Joio e Trigo: As 3 Melhores Dicas do Mundo Para Investir em Small Caps

As Small Caps dão aos investidores ótimas oportunidades de fazer negócios no mercado de ações, externando o lado especulador. Normalmente, a estratégia é apostar em empresas que tenham potencial de crescimento, conforme suas características.

Porém, não basta comprar todas… Confira, neste artigo, as 3 Melhores Dicas do Mundo para Investir em Small Caps.

Existem Small Caps que valorizaram mais de 500% em pouco mais de 5 anos, para se ter uma ideia. E tem uma ação especifica que tem um Potencial de Ganho de 50%, tornando-se uma das principais indicações dos investidores nos últimos dias – falaremos sobre esses dois casos (Panvel e Portobello) no decorrer do artigo.

Antes de explicar sobre as semelhanças de Jesus, através da Parábola do Joio e do Trigo, precisamos que você compreenda – por inteiro – o que são as Small Caps, Como Investir em Small Caps, Por Que Investir em Small Caps, Qual o Mercado das Small Caps… todos os conceitos das Small Caps.

Assim, vamos dividir o artigo em 3 grandes tópicos, que serão os seguintes:

  • O que São Small Caps?
  • A Parábola do Joio e do Trigo
  • Como Ganhar Dinheiro com Small Caps?
  • Dica para iniciantes sobre as Small Caps
  • Por Que as Small Caps Panvel e Portobello estão com tudo?
  • As Melhores Indicações de Small Caps para 2017 e outras Notícias

Claro que dentro de cada tópico teremos observações, comentários e subtópicos. Mas fiquem tranquilos, a leitura é dinâmica, didática e de fácil compreensão.

O Que São Small Caps?

São ações de empresas de baixa capitalização, ou, de maneira informal, também chamadas de ações de segunda ou terceira linha.

Mas, não vá pensando que são empresas que devem ser deixadas de lado. As Small Caps podem ser ações que não possuem a mesma liquidez das grandes empresas da Bolsa de Valores.

Tudo é uma questão de comparação.

Para que não fique dúvidas, vamos recorrer à senhora do mercado de ações, a Bovespa, que diz o seguinte:

– Blue Chips (Empresas de 1ª linha): São ações de grande liquidez (negócios) e procura no mercado por parte dos investidores. Em geral, são empresas tradicionais, de grande porte e excelente reputação.

– De 2ª Linha: São ações pouco menos líquidas, mas que tem boa qualidade. Em geral, são empresas de grande e médio porte.

– De 3ª Linha: São ações com pouca liquidez e, em geral, são empresas de médio e pequenos portes. Porém, isso não significa que tenham menor qualidade.

Resumidamente, as Small Caps são empresas que tem menor volume de negociação na Bolsa de Valores, portanto, há menor liquidez e maiores riscos (tanto de ganho quanto de perda).

Além disso, elas costumam ter gráficos difíceis de serem analisados.

O que os especialistas dizem sobre essas ações?

Cautela. Essa é a palavra chave. Porque, se analisarmos emocionalmente, podemos concluir que essas empresas tem alto potencial de crescimento e de valorização, seja pelas correções de valores ou pelas fusões com as concorrentes.

No entanto, na mesma velocidade da subida, está a descida.

O que deve ser observado na hora de apostar em Small Caps?

O primeiro passo é notar a liquidez da empresa. Se os volumes de negociação estão muito baixos ou se a empresa é muito nova, por exemplo. Se isso acontecer, vai existir um risco de você comprar e depois não conseguir vender.

E, isso pode ser acentuada pela dificuldade de análise mercadológica, já que, na maior parte das vezes, as ações são novas na Bolsa de Valores, o que não torna possível estabelecer dados confiáveis.

Outra questão que precisa de atenção é a precificação das ações, que, como regra, deve estar compatível com as operações da marca. Se não, ela pode oscilar fortemente, de maneira negativa.

Por fim, note sempre se o capital está sendo bem investido ou se há questões sobre falência e recuperação judicial, isso pode ser muito importante na sua tomada de decisão.

