Com 10 Reais por Dia Dá para Financiar um Carro Novo

Essa mágica realmente funciona e foi publicada recentemente na internet. Nós tentamos descobrir o segredo e conseguimos – tiramos o coelho da cartola. Logo, 10 reais diários equivale à 300 reais por mês e assim é possível comprar um carro novo que será pago, até o último centavo, em apenas 5 anos.

A notícia é nova, mas cita um comercial de televisão um pouco mais antigo. A montadora anunciou que o seu carro mais popular e ZERO QUILÔMETRO estava sendo vendido por apenas 10 reais diários. A publicidade dizia ainda que “nunca foi tão fácil comprar um carro zero”.

Ainda na propaganda, o pai presenteia o seu filho com uma nota de 10 reais e diz que visitasse a concessionária e levasse um carro zero para casa.

A abordagem foi muito boa e atraiu milhares de clientes em pouco tempo. Afinal, quando se trata de mágica, de dinheiro fácil ou de carro novo, quase todo brasileiro fica interessado. Assim como nós ficamos.

Só que nós não fomos à loja, fizemos as contas sem precisar ir até lá e vamos te mostrar como essa compra é possível e como toda propaganda funcionava.

Todos os clientes que iam à loja recebia uma chuva de vantagens que tornaria possível antecipar o sonho do carro novo através da facilidade que o financiamento proporcionava.

O empresário poderia vender seus carros novos em parcelas baixas. Para o cliente, era apenas fácil, mas nunca foi vantajoso, já que os juros eram altos.

Só que 10 reais por dia não era a única forma de comprar o carro. O consumidor precisaria descobrir o segredo obscuro por trás dessa mágica, que se chama VALOR DA ENTRADA.

O que não há como negar é que a estratégia de marketing foi uma das melhores já vistas. Confira!

Como Era Esse Financiamento de Carro

O veículo anunciado na promoção custava 27.680,00 se fosse comprado à vista. A publicidade dizia que com parcelas de 299,00 era possível comprar o carro – o que é muito acessível aos jovens, mesmo os menos abastados. Por tanto, esse valor divido por 30 daria algo em torno de 10 reais diários.

Pronto, até aqui ficou fácil. Entendeu como chegamos nos 10 reais, não é?

299,90 por mês = 10 reais por dia… Simples!

Esses 299,00 seriam pagos em 60 parcelas (5 anos), o que daria um total de 17.940,00.

Calma, vamos retomar…

Se o carro custa 27.680 à vista e o financiamento vai dar um total de 17.940… Como ficaria o restante?

Esse é o segredo!

Além desse financiamento facilitado, de 300 reais por mês, a concessionária cobrava uma entrada digna (54% do total) do valor do carro – que é o valor de 14.999,79.

Então, calma, de novo!

14.999,79 da entrada + 17.940,00 do financiamento = 32.939,79

Logo, o carro que a vista sairia 27.680,00 ficou em 32.939,79. O que dá uma diferença de 5.259,79… Esse é o valor que será pago a mais, em forma de juros do financiamento.

Bom, 5 mil reais a mais… O que você acha disso? Dá mais ou menos 1 mil reais a mais por ano, já que você financiou o carro em 5 anos, não é?

Será que existia alguma chance de você não perder esse dinheiro? Sim existe. O valor pago a mais é chamado pelos especialistas como “Custo dos Impacientes” porque se houver planejamento, torna possível a compra do veículo a vista e ainda sobra dinheiro.

Portanto, Custo da Impaciência nada mais é do que juros e taxas que o consumidor paga quando não tem dinheiro para fazer uma compra à vista e opta por fazer uma dívida (financiamento).

Também é chamado de Taxa por Falta de Planejamento, que é pago em compras não planejadas.

Se você ainda não está satisfeito, continue lendo. Vamos mostrar como funcionam algumas taxa aplicadas no caso dos financiamentos e as armadilhas dele. Até o final do artigo, vamos ensinar também como comprar um carro novo à vista, sem precisa pagar 5 mil reais a mais por isso.

Taxas e Armadilhas do Financiamento de Automóvel

Qualquer financiamento no Brasil – principalmente de carros e casas – tem pagamento de juros e de taxas. Isso é considerável e imutável. Para saber o valor total, você precisará exigir o CET (Custo Efetivo Total), que embute todos os custos do financiamento.

A publicidade, obviamente, nunca vai demonstrar grandiosamente esse custo, ou seja, dificilmente você saberá, a não ser que você peça.

No nosso exemplo acima, a taxa era de 15,35% ao ano, que equivale a 1,19% ao mês. Assim, os juros mensais não eram de 0,99% como dizia o anúncio, era um pouco mais.

Além do CET, tem a Taxa de Abertura de Crédito (TAC), que também faz parte de todo e qualquer financiamento e inclui vários custos adicionais, além dos juros. Ele custeia, por exemplo, a investigação que o banco faz para saber qual sua situação financeira no mercado, entre outros.

