Por que existem corretoras de valores mais baratas que bancos para investir?

ANÚNCIO

Nossa equipe teve a certeza de que este artigo seria de extrema importância para você que está começando no mundo dos investimentos. Afinal, quem nunca se perguntou por que existem corretoras de valores mais baratas do que bancos?

Ah, e se você é um pequeno investidor que escolheu sua corretora de valores sem muito esforço ou estudo, então, esse artigo também vai lhe servir como uma luva.

ANÚNCIO

Por exemplo, para começar a estudar o tema, já vamos levantar uma questão:

– Você sabe dizer como a sua corretora de valores ganha dinheiro?

Nas próximas linhas, nós vamos te mostrar como as corretoras fazem para ganhar dinheiro.

ANÚNCIO

Mas, não só isso: vamos fazer o possível para te ajudar a refletir sobre o conflito de interesse que pode existir entre a sua relação com esse tipo de empresa.

As corretoras são melhores que os bancos para investir?

Geralmente sim. Mas, isso não quer dizer que você deva fazer isso de olhos vendados, está bem?

Então, bora lá! Este artigo é mais uma produção que serve como capítulo de estudo para você que está conhecendo mais sobre os investimentos.

Portanto, sinta-se a vontade para aprender junto e deixe-nos um comentário ao final do artigo.

Corretoras de bancos x corretoras independentes

Para entender por que existem corretoras de valores mais baratas do que outras, você vai ter que passar por esse primeiro ponto, que é justamente entender o que são essas corretoras.

Aliás, você já teve a impressão de que estava sendo enganado pela sua corretora?

Na verdade, não necessariamente enganado, mas é como se ela tivesse te omitindo algumas informações bem importantes, sabe?

Isso tem a ver com te explicar como ela ganha dinheiro também.

Isso é importante para você entender os tais conflitos de interesses dos quais vamos falar.

Sabendo dessa informação você terá maior capacidade de tomar decisões importantes em relação aos seus investimentos financeiros.

Pensando, por exemplo, na avaliação da troca ou não das várias corretoras de valores.

Além disso, você também poderá fugir (ou ao menos se blindar) de vários conflitos que existe nessa relação entre você e a corretora.

Bem, qual é, então, a distinção entre as corretoras de bancos e as corretoras independentes?

As corretoras de bancos estão, como nomes diz, vinculadas a um banco.

Todos os bancos de varejo do Brasil possui uma corretora integrada para que seus clientes consigam fazer aplicações financeiras através das corretoras.

Já as corretoras de valores independentes são aquelas que não estão vinculadas a um banco podendo atuar separadamente no mercado financeiro.

As diferenças

Existem várias, mas a grande diferença entre elas é que as corretoras dos bancos só podem oferecer produtos do seu banco.

Enquanto as independentes podem oferecer produtos de quaisquer bancos do país.

Isso faz diferença porque a gama de produtos torna-se bem maior nas independentes.

Nas independentes temos o que é chamado de plataforma aberta de investimento.

Isso significa dizer que nelas você vai encontrar produtos de vários emissores e bancos diferentes podendo escolher aquela que a melhor oferta para o seu fim para que você quer investir.

Aqui é importante ressaltar que as corretoras de banco até podem oferecer produtos diferentes, mas isso geralmente só acontece para clientes de alta renda.

Outra diferença importante é a cobrança de taxas para se diferenciar ou atrair o público.

As corretoras independentes acabam oferecendo taxas muito mais vantajosas para seus clientes se comparado as taxas que os bancos oferecem.

Isso já explicaria, por exemplo, porque existem corretoras de valores mais baratas do que corretoras de bancos, não é?

E aí, vários leitores vêm nos perguntar, mas por que você diz tanto para investirmos em corretoras.

Então, aí estão duas respostas, que para nós, são os principais motivos para você optar pela corretora independente ao invés do banco: maior leque de produtos e melhores taxas.

Vamos voltar à outro tema central desse texto:

Como as corretoras ganham dinheiro?

A corretora, antes de mais nada, é uma empresa.

Mesmo a corretora do banco, que também é  como uma unidade do banco, faz parte do grupo das “empresas”.

E você não precisa saber muito de administração para saber que em qualquer empresa (que não é uma organização sem fins lucrativos) o lucro precisa existir para ela dar certo.

Então, na verdade, é completamente normal que as corretoras de valores busquem lucrar em suas  operações.

Ou você achou que “existia almoço grátis”?

É claro que as corretoras de valores ganham dinheiro, amiguinho.

