A gente listou os 6 principais gastos do primeiro ano de um bebê

ANÚNCIO

Aqui no blog, a gente já fez alguns conteúdos citando os principais custos que envolvem o nascimento de um filho. Obviamente, falamos de fraldas e todo esse tipo de coisa. Agora, o foco é outro: os gastos do primeiro ano de um bebê – ou seja, do período de 0 a 12 meses.

Portanto, por mais que você ache que o assunto já está batido demais, o ideal é ler a matéria toda para saber o que você deverá incluir na sua lista orçamentária dos próximos meses – seja para quem já está gestante ou para quem ainda está pensando em ter um filho.

ANÚNCIO

Aliás, vamos usar aqui um apanhado geral também do que já indicamos em outras matérias. Afinal de contas, o gasto com fraldas é inevitável em toda situação. Por sinal, no último tópico a gente vai mostrar uma conta para simular o custo mensal de um bebê, não deixe de ler.

1 – Fraldas

Como era de se esperar, a gente não poderia ter começado de outra forma. Os gastos com as fraldas começam desde o primeiro dia de nascimento do bebê. Geralmente, indica-se de 8 a 10 fraldas por dia para os bebês com até 2 meses. E depois, a conta vai caindo.

Sendo: de 6 a 8 diariamente para quem tem entre 3 e 6 meses. Depois, 6 por dia para os bebês com mais de 6 meses até 1 ano.

ANÚNCIO

Agora, é claro que na hora de fazer as contas é preciso considerar as várias marcas que existem, descobrir com qual modelo o bebê se adapta mais facilmente, entender que dá para variar entre os usos diurnos e noturnos e tudo mais. Além, claro, das pesquisas de preço.

2 – Alimentação

Aqui na área da alimentação a gente tem que incluir tudo. Por exemplo, tudo começa com o leite em pó, a chamada fórmula. Sendo assim, mesmo que você tenha focado no leite materno, que é ótimo, saiba que esse complemento pode se fazer necessário também.

Depois, temos ainda que falar da introdução alimentar, que exige alguns cuidados, desde a escolha de alimentos saudáveis até mesmo aqueles mais diferentes, afinal, o bebê tem que experimentar de tudo para poder se adaptar.

O que dá para concluir é que durante o primeiro ano de vida do bebê será preciso considerar o aumento gradativo nas compras feitas no mercado.

3 – Equipamentos e Acessórios

Do lado dos equipamentos, que é outro dos gastos do primeiro ano de um bebê, nós podemos falar desde carrinho de bebê até mesmo o bebê conforto para carros ou ainda o berço e assim por diante. A dica é você comprar usado ou pegar emprestado.

gastos do primeiro ano de um bebê

Se for comprar novo, uma ideia é pegar de cor neutra para conseguir fazer trocas mais tarde ou até mesmo uma venda.

4 – Enxoval

Do lado dos equipamentos, a gente não mencionou as roupinhas do bebê. Mas, saiba que elas também representam novos gastos para as famílias. É claro que você poderia optar pelos brechós. Inclusive, hoje temos vários brechós virtuais que permitem vendas para todo país.

Aliás, a dica nesse caso é você não ficar paranoico com a questão de usar roupas que não são novas. Hoje em dia, a gente sabe, esses brechós possuem cuidados especiais com as roupinhas, tornando o uso delas seguro para o bebê. Além de que as peças são mais baratas.

5 – Brinquedos

A gente não pode deixar de falar dos brinquedos porque mesmo as famílias de classes sociais mais baixas adoram presentear os bebês com mordedores, pelúcias e muito mais. O fato é que os pais também acabam tendo gastos com isso.

De modo geral, os brinquedos mais educativos são mais indicados. No entanto, também podem ser os mais caros. Se há uma boa dica aqui é a mesma que já citamos acima: trocar os brinquedos. O mesmo brechó que citamos acima faz esse tipo de serviço para você ter ideia.

6 – Educação

Optamos por fechar esse texto sobre os gastos do primeiro ano de um bebê para falar em educação, mas aqui você pode considerar todos os cuidados com o bebê enquanto os pais não poderão estar por perto. Muitas vezes, as avós e avôs fazem esse papel, assim como tios, irmãos e até mesmo amigos.

Porém, nem sempre isso acontece. Seja por motivos pessoais, do distanciamento ou qualquer outro. Nesses casos, a ideia mais simples é optar por uma creche ou a contratação de uma babá. Logo, temos mais um gasto no orçamento da família.

A escolha da profissional ou do estabelecimento vai levar em conta uma série de fatores. Isso passa pela confiança, pela credibilidade, pela segurança. De um modo que o custo acaba ficando em segundo plano, mesmo que represente uma boa parte de todo gasto com o bebê.

Bônus – O custo mensal de um bebê

Como a gente prometeu na introdução do texto, agora vamos falar dessa conta para ter uma ideia do custo mensal de um bebê na família. Até mesmo porque algumas pesquisas internacionais indicam que os gastos do filho podem passar de R$ 2 milhões ao longo da vida.

Mas, como esse conteúdo já está longo demais, vamos deixar aqui recomendada a leitura da matéria que fizemos no passado para explicar isso. Para se ter uma ideia, a gente dividiu tudo muito bem, entre as categorias e entre as classes sociais A, B, C e D, também.

Apenas para você ter uma ideia, saiba que os gastos com alimentação podem chegar a R$ 115 mil no ano para famílias de classe A ou R$ 23 mil ao ano para as de classe D. Saiba tudo sobre isso e outras categorias na matéria.

ANÚNCIO