Índice SMLL

índice SMLL é sempre destaque da bolsa de valores. Bom, como todos sabem, a BM&FBovespa tem o Ibovespa como principal índice, que lista as empresas mais negociadas.

Já o Índice Small Caps é uma carteira de ações composto pelas empresas de menor capitalização. Ele é muito usado, pelos investidores, como indicador de desempenho médio das ações.

Atualmente, o Índice Small Cap da BM&FBovespa é formado por 60 companhias e, entre elas, podemos destacar a Bradespar, que tem participação de 3,7%, a Fleury com 4,8%, a Qualicorp com 3,1%, a Sanepar com 3,5% e a Sulamerica com 3,4%.

Sobre Como Ficar Rico com Fundos de ações Small Caps

“Os fundos de ações Small Caps mitigam o risco da diversificação. O investidor deve avaliar a taxa de administração, taxa de performance, características do gestor e o desempenho histórico do fundo para avaliar a consistência da gestão”, diz Bolivar Godinho, que é professor de Finanças da Unifesp.

Ele também cita o ETF Small 11, um fundo que replica o Índice Small Caps e é negociado na BM&FBovespa, que pode ser uma alternativa aos investidores que preferem os fundos do que investir diretamente em ações.

Porém, ele aconselha: “Recomendo a aplicação direta apenas para investidores com domínio dos conceitos de avaliação de empresas e horizonte de investimentos de longo prazo”.

Small Cap, como toda ação, é feita de boas histórias e más histórias, não há regra nem receita de bolo para investir nelas. O que existe é trabalho, pesquisa, coragem para acreditar em uma história que pode ou não dar certo e muita expertise envolvida”, diz Adriano D’ercole, adviser de renda variável do private banking do Banco Fator.

“É importante você ter paciência, pois as vezes o papel vai ficar muito tempo sem andar, podendo até oscilar para baixo até que o negócio mature”, diz o especialista.

Qual o Valor de Mercado das Small Caps

As categorias mudam com o tempo, assim como os índices. Para se ter uma ideia, no anos 80 uma ação Big Cap tinha um limite de US$ 1 bilhão, hoje, o esse tamanho representa apenas uma Small Cap.

Mas, como estamos falando de 2017, fizemos uma pequena lista com os valores de mercado, seguindo a divisão por ordem:

  • Mega Cap – US$ 200 bilhões ou mais
  • Big Cap – US$ 10 bilhões ou mais
  • Mid Cap – US$ US$ 2 bilhões à US$ 10 bilhões
  • Small Cap – US$ 300 milhões à US$ 2 bilhões
  • Cap Micro – US$ 50 milhões à US$ 300 milhões
  • Cap Nano – Abaixo de US$ 50 milhões

É importante saber também que as ações das maiores empresas captam mais atenção da Bolsa por serem mais lucrativas, no entanto, elas representam a minoria das ações.

Para você entender melhor: a Mega Cap representa apenas 0,1%, enquanto que a Micro Cap fica com 18,8% e a Small Cap 17,6%.

É possível ganhar dinheiro investindo em Ações Small Caps?

Vamos responder essa pergunta logo mais, porém, antes, vamos às definições. Small Caps são ações de 3ª linha.

“São empresas de baixa qualidade”? Não!! “Empresas de 3ª linha são aquelas que têm ações com pouco liquidez, em geral são companhias de médio e pequeno portes (mas, não de menor qualidade), que tem negociações marcadas pela descontinuidade”, é o que diz a BM&FBovespa.

Sendo assim, as principais características das Small Caps são: menor volume de negociação na bolsa de valores, menor liquidez, maiores riscos (ganho ou perda), gráficos de difícil análise.. Tudo o que já falamos nos cuidados a se tomar, na parte superior deste artigo.

Por que pode ser vantajoso investir em Small Caps?

Basta pensar no contrário: por que a maior parte das pessoas prefere investir em ações de grandes empresas? Porque elas têm grande capitalização, logo, dão a impressão de baixo risco.

