Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?

ANÚNCIO

Acumular uma Reserva Financeira é essencial para uma vida financeira equilibrada. Mais do que isso, se você tem algum investimento que renda algum valor significativo, você tem a grande chance de garantir a “sobrevivência” financeira mensal com valores de 2, 3 ou 5 mil reais, ou mais! Outra opção, que também deve ser considerada é a garantia do estudo e da faculdade do seu filho. Quer saber como? Continue lendo!

A Fórmula da Perpetuidade, como é chamada esse investimento, é real. É aquela velha e “platônica” história de “Viver só de Juros”, sabe? Pois é, com base nos cálculos da economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti, vamos mostrar quanto é preciso guardar de dinheiro por mês e por quanto tempo para viver de juros!

ANÚNCIO

Mas… E aí! Já Tentou caçar juros? Não? É muito mais gratificante! E isso eu posso falar por experiência própria: viver de juros é muito gostoso. Fazer o dinheiro trabalhar para você – e não o inverso! Então, veja no vídeo abaixo quais são os 7 passos para você começar a viver de juros:

A simulação é feita assim: para alguém que tem uma renda mensal líquida de 5 mil reais mensais o valor acumulado precisará ser de 1 milhão de reais. A partir dessa hipótese, você precisará aplicar um dinheiro que tenha um rendimento de, pelo menos, 0,5% ao mês. “Como 5 mil reais corresponde à 0,5% de 1 milhão de reais, a pessoa viverá com os juros enquanto durar a vida”.

ANÚNCIO

As aplicações usadas foram a poupança e o Tesouro Selic, que rende mais. A simulação leva em conta ainda que o poupador começasse a viver de juros após os 60 anos, quando, em termos, começa a aposentadoria. Os valores foram baseados em uma rentabilidade nominal de 7,5% ao ano para a poupança e de 14,25% ao ano para o Tesouro Selic.

1 Notícias e 2 Simulações do Tesouro Selic:

Para ter uma Renda Mensal de 2 mil reais, o poupador precisa fazer os seguintes investimentos:

Tempo de Investimento – Aplicação na Poupança (R$)- Aplicação na Selic (R$)

  • 40 anos                                    141,86                               21,76
  • 30 anos                                    311,80                               83,60
  • 20 anos                                    744,48                               334,26
  • 10 anos                                    2,2 mil                               1,6 mil

Para ter uma Renda Mensal de 3 mil reais, o poupador precisa fazer os seguintes investimentos:

Tempo de Investimento – Aplicação na Poupança (R$)- Aplicação na Selic (R$)

  • 40 anos                                     212,80                             32,64
  • 30 anos                                     467,69                             125,41
  • 20 anos                                     1,1 mil                              501,39
  • 10 anos                                     3,4 mil                              2,4 mil

Para ter uma Renda Mensal de 5 mil reais, o poupador precisa fazer os seguintes investimentos:

Tempo de Investimento – Aplicação na Poupança (R$)- Aplicação na Selic (R$)

  • 40 anos                                      354,66                           54,41
  • 30 anos                                      779,49                           209,01
  • 20 anos                                      1,8 mil                            835,65
  • 10 anos                                      5,6 mil                            4 mil

Qual o principal resultado dessa simulação? O primeiro é que quem começa a poupar cedo leva vantagem porque tem mais tempo para juntar o montante e assim, consequentemente, torna-se necessário poupar menos.

Como Investir em Renda Fixa: O Guia Definitivo

Correção dos Valores? A economista comenta que é super importante corrigir anualmente a inflação. “Não é para ver a tabela e achar que vai depositar esse valor por mês que vai conseguir esse resultado. Não, é preciso corrigir todo ano o valor da poupança pela inflação, para que o cálculo dê o deferido resultado”. Se você deposita 200 reais mensais e no outro ano a inflação subiu 10%, você tem que passar a depositar 220 reais por mês, simples assim!

