Como investir em ouro para ficar rico

ANÚNCIO

Quando o assunto é diversificação de carteira de investimentos, muitos investidores optam por investir em ouro. Esse tipo de investimento financeiro costuma ser aconselhável durante os tempos de crise, já que trata de uma aplicação altamente especulativa. Portanto, mesmo que seja uma boa opção, investir em ouro não deve representar uma grande parte da carteira do investidor.

Os especialistas comentam que para investir em ouro é preciso ter, pelo menos, 25 mil reais para a aplicação e esse valor nunca deve representar mais do que 20% de todo capital disponível do investidor.

ANÚNCIO

Existem 3 opções para investir em ouro e nós vamos falar sobre cada uma no decorrer deste artigo. Mas, antes, vamos falar sobre por que as pessoas decidem, de fato, investir em ouro e como elas fazem isso.

Introdução

Investir em ouro é, com certeza, um dos ativos mais seguros do mundo. O 1º motivo que prova isso é pelo fato dele ser um produto físico e outro é pelo fato dele que ele lastreia a reserva monetária de vários países.

Para muitos investidores, esses motivos parecem não ser suficientes e o questionamento se torna ainda mais acentuado:

ANÚNCIO
  • Será que vale a pena investir em ouro?

O 1º ponto para fazermos uma reflexão sobre essa pergunta é entender que investir em ouro é muito diferente de qualquer outro tipo de investimento financeiro, como os de renda variável, por exemplo.

A semelhança entre eles é que nem sempre você vai ficar rico, seja por investir em ouro ou investir em ações.

Investir em Ações com Risco Zero é possível… Saiba Como!

Outro ponto importante para entender porque alguns investidores optam por investir em ouro é que ele tem a proteção, chamada hedge, que é ótima para os momentos de crises financeiras ou pressão da inflação.

*Hedge: é uma operação que reduz ou elimina o risco com a variação de preços indesejados. Pensando de maneira diversa, o hedge serve para fixar o preço de um ativo, passivo, taxa de câmbio, taxa de juros, insumo/commodity ou uma dívida em um determinado período. Saiba Mais!

Isso acontece porque, diferente de qualquer moeda, o ouro não é prejudicado por intervenções dos governos, já que ele não é impresso, como acontece com o real, por exemplo. Assim sendo, ele tem um valor intrínseco devido à sua escassez. Esse valor é o que faz alguns investidores investir em ouro.

A proteção de investir em ouro

1 – Investir em ouro para se proteger de crises nacionais

Ficou claro que investir em ouro é positivo em momentos de crises porque esses períodos são de alta inflação. E o ouro não tem a ver com a economia doméstica do país.

2 – Investir em ouro para se proteger do mercado de ações

Além disso, o ouro também é visto como proteção quanto ao mercado de ações, assim quando o Ibovespa tem queda, o preço do ouro aumenta e vice-versa. Há, inclusive, informações informais de que o ouro deve superar a rentabilidade das ações ao longo da década.

Leia Também: Quais as Ações mais Lucrativas para Investir na Bolsa de Valores em 2017?

Quais as Ações mais Lucrativas para Investir na Bolsa de Valores em 2017?

Consórcios, Planos de Capitalização, Previdência Privada e Poupança… Essas, infelizmente, são formas muito usadas pelos brasileiros que tem a finalidade de poupar dinheiro. E este artigo é especial por isso: nós vamos citar algumas ações que estão na Bolsa de Valores é que, com certeza, é garantia de sucesso em 2017.

3 – Investir em ouro para se proteger do dólar

A valorização e a proteção em investir em ouro estão também ligada ao dólar, que também tem sua variação limitada pelos governos, ou seja, também fica sujeito à crises.

Investir em ouro pode ser uma boa opção para diversificar as aplicações, para os que têm um perfil de aversão ao risco e querem uma aplicação mais segura no longo prazo”, aconselha Marcos Azer Maluf, superintendente de varejo da Bradesco Corretora.

Consideração sobre a proteção de se investir em ouro

Com isso, fica claro que investir em ouro e adicioná-lo a carteira de investimentos pode ser uma boa forma de proteger o capital de investimento, já que o dólar e outros papéis podem apresentar risco quanto aos bancos centrais.

Aí, temos um ponto a observar: a escassez do ouro garante que ele tenha sempre esse valor intrínseco empregado, já que pode funcionar, além do mais, como uma reserva de valor.

É mais ou menos assim: pode ser que você não fique rico se optar por investir em ouro, no entanto, você poderá ter a garantia de que ele sempre terá o seu valor, diferente de ações, que oscilam para cima e para baixo, dando chances ao sucesso e ao fracasso financeiro.

