Você conhece a fórmula de value investing? Descubra mais sobre isso

ANÚNCIO

O value investing é uma estratégia de investimento em ações. Ou seja, é uma técnica muito usada na bolsa de valores. Ela ficou conhecida através de Warren Buffett, Benjamin Graham e Peter Lynch. O resultado é que hoje todo mundo quer saber a fórmula de value investing.

Só que antes disso, a gente tem que saber o que é essa estratégia. Então, vamos combinar uma coisa: a gente vai explicar um pouco mais do value investing, a partir do significado. Depois, vamos mencionar a fórmula, combinado?

ANÚNCIO

O conceito de value investing

Se a gente abrir o Google Tradutor, vamos ver que temos algo como “investimento em valor”. Ótimo. Porém, isso não explica nada, certo? Então, podemos olhar para essa expressão muito além do significado teórico dela.

Basicamente, quando um investidor está aplicando o value investing, ele está acreditando no potencial de valorização de um negócio, de uma empresa. O que acontece? Simplesmente: “compra na baixa” e espera o tempo suficiente para “vender na alta”.

Logo, temos um mecanismo que é para o longo prazo e nunca no curto tempo.

ANÚNCIO

Resumidamente, o conceito nos leva a crer que esse tipo de estratégia é para o crescimento de uma empresa. Assim, não se leva em conta de forma prioritária os papéis que estão sendo comprados na bolsa.

Curiosidade: o value investing não é usado por traders, que visam ganhos rápidos. Inclusive, a XP Investimentos tem uma ótima definição para o que value investing:

Você não procura rentabilidade com as transações de compra e venda. Você busca aumentar o capital por participar, como acionista, das conquistas das empresas nas quais você acreditou”.

Então, como funciona a estratégia

Sabendo disso, fica mais fácil entender que estamos falando do potencial de uma empresa. Certo? No entanto, o preço da ação influência nesse estudo. Isso porque nem sempre o valor atual que vem do mercado será real ao valor que a empresa tem.

Sendo assim, aqueles investidores que citamos acima entre tantos outros, fazem a compra de empresas que eles acreditam que estão “abaixo do preço”. Ou seja, que devem se valorizar ao longo do tempo. E isso vai culminar no aumento do preço da ação.

Agora, temos um ponto importante aqui: essa análise é totalmente individual de cada investidor. Mais do que isso, ela pode variar muito conforme a interpretação e o conhecimento da pessoa.

O que não muda é que todos acreditam que o valor das ações da empresa vai valorizar. Logo, esses investidores acabam estando dentro, também, de outra estratégia, sendo: buy and hold. Ou seja, eles compram os papéis sem o intuito de revendê-los imediatamente.

As análises individuais

Também antes de chegarmos ao ponto da fórmula de value investing, vamos considerar que os investidores usam análises individuais. Já falamos disso. No entanto, agora a ideia é que você saiba que eles usam de fundamentos das empresas para saber quando estão abaixo do preço.

Portanto, a análise fundamentalista é essencial na vida do investidor que aplica a estratégia do value investing. Avaliando critérios e variáveis, eles tentam entender qual deve ser o desempenho da companhia dentro do mercado.

Entre os fundamentos usados, a gente pode destacar: nível de atividade, inflação, taxa de câmbio e de juros, tamanho e faturamento, capacidade instalada, tecnologia, novos produtos, histórico da empresa e as análises qualitativas.

A fórmula de value investing

Assim, chegamos a fórmula de value investing. O problema é que não tem uma fórmula que permite o cálculo exato do valor de potencial de uma empresa. Nem mesmo os grandes nomes de investidores citados acima possuem tal conta.

fórmula de value investing

Porém, a gente não vai deixar você tão triste assim. Fomos atrás de algumas análises que o mercado todo usa e que podem ser ótimas maneiras de encontrar essas empresas em evolução. Na verdade, o que temos aqui são 4 princípios básicos para escolher uma boa ação.

I – A ideia de querer pertencer: baseando em tudo o que falamos acima, considere que você tem que buscar empresas nas quais você realmente acredita. E isso precisa acontecer a ponto de que você tenha o interesse em se sócio dela por um longo período de tempo.

II – A questão da confiança: outro ponto é sobre ter confiança nessa empresa a ponto de ser sócio dela. Então, você gosta dos produtos e serviços? Não se trata apenas de vantagens competitivas. Estamos falando sobre acreditar na marca por inteiro.

III – A necessidade de analisar: a próxima dica é sobre usar critérios da análise fundamentalista (e não apenas de gráficos) para buscar companhias perenes e sólidas. Como já falamos aqui, o objetivo é encontrar empresas que atualmente valem menos do que deveriam.

IV – A técnica de manter-se calmo: por fim, saiba que todas as empresas, por melhores que seja, vão sofrer altas e baixas. A bolsa de valores é assim. Então, é preciso ter paciência e calma o suficiente para continuar crendo na sua estratégia. Evite tomar decisões precipitadas.

É um investimento para o longo prazo

Talvez, a gente nem precisaria desse último tópico. Mas, a gente tem que lembrar de você que mesmo o mercado acionário possibilitando ganhos rápidos, essa estratégia é para o longo prazo. Ou, pelo menos, para o médio prazo.

2 dicas para fazer análises fundamentalistas e montar uma carteira de ações

Afinal de contas, é preciso dar tempo para que a empresa se valorize. Inclusive, se você acredita no potencial dela e sabe que o valor atual da ação está abaixo de onde ela pode chegar, então, não tem motivo para você vender os papéis antes do prazo, certo?

ANÚNCIO