Dica Final? É preciso respeitar o padrão de vida. Se começar a gastar demais, vai ter que tirar da reserva, aí, tudo vai por água abaixo.

10 Motivos Essenciais para NÃO Ser Prejudicado na Hora de Investir Dinheiro

Você viu acima que é possível ser um bom investidor sem precisar, necessariamente, investir muito dinheiro ou ter uma grande quantia guardada. Porém, na hora de investir, um dos principais erros é não pesquisas quais os melhores destinos para o seu dinheiro. Isso é o que afirma Paulo Figueiredo, da FN Capital. “Na hora de investir, normalmente deixam tudo para o gerente do banco”.

Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?
Reprodução: Google

Na real, já dissemos muitas vezes aqui: “Seu Gerente não é seu amigo”. Então, com base nas informações do especialista, listamos os 10 erros mais comuns na hora de investir dinheiro. Confira!

1 – Destino – Para que você vai investir dinheiro? Pode dar a resposta que quiser: viagem, aposentadoria, comprar uma casa, um carro ou pagar a faculdade dos filhos? (Sobre a faculdade dos filhos, vamos ter um tópico abaixo, continue lendo). Independente do que seja, você precisa ter a resposta exata! Só assim vai saber como aplicar corretamente. Lembre que o investimento é uma Reserva Financeira, mas nem sempre ela tem liquidez diária.

2 – Pesquisa – Depois de saber o destino do seu dinheiro, busque a melhor opção para ele. É um investimento em longo ou curto prazo? Quais as condições oferecidas pelo banco? Sabe sobre as taxas de remuneração e administração?

3 – Grandes Bancos – Nem sempre são os melhores. Aliás, a garantia dos grandes bancos é a mesa dos pequenos, através do Fundo Garantidor de Crédito com valor de até 250 mil reais. “É comum um banco de menor porte oferecer taxas de retorno de até 140% do CDI, enquanto os maiores dificilmente chegam à 100%”.

Para complementar a leitura: O que você sabe sobre o Fundo Garantidor de Crédito? Nós contamos tudo em 13 tópicos!

4 – Título de Capitalização – Não é investimento. “O investidor precisa saber que o Título de Capitalização funciona EXATAMENTE como loteria, na qual a pessoa participa de um sorteio que pode lhe der um bom dinheiro”. Se não for sorteado, o rendimento é super baixo.

5 – Poupança – Não é somente a poupança que é segura. Ela, assim como outros investimentos (LCI, LCA e CDB) tem a garantia do FGC, como já dissemos. “Em termos de segurança, o Tesouro Direto é ainda mais seguro, pois quem garante é o Governo Federal. Se o governo tiver problemas para honrar seus títulos, provavelmente, os bancos vão estar em uma situação pior ainda”.

Outro Economista, Mauro Calil, também confirma a tese: “A poupança tem garantias privadas, enquanto o Tesouro tem garantias públicas. Sendo assim, o Tesouro é mais seguro do que a poupança, pois o governo tem capacidade de aplicar impostos para cobrir despesas, enquanto o setor privado não pode se financiar dessa forma”.

3 Motivos Para Não Investir na Poupança

6 – Diversificar – É importante sim. Os investimentos tem que seguir o perfil do investidor, porém, é preciso diversificar. “É possível escolher entre CDB, LCI, Tesouro Direto tudo dentro do mesmo perfil de um investidor e colocar outra parte em um fundo variável, melhorando a rentabilidade”.

7 – Custos – Tem que conhecer os custos da aplicação. A taxa de administração, taxa de carregamento, Imposto de Renda… Isso tudo é preciso estar no controle. Muitas vezes, o investidor sabe apenas da rentabilidade bruta da aplicação, o que não significa, claramente, o rendimento líquido, o que pode comprometer seu ganho.

8 – Desempenho – O desempenho do último ano, do último mês ou do último dia não é garantia de nada. A rentabilidade da aplicação vai depender de vários fatores. “Além de se informar sobre o passado, é preciso saber a média geral também”.

Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?
Reprodução: Google

9 – Previdência Privada – Há 2 modalidades e nenhum costuma compensar muito. Ela também tem tributações e taxas, é à longo prazo. Saiba mais antes de investir nisso.

Tudo o que você precisa saber sobre a Previdência Privada em 5 Tópicos: A maior diferença entre o benefício público é o privado é que, nessa última opção, o beneficiário poderá escolher o valor da contribuição e a periodicidade dela. Assim, como mostramos acima, uma pessoa pode contribuir com 100 reais por mês ou por ano, se preferir. O rendimento estará atrelado ao tempo e ao valor investido, obviamente. Mas, e aí, vale a pena? Confira a Resposta!

10 – FGC – Se o investimento passar de 250, garantidos pelo FGC, é preciso aplicar em outro banco. Não vale a pena correr o risco, é preciso diversificar!

Como Economizar para Bancar a Faculdade dos Filhos?

Promessa feita é promessa cumprida! Falamos sobre isso, então, aqui está: os pais devem começar a fazer aplicações financeiras quando os filhos ainda são pequenos para ter em leque melhor de oportunidades e escolhas acerca futuro deles.

A opinião de muitos pais é que a educação escolar básica, fundamental, média e superior são os pontos mais importantes da vida de uma criança, adolescente e adulto. Nós não vamos discutir sobre isso, mas, se assim você também pensa, fizemos esse tópico para você.

Leia Também: Como você pode fazer o seu filho se tornar um empreendedor rico e de sucesso

“Quanto antes começar a fazer a economia, melhor será. Se começarem a poupar cedo, os pais poderão guardar um valor baixo todo mês, que vai se tornar expressivo quando o momento chegar”, confirma o consultor Adriano Severo.

Quer sabe como isso é na prática? Se os pais começaram a poupar o dinheiro quando o filho tiver 8 anos, então, ele terá que guardar 885 reais mensais para um curso de 150 mil reais. Ah, apenas para informação, 150 mil reais é o valor de um curso superior mediano, que tem a faixa de 1 mil reais mensais.

De outro lado, se o dinheiro começar a ser “investido” quando o filho tiver 4 anos, então, a reserva mensal cai para 545 reais. “É possível investir em alguma opção separada, assim, esse dinheiro não se mistura com a parte do orçamento familiar”.

“Eu recomendaria as aplicações em títulos do Tesouro, que são opções de longo prazo e de baixo risco. Embora existam investimentos mais rentáveis, nesse caso a segurança de papéis que superem a inflação e a previsibilidade do rendimento vêm em primeiro lugar”, comenta Fernando Baggio, da L&S Capital.

O que é Tesouro Direto? Os 5 Melhores Motivos para aplicar no Investimento Mais Democrático do Brasil

Como fazer as contas? É só seguir os seguintes passos: Começar Cedo (no máximo, até os 8 anos de idade do filho), ter um valor para aporte inicial, aplicar em opções à longo prazo e seguras e que tenham rendimento acima da inflação (óbvio), avaliar os valores dos cursos para ter uma média e economizar mesmo que tenha a certeza de que seu filho passará em uma universidade pública. Afinal, é uma reserva e pode ser usada para outros fins, como um intercâmbio, por exemplo.

10 Termos para ficar atento porque tem tudo a ver com os seus Investimentos

“Existem algumas pragas que dificultam muito o caminho do investidor”, afirma Andre Massaro. Então, confiram agora quais são essas pragas e como evita-las!

