Dinheiro Rápido – as 7 melhores dicas para fazer o 13º salário render mais

ANÚNCIO

Com o fim do ano perto, as pessoas começam a pensar no que fazer quando receberem o 13º salário… E, acredite, existem muitas opções! A nossa ideia, com este artigo, é mostrar como é possível fazer o dinheiro render mais com algumas dicas simples!

Independente da sua área de atuação, se você tem carteira assinada, tem direito ao benefício, chamado também de Gratificação de Natal. Isso vale, por exemplo, para os profissionais domésticos, rurais, temporários, pensionistas ou aposentados.

ANÚNCIO

Antes de conferir as melhores dicas, entenda o que é o 13º salário.

13º Salário – O que é?

É uma instituição do Governo Federal de João Goulart e legitima na Constituição Federal de 1988, conforme Lei 4.090 de 1962.

A ideia era beneficiar os trabalhadores, que também conseguiram o direito à greve e a estabilidade do emprego. Hoje, o abono é usado por muitas pessoas para vários fins.

ANÚNCIO

A fórmula usada para o cálculo é simples: você pega o valor integral do salário e divide por 12 (que é o número de meses do ano). Daí multiplica-se pelo número de meses trabalhados.

Normalmente, o pagamento é feito em duas parcelas: sendo em novembro e a outra em dezembro.

Quando um trabalhador é desligado da empresa ele também tem direito ao benefício, só que é referente ao período de trabalho anual. Mesmo que peça demissão, ele receberá o valor proporcional. Além disso, ele também recebe o FGTS.

O que fazer com o 13º salário

De forma geral, as pessoas usam o dinheiro para pagar as dívidas, os gastos extras, investem na poupança ou fazem compras.

Se você está com as contas em dia, nada mais justo que recompensar o seu esforço e usar uma parte para gastos. Porém, essa não é a forma mais inteligente de dispor o recurso – lembre-se que no início do próximo ano há gastos fixos (IPTU, IPVA, etc).

Por outro lado, se você tem contas a pagar, não pense duas vezes e quite-as. As taxas de juros costumam ser altas, especialmente do cartão de crédito e do cheque especial.

O erro está quando o consumidor acha que tem um salário dobrado e usam o valor para gastar com itens que não tem necessidade – isso compromete todo o restante do salário mensal.

Para saber se está gastando bem o valor, considere analisar os seus objetivos financeiros (se ainda não tem… Precisa repensar isso).

Dinheiro Rápido - as 7 melhores dicas para fazer o 13º salário render mais
Reprodução: Google

As 7 melhores dicas para fazer o 13º salário render mais

“Precisamos fazer um trabalho de educação financeira para que as pessoas tomem cuidado para não comprometer o orçamento. Por isso, é importante que o 13º salário seja aproveitado para sanar dívidas e servir de reserva para as contas de janeiro”, diz Victor Oliveira, da VGX Contato Center.

Para te ajudar nessa missão, listamos as melhores dicas… Confira!

1 – Faça um Levantamento das Dívidas

Saber se você tem um débito e qual o valor dele é importante.

Identifique aqueles que têm mais juros – eles tornam a quitação muito mais complicada com o passar do tempo (elas realmente só aumentam, no famoso ciclo bola de neve).

Nesse estudo devem estar os juros do cartão de crédito e do cheque especial, que são os mais altos do mercado financeiro brasileiro.

“Se existem contas atrasadas, confira os juros e também os prazos. Quanto tempo há de atraso? Livre-se das mais antigas”.

2 – Use o Dinheiro para Quitar as Dívidas

Se você concluiu, no passo acima, que está endividado – já sabe qual será o bom uso para o seu 13º salário – quite as dívidas. Faça isso, ao menos, com as mais caras, como já mencionadas.

“Normalmente nenhuma aplicação financeira consegue ser maior do que os juros de uma dívida, por isso a pessoa deve preferir quitar as dívidas a fazer aplicações que rendam menos”, diz Miguel de Oliveira, da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças).

3 – Repense a Lista de Presentes

O Natal é um período do ano muito festivo (talvez o maior de todos). Além das comidas fartas e da alegria, o consumidor também dedica parte do seu orçamento financeiro para fazer compras de presentes.