Isso é verdade se pensarmos na falência da empresa, no entanto, assim como essa empresa terá a fase de crescimento, as pequenas também vão ter.

Na teoria, se continuarmos a pensar assim, a ação de uma pequena empresa, uma small cap, ter mais capacidade de se valorizar muito em pouco tempo do que uma ação de uma grande empresa que já está estabelecida no mercado há anos.

Alguns especialistas dizem que essa é uma boa lógica para se usar no mercado de ações. Mas nunca se esqueçam de que esse é um mercado volátil.

Cuidados para Investir em Small Caps

Para você que não entende muito bem do Mercado de Ações, precisa buscar conhecimento. Sabe por quê? Para não fazer bobagem.

Por exemplo, mesmo os profissionais podem errar na hora de escolher as melhores companhias small caps, como aconteceu com o Santander.

No último relatório divulgado pelo banco, no final de 2016, as recomendações eram apontadas em 7 Small Caps que teriam, então, forte potencial de crescimento de lucro a longo prazo.

Pensando nisso e como único e exclusivo objetivo de orientar os leitores, listamos os 5 riscos que as ações Small Caps tem. Leia com atenção e fique atento ao mercado de ações.

Baixa Liquidez

Quando não há pessoas interessadas em comprar o que você está ofertando, você pode ser forçado a vender o produto por um valor menor do que ele realmente vale, isso sem contar que você tem o risco de não conseguir vender.

Isso é a baixa liquidez e é exatamente assim que funciona também com as Small Caps.

Para não correr riscos, basta que você fique atento ao volume diário de negociações da empresa em destaque antes de investir nela. Isso pode ser feito através da plataforma gráfica, no indicador volume disponível na internet.

Precificação Incorreta

Quando as companhias são novatas e possuem poucas operações (normalmente estão em expansão), fica difícil precificar corretamente o real valor delas.

E para não correr esse risco, a melhor forma de evitar problemas futuros é exigir um maior retorno sobre os papéis destas companhias estabelecendo, por exemplo, quanto você precisaria ter de retorno para estar confortável em correr os riscos.

Para fazer isso, você também pode comparar os diferentes indicadores fundamentalistas das empresas com outras listadas na bolsa de valores, seja do mesmo setor ou do mesmo porte. O preço, se estiver compatível, indicará um bom indício.

Observações dos Analistas

Existem muitas empresas listadas na bolsa de valores e o número de Small Caps na Bolsa de Valores também não é tão pequeno assim.

Com isso, não há analistas suficientes para cobrir toda a demanda de todas as companhias. E, em ordem de importância, muitas vezes, eles optam pelas Large Caps.

Se você tiver algum problema com a sua empresa Small Cap pode buscar alternativas com a própria companhia que, muitas vezes, tem uma excelente área de Relações com Investidores em seus próprios sítios. Por isso, antes de investir, busque essas informações.

Mico

É uma expressão usada para empresas que estão na pior e, normalmente, em liquidação judicial. Se a empresa tiver nessa situação é comum que os investidores não queiram vender suas ações porque já perderam muito dinheiro.

É uma situação triste e que é muito complicada de ser identificada. O ideal é que se evite ações que não valem quase nada ou que tiveram perda de valor muito grande nos últimos meses.

É claro que essas empresas podem se recuperar, mas para apostar nisso você precisará ter muito e muito e muito conhecimento.

Incertezas Operacionais

Acontece não apenas com as Small Caps, mas com todas. É saber se as operações da empresa estão em possíveis crescentes.

Isso faz parte de todo processo. E para evitar prejuízos nessas partes é preciso uma análise geral, identificando, por exemplo, o tamanho do mercado, os competidores, a administração, geração de caixa, entre outros.

O que não pode acontecer, nunca, é o investidor achar que se comprar 10 mil reais em ações que valem 50 centavos (terá 20 mil ações) vai continuar tendo o mesmo patrimônio quando as ações caírem para 40 centavos, por exemplo.

Porque, ainda que você tenha 20 mil ações, você passou a ter 8 mil reais.