  1. Inflação: A alta dos preços faz com que o dinheiro fique curto. Um investimento que pague acima da inflação é sempre muito recomendado justamente por isso. O Tesouro IPCA é um exemplo.
  2. Desemprego: Para investir é preciso poupar e sem emprego, não tem como fazer nada disso. Nem mesmo pagar as contas. Então, essa é uma praga, das mais cabeludas, vamos dizer. A ideia então é sempre ter uma reserva financeira e diversificar as fontes de rendas para não levar nenhum “susto”.
  3. Dólar: Com o dólar em alta, os fundos cambiais e a compra da moeda estrangeira não são muito indicados. Além disso, com o dólar alto, aumenta a inflação e aí, voltamos para o número 1.
  4. Impostos: “Sem dúvida é uma das piores pragas, pois mesmo que haja só alguns pecadores, aqui a punição vai para o povo inteiro. Uma saída é o planejamento tributário mas há bem pouca flexibilidade para fugir dos impostos”, afirma Massaro.
  5. Instituições Financeiras: Se elas quebram fica ruim. A precaução é manter investimentos dentro do limite do FGC e/ou aplicar no governo. Além, claro, de ficar atento às notícias.

    Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?
    Reprodução: Google
  6. Transações: Elas têm custos altos, na maior parte das vezes. Então, quem investe em ações, por exemplo, paga pelas movimentações na Bolsa. Nesses casos, não tem como se proteger.
  7. Instabilidade: Quando há instabilidade política, as empresas recuam e os investimentos também. A economia para. O jeito é se proteger aplicando em empresas que não estão ligadas aos escândalos.
  8. Recomendações: Gerentes de bancos não são bons conselheiros. Eles querem vender os produtos, apenas. Aliás, por isso, está crescendo o movimento da desbancarização. Já conhece?
  9. Consumo: “É como o diabo seduzindo você. Está juntando dinheiro para comprar um carro, mas a marca famosa de celular lança o último modelo e você acaba com a sua aplicação”.
  10. Pressão: “Às vezes, as pessoas acabam contrariando suas crenças financeiras para tentar diminuir o estresse no casamento ou nas amizades”, diz Massaro.

Para se proteger desses males financeiros, então, é preciso minimizar o efeito deles, tendo uma boa educação financeira. “Quem consegue gerenciar seus próprios recursos, vive relativamente bem em qualquer economia. Não está imune, mas consegue ficar mais resistente do que outras pessoas e até mesmo preparando para aproveitar eventuais oportunidades que surjam nas crises”, finaliza o especialista.

8 Passos para Viver de Juros

Já sabe quanto tem que poupar, em quanto tempo e por quê? Então, veja os 8 passos para conseguir atingir o seu objetivo financeiro de vida!

1 – Renda Extra – Se você já vem de uma família que não te incentivou a estudar o mercado financeiro e se há pouco saiu das dividas, vai ser muito difícil conseguir reduzir todos os custos até ter um bom valor para investimentos. Apesar de que isso é possível! Mas, pensando na pior das hipóteses, a melhor alternativa para você conseguir ganhar mais dinheiro e ter aplicações melhores é com a Renda Extra.

Maioria das famílias brasileiras está endividada e Renda Extra é opção para sair das dívidas

Busque fazer mais e contar com um aumento de salário, por exemplo. Mas, com a crise, esse movimento não será tão flexível assim. É justamente por isso que, diariamente, estamos publicando várias notícias sobre empreendedorismo. Aliás, pensa aí, no seu tempo livre talvez você possa vender uns produtos artesanais ou, por que não, fazer alguns doces, levar os pets para passear, dar aula de inglês… As opções são várias.

2 – Poupar – Crie o hábito, afinal, se você está conseguindo fazer “sobrar” um dinheirinho mensalmente, precisa poupar e investir. Não adianta ganhar a mais e gastar a mais, entendeu? Mantenha sua lista de gastos e reduza-os.

Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?
Reprodução: Google

3 – Quite as dívidas – Não deixe esse problema virar um problemão. Os juros compostos são ótimos para investimentos, mas péssimos para quem está devendo. Eles se multiplicam exponencialmente. Ah, são os juros compostos, você já sabe, né? Aprenda a barganhar descontos se ainda tiver empréstimos a serem pagos e pague tudo a vista. E, além do mais: não faça mais dívidas ein!!

