Foi Vítima do Golpe Online? Saiba o que Fazer em 10 Passos

A tecnologia anda a passos longos no mundo moderno. Para provar isso, basta olhar o número de bancos e conta digitais que existem e comparar com o número que havia há alguns anos.

No entanto, na indústria financeira, também cresceu o número de golpes, dessa vez os digitais.

Conforme o CERT.br (Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil), há um aumento constante do número de notificações de páginas falsas de instituições financeiras e de sites de comércio eletrônico.

Os hackers são os ladrões da rede, que inovam e inventam várias formas de ganhar dinheiro de forma ilegal – apesar de ser considerado um crime, a dificuldade está em localizar o bandido.

O resultado é uma grande busca na internet com termos nada agradáveis, como “Golpes na Internet” ou “Fraudes Online”, que mostra a deficiência da segurança desse mundo totalmente virtual.

A melhor dica, nesse caso, é: entenda que não exista dinheiro fácil – isso já te ajuda a evitar as várias armadilhas que existem no mundo tecnológico das redes sociais.

“Na hora de ir embora para casa, você sabe de antemão que um caminho é perigoso e evita passar por ali. Na internet, o usuário também deve ter esse alerta dos riscos”, aconselha Fábio Assolini, analista de malware do laboratório da Kaspersky.

Também é preciso considerar algumas dicas fáceis, que vamos citar no decorrer do artigo, como o fato de tomar cuidado ao abrir e-mails de pessoas desconhecidas e se atentar aos sites e links que são disponibilizados em todo território virtual.

Número do Cartão de Crédito, por sinal, só deve ser digitado em sites altamente confiáveis.

Foi Vítima do Golpe Online? Saiba o que Fazer!

O primeiro passo quando perceber a fraude bancária feita pela internet é avisar, imediatamente, o banco para que a instituição bloqueie os seus logins e as senhas – isso evita prejuízos maiores.

Os bancos costumam ter 48 horas para analisar o caso porque existem muitas histórias de pessoas que se “autofraudam”, simulando golpes que não aconteceram, de fato.

Quando constatam o golpe, o banco pode ressarcir a vítima se entender que houve uma falha na segurança em seus sistemas.

Para Bissolin, existem várias situações em Justiça que reconhece, no entanto, o descuido do cliente em relação à segurança com a conta digital – nesse caso, não há devolução do dinheiro.

“Os bancos têm feito cada vez mais campanhas de conscientização de boas práticas do internet banking. Se ele consegue demonstrar que capacitou o cliente, a Justiça pode responsabilizar a vítima do golpe, que arcará com o prejuízo”, diz o especialista.

Apesar de ser uma atitude um pouco mais complicada, se o cliente souber de qual computador operou na conta pela última vez, existe a possibilidade de o computador ter que ficar à disposição do banco, conforme registro do Boletim de Ocorrência.

Em termos de precaução, Fábio diz que uma boa dica é manter uma boa solução de segurança instalada no computador, que inclua entre os recursos antivírus e firewall, no mínimo.

“Muitos usuários optam por softwares gratuitos, mas é uma proteção muito básica. Em um caso recente, um programa malicioso bancário demorou 14 dias para ser detectado por um antivírus grátis que testamos”, diz.

Manter plug-ins usados de navegadores de internet sempre atualizados também é recomendável – eles funcionam como programas que adicionam recursos a um navegador e são alvos dos cibercriminosos.

Acessar o Internet Banking como Segurança – Como?

Acessar a conta do banco pela internet é muito comum, mas perigoso. Para isso, vale muito da tese de que prevenir é melhor do que remediar, confira as dicas.

1 – Computador Conhecido

O cuidado começa ao acessar a internet e as páginas da rede.

É importante usar um computador conhecido, de preferência que seja de uso pessoal.

Evite, portanto, usar computadores de lan houses, universidades ou quaisquer outros lugares públicos, afinal, você nunca sabe se os programas de segurança estão atualizados como deveriam.

2 – Antivírus e Firewall

Instale esses aplicativos e os mantenha atualizado.

“Os ataques ocorrem em duas etapas: primeiro o programa malicioso se instala na máquina e depois, caso passe pelo antivírus, ele manda os dados da sua conta pela internet para fora do computador e isso é barrado pelo firewall”, diz José Matias Neto, da McAfee.

3 – Barra de Endereços do Navegador

A recomendação é fazer acessos a partir da digitação do endereço do seu banco na barra do navegador que você está usando.

Logo, nunca se deve clicar em mensagens falsas para capturar dados ou em senhas. Principalmente se esses links estiverem em sites desconhecidos e e-mails, além das postagens das redes sociais.

4 – Endereço com Certificado Digital

Se o site tiver o “https;//www” indica que você está no caminho certo – isso tem que estar acompanhado também de um ícone de cadeado, na própria barra de endereços. Ao clicar nesse cadeado, você pode conferir os dados da assinatura digital do banco.

5 – Páginas com Erros

Páginas com Erro ou com Indisponibilidade de Serviço precisam ser consideradas como, no mínimo, “estranhas”. Desconfie dessas situações e fique atento à rotina de serviços.

Uma atitude viável é tentar refazer o login de novo, incluindo a senha. Se tratar de um ataque cibernético, os dados poderão ser roubados.

6 – Tráfego de Dados pelo Firewall

Durante toda a navegação, você pode verificar os dados do tráfego do seu computador por meio do firewall – se ele ficar carregando ou pedir a permissão do usuário pode ser que necessite enviar dados para fora da rede. Esse é o sinal para você parar por aí.

7 – Conexão do Internet Banking

A conexão do internet banking tem que ser feita de forma única. Ou seja, não é recomendável acessar o site do banco e outros ao mesmo tempo.

8 – Trocar a Senha Periodicamente

Essa é uma atitude positiva em se tratando de segurança online. O ideal é renová-la sempre que possível.

“Se ela for capturada por algum programa malicioso, existe a chance de você conseguir trocar de senha antes que ela seja usada para atacar sua conta”, comenta o gerente da McAfee.

9 – Desconecte da Internet

Sempre que você desconfiar que o seu computador foi invadido, desconecte imediatamente da internet porque isso evita que os dados sejam enviados para fora da máquina.

Após desconectar, faça a varredura do antivírus e entre em contato com o banco.

10 – Arquivos Temporários da Internet

Uma recomendação é apagar os arquivos temporários já que elas podem armazenar dados, como o seu saldo bancário. Por precaução, sempre apague o seu histórico.

Bônus – Aplicativos de Celular

Por fim, vale a dica de sempre usar os aplicativos móveis oficiais dos bancos.

De forma geral, os sistemas bancários estão ficando cada vez mais seguros, no entanto, ainda não existe, no mundo, tecnologia que garanta 100% de proteção.

Com informações da UOL