Os 20 maiores erros que as pessoas cometem com o dinheiro

Será que alguma vez na vida você já cometeu algum erro financeiro? O mais comum deles é demorar muito tempo para começar a economizar dinheiro, poupar dinheiro e investir dinheiro. Mas, a verdade é que os erros estão a partir de hábitos infelizes…

Listamos os 10 maiores erros que as pessoas cometem com o dinheiro! Confira os tópicos abaixo.

Erro 1 – Comprar roupas e sapatos baratos

Tem gente que pensa que só porque o preço está baixo já é sinal de economia – e nem sempre isso é verdade.

O que acontece quando você vê uma boa roupa de qualidade que custam preço elevado está em promoção? Se pagar um preço menor, você está economizando dinheiro, certo?

Nem sempre.

Agora, se você vê uma peça, por exemplo, por 10 reais; mas você tocou na e está vendo que o tecido não é muito legal… O que você: compra mesmo assim, afinal está barato?

Você fala: “Gente, são só 10 reais”. Só que isso não significa que você vai economizar dinheiro.

Porque provavelmente você vai usar aquela peça uma vez, vai botar para lavar e já vai ficar em um estado que não vai dar para usar de novo.

Então, às vezes vale a pena você verificar se aquela que está mais cara não tem uma qualidade melhor, se vai durar mais tempo no seu guarda-roupa, se você vai poder usar muito mais vezes.

A ideia é investir um pouquinho mais de dinheiro naquilo que vai te trazer um benefício maior.

Isso sim é economizar dinheiro da forma certa!

Erro 2 – Ficar se exibindo

Na faixa dos 20 anos, todo jovem costuma se impor pelas aparências físicas – buscando comprar e ter aquilo que não é possível analisando o poder financeiro atual. Isso acontece porque, de grosso modo, eles gostam de se exibir.

O desejo maior é adotar uma visão acima do padrão real, com carros de luxo, roupas de marca e, no fim das contas, uma conta bancária no vermelho, cheia de dívidas e juros comendo.

Para não cometer esse erro, basta buscar formas de equilibrar o orçamento financeiro e não gastar mais do que se ganha, em nenhuma hipótese – é possível se divertir e andar bem vestido sem prejudicar as finanças.

Pesquise preços, estabeleça prioridades e adquira somente o que for realmente necessário.

Suas Roupas Dizem Muito Sobre Você

Na publicação, ele ainda afirma que “Ricos não gastam dinheiro em passivos que se depreciam, mas colocam em ativos que geram renda”.

O que, na real, temos que concordar – é verdade. Tanto é que você não vê Bill Gates ou Warren Buffet usando as mais caras roupas do mundo e não fazem questão de ter os carros mais luxuosos existentes no Planeta Terra.

A questão é sobre: “você quer ficar rico mesmo ou apenas aparecer”? Gastar dinheiro para manter a aparência pode te deixar pobre, assim como o uso desenfreado do cartão de crédito, empréstimos pessoais com juros altos ou cheques especiais com a mesma taxação.

Na imagem publicada por André e que vamos disponibilizar abaixo, a diferença entre o rico e o pobre está no valor das roupas. Fizemos a breve comparação:

O Rico gasta 322 reais para se vestir:

  • Óculos – 120 reais,
  • Camisa – 34 reais,
  • Calça – 70 reais,
  • Calçado – 98 reais.

O Pobre gasta bem mais – 13,7 mil reais – para se vestir:

  • Boné – 270 reais,
  • Óculos – 1,2 mil reais,
  • Fone de Ouvido – 950 reais,
  • Corrente de Ouro – 2,5 mil reais,
  • Blusa – 650 reais,
  • Relógio – 980 reais,
  • Celular – 6 mil reais,
  • Calça – 400 reais,
  • Tênis – 800 reais.

Para os comentaristas da imagem, a visão está correta e representa muito bem a realidade do Brasil, onde “pobre ostenta e rico valoriza o dinheiro”. E você, qual sua opinião, deixe-nos um comentário abaixo.

Os 20 maiores erros que as pessoas cometem com o dinheiro

Reprodução: Google

Erro 3 – Comprar em alta temporada

Fazer compras em altas temporadas!

Todos os anos a gente sabe que tem dia das mães, dia dos namorados, natal, páscoa…

E a maior parte dos brasileiros deixa para fazer as compras lá na ultima hora, bem na temporada alta, quando os preços estão lá em cima!