4 – Metas Próximas – Tenha objetivos próximos que serão cumpridos e que não fuja do seu poder de realização. Ter uma aposentadoria milionária e viver de juros é sim possível, só que você vai ter que batalhar por isso, e aí, está disposto?

5 – Conhecimento – Esse é um investimento de ouro. Aliás, nada na vida acontece com o tilintar de uma varinha mágica. Se quer enriquecer, conheça o mercado financeiro. Se quer aumentar as vendas, conheça seus clientes. Se quer prosperar na vida, busque informações como leva-la de forma mais agradável. Conhecimento é tudo!

6 – Investimentos – Se quer viver de juros, conheça as opções do mercado, as empresas, corretoras, mercados e tudo mais. Abocanhe esse setor que poucos conhecem verdadeiramente. Seja um fora da curva e saia dessa fila do banco.

7 – Foco – Define e saiba quanto você precisa ter acumulado para viver SOMENTE de juros! Estabeleça prazos! Pesquise e faça simulações com os investimentos disponíveis!

Fórmula de Perpetuidade: Como Viver de Juros com um salário de 2, 3 ou 5 mil reais mensais?
Reprodução: Google

8 – Acompanhamento – Acompanhe tudo! O noticiário, a conversa do bar, as empresas, as ações… tudo. E, principalmente, os investimentos! Saiba quais são os mais viáveis, os mais promissores, os mais arriscados. Saiba tudo!

Juros Compostos: Como dissemos acima, toda mágica (que não é mágica) faz parte dos juros compostos, que é uma fórmula infalível para a riqueza. “Os juros compostos são a força mais poderosa do universo”, quem disse isso foi Albert Einstein, pelo menos, é o que dizem por aí. Se é verdade ou não, não podemos confirmar, mas a frase faz muito sentido, ainda mais no mundo dos investimentos.

Também conhecido como juros sobre juros ele é um multiplicador do dinheiro. Ah, sim, vamos falar dos pontos positivos, como se você fosse um investidor ok? Pensa aí, 1 mil reais investidos com taxa de juros de 5% ao ano. No final do primeiro ano, você tem 50 reais de lucro. Já no ano seguinte, 102,5 reais de juros. Viu? Se fosse juros simples, você teria uma renda de 50 reais a cada ano. Mas nããããão! Conforme passa os anos, os juros são aplicados sobre os juros.

Ainda está parecendo pouco para você? Vamos pensar então em 20 anos de investimentos. Nesse caso, seu 1 mil reais se transformará em 2,6 mil reais. E em 40 anos, você terá mais de 6,7 mil reais. Legal né? Isso porque estamos falando de apenas 1 mil reais ein… E com uma rentabilidade de 5% ao ano.

Só para dar mais um exemplo prático: suponha um investimento de 5 mil reais, com uma taxa média de juros de 8% ao ano. No final de 30 anos, você terá 54 mil reais! Belê? Ah, sim, sim. Você quer supor uma aposentadoria?  Beleza, é assim: se você tem 25 anos e poupar 1 mil reais por mês, ao chegar nos 60 anos, você terá mais de ½ milhões de reais, bem mais né, serão quase 650 mil reais!

Curtiu? Aproveite que esse artigo está no fim e abra esse link: 6 Dicas para entender Como Calcular os Juros Compostos e Ficar Milionário!

Se algum dia você gastou mais dinheiro do que ganhou e precisou cair na besteira de fazer um empréstimo financeiro ou mesmo se ficou tentado em comprar um carro através do financiamento, você sabe bem qual a sensação de parecer estar pagando o dobro ou o triplo do valor que, teoricamente, deveria pagar. Entenda o outro lado NÃO TÃO BOM da moeda!

Legal isso, não é? Agora, quer aprender a aplicar sem medo e SEM RISCO? Faça nosso curso, são 4 vídeo aulas e é tudo GRATUITO: Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos! 

Com informações do UOL

ANÚNCIO