20 Fundos de Investimentos Recomendados: rendimento 5% superior à poupança

ANÚNCIO

Você sabe que tem que poupar dinheiro e até consegue fazer isso. Mas quando vai investir, vê que a falta de tempo e de conhecimento não te deixam fazer isso. Essa, na verdade, é uma pequena desculpa – chamada procrastinar.

Porém, se você se identificou com isso, saiba que existe um jeito de investir dinheiro mesmo assim: com os Fundos de Investimentos.

ANÚNCIO

Os motivos para você escolher os Fundos de Investimentos são vários, mas tem um que é bem simples de entender: normalmente, rentabilizam mais do que a velha poupança, o que já é suficiente para fazer valer a pena.

Confira algumas breves informações sobre essas aplicações financeiras e saibam quando elas valem a pena.

O que são Fundos de Investimentos

Um fundo de investimento é uma aplicação financeira formada por um grupo de investidores também chamados de cotistas – é a boa e velha ideia do condomínio. O fundo é um condomínio de casas enquanto que as casas são investidores.

ANÚNCIO

Assim, com o dinheiro total dos cotistas é possível alocar os ativos em ativos do mercado financeiro.

O detalhe é que ninguém fará isso se não receber algo em troca – “pelo serviço prestado”. Então, cobram-se as famosas Taxas de Administração.

Depois, ao fim do investimento, os lucros é dividido proporcionalmente aos investidores – sendo que quem tem maior porcentagem receberá mais, obviamente.

“A estratégia do fundo consiste na alocação majoritária do portfólio em títulos de emissões bancárias e debêntures de alta liquidez e baixo risco de crédito privado”, diz a AZ Quest, que tem apostado em fundos com prazo superiores ao CDI.

Existem vários tipos de fundos de investimentos, que variam conforme suas características. Eles podem estar alocados, por exemplo, em fundos da Renda Variável, aí então terá maior rentabilidade, porém, com maior risco. Podem ainda ser de Renda Fixa ou Multimercado.

Cada fundo tem suas próprias regras e estratégias, por isso, torna-se necessário pesquisar individualmente cada um.

Além dessa taxa de administração, também há a cobrança da taxa de custódia, que é a empresa responsável pelos aspectos operacionais e legais do fundo, zelando pelo bom funcionamento do regulamento, controlando o risco, calculando as cotas, transmitindo informações aos órgãos públicos.

Por Que a Taxa de Administração de um Fundo de Investimento é Tão Importante?

Simplesmente porque ela vai dizer se o seu investimento vai dar bons retornos financeiros ou não. Escrevemos assim: “normalmente, os fundos são mais rentáveis do que a poupança”. Porém, se a taxa de administração for alta, isso não vai acontecer.

O mais recomendável é aplicar em fundos que cobram taxas de, no máximo, 1,5% ao mês. Se passar disso, já não é compensador.

Mas, note que não existe apenas a taxa de administração para ser observada. Há outros fatores, como a rentabilidade. Porque mesmo que ela seja variável é possível ter uma ideia desse número analisando o histórico do fundo.

Para se ter uma ideia, nos últimos 3 anos, a poupança teve rendimento médio de 7,89% ao ano. Enquanto que os fundos de renda fixa mais conservadoras ficaram em 12,38% no mesmo período.

Logo, imagine um investimento de 5 mil reais que se iniciou há 3 anos… Confira quais seriam os resultados:

  • Na poupança, então, você teria hoje pouco mais de 6,2 mil reais.
  • Em um Fundo de Investimento, você chegaria à um lucro de mais de 6,7 mil reais.

Achou pouco? Acha que 500 reais não é nada demais? Pense agora em valores maiores e em prazos maiores também. 500 reais é um bom valor, acredite você!

Quais as Vantagens dos Fundos de Investimentos

As principais vantagens são: facilidade e comodidade.

Um fundo de investimento tem um gestor por trás, que deve ser um especialista preparado para buscar os investimentos mais interessantes, conforme a política de investimento do fundo.

Na teoria, ao alocar seu dinheiro nos fundos, você deveria ficar com a cabeça tranquila, já que o gestor vai alcançar o melhor resultado – rentabilidade – possível.

