Dívidas caducam em 5 anos – isso é verdade?

Tem uma crença no mercado financeiro que é sobre as dívidas e o seu processo de sumir, desaparecer… Será que as dívidas caducam em 5 anos?

O que acontece é o seguinte, vamos explicar bem facilmente ó: você não paga uma conta e a empresa que você ficou devendo põe o seu nome no SPC ou no Serasa.

O SPC e o Serasa são órgãos de defesa ao crédito e quando o seu nome está lá quer dizer que você está inadimplente – ou como chamam: com o nome sujo.

E se você está com o nome sujo, dificilmente vai conseguir encontrar crédito no mercado, especialmente em bancos.

Então, fica mais difícil conseguir pedir um cartão de crédito novo, um empréstimo da Caixa, um financiamento de veículos no Bradesco e assim por diante.

Aí, a crença que surgiu é a de que: as dívidas caducam em 5 anos.

Ou seja: será que após 5 anos que a empresa tornou o seu consumidor inadimplente, o órgão de defesa ao crédito simplesmente esquece esse débito?

É sobre isso que vamos falar neste conteúdo, leia!

É uma crença – só que não é uma verdade

As dívidas caducam em 5 anos? Não. E isso está bem distante da realidade.

Muita gente acredita que vale a pena simplesmente deixar de acertar suas dívidas porque – em teoria – elas iriam desaparecer após certo período de tempo.

Você com certeza já ouviu falar dessa prática, não é mesmo?

São pessoas que buscar empréstimos ou que fizeram compras no crédito e apesar de terem tido a oportunidade do acesso ao que buscavam não conseguir honrar seus compromissos.

Logo, elas optaram pelo caminho de se propor aguardar 5 anos até que a dívida finalmente caducasse – só que isso não vai acontecer, tá bom?

Na real, isso tem até um nome mais técnico: Calote Intencional.

E ele vai à linha do “devo e não nego, mas não vou pagar”.

Só que essa atitude, aparentemente ingênua, em que o devedor se vê como vítima acreditando que só precisa esperar 5 anos para voltar a adquirir novos cartões, empréstimos e começar a farda das dívidas novamente é um grande equívoco.

Aqui não vale o conceito de que “o mundo é dos espertos”.

Código de Defesa do Consumidor

É verdade que o código de defesa do consumidor tem como regra que o nome do inadimplente deve permanecer no máximo 5 anos em cadastros devedores.

Então, a única verdade aqui é que o seu nome só vai permanecer no SPC e Serasa em 5 anos.

Só que isso não que dizer que o seu débito vai sumir – como em um passe de mágica.

E isso não quer dizer que a pessoa deixe de ser devedora, está bem?

Afinal, as dívidas caducam em 5 anos? Já falamos que não.

Muito ao contrário disso!

Quem deixa passar esse período de 5 anos para não pagar dívidas, só em pensa se tratar de uma maneira mais fácil de facilitar seu acesso a crédito e ter novos empréstimos.

O detalhe é que a dívida não vai embora, ela continua lá.

Firme e forte.

O problema continuará a se agravar e vai aumentando…

O problema, enquanto não for resolvido, pode, inclusive, passar o para os seus herdeiros.

É por isso que você deve ver as negociações e o abatimento das suas dívidas como prioridade na sua vida!

Dívidas caducam em 5 anos? De novo: NÃO!

E a partir disso, sabendo que as dívidas não caducam em 5 anos, o melhor é começar a estudar bem os seus gastos cotidianos para que evitar novas dívidas.

Afinal, você não vai querer prejudicar os seus filhos e netos, vai?

As contas não planejadas podem surgir sim, mas nada vai ser motivo para se endividar.

Tente considerar o seu padrão de vida – e os bens que você acumulou ao longo dos anos.

Se não fizer isso, poderá sentir a falta do crédito justamente quando precisar dele de verdade.