Existem bancos que cobram 500 reais e em alguns casos podem chegar a 1,5 mil reais ou mais.

A principal armadilha do mercado de financiamentos é acontece quando o banco anuncia uma taxa de juros mais competitiva, porém cobra uma taxa de abertura de crédito elevada. Você precisa se atentar à isso.

Além disso, você não pode estar com o nome sujo, ou seja, possuir restrições em serviços de proteção ao crédito, como o Serasa ou o SPC.

Ainda há de se pensar no Imposto sobre Operações Financeiras, que é pago por quem financia qualquer coisa. No caso dos veículos, o valor é de 3% ao ano para pessoas físicas, além de uma taxa de 0,38% na abertura do financiamento.

Um carro de 30 mil reais, terá uma Taxa de IOF de 900 reais por ano.

Comprar um Carro sem Fazer um Financiamento – Como é Possível

A partir de agora, nossas simulações vão valer para as pessoas que não optaram por comprar um carro financiado, que perceberam que é muito melhor receber juros do que pagar juros.

Suponhamos então que você tenha os 14.999,79. Porque, em qualquer opção, você terá que ter esse valor… É o valor de entrada obrigatório do exemplo acima, lembra? É com esse valor que você iniciará o seu investimento financeiro.

Aí, vale saber também que você fará aportes mensais de 299,00 que é o valor das parcelas do financiamento – exatamente como se você tivesse pagando as prestações.

Até aqui nada de novidade, né? Está tudo como você teria feito no financiamento veicular.

Após 60 meses, que é o prazo do seu financiamento, com seu dinheiro aplicado em um título que tivesse uma taxa de rentabilidade de 0,5% ao mês (que estamos chutando por baixo, já que normalmente as taxas são maiores), a sua rentabilidade seria 8.452,92.

Calma, esses 8 mil é o que você ganhou. Simplesmente, ganhou. Sem ter feito nada, apenas investido. Veja agora, nos tópicos que seguem, qual é o seu valor acumulado!

  • INVESTIMENTO INICIAL – 14.999,79
  • APORTES MENSAIS – 299,00
  • PRAZO – 60 MESES
  • TAXA DE JUROS – 0,5% AO MÊS
  • TOTAL INVESTIDO – 32.939,79
  • TOTAL GANHO EM JUROS – 8.452,92
  • TOTAL NA CONTA – 41.093,71

Precisa falar mais alguma coisa?

Você conseguiu acumular mais de 41 mil reais em 5 anos. Esse valor é mais do que suficiente para comprar o seu carro. E ainda vai sobrar dinheiro.

Ah, tem um detalhe super importante, se você tivesse feito isso de verdade, nem precisaria esperar os 5 anos… Em 3 anos já teria conseguido comprar o seu carro na mesma concessionária citada no exemplo.

Uma redução de tempo de 2 anos é algo significante, não é?

Na real, nem temos muito que complementar… Os números dizem tudo: no primeiro caso, quando você paga juros, você perde 5 mil reais. No outro, que você cria o hábito de investir dinheiro, você recebe um lucro de 8 mil reais. É um saldo positivo de mais de 13 mil reais.

Isso sem contar todas aquelas tarifas que estávamos falando, lembra?

Mas e a Inflação?

Você pode se perguntar isso e você será inteligente se o fizer. Daqui há 5 anos, a inflação terá subido e seu carro, obviamente, estará custando mais.

Conforme uma pesquisa, considerando a inflação medida pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), que calcula o IPC (Índice de Preços ao Consumidor), vários carros entre os mais vendidos no Brasil ficaram mais baratos nos últimos 10 anos, entre os anos de 2006 e 2016, porque tiveram reajustes menores do que a inflação.

Na prática, é mais ou menos assim ó: em 2006, você precisaria de 69 salários mínimos para comprar um Gol da Volkswagem, que valia 24.080,00.

Em 2016, era preciso 40 salários mínimos para comprar o mesmo carro, que era vendido à 34.890,00. E não é só o Gol, todos os carros tiveram essa queda de preço.

Selecionamos alguns, confira.

Modelo        Preço 2006 / Salário Mínimos           Preço 2016 / Salários Mínimos

  • Classic         25.115,00            72                          34.490,00            39
  • Prisma         29.990,00            83                          45.690,00            52
  • Palio Fire      24.310,00            69                          28.790,00            32
  • Siena           27.680,00            79                          36.260,00            41
  • Strada          29.790,00            83                          43.150,00            49
  • Ka                22.920,00            65                          41,590,00            47
  • Fox              28.131,00            80                          45.590,00            52
  • Gol              24.080,00            69                          34.890,00            40
  • Saveiro        30.821,00            88                          42.390,00            48

Portanto, se podemos dar um conselho é para nunca acreditar que um carro financiado (ou uma casa) vá valorizar tanto que fique acima da inflação ou acima da rentabilidade dos seus investimentos financeiros porque não vai.

Pelo menos você está pagando um bem que vai valorizar”.