A Parábola do Joio e do Trigo

Se você é cristão ou já leu trechos da bíblia alguma vez na vida pode ser que conheça a história do Joio e do Trigo. Pode ser, inclusive, que já tenha ouvido falar enquanto conversava com seu avô, com o padre, com um amigo.

A história é interessante, mas para não alongar ainda mais o textos, vamos nos atentar à um resumo que tenha partes importantes.

Vale salientar também que o conto é bíblico, mas muitas adaptações foram feitas. Aqui, selecionamos a forma que mais vá agregar valor ao conteúdo deste artigo.

A história é mais ou menos assim…

Existia um Fazendeiro Muito Rico e que Tinha o Objetivo de Plantar Trigo. Afinal, o Trigo era usado para a fabricação de pães e roscas, o que lhe renderia um bom retorno financeiro.

No entanto, o Fazendeiro não tinha muito tempo disponível para fazer essa plantação.

Assim, convocou seus colaboradores para fazer o serviço.

O resultado foi que junto com o Trigo brotaram também grãos de Joio.

O Joio, porém, é considerada uma espécie daninha e tóxica, na qual não é possível usar para a alimentação.

Depois, esse Fazendeiro descobriu o motivo: os seus colaboradores haviam feito tudo certo. No entanto, em um momento de descuido um dos inimigos do fazendeiro foi até a plantação e semeou sementes do Joio justamente para que o Trigo não germinasse em boas condições.

Desesperados, os colaboradores não sabiam o que fazer.

O Fazendeiro, então, teve uma solução.

Como Joio e Trigo são muito semelhantes quando estão em fase de crescimento, o ideal seria deixa-los crescer juntos. Depois, quando já grandes estivessem, a colheita poderia ser feita SEPARANDO O JOIO DO TRIGO.

Daí, claro que você já entendeu, é que surgiu a expressão: “Separar o Joio do Trigo”.

De forma resumida, essa é a história, que, como já falamos, tem várias narrações.

O que podemos concluir, a principio, é que houveram 3 momentos marcantes no conto, que podem ser usados na hora de investir dinheiro nas Small Caps: 1 – Confiar nos Outros, 2 Vigiar o Todo e 3 Solucionar Problemas.

Vamos falar disso no próximo tópico!

Joio e Trigo: As 3 Melhores Dicas do Mundo Para Investir em Small Caps

Reprodução: Google

Como Ganhar Dinheiro com Small Caps?

Agora que você já sabe da história, resta saber como aplica-la no investimento das Small Caps. E você também já sabe o que são as Small Caps…

Portanto, tudo ficará bastante simples. Para facilitar ainda mais, separamos em 3 tópicos, que nada mais são do que 3 dicas essenciais para quem investe em Small Caps.

1 – Confiar em Outros

O primeiro ponto a ser levado em consideração é sobre confiar em outras pessoas ou gestoras para fazer o serviço. Calma, não estamos criticando. Isso não é errado.

É muito compreensível que em um mundo tão dinâmico e corrido, você disponha de pouco tempo para investir e aprender sobre o mercado de investimentos. Ainda que não seja o correto, é justificável.

Logo, surge então a ideia de participar de “Fundos” que fazem isso. Os fundos, por sua vez, cobram para fazer a gestão. Logo, você paga taxa para isso. No fim, parece que tudo faz sentido: você paga alguém para pesquisar as melhores opções para você.

Aliás, tem mais uma coisa: existem bancos e corretoras que trabalham no índice SMLL, que você já viu como funciona. Isso também vale.

Bem, o que se pode tirar de conclusão? Que quando você paga para alguém fazer o serviços, você espera um resultado, mas pode ser que ele não seja o esperado. No Mercado Financeiro isso acontece de forma geral, é comum.

Portanto, se você vai confiar em alguém, que faça isso com alguém que mereça tal confiança. Simplesmente isso.

O mesmo valeria para a parábola contada aqui. Se o fazendeiro tivesse escolhido colaboradores que tomassem conta, de fato, da sua plantação. Nenhum inimigo teria ido lá e semeado outra planta, desta vez daninha.

