Dívidas se resumem em Falta de Educação Financeira na infância – 7 Dicas Rápidas

ANÚNCIO

O número assusta – 60 milhões de brasileiros endividados. Para uma professora PhD o motivo maior é a Falta de Educação Financeira na Infância: “Pais super protetores criam filhos mimados”, afirma Celina Macedo, PhD em psicologia cognitiva e consultora do Instituto de Educação Financeira (IEF).

Para ela, a melhore explicação para o endividamento e a falta de poupança do brasileiro é forjada na relação pais e filhos.

ANÚNCIO

Ela afirmou isso em um evento de Educação Financeira que aconteceu em São Paulo, onde mostrou que é natural que os pais corram para atender os filhos em todos seus anseios e desejos, desde quando são bebês.

Tudo deveria ter limite e, à medida que a criança cresce, ela tem que aprender a lutar para realizar os seus sonhos, ela aconselha.

Criança mimada, ela traduz, é aquela que acha que poder fazer o que quiser, quando quiser. É um perfil que origina o adulto consumista, que não entende a relação entre o custo/benefício sem saber o que quer e o que consome.

ANÚNCIO

Ele consome porque quer e não aguenta esperar.

Curso Gratuito Ensina Como Sair das Dívidas e Ficar Rico Rapidamente

“A pessoa que reconhece um ‘sim’ é aquele que já recebeu um ‘não’. Quem nunca recebe um ‘não’ tem dificuldade de viver em sociedade, não tem respeito, não tem limites”.

Se os pais conseguirem abrir mão de educar o filho para a vida, na opinião dela, a sociedade toda vai fazer isso, porém, sem o mesmo carinho. O nome sujo, a falta de crédito, o endividamento, o pagamento de juros…

São apenas lições que a sociedade dá aquele que não se controla.

Quem planeja, consome. Essa é a regra mais simples, na opinião da especialista. Logo, os filhos precisam aprender a lidar com frustrações, planejamento, escolhas, conceitos a fim de que se tornem consumidores conscientes, que é aquele que tem uma boa relação com o consumo.

9 Vídeos Para Quem Quer Sair das Dívidas e Não Sabe Por Onde Começar

“É preciso ensinar o filho a deixar de gastar com dois sorvetes hoje para ir ao cinema no sábado. É preciso poupar para realizar um sonho mais adiante”.

A professora diz também que os filhos aprendem observando o que os pais fazem e como eles lidam com dinheiro. “É em casa que o filho observa se o pai compra à vista, se compra a prazo, se o dinheiro significa prazer ou dificuldade. Filhos que aprendem a pescar têm garra e objetivos”.

7 Dicas Rápidas

  1. O Trabalho tem que ser uma Fonte de Realização Pessoal e Profissional
  2. O filho tem que ter o hábito de Falar sobre o Dinheiro e isso não pode ser Tabu
  3. Os planos precisam ser traçados bem antes e isso se chama Planejamento Financeiro
  4. O Orçamento da Família tem que bater – Gastar Menos do que se Ganha
  5. O desperdício é a pior forma de Gastar Dinheiro à toa
  6. Poupar Dinheiro é fundamental para Atingir os Objetivos e Chegar à Riqueza
  7. Os filhos sempre vão seguir os Exemplos dos Pais, em tudo na vida

Os Melhores Exemplos Financeiros para Dar aos Filhos

Existem vários exemplos financeiros que podem ser dados ao filho. Mas, o que fale é fazer isso naturalmente e não apenas com o intuito de dar o exemplo. Se você é uma pessoa, pai ou mãe, que não se dá bem com o seu dinheiro… Então, é hora de mudar a si mesmo para depois educar os seus filhos.

Aliás, você pode fazer isso em conjunto.

PARE DE GASTAR o seu dinheiro com supérfluos imediatamente. Essa é a regra número 1. Ao primeiro sinal que você der que não consegue se conter com gastos e compras, o seu filho começará a ter o mesmo hábito.

Aí está aquelas coisas mais simples, como cigarro e bebidas.

Aqui no site já fizemos uma seleção com os 10 maiores vícios das pessoas, que representam os maiores gastos mensais, confira os 3 primeiros colocados:

Cerveja

É a campeã, não tenham dúvidas. Ela é, tantas vezes, responsável pelo “estouro” do cartão de crédito no final do mês.