Até mesmo as corretoras de valores mais baratas ganham dinheiro – de uma forma ou de outra.

É até bom que elas tenham uma boa saúde financeira, por que isso prova que ela não virá a quebrar.

Agora, como elas fazem isso?

As corretoras ganham dinheiro, basicamente, através do Float.

O Float é uma cobrança feita que incluem várias taxas, sendo as principais:

  • Taxa de custódia,
  • Ttaxa de corretagem,
  • Spread na distribuição de produtos e
  • Repasse na distribuição de fundos de investimento.

Cada um desses tópicos merece explicação, então, vamos começar pelo float.

corretoras de valores mais baratas

Float – o que é?

É o nome dado a uma situação onde o cliente deixa uma parte do seu dinheiro parado na corretora sem render nada.

É o dinheiro em caixa.

E a corretora consegue a remuneração para ela 100% de CDI, em uma taxa livre de risco.

Essa situação é bem comum e em alguns casos também acontece quando a corretora cobra antecipadamente o seu cliente de taxas que serão repassados para terceiros.

Esse dinheiro antecipado é usado pela corretora para render juros.

Por exemplo, a taxa que o investidor deve à B3 (que é a nova bolsa de valores do Brasil).

Para quem vai investir no Tesouro Direto essa é uma taxa semestral obrigatória e fixa, sendo de 0,3% ao ano.

E como é que funciona a situação de floating nesse caso?

A corretora de valores cobra os seus clientes e recebe o débito dos seus clientes. Só que não faz esse repasse imediatamente ao tesouro.

Na outra semana é que ela faz isso.

Portanto, ela ganhou 1 semana de rendimento sobre o CDI.

Taxa de custódia – o que é?

Aliás, para conseguir selecionar as corretoras de valores mais baratas, você tem que conhecer todas as taxas que são cobradas pelas corretoras e vamos começar pela de custódia.

Bom, temos a taxa de custódia.

Essa é uma taxa cobrada pela corretora para armazenar os produtos financeiros.

Ou seja, para custodiar os produtos financeiros que o investidor possui, tais como os títulos e as ações.

A taxa de custódia é cobrada mensalmente e pode representar um valor fixo ou uma porcentagem sobre os papéis, o que é muito raro de acontecer.

Taxa de corretagem – o que é?

Em seguida, vamos falar da taxa de corretagem.

Essa é uma cobrança feita por cada movimentação realizada na bolsa de valores.

Então, se você tem investimentos apenas na renda fixa, não precisará ser cobrado por ela.

A taxa incide sempre quando a operação de compra e de venda é executada.

Ela pode ser um valor fixo ou percentual também, seguindo a tabela da B3.

E essa tabela diz que é mais ou menos 0,5% sobre cada operação.

Ah, e também existem corretoras que vendem pacotes de corretagem beneficiando aqueles investidores que fazem muitas operações em um determinado período pré-estabelecido.

E essa taxa, sem dúvidas, é uma das que mais vai fazer a corretora ganhar dinheiro.

No entanto, aqui entra um grande conflito de interesse que existe nessa relação entre investidores e corretoras.

A corretora sempre vai ganhar, especialmente quando você comprar ou vender ativos de renda variável.

E isso vai acontecer sem se importar se você teve lucro ou se você teve prejuízos.

Desta forma, algumas corretoras investem muito pesado na produção de conteúdos que favoreçam:

  • A especulação financeira,
  • O giro das carteiras,
  • As operações de curto prazo,
  • As operações de compra e venda.

E isso é bastante frequente.

São essas as pessoas que vão gerar bastante corretagem para corretor.

E spread – o que é?

Spread é a diferença de preço entre compra e venda de um determinado ativo.

Vamos utilizar um CDB como exemplo.

Para explicar o que é o spread, digamos que você tenha adquirido um CDB de um  banco, através de sua corretora de valores.

E que esse ativo pague 12% ao ano.

Então, essa foi a rentabilidade que a corretora de vendeu.

Agora, se eu dissesse que esse CDB paga na verdade 14% ao ano perceba a diferença entre a rentabilidade que a corretora fechou e a rentabilidade ela te ofereceu.

Portanto, essa diferença é embolsada para ela – esse movimento é chamado de spread.

A corretora tem mais flexibilidade de oferecer CDB com uma rentabilidade que vai atrair os consumidores, mas que também pode dar para ela uma boa receita.

De certa forma isso que incentiva as corretoras a conseguirem oferecer uma vasta gama de produtos financeiros.

