3 cuidados para a crise financeira não causar uma crise amorosa!

PROPAGANDA

Crise no amor ou crise no dinheiro. O que será que é pior? As pessoas mais velhas do que nós sempre vão dizer que um pode acarretar o outro e sim, o dinheiro (ou o desentendimento dele) pode causar até mesmo uma separação de casais.

O assunto de hoje é esse mesmo: casais, amor e dinheiro. Como será que podemos equilibrar isso tudo em nossa vida? Bora aprender um pouco mais para viver mais harmoniosamente!?

PROPAGANDA

Um tema importante!

Um tema importante como esse nunca deve ser deixado de lado. E, afinal, estamos falando de um tema que vem destruindo muitos corações.

Olha só: quando o assunto é dinheiro, parece que dá um pane na vida das pessoas.

Porque quando pretende se casar, está tudo bem. Vem aquele momento de festa. Aí vem os primeiros filhos. E parece que as coisas vão se esfriando. É onde tudo começa a dar ruim!

PROPAGANDA

E aí entra uma questão importante chamada “dinheiro”, que vem fazendo um estrago na vida das pessoas desses relacionamentos, tanto maridos, como esposas, filhos.

Por isso, como não queremos que nenhum casal ou família se destrua por conta do dinheiro, o que trouxemos para hoje foram alguns cuidados de como evitar esses desastre do amor.

Vamos conferir?

3 cuidados para a crise financeira não causar uma crise amorosa!

1 – O começo do relacionamento

Precisamos ser muito francos com vocês: se você começou seu relacionamento pensando no dinheiro, já começou totalmente errado.

É preciso que você coloque o sentimento nas frentes. O dinheiro é importante, mas não mais do que o amor. Independente da sua religião, você tem que acreditar nisso.

Isso porque as crises sempre vão existir. E os problemas também vão acontecer.

Aí, certamente, é que vai aparecer a importância do amor, que vai atuar superando as crises financeiras da família e do casal.

A verdade é que hoje em dia muitas relações vêm sendo destruídas por essa relação financeira que precisa ser resolvida mesmo. E aqui pulamos para o próximo tópico!

2 – A conversa sobre o dinheiro

A conversa entre o casal é fundamental desde o começo do relacionamento.

No quesito financeiro, também. Conversar, ou melhor se comunicar, é preciso!

Principalmente, olhando para o cenário dos propósitos e sonhos dessas duas pessoas ou mais pessoas (se estivermos falando de uma família inteira).

Começando por aí, com a conversa cotidiana, fica mais fácil resolver qualquer problema porque uma das coisas mais difíceis quando um casal já começa a entrar na rotina é essa questão de falar sobre isso.

Agora, na hora que a gente começa a pagar as contas é que as coisas acontecem e quanto melhor entrosado o casal estiver, melhores o resultados.

Portanto, converse!

“Eu não consigo mais viajar”, é uma das frases que mais causam brigas, sabia?

Isso porque o casal deixa de curtir, deixa de viajar, de passear e começa a entrar em uma rotina no automático.

Lógico que a partir disso, ele começa a se prender a questões financeiras e aí começa tudo andar para trás.

Por isso, a necessidade dessa reunião periódica pelo menos uma vez a cada 36 meses, para falar exatamente sobre os recursos financeiros e criar um orçamento da família!

E respeitar e priorizar os propósitos dessa família vai afetar o relacionamento. Como veremos no tópico abaixo…

3 – O respeito com o parceiro

Agora, se está tudo bem com relação ao dinheiro, você está conseguindo poupar, guardar, viajar, passear pode reparar o casal está vivendo uma lua de mel.

Ou seja, não tem problema algum nisso.

E aí que fica fica tudo bem.

Só que entra a observação final: a do cuidado de manter essa relação em níveis ótimos para o restante da vida!

Agora, pode reparar que quando o casal começa a ter a dificuldade de honrar seus compromissos, aí começa aquela troca de palavras, como “você é culpado”, “ você que quis isso”, blá blá blá.

Então, você escolhe o que quer para o seu relacionamento.

Porque é lógico que essa discussão acaba sendo muito grave no que se refere a consequência disso: muitas separações estão acontecendo no dia a dia por conta da questão financeira.

O que queremos mostrar é que é possível represar isso e não deixar com que isso entre dentro do seu lar e da sua casa. Por isso, a importância do diálogo, o respeito a aquela pessoa, aos hábitos e aos costumes que ela tinha.

Ou seja, o amor e o dinheiro pode sim se relacionar e ter frutos!

Então, reúna com seu parceiro e comece a construir esse caminho da prosperidade na relação do amor com o dinheiro.

PROPAGANDA