Controle do orçamento financeiro para quem tem renda mensal variável

Esse artigo é para você que é autônomo, empreendedor, tem o próprio negócio, trabalha por conta, presta serviço e todos que têm uma renda mensal variável, que se alterna entre bons resultados e números ruins. Aprenda a ter um bom controle do orçamento financeiro.

Porque ter uma renda variável não é problema e não será problema se você souber como planejar o seu dinheiro, considerando essas oscilações entre as subidas e as descidas, os ganhos e as perdas.

A incerteza da contabilidade em relação ao resultado do trabalho de cada mês é a realidade de profissionais que se enquadram em cargos e atuações.

Por outro lado, o assalariado, que tem uma carteira assinada com uma renda mais fixa (com base em associações e valor de mercado), consegue mais facilmente adotar medidas preventivas e orçamentárias para ter o controle do orçamento financeiro.

Isso porque ele tem uma média salarial dos últimos meses, usando a referência para custear o padrão de vida total e dos meses seguintes.

É mais ou menos assim: se você tem um salário de 2 mil reais, sabe que no mês que vem não pode ter contas que ultrapasse o valor dos 2 mil reais, entende?

Assim, ele sabe exatamente quanto receberá no fim do mês para custear seus gastos – até mesmo os mais burocráticos, ou seja, aqueles que são relativos á estrutura de vida.

E isso inclui boletos e débitos como aluguel, alimentação, saúde e lazer – tudo passa a ser previsível.

Agora, a realidade muda completamente de figura quando você não conta com essa previsibilidade –e aí sim, estamos falando dos profissionais que têm renda variável.

O salário variável na prática

Por exemplo, um vendedor de automóveis que vive de suas comissões, pode constatar que sua renda mais do que dobrou nos últimos quatro meses – e isso seria ótimo.

Agora, ele tem que ter cuidado para não cair em uma grande armadilha:

de achar que a sua capacidade de acertos é acima da média e adotar um padrão de vida que conte com uma constante de bons resultados para ser mantido.

Porque as vendas aumentaram nos últimos meses da mesma forma que podem cair nos meses seguintes. E isso vai depender de fatores externos e globais.

Digamos que a renda média que ele obteve nos últimos três meses foi de 3 mil reais.

Mas, que após o quarto mês de trabalho, diante da melhora nos ganhos, ele decidiu adotar um orçamento de três mil e quinhentos reais.

Afinal, levando em conta a média, o salário vai continuar subindo, né.

Só que bastará um mês ruim para que todo orçamento perca o controle!

Adotar um padrão de vida acima do real ou que dependa de médias dos últimos meses não é o jeito certo de manter o controle do orçamento financeiro, está bem?

Normalmente, a crença de que o próximo mês recompensará as perdas atuais levam a uma crescente de dívidas que só aumenta o problema.

Estudo da sazonalidade

Pensando nisso, é possível criar uma tática para evitar os riscos e as oscilações da renda variável.

Como? Entender a sazonalidade dos lucros ou da renda.

E isso só é possível a partir do momento que você faz uma análise dos seus 12 meses de ganhos [ou mais] para entender exatamente quais foram suas rendas mínima, média e máxima nesse período.

Estamos falando em renda mínima e máxima também, ok? E não apenas na média!

E para que você entenda quais são os períodos bons ou ruins para suas finanças é preciso fazer as contas.

O nome para esse tipo de análise é estudo da sazonalidade!

Se por exemplo você basear seus gastos básicos tendo como referência o máximo que ganhou no último mês, a sua situação vai se desequilibrar – como aconteceu, por exemplo, do vendedor.

Agora, se você se basear no mínimo de renda que obteve nos meses anteriores, em épocas mais críticas, então, estará no caminho certo – porque provavelmente vai sobrar dinheiro.

Quem tem ganhos variáveis não pode deixar de considerar os gastos fixos, como: financiamentos, contas parceladas e prestações.

Sendo que elas não devem superar aquele ganho mínimo que é conhecido e garantido.