Dica Número 1: Sempre que Puder, faça você mesmo e tenha base teórica para isso. Se não der, confie em alguém que saiba o que está fazendo. Escolha boas gestoras e bons profissionais.

2 – Vigiar o Todo

Outro ponto importante é sobre sempre estar atento ao todo. No caso dos investimentos, é necessário se atentar ao mercado global – desde decisões políticas até reformas, tributos, greves. Você tem que estar antenado.

Na história cristã, se o Fazendeiro tivesse vigiado o todo talvez poderia encontrar as falhas dos seus colaboradores. Poderia, por exemplo, contratar um vigilante para atuar em horários específicos na sua plantação.

Ou, por que não, colocar câmeras de vigilância talvez. Ideia é que não falta.

Voltando ao Mercado Financeiro, mesmo que você tenha destinado seus investimentos à um banco, fundo, gestora ou pessoa, você tem que estar atento. O sentido aqui nem é exatamente o de vigiar, mas de acompanhar.

As Small Caps oscilam bastante, muitas vezes, trata-se de especulações. Logo, em certos momentos, você precisa ser rápido e brilhante. Precisa entender que uma queda nos juros básico da economia, pode te fazer preferir uma ação a outra.

Muito além disso, como você vai saber e notificar que seu gestor está fazendo um bom trabalho? Será que ele conhece mesmo o mercado? Sabe o que está fazendo? Você precisa ter conhecimento e vigiar o todo para saber disso.

3 – Solucionar Problemas

Sobre Solucionar Problemas… A dica é válida para qualquer pessoa, qualquer investidor ou empreendedor. Sempre vamos ter que solucionar problemas e nesse jogo, vence aquele que for mais inovador, mais criativo, mais corajoso.

O fazendeiro é um belo exemplo: “esperou a plantação crescer para conseguir separar o joio do trigo”. Foi uma solução imediata e certeira. Muitos, no lugar dele, teriam desistido de tudo. Largado mão e começado uma nova semeadura.

No Mercado Financeiro, o que você faz? Desiste de tudo ou persiste? Inova? Cria?

Se uma Ação não parece ter bons retornos, por que você não repensa sobre aquela que está em crescente e parece que vai lucrar muito dinheiro neste ano? O fato da empresa ser pequena influencia na sua decisão, mas quando você vê o que ninguém mais vê, existe uma excelente oportunidade de você ficar rico.

Isso é verdadeiro, aconteceu com muitas pessoas… Warren Buffett está aí para provar a tese.

Seja sempre um investidor ativo, que está disposto a enfrentar os riscos e solucionar os problemas.

Dica para iniciantes sobre as Small Caps

Normalmente, essas empresas têm ações de valores baixos. Assim, um investidor iniciante pode pensar na seguinte situação: “Se eu comprar 10 mil reais em ações que vale 50 centavos, terei 20 mil ações”.

Isso é verdade, de fato. Porém, se essas ações caem 10 centavos, então, mesmo com as mesmas 20 mil ações, o investidor terá apenas 8 mil reais.

Ou seja, nem tudo que parece bom, é, de fato, bom. Esses truques e muitos outros mais, são ensinados no Curso do Trovó, que é indicado para iniciantes assim como para quem já conhece um pouco do Mercado Financeiro. Faça-o e aproveite, porque ele é gratuito.

Por Que as Small Caps Panvel e Portobello estão com tudo?

São duas ações bastante diferentes, apesar de serem Small Caps:

  • Uma valorizou 550% desde 2011 – A Panvel,
  • A outra Tem Potencial de Ganho de 50%.

Se você se viu interessado em aplicar dinheiro em Small Caps, pode começar por estudar um pouco mais afundo essas duas companhias.

Selecionamos algumas informações para te orientar sobre isso. Confira!

Potencial de Ganho de 50% – Portobello é principal indicação de Small Cap

Os números são tão bons que o site especializado em notícias do mercado de ações, Infomoney, afirmou que essa empresa tem o “status” de Raia Drogasil.

