Meta para 2018 – fazer um curso de finanças pessoais épico

Se você deseja alcançar a sua independência financeira e garantir uma vida de fartura, liberdade e poucas preocupações com relação ao dinheiro, você precisa dominar suas finanças pessoais.

Se você não tem esta pretensão e confia na aposentadoria que lhe será fornecida pela previdência social, adivinhe! Você também precisará dominar as finanças pessoais.

Não vou entrar em muitos detalhes sobre o tema “previdência social”. Só que a aposentadoria que você receberá no futuro, pelo INSS, não será o suficiente para cobrir os seus gastos na “melhor idade”.

Então, você deverá dedicar algum tempo e certa dose de trabalho às suas finanças hoje, para que possa viver uma vida mais digna e com mais liberdade no futuro.

Muitas pessoas evitam este tema por conta de sua aparente dificuldade. Outras, simplesmente o negligenciam por não gostar do assunto ou por achar que ele não é tão importante assim.

No dia a dia, muitas pessoas dizem que não cuidam de suas finanças porque não gostam de matemática. O que estas pessoas não sabem é que o processo de organização de finanças pessoais envolve muito mais comportamento do que conhecimento.

Por acaso, você já se sentiu meio perdido ou sem saber o que fazer com o seu salário, assim que você o recebe? Não entende muito o quanto precisa guardar para o futuro, e como investir esta parcela?

Para você que respondeu “sim” às perguntas acima, eu trago boas notícias: existem algumas regras de finanças pessoais que são muito fáceis de aprender e que podem ser aplicadas imediatamente.

O melhor curso de finanças da atualidade

O segredo do mundo é o conhecimento. Logo, se você quer ter sucesso em qualquer área da sua vida, deve estudar. No mercado financeiro, isso pode ser feito através dos cursos de finanças.

Mas, será que existe algum curso recomendado? Aliás, como escolher o melhor curso de finanças da atualidade?

Sim, existem formas de encontrar um bom curso para estudar o mercado financeiro. E a escolha errada pode te fazer perder dinheiro.

A nossa recomendação é: não deixe de estudar… Mas faça isso com fontes confiáveis.

A melhor forma de provar uma afirmação é com a prática. Então, vamos ser bastante objetivos a partir de agora!

Considere que estamos falando de Robinson Trovó. Ele é conhecedor do mercado financeiro por tê-lo estudado por muito tempo e com muitos cursos sobre finanças.

Dessa forma, ele largou a faculdade que tinha e entrou no mercado do dinheiro. Perdeu todo seu investimento e continuou estudando ainda mais.

Depois, tornou-se um dos poucos brasileiros a somar 1 milhão de reais quando ainda tinha menos de 30 anos.

Trovó, após conseguir êxito nesse mercado, criou um curso a partir dos seus erros e dos seus acertos.

Logo, por que deu certo? Porque ele errou muito antes de aprender a se portar na bolsa de valores.

Agora, isso responde esse tópico: a base usada para a criação desse curso de finanças é justamente o seu empenho e a sua experiência no mercado financeiro.

Ele não criou algo a partir do que ele achava, mas sim com as informações que ele colheu durante a empreitada do seu primeiro milhão de reais.

Isso faz sentido para você?

Curso de Finanças Risco Zero nos Investimentos tem a ver com a história de um homem que estudou o mercado e atuou nele. A parte disso, criou uma metodologia de estudos.

Aqui, não há segredos! Você vai poder aprender com quem já viveu “dentro dos gramados”.

Se um rei te ensinasse a investir dinheiro, será que esse ensinamento seria condizente com a sua realidade? Possivelmente, ele falaria até de castelos e camelos… Coisas que podem estar distantes do seu mundo atual.

Para quem não conhece a história do Trovó, vamos contar brevemente – observe as tamanhas semelhanças que ele tem com você!

Robinson Trovó não herdou dinheiro da família e nunca ganhou dinheiro algum na loteria do governo federal.

Também não encontrou o gênio da lâmpada mágica e nem foi inventor de uma grande bugiganga que lhe rendesse alguma fortuna.

Ah, se você pensa que ele se casou com uma mulher rica… Está equivocado!

