5 dicas financeiras para verificar na hora de sair da casas dos pais

Sair da casa dos pais para ir morar sozinho, para morar com a esposa ou esposo, para morar com amigos… Essa é uma fase da vida que quase todo munda pratica ou vai praticar um dia.

E na maioria dos casos, isso envolve um certo medo. Medo de tudo dar errado e de você não dar conta do recado.

Para te ajudar com isso e te deixar mais confiante, separamos 5 detalhes importantes que devem ser analisados do ponto de vista financeiro.

Não estamos levando em conta o motivo pelo qual você vai sair da casa dos pais, mesmo porque podem ser muitos. Mas, estamos sendo fiéis aos novos aprendizados que você vai ter que encarar nessa vida nova.

Do ponto de vista financeiro, há mudanças. E se essas mudanças vão ser boas ou ruins não é uma questão de sorte e sim de como você vai lidar com o seu dinheiro a partir de agora!

5 dicas financeiras para verificar na hora de sair da casas dos pais

1 – As contas da casa

Entender que existem as “contas das casa” é o primeiro passo para criar coragem na hora de sair da casa dos pais.

Agora, sozinho ou acompanhado, mas sem os pais, você terá que arcar com esses gastos e acredite: não são poucos. Eles realmente pesam no bolso e, por isso, estuda-los é tão importante.

Aqui podemos citar alguns deles, dos mais comuns na vida das famílias brasileiras, como: a conta de luz, a conta de água, a conta de gás, a conta de condomínio, a conta da TV, do celular, do telefone, da internet, etc.

E ainda tem o famoso IPTU, que é o imposto da casa, certo.

Aliás, vale lembrar que você terá que decidir se vai pagar o financiamento de um imóvel, onde as parcelas são mensais ou se vai pagar o aluguel, onde também há pagamentos mensais.

E isso costuma ser um gasto bem alto no orçamento financeiro.

2 – A reserva financeira

Sabemos que nem sempre vai dar para você se programar na hora de sair da casa dos seus pais, tios ou avós. Só que se isso puder acontecer será ótimo para você.

Uma boa ideia é começar a juntar, desde cedo, o seu pezinho de meia, que nada mais é do que uma poupança que vai se transformar em reserva de emergência para você usar em casos de imprevistos.

Essa reserva também poderá ser útil se você precisar de adaptação com os novos gastos.

A reserva tem outro uso muito comum também: que é para dar entrada no imóvel novo. Isso é muito legal para quem opta por financiar a casa própria ao invés de morar de aluguel.

3 – O novo padrão de vida

Outra coisa financeira que você deve analisar é o seu padrão de vida. Acredite: são raríssimos os casos de casais que saíram da casa dos pais e conseguiram manter o padrão de vida ou tiveram ele aumentado.

Na grande maioria dos casos, as pessoas abaixam o padrão de vida neste momento.

Isso vale para quem tem um salário confortável e até mesmo para quem tem em mente que vai receber aquele bom aumento salarial.

A estabilidade no emprego não garante, contudo, o padrão de vida, já que os gastos aumenta.

Entre os detalhes que devem começar a serem revistos e analisados estão principalmente o lazer, a compra de roupas e outras contas pessoais.

4 – Os novos hábitos na sua vida

Os seus novos hábitos de vida também refletem diretamente no seu bolso, claro.

Se por um lado o seu padrão de vida pode abaixar, tudo bem. Porque, de outro, você vai poder optar por um novo estilo de vida, como com o cuidado com a alimentação.

Morar sozinho ou longe dos pais requer um conhecimento que só se tem quando essa fase chega na sua vida. Você vai ver que comer fast food é muito mais prático, só que nunca é mais saudável, por exemplo.

Aí, você vai ver que dá para considerar ainda a venda de recicláveis, como latas e plásticos. Além de colaborar com o meio ambiente, você vai poder ganhar dinheiro com isso, né.

5 – A experiência da nova vida

Também sabemos que nem sempre vai ser possível fazer uma experiência e morar sozinho para saber se você vai dar conta do recado.

No entanto, a grande maioria dos educadores indicam isso.

Você pode pensar em morar de aluguel por um tempo, por exemplo. Pode tentar ir morar com um amigo em um prazo determinado. Pode pensar em várias alternativas para sentir na pele o que é essa mudança de vida.

Agora, isso não é regra e raramente acontece.

Assim sendo, a sua nova experiência de vida pode acontecer sem “treino”. E ela tende a dar certo se você tiver uma boa organização financeira na sua vida e souber dar as devidas importâncias para cada gasto.

Nem sempre vai ser possível comer fora aos finais de semana, nem mesmo sair todo sábado com os amigos e pode ser que você tenha que reduzir a internet e o plano do celular.

Mas, de longe, isso não será problema se você se sentir realizado para essa nova fase da vida!