10 Dicas Infalíveis para Comprar Dólar Turismo e Economizar Dinheiro

ANÚNCIO

Com tantas informações importantes no mundo, fica muito difícil conseguir saber qual é a melhor hora para comprar dólar para viagens ao exterior. O ideal, no entanto, é agir com sabedoria e estratégia inteligente, o que faz parte de um planejamento financeiro mais amplo. Comprar aos poucos, por exemplo, é uma das melhores saídas.

Escrevemos este artigo com o intuito de trazer alguns pontos importantes na hora de comprar dólar. Talvez você ainda não tenha notado, mas se deixar para comprar na última hora, você pode perder muito dinheiro.

ANÚNCIO

O preço médio, em quase todos os casos, é mais compensador do que a compra única (como falamos no artigo publicado anteriormente).

  • Além disso, você sabe se vale a pena usar o cartão de crédito nessas viagens?
  • Já notou que o Dólar Turismo é mais caro do que o comercial?
  • E sobre o cartão pré-pago, vale a pena?

Separamos todas essas respostas no decorrer do texto, leia!

Antes de citar todas as dicas, compreenda um pouco os motivos pelos quais a política internacional é tão importante na hora de fazer essa cotação.

ANÚNCIO

Histórico do Dólar

Toda crise política traz instabilidades para o câmbio. O dólar é a principal moeda do mundo, portanto, quando ela oscila, todas as outras vão na mesma entoada. No mês de maio, o dólar teve oscilações representáveis que mostrou gráficos em intensos sobe-e-desce.

Quem estava com viagens marcadas e ainda não havia comprado a moeda, sofreu. A surpresa, nesses casos, costuma ser uma das grandes vilãs da viagem.

E essa oscilação, na real, vem acontecendo desde a eleição do atual presidente americano, Donald Trump, mas se acentuou com a delação premiada do dono da JBS, Joesley Batista, que colocou em xeque o atual presidente brasileiro, Michel Temer.

Se você ficou meio “perdidão” no tempo, relembre essas duas notícias super importantes da economia nacional e mundial:

Nessa última ocasião, o dólar subiu 8%, mas voltou a cair 4% dois dias depois. Mais tarde, subiu de novo e assim tem sido.

Para se ter uma breve noção do que estamos falando, a moeda começou valendo 3,15 em maio. Depois, no dia 16, teve a sua maior desvalorização, ficando em 3,09. Já no dia 18, o dólar foi cotado à 3,38 reais.

“O mercado ficou sem referência de preço. O comportamento dos clientes foi de pânico. O telefone não parava. Sentimos um pouco do desespero em relação a instabilidade da economia”, afirmou Fernando Pavani, presidente da Bee Cambio ao G1.

Confira agora as principais dicas que selecionamos para você que vai viajar nos próximos dias, que pretende viajar em no futuro ou que quer entender qual o jeito certo de comprar dólar.

10 Dicas Infalíveis para Comprar Dólar Turismo e Economizar Dinheiro

Edmar Bull é presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) e diz que quem já marcou as férias, pode manter os planos, mas é preciso muita cautela.

“O brasileiro não consegue deixar de viajar, está no DNA. Ele muda o hábito, mas não deixa de tirar férias. Pode diminuir alguns dias, pegar um hotel com 3 estrelas, em vez de 4, apenas um quarto para a família toda”, afirmou.

Já para aquelas pessoas que ainda não organizou as férias, é preciso fazer um orçamento da viagem o mais rápido possível, levando em conta a cotação do dólar. Com o orçamento apertado demais, vale rever o destino, o número de dias da viagem ou mesmo trocar os objetivos financeiros.

Essa também é a opinião de Clemens Nunes, professor da Escola de Economia da FGV-SP.

“É mais prudente optar por um pacote nacional nesse momento”.

1 – Roteiro da Viagem

A compra da moeda estrangeira é apenas um dos muitos fatores que precisam ser vistos com antecedência. Já está mais do que provado que quem planeja (o que quer que seja) consegue mais benefícios, mais vantagens.

Aliás, consegue até mesmo economizar mais dinheiro.

Por isso, se pergunte e saiba a resposta concreta para perguntas como:

  • Quanto tempo você vai ficar fora?
  • Onde você vai ficar esse tempo?
  • O que vai fazer durante esse período de viagem?
  • Qual será o itinerário?