Se alguém disser isso e realmente tem um monte de gente vai falar… Não se acomode. Nós nunca teremos como prever a inflação futura, porém podemos interferir em quanto poupamos nossos esforços e dinheiro, sabendo o desempenho das nossas aplicações financeiras.

Sem a intenção de sermos insensíveis com você, mas se você financiou algo, confira o que aconteceu, de forma bastante breve e levando em conta a situação citada neste artigo:

  • Deixou de Ganhar Juros durante 5 anos,
  • Pagou Juros e Taxas que Tornaram o Carro ainda Mais Caro,
  • Não aproveitou o fato de os preços dos carros terem subido menos do que a Inflação,
  • Possui um Carro já Velho e que vale menos do que a metade do preço à vista.

Leandro Ávila é administrador de empresas e educador financeiro, ele resume essa história da seguinte forma:

“É muito importante que você aprenda a cuidar do seu dinheiro com inteligência. Isso é urgente. Esse mesmo mau hábito de comprar tudo financiado pode se repetir no consumo de outros bens de valor mais elevado. Cuidado para não passar a vida inteira trabalhando para pagar juros, taxas e impostos”.

Bônus: 7 Maneiras de Economizar Dinheiro com o Carro

A atitude mais sensata, mesmo que cruel, segundo ela, é vender o carro. Mas, se você ainda não consegue desapegar dele, há algumas alternativas para gastar menos com o transporte.

Dicas que foram fornecidas pelo Fábio Barbalho, Leandro Mattera e Thiago Alvarez. Confira!

1 – Manutenção

Segundo Leandro Mattera, o brasileiro troca de carro a cada 1,7 ano, ou seja, ele perde muito dinheiro, pois, cada vez que o carro sai da concessionária, ele perde 20% do valor que foi pago. “Se fizer as manutenções necessárias, pode ficar com o carro por 5 anos sem problemas, que é um tempo mínimo”, diz.

2 – Carros Menores

Quanto maior o carro, mais ele gasta combustível, maior é o valor do seguro, a lavagem, o pneu e o estacionamento. A dica é usar a tabela do Inmetro para verificar se o carro é econômico.

Além disso, se formos levar em consideração os esportivos, saibam que eles têm valores impressionantes de IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores). Segundo uma tabela da Secretaria da Fazenda, a Ferrari FF tem IPVA de 89 mil reais, a Lamborghini Aventador tem IPVA de 94,6 mil reais e o Rolls-Royce Ghost tem incríveis 100 mil de IPVA.

3 – Compartilhe e pegue carona

aluguel do carro pode ser seguro e benéfico, inclusive, há aplicativos que fazem a ponte entre o proprietário e quem quer alugar ele. Outra opção é conversar com colegas de trabalho, pais e mães que tenham filhos na mesma escola, e dividir as despesas do transporte.

4 – Táxi

Para Barbalho, é mais compensador usar o Táxi (ou mesmo o Uber) em vez do carro para circular na cidade (principalmente quando é capital).

“Vale mais a pena gastar 700 reais por mês desse modo do que manter um carro de luxo dentro de casa”. Se for viajar, vale a pena alugar um: hoje os aluguéis estão mais em conta, conta Alvarez.

5 – Corte os Gastos

O princípio é óbvio: se tem dois carros, venda um! “Quem mais precisa de carro são as pessoas que têm filhos pequenos ou que tenham dificuldades de locomoção, porque a acessibilidade no Brasil ainda é uma ilusão”, diz Barbalho.

6 – Transporte Público

Se você mora até 10 quilômetros de distancia do seu trabalho, vale a pena ir de transporte público, comenta Barbalho.

Se morar mais distante do que isso, procure opções de fretados. Sem ser o transporte público, outra opção (muito barata e saudável) é ir de bicicleta, quando o trajeto permitir, além de que você, provavelmente, vai economizar com a academia.

7 – Combustível

Já falamos sobre preferir os carros mais econômicos, no entanto, adicionamos esse tópico para listar os carros que foram considerados como maiores consumidores de combustível. São números bem altos e você vai se assustar.

A pesquisa foi feita com foco na média dos trechos urbanos e os números são do Conpet, programa do Inmetro.

Com 10 Reais por Dia Dá para Financiar um Carro Novo
Reprodução: Pixabay

A Hilux 2.7 da Toyota faz 4,8 quilômetros com 1 litro no etanol e 6,9 quilômetros com a mesma quantidade só que de gasolina! O Renault Sandero RS é um pouquinho melhor (rs), ele roda com 5,9 km/l no etanol e 8,3 km/l na gasolina e o Fiat Toro 1.8 faz 5,8 km/l no etanol e 8,3 km/l na gasolina. Já o carro Chevrolet S10 2.5 faz 5,6 km/l no etanol e 8,4 km/l na gasolina; o Jac J6 anda com 5 km/l no etanol e 7,1 km/l na gasolina; entre outros.

Com informações do ClubedosPoupadores