Educação Financeira: o que falta para sairmos das dívidas e sermos bons investidores?

ANÚNCIO

A S&P Ratings Services Global Financial Literacy Survey é uma agência de pesquisas globais e foi destinada à desenvolver um estudo sobre a educação financeira do mundo e o resultado foi: 3,4 bilhões de pessoas têm baixo nível de educação financeira. O Brasil ficou na 74ª posição entre os países pesquisados.

Outra pesquisa, agora da PEIC (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), mostrou que até outubro desse ano, mais de 60% das famílias brasileiras estavam endividadas, sendo que essas dívidas ficam em torno do cheque pré-datado, cartão de crédito, cheque especial, carnê de loja, empréstimo pessoal e prestação do carro e seguro.

ANÚNCIO

Mais de 62% das famílias brasileiras estão endividadas. Saiba quais são os 7 principais motivos

Reprodução: Google
Reprodução: Google

Sendo assim, em termos de números exatos, o número de inadimplentes no Brasil chegou à 59 milhões, ou seja 10% a mais do que em 2015. Por que isso está acontecendo? É a crise financeira que o mundo atravessa? Para o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros, Reinaldo Domingos, a principal causa é a falta de incentivo à essa educação aos alunos de ensino infantil.

Educação Financeira para Crianças

Uma pesquisada Unicamp (Universidade de Campinas) está comparando as escolas que estão inserindo a educação financeira na sua grade curricular e as que não estão. “É notório, algo assim de 80 para 1, o fato das que família que se engajam junto com a criança nesse universo”, afirmou Domingos.

ANÚNCIO

“Hoje todo mundo está endividado e é inadimplente. Nós temos que educar as pessoas para que isso não aconteça mais. O MEC (Ministério da Educação e da Cultura) já tem um organismo estudando essa questão; é preciso mostrar ás pessoas a necessidade da educação financeira”, disse o presidente da Comissão de Educação, Arnaldo Faria de Sá.

Elaboramos 5 ações que podem ser realizadas pelos pais em conjunto com os filhos para que eles estejam a par do teor da educação financeira. Só assim eles vão aprender sobre, na prática. É óbvio que é preciso analisar a idade das crianças, antes de inserir tal prática.

  1. Elaborar o orçamento familiar com meses de antecedência e mostrar qual valor poderá ser usado para os gastos,
  2. Analisar, mensalmente, a evolução dos gastos, das despesas e dos valores gerais,
  3. Mostrar a importância de se criar uma reserva financeira,
  4. Planejar e realizar viagens,
  5. Evitar o consumo em excesso.

Tecnologia à favor da Educação Financeira

Atualmente temos tudo na palma da mão. Isso é fato. São artigos, textos dos mais variados, vídeos, cursos, palestras, grade curricular, calculadora, televisão, aplicativos, programas, etc. São muitas as informações ao nosso alcance e isso nos permite, ou deveria nos permitir, desfrutar de uma vida financeira surpreendente. Mas, então, por que não temos esse sucesso?

Crédito fácil, cheque especial e marketing. Eles vão todos na contramão. E parecem ser mais atraentes, mesmo que neles estejam embalados os juros abusivos. Os valores foram invertidos. Vivemos no mundo do consumo: todos precisam de uma casona, um carrão, uma roupa de marca e o novo celular.

Cartão de Crédito – Ter ou não ter

Esse não é o caminho correto. Precisamos reconhecer a importância de incluir a educação financeira nas nossas escolas e nas nossas vidas. E para isso temos a tecnologia, que evoluiu e pode agilizar todo o processo.

Se você não teve aula de dinheiro na escola ou se o seu pai não te falou sobre as finanças, não fique esperando enriquecer com a loteria. Corra, verdadeiramente, atrás dos seus sonhos. Lute por eles. Estudo, pesquise, invista. Saiba como funciona o mercado financeiro. Uma ótima oportunidade para isso são os cursos gratuitos.

Workshop 100% gratuito risco zero.

De um lado: cresce o número de pessoas querendo investir dinheiro, de outro: as pessoas ainda não sabem cuidar do seu patrimônio. Ambos precisam aprender um pouco mais sobre as modalidades do mercado e saberem o básico da educação financeira.

Com informações do Terra

ANÚNCIO