15 Coisas Simples de Fazer para Você Ficar Rico Ainda em 2017

ANÚNCIO

“O Brasileiro não sabe economizar dinheiro e isso, infelizmente, é algo cultural, resultado da Falta de Educação Financeira nas Escolas e em Casa”, alerta Robinson Trovó, que é educador financeiro e criador da Trovó Academy. Se você não quer mais fazer parte desse conglomerado de pessoas que tem dívidas, confira essas dicas valiosas para enriquecer rapidamente.

Atualmente, o número de endividados é assustador – 60 milhões de brasileiros estão com contas atrasadas ou a pagar. Mas, para Trovó, o problema tem solução e o melhor de tudo é que ela é bem mais simples do que muitas pessoas conseguem imaginar. Na prática, ele já auxiliou mais de 2,5 mil pessoas a encontrarem a independência financeira.

ANÚNCIO

Conforme o educador, selecionamos 15 Coisas Simples de Fazer que podem te levar para o caminho contrário, o caminho do recebimento de juros, de lucratividade, de aumento de patrimônio, o caminho da riqueza. Confira agora!

1 – Gastar menos do que se Ganha

Trovó conta que um dos principais fatores pelo qual o brasileiro não se dá bem na vida financeira é o mau hábito de não conseguir economizar dinheiro, sem que haja, para tanto, uma criação de metas de gastos.

“O ideal é economizar, todo mês, pelo menos 10% do salário”. E para isso torna-se necessário saber quanto se ganha e quanto se ganhas a cada 30 dias. “Eu ensino as pessoas a usar envelopes para se planejar financeiramente”.

ANÚNCIO

Técnica dos Envelopes, confira!

2 – Aprende a Dizer Não

Outra observação que ele comenta vem lá de a infância, quando os pais não conseguem dizer não para os filhos. Depois, os filhos crescem e não conseguem falar não para si mesmos. Para Trovó, de forma geral, os brasileiros não conseguem resistir às tentações das roupas, produtos tecnológicos ou produtos que são supérfluos.

“Educação e Saúde, por exemplo, são prioridades para onde o dinheiro deve ir, mas nas outras áreas, é preciso aprender a ser forte diante das ofertas, promoções e produtos atrativos”.

3 – Querer se Mostras – Ostentação

“Muitas pessoas vivem em função dos outros e não se si mesmas. Nunca troque de carro só porque todos os amigos compraram um novo e nem mude de celular se não precisa realmente de outro”, ele aconselha.

Trovó diz que, infelizmente, a cultura do brasileiro é a de se preocupar demais com que outras pessoas pensam.

4 – O parcelamento das Compras não é algo bom

“Quem pensa como investidor encara toda compra parcelada como uma dívida e isso inclui os parcelamentos do cartão de crédito, por exemplo. O ideal é usar com moderação, de forma que você consiga pagar todas as faturas integralmente, sem que fique devendo ao banco e pagando juros, posteriormente”, diz o educador financeiro.

5 – As Compras Online

A maior parte das compras online é feitas com o Cartão de Crédito também, dadas as suas eficiências. “O grande problema é que ele tem um valor mínimo a ser pago, mas quando isso acontece, o consumidor paga juros muito pesados, muito altos, bem acima do valor que está devendo”.

A dica, portanto, é: “Nunca compre mais do que você pode pagar. Fique de olho em quanto você está gastando no cartão de crédito e não faça dele um vilão financeiro”.

6 – O Futuro a Deus pertence

Nós não estamos julgando religião, mas, conforme opinião do especialista, a maior parte das pessoas vive apenas o presente, levando ao pé da letra o fato de que o futuro a Deus pertence, sem dar as devidas importâncias.

“Para saber economizar dinheiro é importante pensar no futuro. Os investidores profissionais sabem trabalhar o suficiente e aproveitar as coisas boas da vida justamente porque souberam pensar no futuro, economizar e investir dinheiro”.

7 – Planejamento Financeiro

Trovó comenta sobre os hábitos de Bill Gates e Mark Zuckerberg sobre ter um controle financeiro adequado ao perfil. “Dessa forma você não fica atolado de dívidas e pode poupar mensalmente”.