O ideal é ter um prospecto da viagem, mesmo que na hora alguns fatores possam se alternar. Saiba que ter o roteiro da viagem ajuda você a ter uma viagem sem dores de cabeça e sem ter que furar muito o bolso.

  • Ao final do artigo, leia também: 7 Dicas para Juntar Dinheiro suficiente para um Intercâmbio

2 – Compre os Dólares aos Poucos

Na verdade, você nunca vai saber (com exatidão) quando o dólar vai ficar no seu patamar mais baixo. Se assim o fosse, seria muito fácil de resolver o seu problema de comprar a moeda estrangeira.

Portanto, pesquisas e analistas têm afirmado que a melhor forma de comprar dólar para turismo é fazendo-o aos poucos.

Se você já tem em mente o seu itinerário e consegue imaginar um panorama do planejamento em até 12 meses de antecedência, tudo vai ficar mais fácil para guardar o dinheiro da sua viagem.

Isso inclui, por exemplo, juntar um pouco dinheiro mês a mês e comprar os dólares naquele instante. Além disso, parte desse dinheiro pode ser destinado para pagar possíveis despesas do cartão de crédito durante o período que estiver fora.

Logo, comprar na véspera é uma das suas piores atitudes. Use intervalos regulares. Se você tem 2 mil reais para comprar em dólares e tem um prazo de 12 meses para fazer isso: divida em 4 compras, a cada 3 meses. Esse parece ser um tempo ideal.

Defina a frequência e mantenha-se informado sobre a oscilação do câmbio.

3 – Notícia sobre o Dólar

Mesmo que não seja possível prever uma queda do dólar, o noticiário pode te ajudar a saber quando a moeda estrangeira está em baixa, o que é ótimo para você comprar alguns dólares a mais.

Quase todos os fatos nacionais e globais estão ligados à cotação do dólar: eleições presidenciais, intervenções na economia, queda de produtos internacionais e de commodities…

Tudo isso (e muito mais) pode pesar para um lado ou para outro, logo, pode ser bom para o governo, para os empresários, para especuladores, investidores, agentes ou para nenhum deles.

A valorização (ou desvalorização) da moeda é fator determinante para você saber quando deve comprar dólares ou quando deve deixar de fazer. Se você tiver 12 meses para analisar isso, saiba que pode economizar um bom dinheiro, que poderá ser gasto na viagem.

4 – Histórico da Cotação

São várias as ferramentas, sites e aplicativos que disponibilizam, de forma gratuita, as informações importantes sobre o dólar, o que é fundamental para você acompanhar qual o melhor momento para a compra do seu dinheiro.

É claro que além de saber do noticiário, você precisa ter uma ideia de quanto está valendo o dólar e de quanto esteve valendo ontem. Tudo precisa ser analisado, pesquisado e feito com sabedoria.

Inclusive, muitos aplicativos atuais mostram quais cidades tem a moeda mais barata, apesar disso apresentar pouca diferença. No entanto, vale para fins informativos, o que é ideal na hora de fazer a movimentação comercial.

5 – Viagem Próxima

Se você errou no planejamento e sua viagem está próxima, a recomendação é tentar encontrar uma brecha favorável nos próximos dias para comprar a moeda, levando em conta que o Banco Central interfere diretamente no câmbio.

Como você não fez o trabalho de casa e não se planejou, agora vai precisar ficar por um bom tempo “ligado” aos sites de cotações, analisando as notícias.

“Quando o BC entra com leilão, a cotação cai. Quando há uma crise, o BC faz várias vendas ao longo do dia”, aponta Pavani.

Outra forma de amenizar a perda financeira e não desfalcar tanto a conta bancária, é reduzir as compras e as contas durante a viagem.

“Agora não tem muito o que fazer, só segurar os gastos”, recomenda Miguel de Oliveira, diretor de uma associação de executivos de finanças (Anefac).

6 – O uso do Cartão de Crédito não é uma boa atitude?

Não. Por um forte motivo: quem pagas as compras no exterior usando o cartão de crédito não sabe exatamente quando vai pagar quando a fatura chegar justamente porque o valor pago é feito referente ao dia de fechamento da fatura e não na data da compra.

Então, nem pense em comprar quando o dólar estiver em baixa porque isso não vai adiantar, praticamente, nada.

“Se fosse certeza que o dólar vai cair, eu diria para comprar com cartão. Quando for pagar estará mais barato. Mas pode ser o contrário e ficar mais caro”, disse Oliveira.