Como investir em ouro para ficar rico
Reprodução: Google

O que influencia no preço do ouro

Na hora de investir em ouro, o investidor vai pensar na proteção, que como visto é importante. Porém, o que será que influencia na variação do preço do ouro?

Como a maior parte dos investimentos, o preço sofre influência pela relação entre a oferta e a demanda.

Assim, do lado da oferta, o preço do ouro pode balancear devido à sua extração e produção. Ou, posterior à isso, na hora investir em ouro, você tem que saber que o valor pode ter a oferta aumentada ou diminuída conforme a venda que for realizada pelos bancos centrais, bancos de investimentos e pessoas físicas.

Assim sendo, quando maior for a oferta de ouro no mercado, menor será o preço do ouro. Da mesma forma, quanto menor a oferta, maior será o preço.

Já quanto à demanda, o preço sofre influencia vinda da indústria de joalheria ou dos investidores desse metal tão precioso.

Essa questão da oferta e demanda é bastante importante na hora de investir em ouro porque é um dos únicos pontos a serem observados que podem elevar ou baixar o preço do ouro e te fazer ganhar dinheiro.

3 opções para investir em ouro

1 – Barras de Ouro

É a opção mais comum, mais óbvia e mais imaginada mesmo por quem não conhece esse investimento. Assim, o investidor pode comprar barras de ouro e guarda-las em casa. O ouro pode ser comprado em distribuidoras de valores (DTVMs).

Nessa opção de investir em ouro, o investidor corre o risco de ter uma espécie em casa que pode ser roubada a qualquer momento.

Além disso, outra desvantagem de se investir em ouro em barra é que existe a necessidade de uma avaliação do ouro na hora que o investidor decidir vende-lo, o que pode piorar ainda mais se houver falta de liquidez.

Existe também a opção de comprar certificados de barras de ouro e guarda-lo em um banco custodiante. Nesse caso, haverá um custo de cerca de 0,7% por mês.

A vantagem dessa opção de investir em ouro é que o investidor poderá optar por pequenas quantidades – de 1 à 25 gramas – feita em cartões laminados ou barras.

Porém, mesmo assim, o investidor pode ter dificuldades na hora de vender tal produto e quando achar, pode encontrar outra dificuldade: de negociar o preço.

2 – BM&F Bovespa

Outra forma de investir em ouro é compra-lo diretamente na BM&FBovespa, sendo que é necessário apenas fazer parte de uma mesa de operações da sua corretora. A liquidação poderá ser física ou financeira, sendo que a última opção mantem o ouro em custódia.

Para esses casos, no entanto, o ouro deve ser repartido em múltiplos de 250 gramas. Sendo que o contrato será de algum desses tipos:

  • Lote-Padrão de 250 g de ouro fino (DIS OZ1)
  • Lote Fracionário de 10 g (DIS OZ2)
  • Lote Fracionário de 0,225 g (DIS OZ3)

É preciso saber também que para investir em ouro nessa opção há a cobrança da taxa de corretagem, que, normalmente, fica em torno de 0,2%, somada ainda à taxa de custódia, que é de 0,7% ao mês e sem contar com a incidência do Imposto de Renda em aplicações que somem mais de 20 mil reais.

Comparada à forma de investir em ouro citada anteriormente, essa opção tem a vantagem de ter liquidez garantida, já que tudo funciona muito parecido com o mercado acionário.

3 – Fundos de Investimento

Com certeza, são os mais práticos: basta abrir uma conta em uma corretora, transferir o dinheiro e optar por investir em ouro através dos fundos de investimentos. A grande dificuldade é que existem pouquíssimas opções desse tipo no mercado financeiro.

É importante saber também que todo fundo que aplica em ouro é obrigado a possuir, no mínimo, 80% em ouro, conforme determinação da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Porém, a política de alguns fundos mantém um mínimo de 95% do investimento em ouro para que tenha uma ótima indexação do ouro BM&F.

4 opções para investir em ouro (não tão confiáveis assim)

1 – Sites de Leilão

Eles podem ser tentadores porque são de fácil acesso, no entanto se o investidor quer a segurança e a proteção que o investimento em ouro dá, precisa ter cuidado redobrado com os sites de leilão na hora de investir em ouro.

A dica aqui é ficar muito atento porque as “promoções” costumam ser boas e a variedade de preços é enorme. No entanto, nessa mesma proporção a informalidade também atua e torna essa forma de investir em ouro menos confiável do que as outras.