“O trabalho dos gestores é de muita responsabilidade. Eles estão constantemente em busca dos melhores investimentos para o fundo. O gestor fica de olho diariamente nos indicadores do cenário econômico, como taxa de juros, câmbio, bolsa de valores…”, diz Sandra Blanco, que é consultora da Órama.

“É ele quem faz os ajustes necessários no fundo”.

Além disso, em Fundos de Investimentos, existem poucas oscilações, já que os gestores acompanham o mercado, a política e o mundo. Sem contar ainda que a rentabilidade é diária, a partir do 1º dia – a poupança também, mas começa contar a partir do 31º dia.

As aplicações iniciais não são tão pequenas quanto a poupança, mas são bastante acessíveis, a partir de 50 ou 100 reais, por exemplo. O que se conclui, nesse pensamento, é que há um fundo de investimento para cada perfil de investidor, basta analisar todos.

Outra vantagem é que os fundos são regulados pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e supervisionados pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Os 20 Fundos de Investimentos Recomendados

No início desse mês, a corretora XP Investimentos selecionou 20 Fundos de Investimentos Recomendáveis, conforme o perfil de cada investidor. “Essa visão abriu oportunidade para alocações nas taxas de juros nominais, vetor responsável por parte dos ganhos dos gestores no mês”, disseram os analistas.

Confira os produtos listados.

Para Investidores Conservadores

  • Bozano Top (Fundo de Crédito)
  • CA Indosuez Previdência (Previdência)
  • Vinci Valorem (Fundo Pré Inflação)
  • Icatu Seg Classic Ret Real (Previdência)

Para Investidores Moderados

  • AZ Quest Altro (Fundo de Crédito)
  • XP Horizonte RF (Previdência)
  • XP Debêntures Incentivadas (Fundo Pré Inflação)
  • Icatu seg Classic Ret Real (Previdência)
  • XP Macro (Fundo Macro)
  • XP Long Short 60 (Fundo Multi Estratégia)
  • XP Horizonte Long Short (Previdência)
  • AZ Quest Total Return (Fundo LS Direcional / Long Blased)

Para Investidores Agressivos

  • XP Corporate Plus (Fundo de Crédito)
  • Capitânia Previdence (Previdência)
  • Icatu Vanguarda Pré Fixado LP (Fundo Pré Inflação)
  • SulAmérica Inflatie (Previdência)
  • Verde Scena XP (Fundo Macro)
  • Kondor Long Short (Fundo Multi Estratégia)
  • Adam Icatu Previdenciário (Previdência)
  • XP Long Blased 30 (Fundo LS Direcional / Long Blased)
  • XP Investor FIA 30 (Fundo Long Only)

Notícia de Última Hora: Você pode ter dinheiro depositado em Fundos e não saber

Isso aconteceu para pessoas que declaram o Imposto de Renda nos anos entre 1967 e 1983. Isso aconteceu e, conforme a Comissão de Valores Mobiliários, é possível consultar o Fundo 157, onde será possível verificar se existem aplicações a serem resgatadas no Fundo.

Esse fundo foi criado pelo Decreto Lei 157, no dia 10 de fevereiro de 1967 e foi um dos primeiros fundos de investimento do mercado. Era uma opção dada aos contribuintes, que podiam usar parte do imposto que tinham que pagar na Declaração Anual de Imposto de Renda para comprar quotas de fundos administrados por instituições financeiras.

O dinheiro patrocinou a 1ª onda de abertura de capital do fim dos anos 1960 e ao longo dos anos de 1970, já que havia um grande volume de recursos.

20 Fundos de Investimentos Recomendados: rendimento 5% superior à poupança
Reprodução: Google

Nessa situação, as pessoas podiam aplicar até 10% do imposto a pagar, um percentual que subiu depois para 12%, valor que voltaria depois na forma de cotas do fundo.

O fato é que o registro continua existindo e, por isso, o sistema de CVM pode ser uma boa opção para quem tem a aplicação. A Superintendência de Proteção e Orientação aos Investidores (SOI) ressalta que somente quem declarou o IR nesses anos podem possuir esse fundo.

Com informações do G1 e Infomoney

ANÚNCIO