E aí o seu orçamento vai lá para baixo.

Isso não é legal. O que é legal você fazer é antecipar, você sabe que a data vai chegar então compra bem antes.

Ou se você é como eu e não importa muito com data, deixa para comprar depois porque você vai comprar coisas bem legais por um preço muito mais baixo.

Erro 4 – Gastar demais em viagens

É muito comum que quando a pessoa está viajando ela se esqueça do orçamento financeiro.

Esquece-se da vida, esquece o trabalho, esquece das contas para pagar e ficar naquelas: “Eu não sei se vou voltar aqui de novo”.

É claro que é legal você fazer aí sua viagem e fazer dela o máximo possível de divertimento de experiências legais.

Mas, não é bacana você não estourar o orçamento!

Então, coloca tudo na ponta do lápis antes. Todas as coisas que você quer ver…

Procure levar um dinheiro extra, porém se mantenha dentro do orçamento porque às vezes uma viagem pode levar o resto do ano para pagar e aí não vai ser legal.

Erro 5 – Não Considerar o Orçamento Financeiro

Dar a devida atenção ao orçamento financeiro é importante desde cedo e isso tem que começar, no mais tardar, aos 20 anos para que as dívidas não se acumulem no decorrer do tempo e da vida.

Se você tem objetivos financeiros definidos, então, tudo fica mais fácil. Mas, nem sempre gastar menos do que se ganha é tarefa fácil. O ideal é ser sempre realista com a renda mensal e observar quais gastos estão pesando no seu bolso.

Sempre é possível encontrar opções mais baratas e mais populares – adote um plano mais acessível na academia ou opte por fazer a Academia ao Ar Livre, por exemplo.

Erro 6 – Não ter score bancário

O que é um score bancário? É uma pontuação que o banco dá para cada um dos correntistas conforme a movimentação que cada cliente faz no próprio banco.

Então, vamos supor um cliente que recebe seu salário em um dia e depois de dois dias ele não tem mais nenhum centavo na conta. Isso significa que ele não tem saldo médio.

Cai o salário e esvazia a conta.

Nunca tem dinheiro naquela conta.

Então, a pontuação desse cliente tende a ser mais baixa.

Um cliente, por exemplo, que não tem um cartão de credito, o banco não sabe como é que você se importaria se tivesse um cartão, então você também não tem uma pontuação.

Um cliente que não tem uma poupança que não tem nenhum tipo de investimento também não tem pontuação.

E aí você fala porque eu quero uma pontuação do banco?

Porque pode ser que algum dia você precisa fazer um financiamento de veículo e aí o banco vai avaliar esses scores, se tiver lá embaixo os juros do seu financiamento pode ir lá para cima ou nem se quer ser aprovado.

Você pode também não conseguir um financiamento para a casa própria se você tiver interesse de ter uma casa própria. Então o que é legal você fazer?

Vê lá no seu banco como é que você pode ter uma pontuação ou no score melhor para quando você precisar no banco está tudo em dia.

Mas não fique preso no seu banco, existe vida além dele.

Erro 7 – Comprar lançamentos

Tudo que está em fase de lançamento está com preço lá em cima.

Você está lá esperando sair aquele celular, esperando sair aquele computador novo ou mesmo esperando sair aquela coleção de sapatos nova e você não aguenta esperar.

Quando isso acontece de você não aguentar esperar, você tem que saber que vai pagar o dobro ou pelo menos muito mais do que deveria.

A tendência é, quando um produto for lançado, o preço está aqui, passar o tempo o preço vai descendo quanto mais o tempo passa mais o preço desce, então quanto mais paciência você tiver mais economia você vai fazer.

Os carros são considerados bens de consumo úteis – embora tenham alta taxa de depreciação.

A vantagem é chegar ao trabalho ou à faculdade mais rapidamente, no entanto, em termos financeiros não existem muitos benefícios, ainda mais se for um carro zero quilômetro.

O erro está na falsa sensação de ter um carro do ano, mesmo que tenham parcelas baixas, o valor do seguro, da manutenção e do combustível eleva o gasto total de ter um veículo.

Um automóvel, qualquer que seja, acarreta os gastos.

Parece uma medida exagerada, mas evitar esse problema, as melhores alternativas ainda são os carros usados ou as bicicletas, além de levar em conta o uso de transporte coletivo, como ônibus ou metrô.