No entanto, todo mercado ainda está incerto, o que torna ainda mais difícil fazer uma proposição da alta ou baixa do dólar.

“Se não resolver logo o que está acontecendo, as moedas contiunarão voláteis e provavelmente subindo. Se tem uma coisa que afeta a cotação do real é instabilidade jurídica”, afirmou.

Quando usa o cartão de crédito nessas viagens, o consumidor também paga algumas taxas adicionais, como o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Confira tudo sobre isso na notícia que publicamos anteriormente.

Vai Viajar para o Exterior? Descubra como Comprar Dólar sem Perder Dinheiro!

7 – E sobre o cartão pré-pago?

É uma medida menos pior do que o cartão de crédito porque você não precisa carregar muito dinheiro em espécie, no entanto, nessa situação também haverá a cobrança do IOF.

8 – Por que o Dólar Turismo é mais caro?

No mercado atual existem basicamente 3 dólares: o comercial, o de turismo e o paralelo. Conheça as principais diferenças entre eles.

  • Dólar Comercial: é usado pelas empresas para a realização da importação e exportação de mercadorias. Ela é definida pelo Banco Central.
  • Dólar Turismo: é o que compramos quando precisamos viajar ao exterior. Ele é usado para passagens aéreas, gastos em estabelecimentos internacionais e conversão de débitos em moeda estrangeira.
  • Dólar Paralelo: é uma cotação não oficial para o dólar e, em tempos antigos, era usado para proteger o investidor de solavancos da economia e das medidas do governo.

A explicação geral é pelo fato de que o preço pago pelo turista leva em conta os custos administrativos da corretora de câmbio, com a operação e a entrega da moeda. Além disso, o IOF também aumenta o valor, principalmente nos cartões, onde os índices são de mais de 6%.

Conforme o Banco Central, a taxa de câmbio pode variar conforme a natureza da operação e de outros componentes: valor, cliente e liquidação. Logo, os consumidores compram em pouca quantidade se comparados à grandes empresas e bancos, por isso, tendem a ter custos maiores.

9 – Orçamento da Viagem

Com a viagem próxima ou longe, é preciso ter um orçamento fiel dos seus gastos, portanto, tenha uma ideia dos passeios e do custo da hospedagem, que devem ser feitos durante o planejamento.

Se for possível, inclusive, compre ingressos antecipadamente.

Como ter um planejamento financeiro positivo, se é preciso pagar todas as contas, investir na educação, abrir mão de muitas coisas e nunca conseguir fazer sobrar dinheiro para uma viagem de fim de ano?

Esse é o pensamento de muitas pessoas! É um pensamento triste, desanimador. Mas, que bom que você está lendo esse texto porque essa pode ser a sua chance de ter uma outra visão sobre o dinheiro que você ganha e que você gasta. E, logo de cara, vamos avisando: é preciso juntar dinheiro, investir e não desistir.

Com objetivos traçados, faça as contas. É extremamente necessário saber quanto se ganha e quanto se gasta. Muitas pessoas, mas muitas mesmo, acham que sabem sobre esses valores, mas não sabem de fato. Elas não têm uma listinha com anotações e não fazem um cronograma financeiro pessoal.

Esse um dos principais erros. Use e abuse da tecnologia, por exemplo. Aqui, já falamos do SR INVEST, que mostra, inclusive, os melhores investimentos para você guardar o seu dinheiro. Mas, se você gosta mesmo é do papel e da caneta, bora lá.

Não tem importância, você pode usá-los, sim! O importante é anotar, somar e ver quanto está entrando e quanto está saindo de dinheiro no final de cada mês.

Acabamos de falar, mas vamos reforçar: Poupe o seu dinheiro investindo! Guardar na poupança não é uma boa opção. Não mesmo! Ela não tem bom rendimento, ela está abaixo da inflação, ela perde para quase todos os outros tipos de investimentos, ela não tem mais segurança do que algumas Rendas Fixas

E quer saber mais? Veja esse vídeo abaixo.

Agora, se a sua dúvida é como e onde investir, então, busque informação, notícias, cursos, livros e conheça mais desse mercado.

10 – Muita Calma Nessa Hora

Por fim, neste último tópico, deixamos as orientações de Conrado Navarro, que é especialista em dinheiro. Ele diz que:

“Não acredite naquele amigo que diz que sabe a melhor hora para comprar dólar. Ele não sabe. Ninguém sabe. Prefira agir de forma planejada, precavida e inteligente: compre dólar de pouco em pouco, de forma constante e em intervalos definidos. O preço médio de compra dessa forma tende a ser mais baixo que o da compra única”.

