Selic Caindo… Vamos Investir em Fundos de Inflação? 7 Motivos Para Dizer Não!

ANÚNCIO

Os fundos de inflação nada mais são do que os Fundos de Renda Fixa tipo Índices, que são classificados pela Anbima e só investem em títulos que visam refletir ou superar as variações dos Títulos do Tesouro atrelados à Inflação, que, por sua vez, é medida pelos índices IMA e suas variantes.

Assim sendo, para esses fundos é permitida uma alavancagem e não são permitidas operações com Renda Variável, nem a compra de títulos atrelados à Selic ou a CDI, que são permitidas para Fundos Referências DI ou Fundos de Renda Fixa.

ANÚNCIO

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Títulos do Tesouro NTN

Basicamente, as rentabilidades dos fundos de inflação vai depender dos títulos do tesouro NTN, que é composto por 2 partes:

  1. Referente à um índice de inflação (IPCA ou IGPM),
  2. Referente à uma parte pré-fixada que depende da atual Selic.

A 2ª parte é a mais complexa porque podem flutuar e tem a marcação feita conforme a taxa básica de juros, Selic, logo pode variar positiva ou negativamente.

ANÚNCIO

Vantagens e Desvantagens dos Fundos de Inflação

Entre as vantagens de investir em fundos de inflação podemos citar que:

  • Eles têm rentabilidades bem superiores à Selic no longo prazo,
  • Além de ter um prazo curto para resgate (mas não é aconselhável investir no curto prazo) e,
  • Por fim, quando as taxas de juros estão caindo, as rentabilidades podem chegar á 200% do CDI.

Por outro lado, as desvantagens são:

  • Em períodos de alta das taxas de juros, as rentabilidades podem ser negativas,
  • Não são indicados para investimentos de curto prazo,
  • Os fundos de inflação são bem difíceis de prever a rentabilidade.

Investir em Fundos de Inflação?

Esses fundos são ótimos para serem investidos quando a taxa de juros, Selic, tem tendência a baixar, como tem acontecido nos últimos meses. Além do mais, é preciso entender que esses fundos devem ser usados para compor uma carteira de Renda Fixa, já que eles são um tanto quanto voláteis e dependem do governo.

Como falamos, quando a inflação cai, os investidores tendem a procurar os fundos de inflação para aplicar dinheiro… Isso quer dizer que 2017 é o ano ideal para isso não é?

Na verdade não!

Para Juliano Custódio, assessor financeiro, o movimento é muito comum neste período em que a Selic está em queda, mas investir nesses fundos não é uma boa ideia, de forma geral.

“Estes títulos dependem mais dos juros futuros do que da Selic e os juros futuros já caíram muito além da Selic, devido à expectativa dos investidores e agentes do mercado financeiro”, ele garante.

Selic Caindo... Vamos Investir em Fundos de Inflação? 7 Motivos Para Dizer Não!
Reprodução: Google

Assim, os gerentes bancários tem o hábito de apresentar a rentabilidade do último ano desses fundos. Porém, escolher um ativo com base em desempenho passado é “olhar para o retrovisor”, diz ele.

Mas, o que é Inflação?

A inflação é o aumento contínuo e generalizado no nível dos preços e pode ser medido de várias formas diferentes, com vários índices, sendo que o principal deles no Brasil é o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é calculado pelo IBGE.

O IPCA acompanha a variação dos preços de produtos básicos do brasileiro. Veja os tipos de inflação conhecidos hoje em dia!

  • Inflação de Demanda: é caracterizada pelo excesso de demanda de um determinado setor,
  • Inflação de Custos: é conhecida também como a inflação de oferta e acontece quando há um aumento nos custos de produção,
  • Inflação Inercial: conhecida como inflação psicológica e ocorre quando existe uma alteração na demanda ou na oferta. É quando as pessoas creem que determinado produto vai continuar subindo.
  • Inflação Estrutural: é parecida como a inflação de custos, no entanto, o aumento nos preços acontece por falta de eficiência da infraestrutura envolvida no processo de produção.

De forma geral, os males da inflação corrói o poder de compra dos consumidores.

Exemplo: se você tem 50 reais, você consegue comprar 10 pedaços de pizza. Se a inflação for de 10%, então, com 50 reais, você só conseguirá comprar 9 pedaços de pizza.

  • Logo, podemos concluir que o dinheiro perdeu o seu valor ao longo do tempo!

É por isso que é tão importante investir dinheiro. Se você não o faz, a inflação vai corroer todo seu dinheiro. Independente se a inflação está baixa, ele vai ser corroído.

A Inflação e os Juros

“Quando a inflação está em alta e os juros estão mais estáveis ou em ciclo de baixa, esses títulos tendem a ter retornos maiores. Além disso, seu prazo de resgate geralmente é curto, mesmo não sendo aconselhado investir no curto prazo nesse tipo de aplicação”, afirma Sandra Blanco, da Órama Investimentos.

“Outra vantagem é que, no geral, o valor inicial da aplicação é baixo. Por fim, investir em um fundo de inflação pode servir tanto para a diversificação de portfólio quanto para a proteção de patrimônio”, ela continua.

7 Motivos para NÃO investir em Fundos de Inflação

Conforme Juliano, existem 7 motivos bem claros para você não investir em fundos de inflação em 2017, confira quais são eles, agora!

1 – Os fundos de inflação tem uma rentabilidade interessante, principalmente se olharmos nos últimos 60 dias, de maneira sempre positiva, no entanto, eles podem ser negativos nos próximos meses.

2 – Apesar de ser chamado de Fundo de Renda Fixa, os fundos de inflação , não têm rentabilidade fixada e podem ter oscilações negativas em momentos caóticos e de crise, como tem acontecido nos últimos anos.

3 – Os fundos de inflação são compostos por NTN-B Principal 2019 e NTN-B Principal 2023 e esses ativos, mesmo em cenários promissores, podem render bem menos do que a Selic.

4 – Nos fundos de inflação , o investidor paga taxas de administração entre 0,5 e 2%, apesar de em alguns casos os custos serem considerados menores do que outros investimentos. Portanto, com esses valores, o investimento acaba tendo os mesmos gastos do que uma aplicação no Tesouro Direto.

Selic Caindo... Vamos Investir em Fundos de Inflação? 7 Motivos Para Dizer Não!
Reprodução: Google

5 – Os fundos de inflação, como o nome diz, são fundos de investimentos e por isso todo investidor está sujeito ao come-cotas, um processo na qual o governo antecipa o Imposto de Renda que tem que ser pago antes mesmo de você vender o investimento. Isso pode diminuir a rentabilidade anual em até 0,4%, o que poderia ser reinvestido e gerado lucro.

6 – Como todos os fundos de investimentos, fundos de inflação também têm as taxas de performance, que normalmente é de 20% e supera o CDI.

7 – Se você é do tipo de investidor que sempre acredita na queda dos juros, você também pode ganhar dinheiro (muito mais dinheiro) se aplicar dinheiro em títulos públicos longos, como o NTN-B Principal 2035 ou o NTN-B Principal 2045.

No geral, uma taxa do fundo chega à 1,5% ao ano nos bancos, a taxa de administração é de 0,3% para a BM&FBovespa e ainda tem a cobrança do come-cotas, um imposto semestral. Então, sendo assim, muitas vezes, os fundos de inflação acabam não sendo mais vantajoso do que os títulos públicos.

Com informações do euqueroinvestir

ANÚNCIO