“Para começar a investir é preciso ter controle da vida financeira antes de qualquer coisa. Você não vai ter dívidas se souber manusear o seu dinheiro e administrar os seus gastos”, afirma.

8 – Poupar Dinheiro

Para começar a investir dinheiro é preciso ter um capital inicial, que não precisa, necessariamente, ser de grande valor.

“O ideal é começar a investir apenas 10% do ganho mensal. As pessoas podem manter o mesmo padrão de vida poupança esse valor e, a partir dele, começar a investir”.

9 – Comparar as Taxas dos Investimentos Financeiros

“A primeira dica aqui é nunca investir em renda fixa através do gerente do seu banco porque, assim, você não vai conseguir comparar as taxas cobradas”. O ideal, portanto, “é procurar uma corretora de valores”.

Elas são agentes independentes que ajudam o investidor a escolher o melhor investimento financeiro para o perfil dele.

Na real, essas instituições não tem o foco de vender um produto, como fazem os bancos. Elas ganham quando o investidor ganha, logo, o trabalho é feito em conjunto.

Ambos são jogadores do mesmo time.

A dificuldade, porém, é entender como essas agentes de investimentos podem ser seguras ou, pelo menos, tão seguras quanto um banco. É simples: a aplicação financeira fará aportes parecidos com os que são feitos nos bancos.

Note: os títulos serão do Tesouro Direto, que é garantido pelo Governo Federal ou dos bancos, que tem a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

A segurança é a mesma.

10 – Comece sempre pelo Mais Simples

“Para quem nunca investiu é importante pensar em quanto tempo você pode deixar o dinheiro disponível investido”. Logo, muito tempo ou pouco tempo pode ser bastante tênue e tudo tem que depender do seu objetivo financeiro – uma aposentadoria é de longo período, já um viagem pode ser de curto prazo, por exemplo.

“Você não vai ficar milionário em 6 meses”.

11 – Saiba o Seu Perfil para Investir

“Os títulos prefixados não são uma regra para começar. Você tem que saber qual o investimento vai escolher dependendo de quanto dinheiro tiver disponível e em quanto tempo poderá deixa-lo resguardado”, diz Trovó, ao dizer que 5 mil reais seria suficiente para encontrar um bom CDB – Certificado de Depósito Bancário.

12 – Tenha Precaução

O especialista diz que é muito comum que as pessoas comecem a investir por dois motivos: aumentar o patrimônio ou ter uma reserva de emergência. “Não é uma regra, mas vamos considerar isso”.

Logo, o ideal é guardar dinheiro suficiente por, no mínimo, 6 meses. “E não mexa nesse dinheiro, mesmo se houver necessidade, assim seu patrimônio vai aumentando automaticamente”.

13 – Pequenos Investimentos Financeiros

“Quem quer ter o dinheiro rendendo mais do que a inflação pode começar pelo Tesouro Direto”, mesmo que seja uma aplicação financeira pequena, diz Robinson Trovó. Ele fala isso ao mostrar que esse tipo de investimento requer valores baixos, a partir dos 30 reais.

“Conforme você for acumulando capital, pode começar a diversificar o investimento”.

14 – As aplicações Financeiras são Seguras

Para Trovó, muitas pessoas não investem dinheiro por terem medo de perder o dinheiro, mas isso acontece apenas quando estão na poupança. “É um mito dizer que as aplicações não são seguras tanto quanto a poupança”. Para ele, o medo é cultural e precisa ser desmistificado.

15 Coisas Simples de Fazer para Você Ficar Rico Ainda em 2017
Reprodução: Google

15 – Leque de Opções de Investimentos Financeiros

“Entre CDB, LCI, LCA e Tesouro Direito, cabe a cada um escolher o melhor conforme a realidade”, diz Trovó.

O especialista ainda comenta que existem outras opções, como aquelas da Renda Variável, que são aconselháveis para os perfis mais agressivos, considerando o valor para a aplicação inicial.

Além disso, qualquer um pode investir. “Não é preciso estudar números ou entender os cálculos mais complicados, basta ter vontade de aprender e buscar informações necessárias com as instituições financeiras”.

Com informações do IG, investidorblog

ANÚNCIO