O efeito bola de neve das dívidas é sempre fruto de más escolhas, lembre-se disso.

Portanto, dedique tempo para aprender como fazer melhor uso do seu dinheiro.

Com certeza esse pequeno sacrifício vai se livrar de grandes problemas, lá na frente!

E se você quer começar agora mesmo a pensar nisso, nas suas melhores escolhas, leia abaixo um pequeno comentário que temos sobre o seu cartão de crédito.

A mudança financeira: como usar o cartão de crédito corretamente

Você já deve ter ouvido falar que um dos principais causadores das dívidas na vida das pessoas é o uso incorreto do cartão de crédito, né.

Então, o que vamos falar agora é sobre isso.

O cartão de crédito é uma solução que muita gente adota, só que isso quase sempre é uma consequência dos constantes sustos financeiros – como a fatura do cartão crédito.

A decisão de se livrar de vez dele, pode ser a sua mudança de vida.

Apesar do cartão de crédito ser uma ferramenta usada há bastante tempo, parece que boa parte das pessoas ainda não compreendeu como ele funciona.

Basta observar as pesquisas mais recentes sobre o tema.

Que mostram como o maior vilão dos endividados, o cartão de crédito, demonstra uma visão distorcida da realidade para os brasileiros.

Na verdade, o cartão de crédito é um instrumento bastante útil para o planejamento dos gastos – desde que você tenha consciência de como ele funciona.

Só o fato de permitir que todos seus pequenos compromissos diários sejam quitados em um único dia já faz dele um grande aliado na sua organização financeira.

O problema acontece quando você vê o cartão como uma fonte de riqueza instantânea!

E aí você começa a gastar sem pensar na próxima fatura.

O que é um comportamento que aliado aos altos juros impostos pelas operadoras gera um terrível efeito cascata, efeito bola de neve, que vai te prejudicar.

Sendo capaz de minar todo o seu planejamento financeiro.

Se esse é o seu caso você precisa mudar totalmente o seu comportamento!

Como usar o cartão de crédito de maneira positiva?

A primeira atitude que você deve tomar é passar a consultar o saldo do seu cartão com maior frequência.

E isso pode ser na internet, no telefone, no aplicativo, no próprio caixa eletrônico, tanto faz.

Porque é importante consultar o saldo?

Porque você já viu uma coisa né: as dívidas caducam em 5 anos? Não!

Então ter dívidas não é uma boa pedida e nunca será!

Hoje em dia, consultar o saldo é tão simples que irá resolver os seus problemas em poucos segundos!

Se você está sem saldo, se está gastando muito e você sabe disso… Então, finish him!

Você para de gastar o seu cartão de crédito imediatamente e sana o problema que poderia vir a acontecer.

Limite do Cartão de Crédito – você tem que saber o seu

A partir daí estabeleça um limite de gastos para cada mês.

Se por exemplo, você fizer os seus gastos e cravar 800 reais como um valor viável, você precisa se ater a nunca em hipótese alguma ultrapassá-lo.

E o valor que você vai se dar de limite tem a ver com aquilo que você pode arcar e não com aquilo que o banco te oferece.

Se você tem renda de 2 mil reais, o banco vai acabar te dando um limite de até 1 mil reais, por exemplo.

Só que você pode mesmo arcar com tudo isso?

É o seu limite financeiro e não o que banco diz – porque nem sempre o banco vai ser verdadeiro com você.

Siga o modelo semanal para evitar contratempos!

No caso dos 800 reais mensais, pense que é o mesmo que 200 reais por semana!

E aí você abraça a seguinte estratégia: de uma semana específica você gastar menos ou mais.

Digamos: 240 reais.

Coloque o post em cima do cartão, avisando que na próxima semana terá apenas 160 reais para gastar…

Para manter o equilíbrio dos 200 reais na média por semana ou 800 por mês.

Isso lembrará de manter o controle e a disciplina.

Amigo ou inimigo?

