Aprenda a formalizar o seu “bico” em trabalho formal

ANÚNCIO

Depois de alguns anos do país em crise, o que a gente pode ver hoje, como resultado? Que muita gente inventou formas de conseguir um dinheiro extra, justamente para complementar a renda.

E aí, vai dizer que você não conhece quem não tem um tipo de complemento de renda, que seja um bico, que seja cozinhar para fora, que seja vender alguma coisa e receber lucro?

ANÚNCIO

Muitas pessoas hoje têm alguma atividade que complementa sua renda e isso é muito bom para ajudar no controle financeiro da família.

Mas, ao mesmo tempo em que isso acontece, essas pessoas também têm dificuldades de formalizar essa atividade para ficar de acordo com a Receita Federal e com a legislação que vigora no país.

  • Será que tem como estruturar um bico?
  • Estruturar um pequeno negócio?
  • E torna-lo algo um pouco mais organizado e formal?

É para responder essas perguntas que criamos este conteúdo. Por isso, leia!

ANÚNCIO
Aprenda a formalizar o seu “bico” em trabalho formal

A dúvida!

O nosso texto surgiu de uma dúvida que vimos na internet e que diz mais ou menos isso aqui ó:

– “Eu trabalho complementarmente na informalidade. Faço a compra de calçados, coisa pouca, porém com notas fiscais em meu CPF. Isso dá na média R$ 1,5 mil mensais. Aí, eu vendo em torno de R$ 2 mil. Depois, eu vou formando um estoque e reinvestindo. Assim, eu tiro em média R$ 500 por mês”.

E aí vem a pergunta chave: -“Qual seria a maneira mais correta para formalizar essa renda extra”?

  • Será que uma boa é emitir o carnê leão todo mês sobre a retirada, isto é, o ganho?
  • Ou somente declarar isso no imposto de renda informando esses valores de retirada?

Então, vamos às respostas!

As respostas!

Nesse momento, considerando o ganho, o ideal seria fazer uma declaração de imposto de renda anual sem a preocupação de pagar algum tipo de imposto de renda.

A partir do momento em que esse negócio começa a ganhar um pouco mais de volume, aí a gente pensa em outras maneiras!

E por quê? Porque o carnê leão até seria um caminho. Só que não vai dar certo, ao menos por enquanto, porque você vai começar a pagar imposto de renda sobre as alíquotas da pessoa física, que já começa na casa dos 15%.

O que não é interessante para o seu negócio nesse momento.

O estudo do mercado!

A partir disso, uma boa ideia é estudar o mercado!

E se é possível formalizar um pouco mais a relação do seu negócio.

Como? Por exemplo, você pode comprar um valor maior dos seus fornecedores.

Aí, a gente já até pode começar a falar de uma das alternativas, que é o MEI.

O MEI!

Quem sabe na forma de microempreendedor individual, MEI?

É uma boa ideia para conseguir uma condição um pouco mais vantajosa, um preço realmente de atacado e na hora de vender conseguir emitir uma nota já como microempreendedor individual.

Então, uma boa opção, conforme o seu negócio vai crescendo, é abrir um MEI, que é uma micro empresa individual.

É um caminho interessante porque a sua tributação não passa da casa dos 7%, o que é bem longe dos 15% do IR, tá bom!

Já é um caminho de formalização bastante interessante.

Por que ser um MEI?

Você pode até comprar do fornecedor em situações mais formais.

Por exemplo, participando de um bazar, uma oportunidade de ter um ponto comercial ali funcionando e assim você consegue mostrar para o seu cliente que está atuando de uma forma correta.

Isso, sem dúvidas, é muito bom para o seu negócio!

Além disso, o negócio formalizando também é um pouco mais organizado e merece crescer.

E isso nos leva a pensar em um plano de crescimento.

Investimento inicial!

Então, do lucro na casa dos R$ 500 por mês quanto menos você tirar no começo e quanto mais você deixar um negócio se permitir, mais você vai poder crescer.

Isso faz com que o seu negócio se fortaleça e mais investimento você tem para expandir horizontes.

Por exemplo, isso pode refletir na compra de mais estoques para oferecer mais variedades para seus clientes.

Ou pode direcionar esse dinheiro para criar uma rede social, uma página específica de venda online.

Também dá para pensar em fazer campanhas e ter investimento em publicidade para que você possa alcançar mais pessoas.

Assim, esse negócio que hoje é um bico, meio que no boca a boca, vai ser algo formalizado e até mesmo grande!

É assim que se cria um negócio lucrativo!

Venda online!

Hoje, com redes sociais não é necessário ter um um ponto comercial. Se você tem algo com preço competitivo, se tem algo com qualidade interessante, se tem algo com um bom comércio digital, você pode ganhar o mundo.

Praticamente, o preço do produto é somado ao despacho, sendo que o cliente paga outra parte.

Então, é fundamental você entender que qualquer coisa, seja um comércio de calçados ou algo que você prepara para vender para fora, pode ser uma grande fonte de renda se bem organizado!

E isso exige formalização, assunto que tem a ver com a abertura de uma empresa.

Porqueexige transparência, ou seja, na declaração da sua renda, mesmo que isenta.

De bico para uma fonte formal!

E um plano de crescimento de fortalecimento para que você esteja cada mês maior do que um potencial concorrente e aparecendo mais com seus clientes.

E demonstrando o valor dessa história que está construindo!

Com isso, um bico deixa de ser bico e passa a ser uma fonte de renda formal, que te dá tranquilidade.

E também te dá previsibilidade, já que tirou o medo do desemprego mesmo em um cenário de crise, ou seja, dá perenidade e uma condição de planejamento de escolhas da sua vida.

É assim que se constroem renda em um país de economia estável!

ANÚNCIO