Vai abrir o próprio negócio? Saiba porque considerar empreendedorismo e finanças

Você que está estudando uma entrada no mercado já deve ter notado as semelhanças entre empreendedorismo e finanças, não é? Obviamente, os temas se unem e se completam. No entanto, há um problema bastante grande nisso: nem todo empreendedor sabe finanças.

Mas, será que ele é mesmo obrigado a saber de finanças? A verdade é que ambos os temas não são obrigatórios para quem vai ter o negócio próprio. Ainda assim, considere que eles podem ser determinantes nas melhores escolhas para o sucesso do empreendimento.

Afinal, a gente não precisa ir muito longe para ver que empreender é o sonho de muitos brasileiros. Porém, também não demoramos para ver que muitas das novas empresas fecham as portas com menos de 1 ano de vida. O motivo pode ser empreendedorismo e finanças.

O empreendedorismo

Para começar a conversa aqui, nós vamos ser breves. Afinal, geralmente, quem vai empreender tem alguma experiência ou conhecimento no assunto. Em alguns casos, o que elas têm é muita vontade. Mas, tudo bem.

De todo modo, saiba que você vai precisar entender sobre temas como capital de giro, fluxo de caixa, receitas e despesas, além das reservas, leis, pagamentos, fornecedores, etc. Essa é a parte do empreendedorismo, focado nos números, que vai além do produto, localização, etc.

Bom, de todo modo, só para concluir o tópico, saiba que empreender atualmente é muito fácil. Um dos exemplos mais simples para entender isso é que você pode ir até a prefeitura da sua cidade e formalizar-se como um MEI (microempreendedor individual).

Aliás, hoje dá para fazer isso da internet. Porém, o problema pode estar no pós-abertura da empresa, né. Como falamos acima, abrir a empresa não é complicado, o difícil mesmo está em mantê-la em bom funcionamento e com o saldo positivo na conta.

As finanças

Do lado das finanças, que foge um pouco do empreendedorismo, saiba que tudo vai além da criatividade, do jeitinho brasileiro e das adaptações. Na maioria das vezes, você vai ter que fazer contas. Por isso, muita gente prefere contratar um contador.

No entanto, ainda que essa possa ser uma ótima escolha, saiba que seria interessante você conhecer mais de alguns temas. Afinal, é você quem vai dizer para onde o dinheiro da reserva da empresa vai, por exemplo, não é mesmo?

Sabendo disso, a gente separou aqui 3 tópicos que podem ser os passos iniciais para você começar a incluir o tema do investimento na nova empresa que vai surgir em breve. Aqui, a gente faz aquela relação direta entre empreendedorismo e finanças. Bora lá.

I – A poupança

A primeira coisa é entender que a poupança já não é aquela ótima opção que sempre existiu para guardar o dinheiro. Provavelmente, quem quer facilidade vai optar por ela. No entanto, ainda mais no caso empresarial, uma escolha mais assertiva poderia surtir muito efeito.

Vamos supor que você tenha capitalizado algum investimento que servirá como reserva para o caso da sua empresa ter algumas quedas de vendas. Então, você vai deixar o dinheiro na poupança? Saiba que na renda ela é uma das piores opções.

A gente não vai ficar aqui falando de todas as opções. No entanto, comece por pesquisar mais sobre o Tesouro Selic, por exemplo. Ele tem liquidez, é garantido pelo governo e rende mais do que a caderneta da poupança. O que pode ser ótimo para você e sua empresa.

II – As corretoras

O segundo ponto que nós vamos citar para relacionar empreendedorismo e finanças é sobre as corretoras. Entenda que hoje em dia elas possuem papel importante na vida de pessoas e empresas. Obviamente, são diferentes dos bancos.

Assim, ao abrir uma conta para a empresa no banco, eles vão indicar a poupança. Porém, você já sabe que essa pode não ser uma boa opção para você, certo? Por isso, se há uma boa dica é sobre pensar em ter conta em corretora para investir o dinheiro empresarial.

Curiosamente, saiba que você pode ter várias aplicações. Por exemplo, uma para o capital de giro, uma para reserva, uma para pagar os benefícios dos colaboradores no fim do ano e assim por diante. Nesse caso, a corretora é mais diversificada do que o banco.

III – As contas

A última dica é sobre as contas. Isso é bastante importante porque muita gente confunde as contas bancárias e, por isso, acaba tendo problemas financeiros. Obviamente, mesmo sendo dono do negócio, você tem que saber que nem todo dinheiro que entra é seu.

Como assim? O ideal é saber que é preciso ter recursos para reinvestir na empresa, para pagar a matéria-primeira, funcionários, contas e muito mais. Logo, é preciso que você transfira apenas o dinheiro que é seu para a sua conta pessoal. O restante é da empresa, certo?

Então, não há dica mais simples do que dizer para que você crie duas contas: a da empresa e a sua, que é pessoal. Inclusive, a sua é possível que você já tenha, certo? Aliás, hoje em dia as contas digitais têm feito o maior sucesso, tanto para PFs como para PJs.

A gestão financeira da empresa

empreendedorismo e finanças

Se você é empreendedor e conhece ou gosta de investimentos, sabe que dá para pensar nisso como empresário também. Ou seja, dá para investir dinheiro pela conta da empresa, pensando no crescimento do negócio.

Sendo assim, saiba que hoje vamos publicar outra matéria do mesmo tema (você poderá ler aqui). No entanto, o foco será sobre como fazer a gestão financeira da empresa com um pensamento de investidor. É um assunto bem atual, que você poderá ler quando quiser.