Aprenda a ver o custo total de um produto antes de comprar!

Às vezes a gente pode ser induzido a achar que está fazendo bons negócios e tomando decisões financeiras do dia-a-dia que parecem que estão economizando dinheiro, mas nem sempre.

A verdade, em algumas situações, isso não passa de pechinchas desnecessárias que não trazem nenhum valor financeiro para nós.

Já parou para pensar nisso?

E pior: muitas vezes a gente compra coisas que são de qualidade inferior e tem uma sensação falsa de economia quando na verdade a gente não tem economia e nenhum benefício.

E o que vamos falar hoje é justamente sobre isso: finanças do dia a dia e esse tipo de economia “errada”. Ok?

O exemplo dos produtos!

Existe uma diferença quando a gente faz a compra de um liquidificador pensando no custo do produto ou no custo total do produto. Sabia?

O custo de um produto, que é aquele custo de aquisição, não é o custo total.

Você tem o custo de aquisição, e o que é o custo de aquisição? É aquele que você paga lá na loja na hora que você retira o produto.

Depois, você tem o custo de utilização. Então, o custo de um produto inclui essas 2 coisas.

Muitas vezes, não adianta você ser econômico na hora de pagar o preço do produto sendo que esse produto pode te dar outros gastos posteriormente que vão impactar e inflacionar. Entende isso?

A gente pode falar também do ar condicionado, que é um dos exemplos mais clássicos.

Às vezes a pessoa não tem e adquire porque pode pagar ali, dividido em parcelas, aquele valor.

Mas, isso gera um custo adicional de energia elétrica durante toda a vida se for usar sempre e é aí que pode morar o perigo porque o custo vai além do produto.

O custo do ferro de passar!

Aprenda a ver o custo total de um produto antes de comprar!

Hoje, a gente pode falar também do ferro de passar roupa.

E isso tem a ver com o custo oculto dos produtos do dia-a-dia que a gente precisa comprar.

Logo tem a ver com o impacto financeiro que uma decisão equivocada de compra de um utensílio doméstico pode trazer.

Por exemplo: quando eu vou comprar um ferro, se eu comprar o ferro mais barato, o que vai acontecer? Normalmente, esse ferro não é um ferro a vapor e aí o que pode acontecer?

Você vai gastar mais tempo naquela atividade de passar roupa que, cá entre nós, não é uma atividade agradável.

Não conheço absolutamente ninguém que gosta de fazer aquilo. E você vai ter que passar aquilo várias vezes pra poder conseguir melhorar a sua roupa e colocá-la em condições de uso.

Então, muitas vezes quando você compra um produtos desses, de nível inferior, o que acontece? Ele vai te tomar muito tempo!

Outra forma de um produto de qualidade inferior te tomar o tempo, por exemplo, nesse caso do ferro, é: vamos supor que você não passe suas próprias roupas, mas que você tenha, por exemplo, uma diarista ou alguém que te auxilia nas suas tarefas de casa – e que ela faz essa tarefa pra você.

Se o tempo que ela utiliza para poder passar as roupas da sua família for muito elevado pode ser que você de repente tenha que contratar ela por um dia a mais porque ela não consegue realizar aquela tarefa na demanda necessária pra atender as necessidades da família.

Então, quando isso acontece, você pode ter um gasto adicional fruto de mais tempo que você precisa contratar um profissional porque aquele produto é um produto de baixa qualidade.

O impacto financeiro!

Então, isso é um impacto financeiro muito maior do que o próprio custo do produto.

E muitas pessoas utilizam, por exemplo, o serviço de diarista 2 vezes por semana.

E aí, se você tiver que usar uma terceira, você já começa a ter algum problema de ordem trabalhista porque isso pode passar a caracterizar um vínculo empregatício, então, o custo disso começa a ser muito maior!

A pergunta que fica é: do que adianta você economizar no ferro de passar roupa, sendo que o impacto financeiro de comprar um produto ruim pode ser muito maior que o custo do próprio produto?

É esse tipo de coisa que a gente tem que ter em mente nas finanças do dia-a-dia.

Um outro ponto é o seguinte: imagina que você tenha a sua roupa de festa que tem até medo de passar em casa pra não estragar.

Aí você tem lá um ferro de passar roupa horrível, vai passar ele, agarra e queima a sua camisa.

Olha o impacto financeiro que isso tem. Muito além do custo do ferro.

Esse tipo de situação é que mostra como uma economia aparentemente inteligente pode ser completamente desastrosa!

A imagem pessoal!

E sem contar, também, o problema que você pode ter de imagem pessoal.

Imagina que você vai pra uma entrevista de trabalho ou tá apresentando um produto da sua empresa, tentando fechar um negócio e você  simplesmente não tem o equipamento que te permita se apresentar em condições adequadas.

A análise do produto!

Bom, nessa história toda do ferro de passar, a gente pode ver que o ferro a vapor funciona assim: quanto mais vapor ele emite, mais fácil ele te permite passar uma roupa e mais rápido é o trabalho.

Então, apesar de ser mais caro que o ferro comum, melhor ele vai servir pra você, mais tempo ele vai economizar e menor o risco de você destruir a sua roupa e ter um impacto desses que a gente está falando.

Assim sendo, quando a gente fala das decisões de finanças no dia-a-dia, um simples objeto ou um utensílio de dia-a-dia pode trazer esse tipo de coisa.

O custo total do produto!

Resumidamente, olhar o preço também sem considerar garantia, durabilidade e essas coisas pode ser uma furada.

A questão na administração das suas finanças no dia-a-dia é a seguinte: tudo bem, você quer economizar, você quer otimizar bem os seus recursos, mas não fique cego avaliando apenas o custo de compra de determinados produtos.

Você tem que tentar dimensionar o custo total, que envolve o custo de aquisição de um produto mais o custo de utilização daquele produto e também eventuais impactos financeiros que o uso daquele produto pode trazer.