Erro 8 – Não Negociar

Negociar é muito importante – seja na hora de rever o salário, de pechinchar a compra ou de renegociar as dívidas. A ousadia, nessas horas, é sumamente importante e pode trazer muitos benefícios diretos ao seu bolso.

Mesmo que a situação seja desconfortável, arrisque. Um salário maior faz diferença tanto no curto quanto no longo prazo – ganhando mais desde cedo, com responsabilidade, o dinheiro pode se multiplicar se for bem usado.

Erro 9 – Comprar passagens de última hora

Passagens de última hora a gente só compra em ocasiões de negócios que surgem de repente, aquela reunião imperdível que você tem que viajar de última hora aí sim vale a pena você comprar uma passagem de última hora.

Mas, para as férias, para fazer uma viagem, coisas que dá para você se programar faça isso porque maior a antecedência menor vai ser o preço da passagem.

Erro 10 – Comprar com cartão sem saber se vai pagar a fatura

Sabe quando você vê finalmente a aquilo que você queria com 25% de desconto, mas você está sem dinheiro?

Aí o que você faz?

Eu estou sem dinheiro, mas eu estou com o cartão, mas eu não tenho certeza de que vou conseguir pagar… Eu não estava programada para comprar, mas poxa 25% eu vou arriscar!

Isso é um erro porque se você não conseguir pagar a fatura do cartão achando que vai economizar 25% em dois meses que você deixar de pagar esse cartão todo o seu desconto vira juros.

Vai por água abaixo!

Então, só compre com o cartão quando você sabe que vai poder pagar ainda que aquilo que você tanto quer está em promoção.

As pessoas que são mais jovens tendem a usar Cartões de Crédito de forma incorreta – sem pensar nos custos futuros ou calcular os pagamentos dos meses seguintes.

Os especialistas recomendam usar o cartão apenas para rastrear os gastos, não usando mais do que realmente tem.

Erro 11 – Comprar por Impulso

Definitivamente, comprar por impulso, para curar a dor de um amor perdido, por exemplo, não é a coisa certa a se fazer.

É inegável que as pessoas tenham mais opções e oportunidades para exceder no consumo, principalmente aquelas que estão ligadas nas tendências e novos produtos.

É importante notar que a compra não é terapia e muito menos uma ferramenta para suprir lacunas emocionais e tensões – chegar em casa com sacolas é prazeroso, mas só momentaneamente e no futuro isso é horrível, negativo.

Para evitar esse tipo de comportamento, sempre que for comprar, pare por alguns minutos. Respire, adie o pagamento por 10 minutos e pense se essa compra é realmente importante.

Erro 12 – Usar o limite da conta por mais de 5 dias

Ter uma conta com limite é bacana porque pode acontecer algum imprevisto e você precisa daquele dinheiro para pagar uma conta para cobrir o cheque pré-datado que você possa ter dado.

Quando o limite da conta não é legal, quando você usa por muito tempo.

O raciocínio é o seguinte: pensa em um táxi, você pode pegar um táxi para ir do seu bairro até o bairro vizinho.

É uma distancia curta, vai te dar uma conta pequena.

Agora você não vai pegar um táxi para ir de São Paulo até o Rio de Janeiro porque vai ficar uma tarifa impagável.

A mesma coisa é o limite da conta, quando você usa por poucos dias ok, ele te quebra um galhão, agora quando você usa por muito tempo pode virar uma bola de neve.

Erro 13 –  Nunca Dizer Não

Independente da forma em que se encontra na sociedade, toda pessoa tem que aprender a definir suas prioridades – dizer não é uma forma de educar filhos e se educar, por isso, é necessária.

Evite emprestar dinheiro ou cartão de crédito para amigos e familiares, por exemplo, isso te ajudar a manter as boas amizades e, de quebra, evita que você tenha prejuízos financeiros.

Valorize o seu dinheiro e se disponha a ficar atento à tudo que planejou – focando nas suas prioridades desde agora!

9 Razões que Provam Por Que “Bonzinhos” Nunca Vão Ficar Rico na Vida

Erro 14 – Não pagar o total da fatura do cartão de crédito

Agora com as novas regras do rotativo tem gente aí pensando que pode ditar e rolar no cartão porque depois vai conseguir pagar numa boa, não é bem assim não.

Você deve sempre pagar o total da sua fatura porque não pagou o total vai incidir uma taxa de juros muito alta. Você pode parcelar depois? Pode.