Como a maior parte de nós, brasileiros, ele estudou muito para “se tornar alguém na vida” – mas, como muito de nós também, ele fracassou.

Ao chegar ao mercado de trabalho, Trovó se deparou com uma dura realidade – um esgotamento de vagas e uma concorrência desleal de opções de trabalho.

Abandonou a profissão para estudar finanças. E, posteriormente, vendeu o carro para investir dinheiro na bolsa de valores!

Repare bem na história desse cara… Você consegue ver alguma semelhança coma sua realidade?

Isso é importante porque mostra que ele também tinha uma vida “normal”. Como todo brasileiro, lutou por uma vida digna. Estudou muito, pesquisou, enfrentou o mercado de trabalho.

A única diferença é que ele teve ousadia para buscar conhecimento no mercado financeiro – e se deu bem com isso!

Você pode ter o mesmo fim, se quiser. E pode começar a mudar de vida a partir de hoje, com o curso do Trovó. Essa é uma ótima chance de aprender sobre esse mercado tão desconhecido e ao mesmo tempo tão promissor!

Você já sabe quase tudo que precisa para aceitar um curso de finanças que realmente valha a pena. Mas resta um ponto, muito importante!

Se você já dedicar um tempo para o estudo, precisa saber se há chances reais de aplicar aqueles conhecimentos na prática.

Nós já falamos sobre o autor, a metodologia, a base e porque tudo isso tende a dar certo para você também.

Oras, se uma pessoa que é como você conseguiu ganhar dinheiro na bolsa de valores, fica lógico que o curso de finanças oferecido por ele vai gerar ótimos resultados para você também, não é?

Ainda que essa afirmação faça todo sentido, as pessoas costumam exigir um pouco mais para ter “segurança” na hora de começar a estudar o mercado.

E só uma forma de mostrar e comprovar isso – com as histórias reais!

Será que alguém fez o curso e conseguiu ganhar dinheiro também? Se você tiver essa resposta vai ficar um pouco mais confiante, não é?

Bem, como pensamos em tudo antes de escrever este artigo, saiba que temos essa resposta também!

Separamos alguns relatos, em vídeos, dos alunos da Trovó Academy (curso de finanças do Trovó), que provam que estudar o mercado financeiro dá certo.

São comentários e analises de pessoas que iniciaram seus cursos há algum tempo ou recentemente, mas que já estão colhendo bons frutos financeiros.

Descubra o “seu número” para independência financeira

Se você chegou aqui, certamente está muito mais preparado para lidar com suas finanças do que no início do texto. Meus parabéns!

O caminho em direção a independência financeira começa justamente com o domínio destes conceitos simples, porém pouco disseminados, de finanças pessoais.

Este número pode variar de acordo com o seu perfil como investidor e a constituição de sua carteira de investimentos.

Entretanto, eu gosto de dizer que, quando suas despesas anuais forem em torno de 6% a 8% do patrimônio investido, você pode se considerar financeiramente independente.

É geralmente neste ponto que o seu dinheiro trabalhará mais do que o suficiente para cobrir seu estilo de vida.

E como fazer este cálculo? É fácil: basta que você estime quais serão os seus gastos anuais que você demandará na sua aposentadoria e dividir este valor por 0,06 e por 0,08.

O seu montante necessário para que você seja financeiramente independente certamente estará entre estes dois valores.

Nesta estimativa de gastos anuais futuros, não se esqueça de prever dinheiro para cobrir custos que crescem mais rápido conforme envelhecemos, como o plano de saúde e dinheiro para viajar muito!

Por fim, caso você esteja se perguntando: por que um valor entre 6% e 8%? Da onde você tirou este número? Este número é a rentabilidade acima da inflação que eu estimo que uma boa carteira moderada de investimentos possa auferir no longo prazo.

Assim, se você retirar apenas o rendimento acima da inflação, seu patrimônio será preservado e você viverá numa absoluta tranquilidade financeira!

Ter o controle de suas finanças não é uma tarefa fácil, mas pode ser bem simples. Para isso, basta que você domine e aplique alguns conceitos básicos, que crie planos e monitore os seus gastos.

Da Redação