CDB para 2018 é bom investimento financeiro? Clique e descubra!

Isso quer dizer que não importa muito se as corretoras de valores mais baratas tem valores melhores  porque, de fato, elas vão ganhar algum dinheiro em algum momento.

Repasse dos Fundos?

Além da taxa do spread, as corretoras ainda podem ganhar dinheiro de outras formas e uma delas é o repasse de fundos de investimento que ela distribui.

Essa taxa é bem parecida com o spread.

A diferença é que as corretoras ganham um repasse, que é um percentual dado pelo gestor do fundo distribuído por sua plataforma.

Podemos dizer que um fundo cobre 2% ao ano e repasse para as corretoras 0,5% ao ano.

Tem uma boa diferença aí, né?

Conclusão importante sobre as corretoras de valores

Bom, te mostramos as principais forma de remuneração das corretoras e como elas ganham dinheiro no mercado financeiro atual.

No entanto, não estamos falando que você não deve investir nelas.

Muito ao contrário, o ideal é saber que elas são muito mais rentáveis do que os bancos.

Com essas informações em mente você já vai estar muito mais preparado para melhorar a sua relação com a corretora.

Assim sendo, o importante é saber como escolher uma corretora de valores.

3 passos para escolher as melhores corretoras de valores em 2018

Então, vamos aos passos!

1 – A contabilidade das corretoras de investimentos

O primeiro passo é verificar se a corretora de valores que você está pesquisando é realmente confiável.

E, no caso das corretoras vinculadas aos grandes bancos, a solidez da própria instituição financeira, geralmente, é um bom indicativo de confiança para ela.

Agora, para as corretoras independentes, a recomendação é você utilizar essa corretora independente só depois de verificar 3 pontos essenciais.

I – Cadastro na CVM

Saber se a corretora está devidamente autorizada a operar, é importante para que você não caia em golpes financeiros – que é tão comum hoje em dia.

Esses golpes acontecem quando você acha que está transferindo seu dinheiro para uma corretora de investimentos séria, quando na verdade está enviando seu dinheiro para algum estelionatário.

Portanto, essa consulta na CVM é tão importante.

E o melhor de tudo: é bem fácil de fazer.

Tudo o que você precisa fazer é acessar o site da CVM e buscar no menu lateral a opção “informações regulados”.

Nele, há o item “Corretoras e Distribuidoras”.

Nessa página, há uma definição mais técnica do que é uma corretora de valores.

Mas, o que nos interessa aqui é essa linha da central de sistemas da CVM torna possível consultar o nome ou CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) da empresa.

Aí, dá para descobrir se ela está realmente autorizada a atuar no mercado financeiro e também é possível descobrir qual é a função que ela pode desempenhar nesse mercado.

Se ela estiver enquadrada como corretora ou distribuidora está tudo ok. Bola para frente.

Vídeo: Corretora de Valores – como escolher a melhor, veja também:

II – Cadastro na Cetip

A Cetip é o Centro de Custódia e de Liquidação financeira de Títulos.

A empresa se fundiu com a bolsa de valores do Brasil (BM&FBovespa) e agora também faz parte da B3 – a nova bolsa brasileira.

Essa empesa serve como integradora do mercado financeiro e a sua principal função é atuar como uma guardiã de títulos – e isso garante ativos registrados no nome de investidores.

Então, já deu para notar que é importante a corretora de valores esteja cadastrada na Cetip também né.

E lembrando aqui que estamos falando de ativos de renda fixa de crédito privado também, especialmente como os CDBs, por exemplo.

Se você já teve medo do que poderia acontecer caso a sua corretora viesse a falir, não há o que se preocupar se a empresa possui o selo “Cetip Certifica”.

III – Certificado PQO

Esse certificado é da B3 e atesta vários requisitos operacionais das empresas listadas.

E isso garante que elas possam atuar em um padrão correto dentro do mercado.

Mas, o que nos interessa aqui é saber sobre o Retail Broker.

O Retail Broker é um selo importante porque avalia a corretora de investimentos dentro dos seguintes aspectos:

  • Se a empresa que oferece serviços de assessoria,
  • Se a empresa que tem plataforma eletrônica de negociação de ativos,
  • Se a corretora oferece uma diversificada gama de produtos,
  • Se ela proporciona conteúdos educacionais,
  • Se ela disponibiliza alternativas de investimentos para o investidor,
  • E se a corretora oferece ferramentas de negociação de tecnologia móvel,
  • Além de plataformas eletrônicas que sejam voltadas para investidores.