Ganhar mais do que se gasta é lei no mundo financeiro, tá bom?

Muitas vezes, isso significa a necessidade de reduzir o padrão de vida que você tem hoje mudando alguns hábitos e comportamentos.

Como? Se mudando para uma casa menor, trocando de carro, passando a ter hábitos de consumo mais simples do que você teria com salário fixo igual a sua média de ganhos.

Coisas simples, coisas boas, mas coisas bastante importantes!

Antes sobrar do que faltar

Ao mesmo tempo, isso significa que se você tem mais sobras, tem mais chances também de fazer escolhas melhores.

Como você passará a viver de acordo com o mínimo de gastos, os meses de picos de renda te darão a chance de desfrutar de luxos que antes eram ignorados.

– ou você pode investir esse dinheiro, se preferir, né.

Use a renda gerada nos meses de maior lucratividade para depois de cobrir eventuais baixas na poupança ocasionadas pelos meses mais fracos.

Adotando o hábito de se presentear e presentear sua família, por exemplo.

Quem tem ganhos variáveis deve adotar o estilo de vida mais simples do que um trabalhador que tem o mesmo ganho médio.

Porém, com a compensação de poder desfrutar de luxos mais frequentes.

Entende isso?

É melhor abaixar o estilo de vida e usar os valores a mais para gastar como quiser, do que viver sempre como quiser e entrar em um mundo de dívidas.

A partir do momento em que você adota essa estratégia para trabalhar com renda variável, você se sente recompensado por ter escolhido esse caminho.

Essa é a grande chave para ter controle do orçamento financeiro, ok?

Você tem equilíbrio financeiro? Descubra!

Agora, o assunto ainda é o controle do orçamento financeiro, mas não exatamente para falar sobre as pessoas que têm renda variável durante os meses.

A ideia é conseguir manter essa disciplina para conquistar a independência financeira.

Será que você está no caminho certo?

Estar longe do equilíbrio pode não parecer um situação tão dramática – até porque a maioria das pessoas vive essa realidade, né.

Assim como menos de 55% da população pratica exercícios físicos regulares, adota uma alimentação equilibrada e dedica tempo suficiente á família e aos momentos de lazer…

Menos de 5% das pessoas conseguem manter a situação financeira equilibrada dentro do recomendado.

Esse é um dado importante porque mostra que nem sempre seguir o “efeito manada” é o certo a fazer.

Afinal, se assim fosse, não haveria tanta gente endividada por aqui.

É muito simples compreender se essa é a SUA situação.

Por exemplo:

  • Você tem condições de manter a sua família sem emprego?
  • E ainda manter o mesmo padrão de vida?
  • Por quanto tempo conseguiria?

Outra pergunta importante: você tem dívidas constantes que te preocupam ou grande dificuldade de poupar um mínimo cada mês?

Mais uma: consome toda a renda que tem para manter o seu padrão de consumo e prefere levar um dia de cada vez, ignorando totalmente os custos do amanhã?

A sua realidade

Situações como essas, podem, muitas vezes, parecer superáveis, mas quanto mais você demora a tomar consciência delas para mudar essa realidade, mais distante fica do equilíbrio na sua vida.

O controle do orçamento financeiro não é tão simples de ser feito, mas se você começar hoje, os resultados vão aparecer mais rapidamente.

É isso que gera o chamado efeito bola de neve.

– um processo em que tudo parece dar mais e mais errado e que acaba prejudicando todas as áreas da sua vida, por isso é preciso partir para ação.

Uma vida financeira repleta de dívidas:

  • Impede a construção de riqueza,
  • Resulta na não realização de sonhos e
  • Gera extrema frustração.

E aí, quer mesmo ter dívidas?

Ou vai preferir aprender a ter controle do orçamento financeiro.

Um cotidiano em que você consome toda a sua renda, impede não só a sua sobrevivência no mês seguinte, como impede também um planejamento de poupança e investimentos.