Esse ano, o melhor repensar essa necessidade.

Ao invés de presentes caros, procure lembranças simples, quando forem necessárias.

“Há sempre uma sugestão de amigo oculto, que alivia a lista de presenteados”.

Receber o salário a mais é uma tentação e tanto, mas saiba que toda compra que não é urgente pode esperar um pouco mais.

Aliás, se for comprar, pesquise!

4 – Pense no Começo do Próximo Ano

Em um piscar de olhos, você já estará em janeiro… E aí, já sabe (IPTU, IPVA, etc).

Portanto, uma medida inteligente é poupar uma parte do dinheiro para essas contas.

“Uma opção é aproveitar o 13º salário para pagar determinadas contas à vista e conseguir um bom desconto”. A ideia é a de começar o ano no azul.

5 – Faça um Planejamento Financeiro

Nesse estudo, aprenda qual foi o item que representou o maior gasto do ano.

Regularize sua situação e planeja os próximos meses para não cometer os mesmos erros.

“Considere sua renda mensal e mantenha o orçamento dentro dele”.

6 – Reserva de Emergência

Poupar parte do dinheiro tem a ver com guardar o 13º salário para começar a formar um patrimônio no longo prazo. “Isso pode incentivar a pessoa a criar uma reserva de emergência, nem que seja com 10% do salário, todos os meses”.

Se as contas estão em dia, faça uma reserva.

7 – Invista o seu 13º Salário

Se o seu 13º salário dá um valor maior do que 5 mil reais, o ideal é investi-lo fora da poupança.

Existem muitas opções que rendem bons juros, como os CDBs e o Tesouro Direto.

Agora, escolher onde aplicar as economias é uma tarefa ingrata, principalmente do cenário econômico incerto. Além disso, a falta de conhecimento leva muitas pessoas a não buscarem as melhores alternativas do mercado financeiro.

Por isso, criamos o tópico abaixo, confira!

Dinheiro Rápido - as 7 melhores dicas para fazer o 13º salário render mais
Reprodução: Google

Bônus – Onde investir o 13º Salário?

Se você definiu um valor para investir, é preciso pensar sobre as opções de aplicações financeiras. Inicialmente, a ideia é traçar o próprio perfil – será que você é conservador ou arrojado? A ideia é ter noção do quanto você está disposto a ganhar (ou perder).

Um investimento conservador, por exemplo, dá um retorno menor… Mas é totalmente seguro.

Por outro lado, uma aplicação arrojada dá melhores pagamentos… Mas é mais arriscado.

Para não errar na hora de escolher, recomenda-se que se tenha alguns objetivos traçados: para que você quer investir dinheiro? Pode ser para comprar uma casa, trocar o carro, viajar, se aposentar com segurança… Entre vários outros motivos.

Se você ainda não tem ideia de por onde começar, listamos 4 investimentos seguros… Confira!

Tesouro Direto

É um programa do Tesouro Nacional e vende títulos públicos para pessoas físicas.

Ao comprar um título do governo, você empresta dinheiro a ele e recebe juros por isso. A taxa pode ser definida ou não, ligada à inflação ou a Selic.

CDB (Certificado de Depósito Bancário)

Nesse caso, o investidor empresta dinheiro ao banco e o funcionamento é o mesmo do Tesouro, com a diferença de ter melhor rentabilidade só que valor para aplicação inicial um pouco maior (a partir dos 5 mil reais).

Fundos de Renda Fixa

É destinado aos investidores que não tem muito tempo para estudar o mercado e não querem fazer esforço para isso. Dessa forma, um gestor escolher os melhores ativos e coloca dentro de um fundo – no qual o consumidor aplica o dinheiro.

O detalhe é que esses fundos cobram taxas de administração e isso pode prejudicar a rentabilidade. A ideia é fazer contas e comprar rendimentos líquidos.

Fundos Multimercados

É uma categoria voltada aos investidores moderados, ou seja, nem tão conservadores. Esses fundos aplicam em ativos como câmbio, ações ou outros. Antes de investir é preciso consultar as taxas também.

Com informações do Organizze, IG e GazetadoPovo

ANÚNCIO