Pense no setor farmacêutico. Agora diga qual é a “Rainha” da Bolsa de Valores… Raia Drogasil. Pensou nela, não é? Afinal, ela é uma das ações que mais se valorizou dentro do Ibovespa na última década.

No entanto, existe também uma empresa que tem mais de 2 décadas de história na Bolsa de Valores e que desde 2011 saiu de 85 reais para os atuais 550 reais, uma alta de 550% no período, contra apenas 450% da sua “concorrente” Raia Drogasil.

A sua liquidez é quase inexistente porque ela não faz parte do notícia corporativo das grandes corretoras de investimentos.

Bom, ao menos não fazia.

Isso porque nos últimos dias, a companhia publicou na CVM (Comissão de Valores Mobiliários) um fato relevante que a tirou do silêncio: ela fará uma recompra de 11 mil ações ON no prazo de 150 dias, o que representa 1% do total dos papéis ordinários atualmente em circulação no mercado.

Ainda não conseguiu enxergar essa grandiosidade?

Os papéis ordinários negociam em média 350 mil reais por dia, ou seja, com essas 11 mil ações ao preço atual, o valor montante seria de 6,05 milhões de reais, o que vale a praticamente 17 pregões completos de negócios.

Ah, você não sabe de quem estamos falando, não é mesmo? Anote esse nome aí…

Dimed (Distribuidora de Medicamentos), ou como também é chamada: Panvel.

Confira tudo sobre essa empresa e suas ações, clicando aqui!

Sobre a Panvel e seu Crescimento

Ela é uma das principais varejistas e distribuidoras de produtos farmacêuticos do Brasil, somando 373 lojas nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná. O foco é justamente o público gaúcho, sendo que 78% das filiais estão no Rio Grande do Sul.

A empresa tem aumentado sua atuação e inaugurou no primeiro trimestre do ano a sua primeira loja em São Paulo. (Vamos Falar mais sobre Isso Abaixo).

A Panel concentra 76% das suas vendas em produtos de higiene e beleza, como aqueles da própria marca (Panvel). Portanto, esse é um segmento que teve forte crescimento no ano, o que mostra os bons resultados da companhia.

O foco é o varejo, que tem uma porção de mais 80% do total da receita bruta.

E o ritmo forte de crescimento de vendas do varejo ao longo do tempo reflete a evolução nos números da empresa.

Para os próximos três meses, a Panvel prevê a continuidade do ritmo e, para tanto, prevê a abertura de 50 novas lojas por ano, sendo que só no primeiro trimestre foram 34 filiais. Logo haverá uma revisão de guindance.

“Mesmo prevendo um cenário positivo para o nosso principal negócio, entendemos que precisamos ser cautelosos, especialmente com nossas despesas, para enfrentar possíveis desdobramentos da crise econômica e política que permanece em nosso país”, disse a Dimed em seu resultado trimestral, divulgado em 15 de maio.

Em comunicado, a Dimed informou que o desempenhou ficou acima do esperado no período, tota de 9,26%, conforme dados da Abrafarma. A Panvel destacou que os produtos com melhor desempenho cresceram 17,8% e passaram a responder por 38,5% do total comercializado.

“Apesar do cenário econômico desfavorável, mantivemos nossa estratégia de expansão e de investir nos multicanais para atender às necessidades dos nossos consumidores com qualidade e agilidade”, disse o presidente do grupo, Julio Mottin Neto.

A expectativa para os próximos trimestres é que a empresa continue crescendo em vendas, amparada pela expectativa da manutenção do ritmo e da projeção de abrir 50 novas lojas no ano.

As Melhores Indicações de Small Caps para 2017 e outras Notícias

Essa questão é muito complicada de ser respondida, porque, como visto, as análises técnicas são complexas. No entanto, vamos te dar uma mãozinha e te mostrar alguns números que podem ser determinantes na sua escolha das Melhores Small Caps para 2017.

Nesse começo de ano, por exemplo, 33 ações Small Capsbateram o Ibovespa.