E isso pode minar totalmente os seus planos para a aposentadoria.

É por isso para ter um futuro rico, sem perder a qualidade de vida presente, você precisa:

  • garimpar suas contas em busca de sobras de recursos,
  • definir o que é importante em sua vida e
  • aprender o que são bons investimentos para fazer o dinheiro trabalhar para você.

Com pouco de dedicação constantes, você logo será capaz de selecionar melhor suas alternativas de investimentos e dar mais eficiência a sua poupança a conseguir ter mais com muito menos.

E também a transformar sonhos em planos palpáveis que serão, de fato, realizados.

Isso é ter uma vida em equilíbrio, isso é inteligência financeira.

E você, tem uma vida financeiramente equilibrada?

Controle do orçamento financeiro

Bônus – como criar metas em 2018?

Se o assunto é metas para 2018, você já deve ter pensado logo em fórmulas mágicas para emagrecer ou maneiras de ganhar muito dinheiro rapidamente.

Mas, aqui não!

Nós não vamos falar de fórmulas e sim de realidade: é hora de manter o controle financeiro pessoal.

E, portanto, se o assunto é controle financeiro, saiba que está tudo bem.

Qualquer pessoa consegue fazer isso, mesmo que ganhe pouco dinheiro ou que esteja com algumas dívidas atrasadas. A ideia é ter organização e isso é tudo.

Toda e qualquer dívida pode ser quitada, desde que você tenha paciência.

Assim como todo tipo de investimento financeiro pode ser conhecido, isso se você se dedicar a estuda-lo, claramente!

Entenda, antes de qualquer coisa, que entre suas metas para 2018, você deve incluir o assunto do dinheiro na sua vida.

Porque ele é, verdadeiramente, importante! E para falar disso, vamos partir de um preceito bastante simples: controle financeiro pessoal.

Com esse controle qualquer pessoa do mundo pode garantir uma série de benefícios para a sua vida.

Tudo vai depender da intensidade com que se aplica a vontade de organizar as finanças. Existem pessoas que conseguem ficar ricas fazendo isso, sabia?

Se você deseja alcançar a sua independência financeira e garantir uma vida de fartura, liberdade e poucas preocupações com relação ao dinheiro, você precisa dominar suas finanças pessoais.

Se você não tem esta pretensão e confia na aposentadoria que lhe será fornecida pela previdência social, adivinhe! Você também precisará dominar as finanças pessoais.

Não vou entrar em muitos detalhes sobre o tema “previdência social”.

Só que a aposentadoria que você receberá no futuro, pelo INSS, não será o suficiente para cobrir os seus gastos na “melhor idade”.

Então, você deverá dedicar algum tempo e certa dose de trabalho às suas finanças hoje, para que possa viver uma vida mais digna e com mais liberdade no futuro.

Muitas pessoas evitam este tema por conta de sua aparente dificuldade.

Outras, simplesmente o negligenciam por não gostar do assunto ou por achar que ele não é tão importante assim.

Matemática?

No dia a dia, muitas pessoas dizem que não cuidam de suas finanças porque não gostam de matemática.

O que estas pessoas não sabem é que o processo de organização de finanças pessoais envolve muito mais comportamento do que conhecimento.

Por acaso, você já se sentiu meio perdido ou sem saber o que fazer com o seu salário, assim que você o recebe?

Não entende muito o quanto precisa guardar para o futuro, e como investir esta parcela?

Para você que respondeu “sim” às perguntas acima, eu trago boas notícias: existem algumas regras de finanças pessoais que são muito fáceis de aprender e que podem ser aplicadas imediatamente.

Bom, a ideia é a seguinte: se você tem organização financeira, você pode fazer o que quiser com a sua vida: pode quitar as dívidas e, com paciência, chegar a independência financeira (ou seja, ficar rico).

Nada mal, não é mesmo?

Então, vamos lá, mãos às obras: clique no link e descubra 10 dicas para manter o controle financeiro pessoal com a ajuda das metas.

Com informações do Youtube