E continua:

“Além disso, não deixe para pensar e planejar a viagem “em cima da hora”. Tudo que é feito com pressa ou de maneira pressionada tende a ser feito de forma equivocada. Planeje a viagem com antecedência e garanta que você e sua família serão capazes de se divertir muito sem se endividar na volta ao país. Não é melhor assim”?

Bônus: 7 Dicas para Juntar Dinheiro suficiente para um Intercâmbio

Se você pensa grande, já deve ter cogitado a possibilidade de fazer um intercâmbio, não é mesmo? Afinal, esse tipo de viagem é muito mais do que um passeio às praias internacionais… Elas trazem grande aprendizado cultural e profissional.

O que pode ser, posteriormente, um diferencial no seu currículo ou simplesmente pode abrir as portas para você iniciar o seu grande e sonhado negócio próprio.

Na verdade, não importa o motivo: sempre que você cogita fazer um intercâmbio e pesquisa os preços, chega a conclusão de que alguns meses na Inglaterra poderia custar até 15 mil reais ou algo de “High School” na Austrália valeria mais do que 50 mil reais.

ENTÃO, SERÁ QUE EXISTE ALGUMA SAÍDA?

Para a maior parte dos especialistas, embora os benefícios de uma formação totalmente diferenciada e fora do país podem parecer grandiosa, o sacrifício pode tornar isso penoso demais.

Portanto, se você quer realizar esse sonho sem dar um passo em falso, vai precisar acompanhar essas 10 dicas super valiosas!

1 – Planejamento Financeiro

2 – Planejamento Familiar

3 – Reduzir Gastos

4 – Gastos com Alimentação

5 – Renda Mensal

6 – Invista Certo

7 – Filhos

Se você quer entender cada detalhe desses tópicos listados acima, leia a matéria na íntegra.

Os especialistas também consideram importante ponderar os benefícios do curso.

“Mesmo na questão da educação, não quer dizer que você vai ter um retorno financeiro no curto prazo. Pode não valer a pena. Às vezes quem fez um curso no exterior tem remuneração igual à média do mercado, de gente que não gastou todo aquele dinheiro e não teve que fazer sacrifícios”, diz Soares.

No geral, os especialistas dizem que a formação acadêmica é um bom investimento em quase sua totalidade, porém, não existe mágica: o retorno financeiro pode demorar e vai necessitar de muito suor.

“Não vale a pena comprometer mais do que 10% do orçamento familiar para o intercâmbio”, analisa Pompeu.

Eles também mantêm a mesma opinião de que antes de começar a calcular os gastos do intercâmbio é preciso quitar todas as dívidas que a família tem. Isso tem a única finalidade de garantir que não exista complicações financeiras por esse motivo (da viagem).

“Prefira quitar as dívidas e as parcelas em aberto antes de sair do país”.

Curiosidade: Os 7 destinos preferidos dos Brasileiros para intercâmbio

As informações abaixo foram divulgadas pelo UOL. Confira!

1 – O Canadá aparece como destino favorito dos brasileiros para intercâmbio, segundo pesquisa realizada pela Belta (associação de agências de intercâmbio) com 71 empresas.

2 – Na lista dos destinos mais procurados, os Estados Unidos aparecem na segunda posição.

3 – Apesar dos preços mais altos, o Reino Unido aparece como terceiro destino favorito do brasileiro para intercâmbio em pesquisa realizada pela Belta (associação brasileira de agências de intercâmbio).

4 – Com o clima parecido com o do Brasil, a Austrália está na quarta posição do ranking. Os preços mais baixos e a possibilidade de trabalhar também atraem estudantes.

5 – Por ter preços mais econômicos que os do vizinho Reino Unido, a Irlanda aparece em quinto na pesquisa de destinos favoritos feita pela Belta (associação brasileira de agências de intercâmbio).

6 – Além de ter um clima parecido com o do Brasil, a Nova Zelândia, 6ª posição do ranking, é conhecida por oferecer diversos esportes radicais.

7 – Os preços baixos, o clima tropical e a possibilidade de trabalhar durante o intercâmbio tornaram a África do Sul no 7° destino mais procurado por brasileiros, segundo pesquisa.

Com informações do melhorcambio, G1 e UOL

ANÚNCIO