Relembre 5 conselhos financeiros dos avós para a vida

ANÚNCIO

Uma grande parte da população brasileira com mais de 30 anos já não tem mais avós. Outra pequena parte, ainda possuem. Mas, o fato é que independentemente da idade todo mundo pode aprender com os conselhos financeiros dos avós. E a gente fez questão de buscar esses verdadeiros ensinamentos que foram passados de forma muito natural.

Se você conviveu, mesmo que por pouco tempo, com o seu avô ou se tem alguém na família que considera o seu avô saiba que com certeza aprendeu com ele. E se não notou, existem ensinamentos financeiros que eles nos deram durante as suas vidas em Terra. Continue lendo para descobrir os 5 principais e comece a ter uma vida mais rica e mais feliz, também.

ANÚNCIO

Relembre 5 conselhos financeiros dos avós para a vida

1 – Trabalhar não mata ninguém

É claro que hoje em dia a gente precisa tomar muito cuidado com o que a gente fala, né. Ainda mais quando consideramos que alguns tipos de trabalhos são mais arriscados. No entanto, esse é um dos conselhos financeiros dos avós que podem ser vistos até nos dias de hoje.

Isso porque é preciso ter uma fonte de renda para sobreviver e, posteriormente, para enriquecer. Ganhar dinheiro é importante não apenas para pagar as contas, mas também para iniciar os investimentos, que é uma forma inteligente de prosperar.

ANÚNCIO

Agora, o que a gente pode considerar com o “trabalhar não mata ninguém” é que o trabalho é necessário. E a ideia não é escolher um trabalho que pague muito bem ou que sugira um ótimo ganho de bônus no fim do ano. Mas, sim, aquele que nos faz bem.

É isso que vai fazer com que o trabalho valha a pena, mesmo que, inicialmente, isso não represente um alto ganho mensal, com ótimos salários. Por isso, especialize-se, estude, busque conhecimento e profissionalize para um trabalho.

2 – Compre o que é necessário

Outro ótimo conselho das pessoas mais velhas é sobre o consumo, né. Antes não se via tanto essa ideia que temos hoje de “ostentação”. E olha que sempre existiram os ricos e os milionários. É claro que eles tinham mais conforto, mas são coisas diferentes.

Se a gente falar de carros, por exemplo. O que vamos ver é que aqueles que tinham melhores condições optavam por carros mais confortáveis, com bancos melhores e direções mais leves. Só que tudo era pensado no conforto e não na velocidade, no design, no preço.

Para a maioria das pessoas, o carro tinha que ser aquele que representava o melhor custo benefício. Supondo alguém que trabalha na feira livre, o melhor carro é aquele grande, com espaço, como uma camionete. Já para quem viaja muito, talvez o melhor seja o mais econômico.

Essa ideia antiga, de que é preciso comprar apenas o que é necessário, também está impressa em outros consumos além do carro. Vale para os imóveis, para objetos e tudo mais.

3 – Construa o seu imóvel ao invés de comprar pronto

É muito provável que o seu avô tenha construído o próprio imóvel. Isso era bem comum há algum tempo atrás, quando as pessoas compravam terrenos para a construção. E essa ideia acaba tendo muitas vantagens.

No entanto, hoje em dia, pela falta de tempo, as pessoas sempre optam por comprar pronto. E isso é mais caro, no entanto, acaba sendo mais cômodo para muita gente que não tem tempo de se dedicar à construção do próprio lar.

Ao construir a sua moradia, você poderia economizar dinheiro, por exemplo. Além disso, poderia criar um ambiente e cômodos e estruturas com base naquilo que você julga importante. Diferente de comprar um apartamento pronto, que já vem pré-moldado.

Se existe mais um dos conselhos financeiros dos avós sobre a construção de imóveis é que você dará mais valor à sua construção no futuro. Hoje em dia, isso não acontece porque tudo passou a fazer parte do sistema “industrial”, “mecânico” e “pré-moldados”.

Relembre 5 conselhos financeiros dos avós para a vida

4 – Invista em produtos e bens do seu tempo

Outra coisa é que os seus avós sempre quiserem ou tiveram condições de investir em imóveis. Eles compravam terrenos para construir e depois vendiam ou alugavam os imóveis, não é mesmo? Saiba que isso funciona muito bem na época do ele.

E o motivo é que são bens que estavam em alta naquela época. Hoje, isso já não é tão bom assim. Uma porque as construtoras estão fazendo construções mais populares e outra coisa é porque já não se tem uma carência de moradias como havia antes.

Mas, de qualquer modo, dá para aprender com eles, né. Dá para aprender que a gente precisa ficar atento à modernidade, à nossa Era, à atualidade. E aí, a gente começa a fazer investimentos mais atuais e que darão retornos.

5 – Reúna a família e quem você ama

Independentemente da situação financeira, e se o prato era caviar ou aquela galinhada na panela, o fato é que a maioria das famílias se reunia aos finais de semana para comerem juntos. E aí, com a morte dos avós, todo mundo vai se distanciando.

Isso é algo natural, que acontece com várias famílias brasileiras. E se tem um último, de todos os conselhos financeiros dos avós que listados aqui, que vale a pena é sobre essa reunião de família. Pode parecer que isso não faz sentido algum para as finanças, mas faz!

Esse almoço em família não é importante apenas para te fazer ter uma nova ideia de negócio com o seu primo ou com o seu tio. Mas, também porque vai ter motivação pessoal para o seu crescimento financeiro e pessoal.

Trata-se de dar sentido à vida. Um grande empresário, que seja milionário, precisa ter uma base sólida na hora de tomar as melhores decisões. E a família tem esse papel. Portanto, não evite e não destrua essa relação com os seus entes queridos, amigos e familiares.

Você também vai gostar de ler: “Eu bem que te avisei” – 10 Conselhos de Avó para Ficar  Rico Rapidamente

ANÚNCIO