Perceba: atender esses requisitos é importante para ter uma boa experiência com seus investimentos, né.

Então, essa é o último ponto do primeiro passo para escolher uma entre as melhores corretoras de valores de 2018.

2 – As taxas das corretoras de investimentos

O 2º passo para escolher a sua corretora é verificar as taxas cobradas.

Geralmente, é por aqui que a maioria dos investidores começa a pesquisar.

Mas, antes é realmente importante verificar primeiro se a empresa escolhida realmente é confiável também.

Nesse passo aqui o ideal é entender que realmente vale a pena procurar uma corretora de valores independente ao invés de permanecer com a corretora oferecida pelos bancos.

E sobre as taxas, existem diversas delas que podem ser cobradas pelas corretoras – e tudo dentro da lei.

Uma vez que você passou pelo filtro de confiabilidade, o mais importante mesmo é escolher aquela corretora que vai gerar menos custos para quem está investindo.

Ou seja, a escolha mais barata para você entre as taxas que podem ser cobradas.

E como já falamos muito sobre as taxas, vamos ao próximo tópico.

3 – Os benefícios das corretoras de investimentos

Para escolher alguma das melhores corretoras do Brasil, é preciso entender, por fim, os benefícios por elas oferecidos!

E não é porque ele está no fim que é o menos importante, está bem?

Ele pode ser usado como critério de desempate entre as corretoras que você selecionou nos itens anteriores, ou seja, aqueles que passaram pelo primeiro filtro.

As corretoras de investimentos podem oferecer vantagens bem distintas para cada perfil de investidor. Acredite nisso!

Então é ser realmente necessário pesquisar e refletir entre as suas escolhas, estão entre essas características entre os benefícios que elas podem dar o investidor.

A dica é você verificar a qualidade no atendimento ao cliente, em um primeiro momento.

É importantíssimo ter a clareza e a simplicidade na transparência das apresentações das informações.

E aqui quanto mais transparente a corretora for, melhor para você.

E tem também as ofertas de cursos e programas de educação de investimentos e finanças pessoais, que muitas corretoras oferecem!

Esses cursinhos tem uma parte mais educacional e são boas recomendações.

Só que, depois disso, apareceu o home broker, que é uma opção de mais qualidade para quem vai operar.

  • Veja como escolher o melhor home broker da atualidade, clique aqui.

Ele trabalhava como um robô e é melhor para facilitar um pouco a sua vida de investidor.

Em seguida, a integração com a plataforma do Tesouro Direto. Só que esse ponto já não acho tão importante assim – se comparado com os outros.

Considerando que estamos fazendo operações direto pelo site do Tesouro Direto, né.

É bem tranquilo.

As calculadoras de rentabilidade e de impostos também podem ajudar bastante vocês.

E os apps (aplicativos) para dispositivos móveis – isso se você for bem conectado sempre ali no celular.

Outros benefícios…

Existem outros benefícios, como recomendação de ativos para serem comprados em bolsa de valores ou as plataformas de análise gráfica.

Só que em nossa opinião, você não tem que ficar muito ligado nisso porque existe um grande conflito de interesse entre as corretoras de investimentos.

E quanto mais investidores operam, quanto mais investidores compram ativos, mais a corretora fatura também.

Claro que isso não acontece na mesma proporção dos bancos, né.

  • Será que existe um bom banco para investir? Descubra!

Só que há conflitos entre elas sim.

Portanto, fique de olho (ao menos um pouco) nesses últimos dois benefícios que a corretora poderia te oferecer.

– A plataforma de análise técnica é para você ficar comprando e vendendo ativos de renda variável toda hora.

– E também a recomendação de ativos para investir, que muitas vezes têm um conflito, nada transparente, entre as corretoras e os investidores.

Para quem quer mais…

Esses são os três passos básicos que você precisa seguir para escolher uma entre as várias melhores corretoras de valores do Brasil – que pode ser ideal para seus investimentos.

Então, verificar a confiabilidade da corretora, conferir as taxas que a corretora cobra de você e entender os benefícios oferecidos pela corretora são chaves para o seu sucesso no mercado financeiro.

Se você seguir esse passo a passo, você não vai errar e definitivamente você vai escolher uma boa corretora para chegar até seus objetivos financeiros.

Agora, se você quer aprender mais, então, leia a continuação do artigo, que vamos falar sobre uma dúvida muito frequente nos investidores – dá para mudar de corretora?

Leia Também – as 30 maiores corretoras do Brasil!

Com informações do Youtube

ANÚNCIO