2 – Banco do Brasil

O Banco do Brasil também possibilita ao investidor poder investir em ouro de forma bastante similar à da BM&FBovespa. Para isso é preciso que o investidor tenha uma conta corrente no banco para realizar as operações.

Como investir em ouro para ficar rico
Reprodução: Google

A procura não é alta, ao contrário. Por isso é muito raro que algum profissional do banco – gerentes – entendam sobre isso. Já para quem está a par do assunto essa pode ser uma boa alternativa na hora de investir em ouro, especialmente porque o banco possui alguma solidez considerável.

Note que preferimos deixar esse tópico na parte dos NÃO confiáveis justamente porque os gerentes dos bancos não sabem muito sobre esse assunto, o que pode te prejudicar na hora de contratar o produto bancário, caso você não tenha conhecimento prévio.

Antes de terminar, vale ressaltar também que o Banco do Brasil garante a recompra do ouro dos seus clientes, o que confere à chamada liquidez diária de toda quantidade que for adquirida nessa opção de investimento em ouro.

Também é importante saber que o banco cobra cerca de 0,07% de custódia. Já entre as transações não há cobranças de taxas.

Sobre o Banco do Brasil, leia:

Banco mais Reclamado do Brasil faz mudanças estruturais para atender clientes digitais

O presidente do banco cedeu uma entrevista ao jornal Correio Braziliense e nós vamos relatar alguns trechos ditos por ele, confira e veja o lado do banco nessa reestruturação.

– “O BB terá papel extremamente ativo, na medida em que coordena com os bancos privadas o que chamamos de fiança no período de construção dos projetos. Acabamos com empréstimo pontes que antecediam o financiamento definitivo do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social). A partir de agora, o desenho prevê que tanto o BNDES quanto o FI-FGTS (Fundo de Investimentos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) aportem recursos no início do programa”.

– “Temos que olhar o histórico. As 3 últimas crises duraram de 4 á 5 trimestres. Sendo que a última, de 2009, coincidiu com o crescimento do consumo em função da migração de 50 milhões de brasileiros das classes D e E para a classe C, consumindo no momento que o Brasil precisava. Nesse momento, estamos falando de uma crise que já dura 20 trimestres”.

– “Mesmo com a transformação digital, a necessidade de pessoas é cada vez maior para fazer a interação com o cliente. Hoje, mesmo com 67% das transações bancárias sendo digitais, das quais 40% é feita pelo celular, as pessoas ainda vão muito às agências”.

– “O BB, não tenho receito de afirmar, tem a melhor solução digital de todo o país. Lá atrás, investimos muito em automação bancária. São 4 mil pessoas cuidando de toda a estrutura de banco de varejo, de atacado e de governo. A nossa solução digital é a melhor”.

Continue lendo essa notícia…

Banco mais Reclamado do Brasil faz mudanças estruturais para atender clientes digitais

3 – Joias

Tem pessoas que preferem investir em ouro através das joias. Para este caso, a ideia é comprar mais barato e vender mais caro, em momentos oportunos, o que vai gerar lucro.

Para esses casos, não se deve pensar nas joias como patrimônio e sim como ativos financeiros, mas isso nem sempre é aconselhável pelos especialistas e, por isso, colocamos aqui na parte dos não confiáveis.

E, ainda para este caso, é importante saber que existem muitas diferenças no mercado (mesmo porque há também o mercado negro, que confunde e generaliza o mercado como um todo) entre os artefatos. Tem o ouro de 18 quilates, o de 24 quilates e por aí vai.

Note que quem investe em joias diz que “na pior das hipóteses, dá para usar os produtos como adereços”, no entanto, esse pensamento leva a pensar as joias como patrimônios e não ativos financeiros, o que é um erro básico.

E, por fim, ainda há outra dificuldade: os produtos, quando forem ser vendidos, passam pela famosa avaliação, o que pode desvalorizar.

Se você pensar bem, vai notar que existem formas mais seguras de investir em ouro que não as joias.

4 – Distribuidoras de Valores

É uma alternativa para quem quer aprender a investir em ouro. E funciona assim: essas distribuidoras criam produtos a partir de contratos e de barras de 250 gramas, que são negociadas em quantidades pequenas, menores, que vão de 1 à 25 gramas.

Depois, o produto é cotado conforme o valor do dia e é acrescido de um ágio, definido pelas próprias distribuidoras. As vendas são todas feitas pela internet e negociadas com cartões parecidos com o de crédito.

O grande x da questão aqui é que é preciso checar a idoneidade da empresa e ficar atento aos custos de seguro, que podem minimizar o lucro em até 10%.

