Qual o valor para gastar com o lazer?

A gente está cansado de ver uma porção de pessoas tendo problemas de saúde (e a maioria é mental) devido ao fato de que não reservam uma parte do orçamento para o lazer.

Lazer é aquilo que vai te fazer gastar dinheiro, porém, é algo necessário do ponto de vista biológico do ser humano. Tem a ver com hormônios e a sensação do prazer.

Agora, trazendo o assunto para a atualidade e para a questão financeira, pergunte-se: quanto da renda mensal destinar para lazer e hobbies?

Pode parecer que a resposta é objetiva: 70%, já que 30% é para gastos essenciais. Certo?

Nem tanto.

Destine tudo que você tem de dinheiro para lazer e hobbies?

Também não dá.

Exatamente: não é tão simples quanto parece.

E só vai ser possível saber a resposta quando a gente começar a ajustar nossas escolhas porque o erro mais comum que  a maioria das pessoas cometem está no fato de analisar as prioridades.

Como decidir?

A partir do momento que tem uma renda, você tem que decidir o que fazer com essa renda. Concorda?

E o que é importante na sua vida? dê significado para você o que é importante para você, oras.

E depois, separe o que fica como secundário na sua vida.

E se não tivesse nenhum tipo de imprevisto?

Se não tiver nenhum tipo de desajuste na sua vida, qual seria o seu hobby?

O que é aquilo que te faz feliz?

E aquilo que te motiva vai fazer parte da sua vida?

Você trabalha para viver. O que é sua vida fora do trabalho?

O fato é que você é uma pessoa que quer ter aprendizados, que quer praticar esportes, quer dançar, quer visitar amigos, quer presentear familiares, quer doar para causas na quais você acredita. Não é mesmo?

Todo mundo tem uma vida de escolhas hoje em dia. E não importa o que seja importante para você colocar em prática seus planos da vida, você tem que listar as prioridades.

Como dividir?

A questão não é quantos por cento você tem que destinar para cada área da vida. Mas, a questão é estabelecer uma ordem correta das escolhas na sua vida. Entende a diferença?

Se você hoje tem uma vida desequilibrada porque não consegue praticar aquilo que é o seu hobby, o seu artesanato, o seu esporte ou o que seja é porque você falhou no seu planejamento financeiro.

Em qual sentido? São vários sentidos e motivos para uma falha.

Mas, especialmente no sentido de não ter percebido que com o dinheiro que você ganha você tem que destinar uma parte para aquilo que é importante para você.

E uma vez garantido aquilo que é importante para você, que esteja acontecendo na sua vida, o que sobra do seu dinheiro é a verba que você tem para estruturar sua vida.

O segredo para uma vida mais rica está em ter uma vida mais simples  menos complexa em termos de decisões, em termos de custo.

Como fazer as contas?

Defina o quanto você gostaria de gastar com aquilo que é importante para você.

Veja qual estilo de vida que você deveria ter para acompanhar no seu orçamento com aquilo que é importante e aí sim, você ter um processo de transição da vida atual para a vida ideal.

E a vida ideal, nesse caso, é desfazer-se de escolhas que estão amarrando o seu desenvolvimento pessoal.

O importante é entender que quanto mais você destinar de dinheiro de verba e de tempo para aquilo que é importante para você, mais você vai se profissionalizar naquilo que é importante para você.

O que é simplesmente um hobby, algo que você faz nas horas livres, pode vir a se tornar a sua atividade profissional daqui a um tempo,  em função da dedicação, em função dos investimentos que você tem naquilo.

É um estilo de vida que deve ser construído, por isso, evite cair no erro que muitas pessoas caem de estabelecer sua vida com base em padrões sociais.

Como entender?

Qual o valor para gastar com o lazer?

Finanças nem sempre vai ser matemática pura!

Vai gastar 30% do que eu ganha com a casa? 10% com vestuário? 15% com educação? 10% com lazer? 10% com investimento?

Cuidado porque não há números exatos para todo mundo. Cada pessoa tem o seu número, a sua conta, o seu salário.

E isso faz com que você tenha uma vida neutra!

Que nada mais é do que uma vida neutralizada por escolhas que são reflexo da sociedade.

Destine para uma formação de poupança, de reservas para realizar grandes projetos.

Depois, uma segunda parte para ter qualidade de vida.

E o restante, bem menos do que você gasta hoje, é para manter uma estrutura de vida, um custo de vida que tem que ser simplificado para a sua vida ser mais rica.

Entende isso? Se você tem muitos empréstimos, cartões, crédito a pagar… Você vai ter uma vida muito cara. E se tem muito luxo também.

O ideal, no fim das contas, é ter uma vida mais simples e mais barata para compensar isso com o seu lazer, o seu hobbie e para fazer tudo aquilo que você gosta, com a sua família.