E, supondo que a bebida custe 9 reais na balada, dependendo dos locais, cidades e etc, e, continuando a supor uma média de 3 garrafas por noite, no fim das contas (e do mês), o valor gasto com a cerveja é de 250 reais, ou seja, 3 mil reais ao ano.

Cigarro

Todos poderiam achar que esse seria o maior gasto, mas ele ficou em 2º lugar. Claro que tudo vai depender do fato de você beber cerveja ou não, por exemplo. Mas, vamos às contas: supondo uma média de 6,75 reais por maço e considerando 1 maço por dia, o prejuízo mensal é de, mais ou menos, 200 reais.

Em 1 ano, mais de 2,5 mil reais foram para o beleléu.

Ah, e só para informar sobre uma pesquisa do WalletHub, o valor gasto por um fumante durante a vida toda pode chegar à mais de 7 milhões de reais. A conta está baseada não apenas nos maços de cigarros, mas sim em custos não tão óbvios para manter o hábito.

É importante saber também que a pesquisa foi feita em Nova York, onde o cigarro é mais caro, assim como gastos com saúde. Para comparar, em outra cidade (Kentucky) o gasto da vida toda caiu para mais de 1,1 milhão de dólares.

Café

“O cafezinho santo de todo dia” é uma fortuna, meus amigos. Ao menos em São Paulo, existem cafés expressos que valem “míseros” 9 reais. Ainda pensando que muitas pessoas gostam de beber o café após o almoço em dias úteis, podemos simular um gasto de 140 reais por mês com o “bendito de cada dia”.

Impressionante, não é? Descubra quais são os outros 7 vícios que mais corroem o orçamento financeiro:

10 vícios que podem acabar com o seu dinheiro

Se você não tem essa facilidade, mude o conceito. Deixe o Cartão de Crédito em casa, assim, não terá como comprar algo, sem dinheiro.

“Se o consumidor continuar usando o cartão, a dívida pode ficar ainda maior, na chamada bola de neve e vai ser muito difícil sair dela”, aconselha a coordenadora da Proteste, Maria Inês Dolci.

Depois disso, sempre AVALIE A PROPOSTA e seja para qualquer fim. Uma compra ou mesmo o refinanciamento da dívida. Quando se paga valor mínimo ou quando se financia algo, os juros começam a corroer o orçamento financeiro. Portanto, analise sempre a sua oferta, os valores das parcelas, dos juros…

Ser detalhista é um hábito que tem que estar no DNA do seu filho.

O CARTÃO DE CRÉDITO tem que ser deixado de lado. Se você não consegue deixa-lo em casa, corte-o em pedaços pequenos e jogue-o no lixo.

“As empresas têm interesse em negociar com o devedor, mas não são obrigadas a fazer isso”, diz Marta Cassis, do Procon de São Paulo. Portanto, o ideal é pedir o cancelamento do cartão antes que tudo se torne impossível. “Enquanto ele está ativo, elas não costumam renegociar dívidas com clientes”.

Verdades sobre o Cartão de Crédito:

  • Cartão de Crédito não é brinquedo,
  • Cartão de Crédito não deveria ser símbolo de Status,
  • Cartão de Crédito não deveria ser uma extensão do seu salário,
  • Cartão de Crédito não deveria propiciar momentos de felicidades ou frustações,
  • Cartão de Crédito são oferecidos pelos bancos, que não querem o seu bem,
  • Cartão de Crédito te faz perder dinheiro com taxas para administradoras.

Confira agora as principais armadilhas do Cartão de Crédito

Andar com Cartão de Crédito

Se você acha que andar com dinheiro é perigoso, saiba que com o Cartão de Crédito também. Além dos bandidos poderem usar todo o limite que tem nele, até você conseguir bloqueá-lo, eles também podem clonar e aí o problema se torna bem maior.

Limite do Cartão de Crédito

De fato os bancos não querem ferrar a sua vida, mas parece. Porque eles sempre dão um bom limite para você gastar, o que pode te prejudicar no futuro.

O ideal, aliás, ideal não, mas o máximo que você pode gastar é de 30% do seu salário. Se a sua fatura vem com um valor maior que isso, melhor você esconder o cartão em bom lugar que não vá achar por um bom período…

Pagamento do Mínimo da Fatura

Não pague o mínimo e deixe que o cartão fique bloqueado. Pagar o valor mínimo é entrar no rotativo, onde o buraco é infinito e os juros, altíssimos. Aliás, com a nova regra, o valor será parcelado, o que é um pouco menos pior.