Mas além daqueles juros que já está embutido ainda vai haver juros do parcelamento. Então, nunca é um bom negócio deixar de pagar o total da fatura do cartão.

Os 20 maiores erros que as pessoas cometem com o dinheiro

Reprodução: Google

Erro 15 – Não pesquisar preços

Apesar de que todo mundo sabe que deve pesquisar preços antes de comprar, nem todo mundo faz isso no seu dia a dia.

Você deve pesquisar preço em todas as compras que for fazer não só nas compras daquelas coisas mais caras, mas nas compras mesmo no dia a dia, na compra do supermercado, na compra da feira.

Dá uma olhada sempre se você não está pagando caro porque nós temos diferenças de preços muito grandes e se você deixar de pesquisar e acabar comprando ainda um pelo outro na média você pode estar perdendo dinheiro.

Então pesquisa de preço é sempre um bom negócio

Erro 16 – Não Pensar no Futuro

Também é por volta dos 20 anos que as pessoas não se dão conta que elas vão ficar mais velhas a cada dia – parece que esses jovens acham que existe uma fórmula da juventude.

De modo geral, homens e mulheres se apegam ao presente e negligenciando o futuro, especialmente no que diz respeito à aposentadoria – essa é uma falha.

A partir do momento em que uma pessoa começa a lidar com o próprio dinheiro – ela tem, obrigatoriamente, que começar a poupar dinheiro para ter um futuro mais confortável e tranquilo.

Quando mais tempo faltar para chegar ao futuro, mais tempo o investidor terá para juntar dinheiro para quando parar de trabalhar – pensar na aposentadoria deve começar desde essa idade, ou seja, a partir de agora!

Aposentadoria por Idade – Passos para Juntar Dinheiro e Viver de Juros

Erro 17 – Precipitar Decisões Importantes

Durante a juventude, é muito fácil resolver questões pessoais de forma efetiva.

Por isso, é importante levar em conta que, na fase juvenil e adulta, qualquer decisão tomada de forma errada pode comprometer a vida financeira de forma absurda.

Tudo pode virar uma dor de cabeça inconstante, a se começar pelas finanças do jovem.

Só o fato de ter entrado em um status conjugal sem estar preparado para tamanhas mudanças que a vida de casado tem, já é um ponto a se pensar.

Erro 18 – Não Aproveitar a Chance de Ganhar Dinheiro

Também é comum que nessa época da vida os jovens iniciem a carreira e amadurecem as experiências pessoais e profissionais – porém, nesse período, as pessoas tendem a se acomodar financeiramente, acreditando que o que ganham é suficiente para suprir as necessidades.

Há de se pensar que é aos 20 anos que temos mais força e mais tempo para trabalhar e acumular patrimônio financeiro. Portanto, o momento ideal para fazer a chamada Reserva de Emergência.

Na real, esse é o momento também de usar a criatividade para idealizar o próprio negócio. Além de definir as metas financeiras, estabelecendo como você quer estar daqui 10 ou 30 anos.

7 Dicas Essenciais para Conseguir cumprir todas as Metas e Objetivos financeiros sem Falhar

Erro 19 – Guardar Dinheiro na Poupança

Quando você começa a se preocupar com o dinheiro, pensa logo em juntar dinheiro na poupança. Verdade?

Então, melhor rever seus conceitos porque existem variados tipos de investimentos financeiros que tem rendimentos melhores e são opções mais voltadas para o seu perfil investidor.

Par isso, defina seus objetivos de curto, médio e longo prazo, revendo as aplicações financeiras, o perfil, o risco, as vantagens, as taxas e tudo mais que diz respeito ao seu dinheiro.

Lembre-se que é seu direito perguntar tudo o que precisar.

Erro 20 – Não Falar sobre Dinheiro

  • O assunto de finanças ainda é um tabu para muitas pessoas, mas não deveria.
  • Está na cultura do brasileiro evitar o assunto do dinheiro.
  • Mas, não deveria. Naturalmente, o assunto é desconhecido.
  • Mas também não deveria.

Quando se fala ainda em crianças ou mulheres, o tabu torna-se muito maior.

Se a dificuldade para a sociedade é grande, melhor começar a fazer sua parte e mudar desde já. Muitas pessoas se complicam financeiramente simplesmente por não estudar ou buscar conhecimento sobre o assunto.

A dica é encarar os números e pensar para frente – buscando resolver as coisas agora mesmo.

Da Redação com informações do Youtube