Conheça os principais financiamentos estudantis no Brasil

ANÚNCIO

Os financiamentos estudantis no Brasil servem para as pessoas que possuem o objetivo de estudar, porém, sem capacidade financeira atual para custear essa atividade. Assim, o empréstimo é focado no pagamento das mensalidades, das aulas.

Mas, você sabe quais são os financiamentos que existem por aqui? A gente fez uma lista tão completa que vamos mostrar até mesmo aqueles que foram precursores, mas não estão mais ativos. Além dos conhecidos, como Fies, Pravaler e os bancários.

ANÚNCIO

Diferente dos financiamentos, atualmente também há um grande empenho em divulgar as bolsas de estudo, que podem ser parciais ou totais – no último tópico vamos falar sobre isso.

CREDUC

O Programa de Crédito Educativo foi o primeiro do país. Ele foi criado em 1976 e beneficiou 870 mil estudantes até 1997, quando foi suspenso por problemas de inadimplência. Aliás, em 1999 ele foi considerado extinto de forma oficial.

A ideia dele era ofertar empréstimos pela Caixa Econômica Federal e de outros bancos parceiros também, sendo que os encargos totais chegavam a 15% ao ano.

ANÚNCIO

FIES

O Fundo de Financiamento Estudantil é um dos mais conhecidos do Brasil. Ele existe desde 1999 e foi criado pelo Ministério da Educação, no governo de Fernando Henrique Cardoso. A ideia era financiar 100% dos cursos dos cursos presenciais nas faculdades particulares.

O programa já foi reestruturado várias vezes. No Governo Lula, por exemplo, houve redução na taxa de juros, no prazo de carência e no prazo para terminar os pagamentos. Depois, no Governo Dilma, as taxas voltaram a subir. Ele ainda existe e está ativo em 3 modalidades.

PRAVALER

O Programa Estudantil Privado é outro dos financiamentos estudantis no Brasil que ainda estão ativos. Ele permite o pagamento de apenas uma parte da mensalidade enquanto o aluno estiver estudando. A bolsa pode chegar a 50% de desconto.

Mas, não é uma bolsa e sim um empréstimo, isso porque é preciso fazer a devolução do dinheiro após se formar. A taxa de juros varia, chegando a 3% ao mês. Ele também vale para cursos técnicos e intercâmbios.

CREDIES

Muito parecido com o Pravaler, o Credies foi lançado em 2015 e permite uma contratação mais simples do que no Fies. Sendo assim, a escola precisa estar conveniada a rede IES. As taxas de juros são menores do que 1% ao mês.

No entanto, para passar na aprovação é preciso ter um fiador, não ter problemas com os órgãos de proteção ao crédito e a grande vantagem é que não exige a nota do Enem, diferente do Fies.

BANCOS

Mais uma opção entre os financiamentos estudantis no Brasil é aquela que vem dos bancos. Praticamente todo grande banco tem um empréstimo focado nisso. Por exemplo, o Bradesco permite isso para pagamento em até 12 meses. O Santander é focado no curso de Medicina.

Aliás, sobre o Santander, ainda, saiba que as taxas partem de 1,99% ao mês e o estudante tem até 60 meses para pagar.

FACULDADES

Além dos bancos, as próprias faculdades também permitem financiamentos para os alunos. Isso é bastante variável e depende de cada empresa. Geralmente, há critérios de aprovação, porcentagens diferenciadas e até mesmo incentivos para pagamentos antecipados.

Um dos exemplos que podemos citar aqui é o CREDUCSUL, que é da Universidade Cruzeiro do Sul. O programa financia até 50% das mensalidades durante o curso todo. E o valor pode ser pago após a formatura, sem taxas de juros.

Como escolher o melhor financiamento estudantil?

Acima, a gente deu alguns bons exemplos de financiamentos estudantis no Brasil. No entanto, você pode estar se perguntando, agora, o que fazer para escolher aquele que é mais conveniente para você, não é mesmo?

Se essa é a sua dúvida, saiba que a resposta é a mesma para quando se vai contratar um crédito no mercado financeiro: pesquisa todas as opções. Logo, você deve começar pela taxa, passando pelo custo total do financiamento e sem deixar passar o prazo final do pagamento.

Leve em conta que apesar de serem focados na educação, eles continuam sendo crédito. Por isso, essa avaliação se faz tão importante. Além do mais, é necessário ter uma boa organização financeira para não atrasar nas parcelas e ficar endividado após se formar.

Para terminar essas dicas, saiba que você tem que considerar um próximo fato: além da mensalidade, os estudos envolvem outros gastos, com como transporte, com materiais e muito mais.

E isso tudo sem contar que ainda existem vários requisitos que precisam ser estudados, como os requisitos para conseguir a aprovação. Para se ter uma ideia, o Fies é o mais procurado, porém, também é considerado o mais complicado.

Bônus – conheça o Educa Mais

Sobre o mesmo assunto (dos estudos) a gente tem outro conteúdo aqui no blog que fez sucesso. A gente o criou para explicar sobre o Educa Mais Brasil, que oferece bolsas de estudo de até 70% para estudantes de todos os níveis.

Confira um trecho: “é um programa social de incentivo para os futuros estudantes que não possuem condições de pagar o valor integral da faculdade. Ele é feito em conjunto com as faculdades, centros universitários e universidades em todo o país”.

financiamentos estudantis no Brasil

Além do mais, ele tem algumas facilidades, como o fato de não exigir que o interessado tenha prestado o Enem, por exemplo. Sem contar que todo processo pode ser feito pela internet e isso também vale para as opções de cursos a distância. Quer saber mais? Leia a matéria.

ANÚNCIO