Nesse todo, vamos destacar 10, que tiveram ótimos ganhos, são eles: PDG (200,84%), Banrisul (52,62%), Bradespar (40,07%), Gol (35,50%), Sanepar (35,02%), Gafisa (32,26%), Direcional (29,61%), Tecnisa (29,17%), Cesp (28,98%) e Cyrela (26,10%).

Leia Mais: Janeiro foi ótimo para o Setor de Construção e péssimo para as Exportadoras! Confira os números.

Ibovespa terminou o mês de janeiro com saldo positivo de 7,38%, quebrando a sequência dos 2 últimos meses de 2016.

Os destaques foram: a Vale (VALE3, VALE5), Bradespar (BRAP4) e Usiminas (USIM5), que subiram até 40%. Os números também foram puxados pelo setor de construção civil, que teve ganho de até 200%. Continue Lendo!

Já se formos levar em consideração as companhias que terminaram melhor o ano de 2016, com valores muito acima do Ibovespa, então, teremos algumas ações diferentes das listadas acima.

Veja: Magazine Luiza (501,53%), Via Varejo (229,16%), Bradespar (199,92%), Metalurgica Gerdau (189,16%), Copasa (144,59%), Ser Educação (142,47%), Fleury (138,48%), Banrisul (89,01%), CVC (83,76%) e Gol (83,33).

Já se formos levar em consideração o relatório do Santander, aquele da matéria citada no início desse texto, então, teremos 7 empresas como melhores candidatas, são elas: AES Tietê, Comgás, Mahle Metal Leve, Rumo Logística, São Martinho, Ser Educacional e Sul América.

Notícias (muito) importantes sobre as Small Caps

  • Fundo Alaska compra 16,5% do capital da Small Cap Marcopolo

Alaska Investimentos compra grande participação da Small Cap Marcopolo. Ao todo, foram 56.201.800 ações ordinárias da companhia, que representa mais de 16% do total de papéis, além de outras 209.400 ações preferenciais, ou seja, 0,04% dos ativos.

“O aumento da participação acionária tem o objetivo de realizar operações financeiras e não alterar a composição do controle ou a estrutura da companhia”, disse o relatório.

No ano passado, o fundo Alaska Black Master teve o melhor desempenho do Brasil, conforme informações do Bloomberg. Isso porque o maior investimento do fundo foi no Magazine Luiza, que teve ganhos superiores á 1.400%.

  • Small Cap Springs Global segue com alta na Bolsa de Valores

A arrancada da companhia foi tamanha que os investidores começaram a vê-la com outros olhos, tanto é que, em apenas 14 pregões de 2017, a companhia já acumulou ganhos de 99% e foi cotada à 8,46 reais. A empresa diz que o motivo da alta é o Corte na Selic.

Para Alessandra Gadelha, diretora de relações da companhia, “A redução de 1 ponto percentual da taxa de juros representa uma economia de 6 milhões de reais por ano, o equivalente à 25% do lucro realizado em 2015”.

E completa, falando sobre o futuro: “Aliado ao crescimento, houve melhoria de rentabilidade com avanço nas margens da bruta e Ebitda consolidadas. Apresentamos uma trajetória de crescimento nos últimos anos, com sustentação de rentabilidade, apesar do cenário adverso”.

Senior Solution anuncia maior aquisição desde a entrada na Bolsa, em 2013

Ao todo, a Small Cap Senior Solution investiu 50 milhões de reais na compra a att/PS, uma fornecedora de softwares, especializada em soluções para bancos, previdências e operadoras de saúde. Essa foi a 9ª aquisição da companhia, porém, a maior.

Para o presidente da empresa, Bernardo Gomes, a aquisição é algo que estava nos planos da companhia há uma década. “Em 2005, quando iniciamos nossa expansão por aquisições, a att já estava nos nossos planos. Tentamos fechar negócio em 2006, mas não foi possível, desde então estamos de olho nela”, afirma.

“Estamos cumprindo nossa promessa feita no nosso IPO. Este foi um passo importante em nossa consolidação, mas não iremos parar por aqui”, finalizou.

Da Redação