4 contas que nunca desejamos pagar – mas, sempre pagamos!

Se é conta, a gente não quer pagar, né? Mas, tem umas que realmente pegam no nosso calo, fala a verdade! E isso acaba influenciando negativamente o nosso controle financeiro doméstico e familiar. Isso que é o pior.

O fato é que existem contas que são mais caras e outras nem tanto, mas todas pesam no controle financeiro. E a nossa ideia aqui é mostrar que sempre têm aquelas contas que não desejamos pagar e acabamos deixando para depois – com atrasos e multas.

Essas contas são necessárias assim como as outras, só que por uma razão ou outra parecem menos importantes do que outras. O problema é que elas acabam resultado em impostos e aí, depois, fica bem difícil a gente pagar e evitar as dívidas.

O que é importante é notar que temos de pagar todos os compromissos assumidos para não acumular uma montanha de dívidas. E o melhor é fazer isso. Agora, se você não quer pagar o IPVA, por exemplo, deixe de ter um carro – não tem outro jeito, tá bom?

Agora, vamos ver e entender quais são essas contas mais chatas.

1 – A conta do imóvel

Existe uma cobrança em relação a imóveis que incomoda a maior parte das pessoas. E o incomodo aparece porque todo mundo acha que o valor é alto demais.

Você sabe do que estamos falando, né? O valor do condomínio, que nada mais é do que uma divisão de despesas dentro de um prédio, de conjunto residencial, de um conjunto de casas ou apartamentos.

O valor do condomínio serve para custear as áreas em comum desses lugares. E funciona como rateio necessário para a manutenção e promoção de melhorias daquele ambiente.

Mas, se você acha que o dinheiro do condomínio não está sendo bem empregado ou bem utilizado, considere que o primeiro passo é começar a frequentar as assembleias e expor a sua opinião junto aos demais condôminos e ao síndico!

Não adianta reclamar sentado em um sofá porque ninguém está escutando, ok?

E ficar sem pagar também não é uma maneira inteligente de reclamar.

Agora, se você vai as reuniões saberá de antemão quando haverá, por exemplo, uma reforma no edifício e vai pode opinar sobre isso também.

Já quem fica ausente reclamando do sofá de casa pode ter uma surpresa desagradável quando o valor do condomínio aumentar para viabilizar a tal reforma – e você nem esperava por isso.

2 – A conta da multa de trânsito

Outra despesa que incomoda todo mundo e, com certeza, vai incomodar você também é a multa de trânsito. Um monte de gente pode torcer o nariz para esse tipo de cobrança, mas temos que ser bem sincero com você agora…

Ela se baseia em regras muito claras, portanto, quem as seguem não vai ter o custo.

A multa é uma forma, talvez exagerada, de penalizar as pessoas. E acredite: tem um fundo educacional muito importante nisso, tá bom.

Então, assim, você não tem que falar no telefone enquanto dirige, não deve beber e dirigir, não deve estacionar em lugares proibidos e nem mesmo andar acima da velocidade permitida, por exemplo. Portanto, apesar de chata, a multa de trânsito é uma coisa relativamente necessária!

3 – A multa por atraso no pagamento

Outro tipo de multa que desperta um sentimento de incompreensão em muita gente, mas que também é justificável é a multa por atraso de pagamento.

Este é mais um exemplo de cobrança que se baseia em regras previamente estabelecidas. Então, é mais ou menos assim: você sabe que se atrasar vai ter a multa. Logo, não deve atrasar. Ponto final.

Afinal, custava ler o contrato antes de assinar aquele empréstimo?

Agora vai ter que  arcar com esse tipo de conta mais, que indica ainda a sua desorganização no orçamento financeiro.

4 – A franquia do seguro

Essa é aquela conta que causa estranhamento nas pessoas porque já existe uma outra despesa mensal relacionado a ela.

Então, além da mensalidade e parcela que você paga, ainda tem a franquia do seguro? Sim, é verdade e ela varia para os casos quando há avarias no veículo do segurado. Portanto, ele terá que pagar uma taxa extra à seguradora, além do custo mensal anual.

E para esse tipo de situação, vale a pena contar com uma reserva financeira específica. Não tem muita saída porque também é uma regra geral e que é usada justamente para evitar fraudes.

4 contas que nunca desejamos pagar – mas, sempre pagamos!

Pagar em dia!

Esses exemplos têm um ponto muito importante em comum: em todos os casos é possível se planejar e se antecipar para não ter problemas depois. Sabe como? De várias formas.

Por exemplo, ir nas assembleias de condomínio, conhecendo melhor a lei de trânsito, lendo atentamente o contratos ou formando uma reserva baseado no valor da franquia do seu seguro. O planejamento é a melhor forma de evitar ou amenizar as contas chatas!

Talvez você não queira pagar uma conta por considerar injusta ou por ter se arrependido de uma compra ou contratação de serviços ou você pode não querer pagar porque sentir que esse gasto causaria um colapso no seu orçamento mensal. Aí, tudo bem, basta cancelar!

Basta sair de um apartamento em condômino e ir para uma casa, por exemplo. Só que tudo vai ter um ponto negativo também, como a falta de segurança, por exemplo, nesse caso citado.

É fundamental entender que cada uma dessas contas indesejadas decorrem de escolhas feitas por você – seja o contrato de forma impulsiva, desrespeitar o limite da velocidade ou desprezar a reunião do condomínio!

São escolhas feitas por você e a partir daí o seu nome que está em jogo. Entendeu?

Portanto, pense com cuidado em todos os gastos que compõem o seu orçamento financeiro, inclusive, as contas que não quer pagar, mas que precisam ser pagas todos os meses.

A dica é fazer escolhas conscientes e não se comprometer com gastos que s tornam verdadeiras pedras no sapato.