pela seguinte ordem: 1ª Coluna: As Corretoras / 2ª Coluna: O custo para que sejam feitas 2 operações mensais de 1 mil reais cada uma / 3ª Coluna: Custo para fazer 6 operações mensais de 2 mil reais cada uma / 4ª Coluna: Custo para fazer 10 operações mensais de 3 mil reais cada uma!

  • Banco do Brasil – R$ 54,30 – R$ 134,30 – R$ 214,30
  • Bradesco – R$ 20 – R$ 60 – R$ 100
  • Clear – R$ 15 – R$ 45 – R$ 75
  • EasyInvest – R$ 30 – R$ 60 – R$ 100
  • Itautrade – R$ 41,80 – R$ 93,80 – R$ 145,80
  • Mirae – R$ 15,80 – R$ 27,40 – R$ 39
  • Mycap – R$ 40 – R$ 120 – R$ 200
  • Rico – R$ 32,10 – R$ 71,30 – R$ 110,50
  • XP Investimentos – R$ 29,80 – R$ 89,40 – R$ 149

Já focado nos títulos públicos, as corretoras cobram a taxa de custódia, que é de 0,30% ao ano e a taxa de corretagem, que é a manutenção da conta. Algumas não cobram essa taxa e usam como chamativo para atrair investidores, como já falamos neste artigo. Então, veja quais os custos anuais para investir no Tesouro Direto, para um investimento de 25 mil reais.

  • Banco do Brasil – R$ 125
  • Bradesco – R$ 125
  • Clear – ZERO
  • EasyInvest – ZERO
  • Itautrade – R$ 135
  • Mirae – R$ 50
  • Mycap – R$ 50
  • Rico – R$ 25
  • XP Investimentos – ZERO

Para finalizar o assunto dessa pesquisa, entenda que é somente uma pesquisa e com algumas empresas selecionadas. No fim das contas, é você, investidor, quem vai precisar fazer a própria escolha, levando em consideração todos os itens que acabemos de dizer neste artigo.

Com informações da UOL

ANÚNCIO