O seu cartão de crédito pode ser tanto o seu maior inimigo quanto o seu maior aliado.

  • O que você tem que saber é que dívidas caducam em 5 anos é um mito.
  • E tem que saber também que o cartão de crédito pode ser bom, ao invés de vilão.

Só depende de você!

Valorize um pouco mais esse instrumento e à relação financeira que você tem com a sua operadora!

E isso que vai te proporcionar um aumento do seu limite, no futuro até mesmo uma redução da taxa de juros e é claro a multiplicação dos seus pontos em programas de fidelidade.

Se você acha que o cartão de crédito é o vilão das suas finanças reveja os seus conceitos.

Na verdade, o vilão nada mais é do que a sua falta de planejamento e de conhecimento.

E você, vê o cartão de crédito como aliado ou como inimigo das suas finanças?

E diferente do que costumamos fazer aqui nos nossos conteúdos, vamos te mostrar algumas vantagens do cartão de crédito – te provando que ele pode ser bom para você. .

As vantagens do cartão de crédito

Se você vai viajar para outro país e não sabe exatamente quanto levar de recursos, pode pensar no cartão de crédito como opção.

Além disso, se ele tiver função internacional, você vai ter a facilidade de não precisar ficar carregando dinheiro para lá ou para cá – e nem mesmo de trocar a moeda.

Conforme o seu banco e bandeira, também dá para converter os gastos em pontos. E mais do que isso, dá para ter o benefício da assistência viagem.

Para quem quer ter facilidade na hora de consultar os gastos, os cartões de crédito tem aplicativos que facilitam isso.

Você pode ver na hora quanto gastou e quanto está gastando. E mais do que isso: quanto ainda tem para gastar.

Tem envio de SMS automático, tem mensagens de alerta… Tem muita coisa que você pode escolher para conseguir se manter na linha financeira – consultando seus extratos.

Outra vantagem do cartão de crédito? Os benefícios das bandeiras, por exemplo.

O Mastercard tem o Surpreenda-se e o Visa tem o Vai de visa – que são programas que te oferecem descontos em ingressos, descontos em lojas parceiras, entre outras vantagens.

Novamente, a pergunte: vilão ou mocinho?

Falar sobre o Cartão de Crédito é falar, instantaneamente, na facilidade de uso que ele proporciona e, sucessivamente, no alto poder de compra que ele transmite.

Sim, ele nos dá poder e autonomia. Hoje em dia, com esse tipo de cartão, você pode comprar em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer momento, situação ou país e, inclusive, através da internet.

E na internet é assim: com um clique, você compra. Mas toda facilidade, bem como todas as compras parceladas, devem ser feitas com controle financeiro pessoal.

E, caso alguém roube seus pertences, incluindo seu “querido” cartão de crédito, basta você ligar na operadora e bloqueá-lo.

Está tudo resolvido. Outra vantagem dele é o acúmulo de milhas.

As milhas são importantes para quem viaja muito ou para quem quer viajar muito.

Funciona assim: Em cada passagem aérea que você compra com seu cartão de crédito é disponibilidade uma quantidade de milha.

Essa milha se duplica e gera outra igual em uma conta adjacente.

Com o tempo, as somas dessas milhas podem gerar um novo bilhete para você.

Assim, você ganha uma passagem aérea.

Ou, então, pode obter descontos, da mesma forma. Mas, é claro, não é porque você pode acumular milha que vai usar o cartão de crédito toda hora.

Ele tem que ser apenas uma consequência do seu planejamento financeiro.

Em resumo, listamos três, dos principais pontos positivos. São eles:

  1. A facilidade do poder de compra,
  2. O acúmulo de milhas e
  3. As comprar facilitadas pela internet.

Esses pontos realmente tornam o cartão de crédito o nosso amigo.

E sobre esses 3 pontos, o Trovó gravou um vídeo, assista agora mesmo:

Da redação