Por fim, você recebe o produto em casa e tem que “se virar” para vender, correndo o risco de não ter uma liquidez garantida. Justamente por isso, essa é uma forma de investir em ouro não muito aconselhável nos dias atuais.

O que dizem os especialistas sobre investir em ouro

Sandra Blanco é consultora de investimentos da Órama Investimentos e cedeu uma entrevista ao HCInvestimentos. A Órama tem um fundo chamado Órama Ouro e ela também falou sobre isso.

Selecionamos as principais informações dessa entrevista e que pode tirar as suas principais dúvidas sobre investir em ouro. Confira agora!

– As formas mais tradicionais de investir em ouro são comprar barras ou certificados. As vantagens do Fundo Órama Ouro é que ele não tem risco. Portanto, investindo no fundo, o investidor não corre o risco de ser roubado ou de comprar o produto de baixa qualidade.

– Todo dinheiro que aplicado no fundo é usado para comprar ouro na BM&FBovespa, no mínimo, 95%, independente do momento de mercado. Assim, o fundo segue a variação do metal no mercado nacional, que vai depender entre outros fatores do mercado internacional e da cotação do dólar.

– Não recomendaria investir mais do que 20% do patrimônio em ouro e frente ao cenário atual, não mais do que 10%. Além do perfil, os objetivos e disponibilidade de recursos também são relevantes na determinação da alocação mais adequada.

Para saber a cotação do ouro no dia, clique aqui.

Você também vai gostar de ler…

Símbolo da Riqueza: É possível investir em Ouro sem ter muito dinheiro?

O ouro é um produto com elevada demanda, durável e uma excelente proteção contra a desvalorização da moeda e da inflação, por isso, muitos especialistas afirma que é uma oportunidade única de diversificar investimentos.

Símbolo da Riqueza: É possível investir em Ouro sem ter muito dinheiro?

Na tradução, O ouro (do latim aurum, “brilhante”) é um elemento químico (Au) de número atômico 79 que está situado no grupo onze (IB) da tabela periódica, e de massa atômica 197 u. Na natureza, o ouro é produzido a partir da colisão de duas estrelas de nêutrons.

O ouro é utilizado de forma generalizada em joalharia, indústria e eletrônica, bem como reserva de valor. Leia Mais!

A procura pelo ouro diminuiu com a sofisticação do mercado financeiro. Porém, com a crise político-econômica, ele ganhou novamente poder e tornou a ser objeto de desejo de muitos investidores, inclusive de pessoas de classe média. E, também devido ao crescente interesse das pessoas quanto ao mercado financeiro, perguntamos: “O que é esse mercado do ouro e vale a pena”? Confira a resposta!

Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

No TREINAMENTO INTENSIVO RENDA VARIÁVEL, eu trabalho desde as bases do Planejamento Financeiro até o investimento em Renda Variável. O Programa se diferencia de tudo que existe no mercado por dois pontos principais:

  1. Experiência e Método: Eu não sou um “guru” que vem ensinando algo que nunca apliquei ou testei. Eu usei o próprio método que criei para alcançar resultados expressivos. Além disso, centenas de alunos já vem aplicando o meu método com sucesso.
  2. Forte Ênfase no Acompanhamento: Além das vídeo aulas encontradas na área de membros, os alunos têm acesso a um sistema exclusivo, programado com os meus métodos. Um sistema feito para acompanhar cada operação do aluno e alertá-lo, caso ele tente fazer algo que fuja ao planejamento e técnicas ensinadas no Treinamento.

Ainda são realizadas aulas ao vivo a partir das necessidades apresentadas pelos alunos.

Saiba Mais!

7 Curiosidades sobre o ouro

E, apenas para fins de curiosidades, selecionamos 7 informações sobre o metal que, talvez, você ainda não saiba:

  1. Estima-se que existam apenas 5 quilos de ouro para cada 1 milhão de toneladas de terra,
  2. Quilate (K) é a medida da pureza do ouro e o 24K é considerado o único ouro puro,
  3. O ouro é ó único metal que não oxida,
  4. Uma lenda indígena diz que existe uma cidade chamada El Dorado, que é toda feita de ouro maciço. Até hoje, ela não foi encontrada,
  5. O ouro é usado por muitos países como reserva para os casos de recessões econômicas,
  6. As máscaras mortuárias são comuns na cultura mundial, uma delas é a do faraó egípcio Tutancâmon,
  7. As medalhas de “ouro” dos jogos olímpicos são feitas, em maior parte (mais de 90%) com prata.

Com informações do viverdeinvestimentos, guiabolso, istoédinheiro e hcinvestimento

ANÚNCIO