Débito é Melhor do que Crédito

Porque você só vai gastar aquilo que tem. E nada mais. O mesmo não acontece no crédito, que parece não ter limite.

Vários Cartões

Para quê? Você pode concentrar todas as despesas em um único cartão de crédito, mesmo se tiver a intenção de acumular pontos. Aliás, entre tantos, prefira os cartões que tenham limites baixos, porque, se ele for clonado, os prejuízos serão menores.

Problemas com Dinheiro é a principal causa dos divórcios

É muito informação? É mesmo! Por isso, criamos tópicos! Em cada um vamos falar mais detalhadamente sobre os assuntos em pauta. Vamos explicar tim por tim, combinado?

Preste muita atenção, faça escolhas com segurança e saiba por onde caminhar mesmo em dias tempestuosos.

Importante Saber: pessoas ricas não são, necessariamente, aquelas que ganham muito dinheiro, mas sim aquelas que sabem fazer um bom orçamento financeiro.

Diálogo

Perguntar não ofende, já dizia um velho ditado. E nem conversar! É muito comum, também no Brasil, os responsáveis pelo planejamento econômico da família não dividir os assuntos com todos os integrantes.

No entanto, isso é muito importante, tanto é que é o primeiro passo para mandar bem na organização da família.

E não importa se você é aquela mãe ou aquele pai liberal, que acha que o filho adolescente não precisa ajudar em casa, mesmo assim, a conversa é importante.

E outra coisa, ninguém precisa saber qual o salário de ninguém (apesar disso ser uma coisa positiva), desde que todos colaborem com as economias de alguma forma.

Mas, voltando ao assunto, é importante que exista diálogo entre as pessoas da família. Independente de quantas pessoas são e de quais as idades.

Nessas conversas, que podem ser mensais, por exemplo, é possível, inclusive, fazer os planos em conjunto seja sobre uma viagem de final de ano ou a troca do carro por um de modelo mais novo.

Quando todos sabem as prioridades, o trabalho em conjunto tem resultados mais exponenciais. Faça e comprove!

Organização

Outra coisa que não importa é quem vai ser o responsável pelo dinheiro, desde que essa pessoa seja organizada. É preciso encarar a realidade de frente, ser racional, podemos dizer. Entenda que organização aqui quer dizer: colocar na ponta do lápis os gastos e as receitas.

Para isso, temos um artigo muito bem explicadinho, que tem sido usado e aprovado, é sobre a Técnica dos Envelopes. Leia: Planejamento Financeiro Pessoal Eficaz Usando a Técnica dos Envelopes!

Para quem trabalha de forma informal, é essencial que exista um valor mínimo, e é esse valor que será usado para registrar a entrada do dinheiro.

Exemplo: se eu tenho um renda mensal variável com uma média de 2 mil reais por mês eu NÃO vou usar essa média. Eu preciso usar o menor valor que eu ganho em algum mês.

Por exemplo, se a minha média é 2 mil, pode ser que o mês que eu menos ganho é de um valor de 1,3 mil reais. Então, é o valor de 1,3 mil reais que tem que estar na entrada.

Dívidas se resumem em Falta de Educação Financeira na infância – 7 Dicas Rápidas
Reprodução: Google

As saídas, bem, as saídas não são tão complicada assim: basta você anotar tudo o que sai. O churros, o sorvete, o seguro do carro, o mercado, a internet, tudo.

Fazendo isso, você vai levar um susto. Porque é comum que as pessoas gastem mais do que imaginam que gasta. Depois, um dos próximos passos é adequar o seu orçamento financeiro familiar dentro de uma porcentagem especifica.

Planejamento

Agora sim! Chegou a hora do vamos ver! Se você seguiu corretamente o passo 2, já viu que está gastando mais do que ganha. Então, para se ter um bom planejamento isso não pode acontecer. O que deve ser feito? Trabalhar em cima de números, oras!

A regra disseminada pela Trovó Academy funciona assim: em cima do orçamento familiar, você vai pegar 70% da receita líquida e usar para gastos (sim, todos os gastos), 20% vai para quitar as dívidas ou fundos de reserva e 10% para investimentos financeiros.

Esses são os valores que você deve estipular e se os gastos ultrapassam os 70%, o que normalmente, acontece, então, é hora de economizar.

Com informações da UOL

ANÚNCIO