5 dicas financeiras para quem pretende ter um filho

Na hora de pensar no nascimento de um filho ou durante o planejando dessa fase da vida, muitos pais ficam com dúvidas sobre o que é preciso para garantir que o filho tenha conforto, desde o período de gestação da mãe até depois do nascimento.

Uma ideia é pensar em tudo isso somando ao fator financeiro, que é muito importante nesse período. Assim, temos aqui 5 dicas de finanças para quem pretende ter um filho.

5 dicas financeiras para quem pretende ter um filho

1 – Evite as Dívidas

Para quem planeja ter um filho, por mais carinhoso que seja esse sentimento, o ideal é não estar com dívidas, por menores que sejam. Isso porque ter um filho representa um gasto alto no orçamento financeiro.

Então, saiba que pesquisas indicam que os gastos com filhos nos primeiros meses de vida vão consumir mais do que 30% do orçamento da família.

E, se você tiver uma dívida com 30% do seu salário com outras coisas, o seu gasto mensal com filhos e dívidas vai ser de 60% do orçamento, o que é um valor alto demais.

O ideal é ter uma margem para trabalhar com isso e para dar todo conforto que o seu filho merece. Por isso, a primeira dica financeira é justamente quitar as dívidas!

2 – Os Direitos

Independente se você é uma pessoa contratada pela empresa ou se é MEI ou autônoma, se você está trabalhando formalmente, saiba que tem os seus direitos reservados.

Isso quer dizer que assim como o auxílio transporte ou o auxílio alimentação, você também pode receber a licença maternidade e o salário maternidade, que são de ajuda financeira importante para esse momento da vida.

Por exemplo, para o caso de mulheres que trabalham com carteira assinada, o afastamento é de direito para 120 dias, sendo que dá para conseguir a extensão por mais 60 dias dependendo da empresa.

Nessa fase, a empresa remunera a nova mamãe e o INSS repassa os valores à companhia.

3 – Chá Fraldas

O chá fraldas é uma festa, na verdade. Só que uma festa que pode trazer retorno financeiro para os pais e ajudar no recebimento de um dos produtos que mais representam gastos no orçamento da família: as fraldas.

Apesar de indicar, inicialmente, um gasto por se tratar de uma festa, o chá fraldas pode se tornar um investimento se for bem planeado.

A festinha reúne os amigos. Então, os pais preparam alguns petiscos e bebidas. Aí, se houver uma grande quantidade de fraldas ganhas, o investimento valeu a pena.

Mas, para isso dar certo é preciso planejar a festa.

Imagine que um pacote de fraldas com 60 unidades custe R$ 60. Ao longo dos primeiros meses de vida, o gasto com fraldas, com certeza, passaria os R$ 4 mil.

Por outro lado, se você reunir 30 amigos que tragam boas quantidades de fralda, você só precisa fazer uma festa gastando menos de R$ 4 mil para ela valer a pena.

4 – Reserva de Emergências

Se você está pensando em engravidar, considere que ainda tem algum tempo para juntar dinheiro até que o seu bebê nasça.

Portanto, isso é bom, ainda mais do ponto de vista financeiro, que permite que, ao longo do tempo, poupando pouco por mês, você consiga acumular uma boa reserva para imprevistos.

O fundo de emergência formado para esse fim deve ser pensado a partir do tempo e do valor.

Por exemplo, se você está pensando em ter um filho daqui há 2 anos e tenha condições de guardar R$ 1,2 mil mensais para a mãe e mais R$ 1,2 mil para o pai, então, temos R$ 2,4 mil mensais ao longo de 24 meses.

Usando um simular online qualquer dá para ver quem um investimento feito em um CDB que renda 12% ao ano daria um patrimônio total de R$ 64 mil nesse período.

Claro que você não precisa juntar dinheiro nesse valor e nesse tempo. Mas, aqui está uma simulação apenas para ver que dá para trabalhar com diversas variáveis.

5 – Previdência Privada

Se você é do tipo que ainda não está muito acostumado a falar em investimento financeiros, mas, mesmo assim, quer garantir a saúde e os imprevistos com o seu bebê, considere também outras opções.

Por exemplo, hoje em dia dá para pensar na previdência privada infantil, que não é um produto financeiro dos mais caros tendo em vista a parcela mensal.

E também é uma maneira de juntar dinheiro para o futuro do seu filho.

O investimento é sólido e tem boas rentabilidades. O cuidado que se deve ter é com as taxas que são cobradas, que podem corroer bastante a sua aplicação mensal. De forma geral, costuma ser melhor do que a poupança.

Para se ter uma ideia, atualmente, com menos de R$ 50 já dá para fazer uma previdência privada para o seu filho, com planos focados em crianças.

Saiba Também – Seguro de Vida

Outra opção para quem quer se preparar para o nascimento do filho ou durante o nascimento do bebê é o seguro de vida, que vai além da cobertura por morte.

Ele pode ser contratado com base em apólices que tenham o custeio até mesmo de internações hospitalares e possibilita o ressarcimento de despesas odontológicas.

Em algumas empresas, os país podem solicitar o seguro resgatável, onde o valor pode ser resgatado após um período de aplicação e carência.