Saiba como usar o método SMART para criar objetivos financeiros

Você sabe o que é SMART, não sabe? É “Inteligente” em inglês, certo? No entanto, também temos outra resposta para isso: SMART é uma metodologia de estudo para quem quer criar objetivos na vida. Sendo assim, hoje vamos falar sobre como usar o método SMART nas finanças.

Afinal, isso dá um resultado bem interessante não apenas na busca por um objetivo ideal. Mas, também é uma forma de se manter motivado sempre que achar que a meta está longe do fim. Mas, calma. Vamos por partes.

Na parte debaixo do texto, nas próximas linhas e tópicos, você vai entender tudo sobre esse método e vai descobrir, automaticamente, porque tem sido muito usado no mundo todo.

O que é SMART

O SMART nesse caso não vem de “inteligente”, como no caso da TV SMART. Na verdade, essa é uma sigla que define uma metodologia que tem sido muito usada em diversas atividades do dia a dia, como no emagrecimento e nas finanças.

Obviamente, nós vamos falar do conceito usado em finanças, ok? Então, imagine só que cada letra dessa palavra signifique uma ação. Assim, nós temos:

  • Specific (específico)
  • Measurable (mensurável)
  • Attainable (alcançável)
  • Relevant (relevante)
  • Time Based (temporal)

Mas, o que isso quer dizer? Aliás, como usar o método SMART para enriquecer ou alcançar objetivos na vida? Para responder essas dúvidas, nós vamos explicar, em detalhes, como uma das palavras. Bora lá!

ESPECÍFICO

Isso quer dizer que você tem que ter específico no seu objetivo. Ou seja, é preciso ter uma meta detalhada e completa. Se a gente estiver falando sobre financiar o estudo do filho, a gente pode pensar em algo como:

“Vou criar uma meta para custear os gastos do curso de intercâmbio do filho. Logo, estou incluindo o valor das passagens, da hospedagem, da alimentação”.

Isso vai oferecer um “tamanho real” das despesas futuras porque são informações importantes para saber aonde você quer chegar.

MENSURÁVEL

Já sobre ter uma meta mensurável, considere que isso significa algo como medir o progresso que falta para você chegar lá no fim da corrida, no objetivo concretizado. Logo, a gente deve estimar o valor total que é necessário. Continuando com o exemplo, temos:

“Eu vou economizar R$ 30 mil para pagar o custo do intercâmbio do filho”.

ALCANCÁVEL

Aliás, já vamos adiantar uma coisa: esse é um dos pontos mais importantes para quem quer entender como usar o método SMART dentro das finanças. Afinal, não adianta você dizer que quer algo que sabe que não vai conseguir, né.

Por exemplo, nós podemos falar que queremos R$ 50 mil em 12 meses. Mas, será que isso é possível considerando a nossa atualidade? Pode ser que não. Então, para tornar a meta alcançável temos que considerar o quanto podemos investir mês a mês:

“Vou fazer uma economia de R$ 500 mensais para chegar aos R$ 30 mil e pagar o curso de estudo do filho”.

RELEVANTE

Mais uma letra importante é sobre levar em conta os outros objetivos financeiros também. Porque a partir disso dá para definir as prioridades. Então, a gente pode pensar em algo como:

“Eu vou economizar R$ 30 mil para o estudo do filho. Para isso, vou poupar R$ 500 mensais. Mas, além disso, vou guardar outros R$ 100 para a aposentadoria”.

TEMPORAL

Por último, nós temos a questão do tempo. Ou seja, em todo investimento, a gente tem que considerar o aporte, é verdade. Porém, o tempo também importa muito. Então, quanto tempo você tem para juntar o dinheiro? Uma boa ideia poderia ser:

“Eu vou economizar R$ 30 mil para o estudo do filho poupando R$ 500 mensais durante 5 anos. Isso vai ser suficiente para custear o curso de intercâmbio dele em 2025”.

Entende como todos esses pontos fazem com que a resposta/objetivo fique mais completo?

Mas, o rendimento do investimento?

Ainda falando sobre como usar o método SMART note que a gente não falou nada até aqui sobre o rendimento do ativo. Logo, esse não é o ponto mais importante. Mas, após definirmos a meta, usando o SMART, a gente vai conseguir pensar em um ativo ideal para esse fim.

Então, como estamos falando de 5 anos, talvez poderíamos pensar em um CDB para daqui 5 anos ou no Tesouro Selic, por exemplo. Mas, há muitas e muitas opções, como LCIs, LCAs, debêntures e até mesmo a renda variável.

O que importa é você notar que para se chegar até aqui ter uma meta clara é bem legal. Isso vai facilitar não apenas na escolha do melhor investimento, como também na mensuração dos resultados e etc.

como usar o método SMART

O conceito de Goal-Based Investing

Se você gostou desse tema, saiba que o método SMART é uma das principais referências para quem usa a estratégia do Goal-Based Investing. Mas, o que é isso? Nada mais do que ter objetivos claros para serem alcançados.

Assim, muito mais do que ficar preso em rentabilidade ou liquidez, o investidor foca no seu objetivo, que deve acontecer daqui há algum tempo. O conceito é novo no Brasil, no entanto, tem sido muito compartilhado com os investidores mais conservadores.

A gente fez uma matéria para falar disso: Entenda o conceito de Goal-Based Investing

De todo modo, ele também pode ser usado por quem busca um retorno mais rápido. Afinal, entre tantas vantagens que ele traz está a de ter uma carteira de ativos balanceada, pensada em diversas ou algumas metas de vida.