Conheça toda a história da Magazine Luiza, uma das principais ações da B3

ANÚNCIO

É muito difícil achar uma pessoa que não conheça a Magazine Luiza. A gigante varejista tem mais de 1 mil lojas físicas em mais de 700 cidades no Brasil. E hoje se tornou um dos principais e-commerce do país. Agora, você conhece a história da Magazine Luiza? Nós vamos contar.

Além de tudo, a empresa cresceu tanto que já se tornou uma das principais que compõem a Bolsa de Valores, com o ticker MGLU3. E o mais legal é que há quem diga que ela não tem mais para onde crescer. Por outro lado, há quem fale que sim, ela ainda vai valorizar muito.

ANÚNCIO

E agora, o que a gente diz? Nada. A nossa ideia é apenas contar um pouco da história da Magazine, que é um ponto de partida para quem está estudando sobre ela. Afinal, antes de comprar uma ação na B3, a gente tem que estudar a empresa, correto? Então, bora lá.

Conheça a história Magazine Luiza

A Magazine Luiza foi fundada em 1957 por Luiza Trajano Donato e Pelegrino José Donato, com uma modesta loja de presentes em Franca, no interior de São Paulo.

No ano de 1976, a empresa comprou a Lojas Mercantil e começou a expandir sua marca em outras cidades paulistas. Mas, esse desenvolvimento ficou mais claro alguns anos depois, em 1983, momento em que a Magazine Luiza desembarcou também no Triângulo Mineiro.

ANÚNCIO

Em 1992, mais uma época de próspera se inicia, com a sobrinha de Luiza tomando posse da diretoria da empresa. No ano seguinte, começam as primeiras lojas virtuais.

Com o passar dos anos, a companhia começou a se espalhar por todo o Brasil, foi pioneira da criação de um site e-commerce, criou a Luizacred (cartão de crédito junto com o Itaú) e comprou mais empresas para consolidar sua expansão pelos estados brasileiros.

A área de atuação

A resposta mais comum para quem quer saber sobre a área de atuação, além da história da Magazine Luiza, é que ela é uma varejista com foco em eletroeletrônicos e eletrodomésticos. Tem quem defende que ela seja uma empresa de tecnologia e inovação também.

A própria se define como: “uma plataforma digital, com pontos físicos e calor humano”. De fato, o que podemos afirmar é que ela atinge vários tipos de públicos com as suas lojas físicas, virtuais, televendas, e-commerce, Magazinevocê e vendas corporativas.

Essas vendas pela internet fazem com que ela chegue até onde não tenha pontos físicos. E isso garante mais vendas. Ela também se caracteriza como uma empresa que possui uma estratégia de marketing muito forte. E isso é bem verdade, temos que concordar.

Os modelos de negócios

A Magazine Luiza opta em trabalhar em 3 segmentos de venda: lojas físicas (e lojas virtuais), e-commerce e marketplace. Então, abaixo, vamos explicar em mais detalhes. Confira.

As lojas físicas

Vamos falar primeiro sobre as lojas convencionais, que se instalam em ruas e também em shoppings. Normalmente, elas possuem 700 metros quadrados, como mostruário e estoque físico.

Várias dessas unidades também vendem produtos que não são exclusivos da MagaLu (se trata de um apelido da marca) que são partes integradas do Marketplace da mesma. Aliás, elas também trabalham em conjunto com as lojas virtuais, o que chamamos de omnichannel.

Você ainda poderá encontrar parcerias entre o Itaú Unibanco e a Luizacred, formando uma rede de crédito pessoal para auxiliar os clientes a fazer suas compras. Logo, é tipo um empréstimo pessoal mesmo, que está acessível aos clientes.

As lojas virtuais

Já as lojas virtuais da Magalu foram as primeiras do Brasil. Essas são menores e não possuem mostruário. Com isso, o cliente vai até a loja, é atendido por um vendedor, que apresenta todo o catalogo e os produtos através de meios digitais.

Essa foi uma boa estratégia para a empresa conseguir chegar a cidades menos populosas e ter gastos menores para mantê-la em funcionamento. No entanto, muita gente confunde com o e-commerce, que é diferente como vamos mencionar abaixo.

O e-commerce e o marketplace

Para fazer as compras sem precisar sair de casa, apenas pelo site ou aplicativo da Magalu, a empresa oferece o e-commerce. Logo, além de vender produtos, ela abre para terceiros fazer as vendas também, como se fossem vendedores.

Logo, acaba por criar uma grande oportunidade de fazer novos parceiros e lucrarem com comissão nessas vendas. Inclusive, quando maior for o engajamento nas redes sociais, melhores serão os resultados para vendedores e empresas. Ao passo que essa é a aposta da marca.

A logística e o marketing

Para conseguir levar tantas vendas para o Brasil todo é preciso ter uma grande logística. Por isso, ela tem 15 centros de distribuição, devidamente espalhados no país. Assim, a intenção é que os produtos cheguem mais rápidos aos seus clientes e os custos sejam menores.

Todo esse trabalho é feito por 22 mil funcionários. Como já dissemos anteriormente no tópico sobre a história da Magazine Luiza, a empresa investe pesado em publicidade e marketing em várias mídias diferentes para atingir o maior número de pessoas.

história da Magazine Luiza

Uma das suas estratégias é contratar personalidades famosas para dar rosto as suas ações como é o caso do Luciano Hulk, Marcelo Adnet, Whinderson Nunes e Simone & Simaria.

O objetivo da empresa é liderar transformações digitais que estão sempre acontecendo, aumentar seu marketshare, melhorar a eficiência operacional e sua visibilidade.

O IPO da Magazine Luiza

A Magalu passou a ser uma empresa da Bolsa de Valores em 2011, depois de abrir oferta pública inicial (IPO) das suas ações no mercado (leia também: MGLU3 – descubra se vale comprar ações da Magazine Luiza). Desde 2012 passou a distribuir dividendos. Ela já ganhou alguns prêmios e não possui nenhuma participação do Estado.

ANÚNCIO