Como Investir no Tesouro Direto mês a mês

A dinâmica muda um pouco, mas a aplicações no Tesouro Direto podem ser feitas mensalmente, assim como acontece na poupança. Então, esse é apenas mais dos motivos para você migrar desse título bancário para o do governo. Além, claro, da rentabilidade, que é maior e da segurança, que é praticamente a mesma.

Investir todos os meses no Tesouro Direto funciona mais ou menos assim: tendo um título o valor de face de 1 mil reais, por exemplo, seria possível apenas realizar a comprar desses múltiplos para tais títulos. Ou seja, as opções de aplicações são 1 mil reais, 2 mil reais, 3 mil reais, 4 mil reais e assim por diante. No entanto…

Para facilitar, o próprio Tesouro Direto passou a permitir que o investidor comprasse apenas algum percentual do título, ou seja, o valor mínimo é de 1% ou algo equivalente à 30 reais. Com isso, se voltarmos ao exemplo anterior, de 1 mil reais, e fazermos a conta de 1%, daria 10 reais, mas, sendo o limite mínimo 30 reais, o investidor poderá comprar 3% desse título ou mais. Entendeu?

O que é Tesouro Direto? Os 5 Melhores Motivos para aplicar no Investimento Mais Democrático do Brasil

Resumo da ópera: você investir todos os meses no Tesouro Direto, assim como faz na poupança, com apenas 30 reais! Agora, se você quer investir mais do que isso, pode aumentar sua porcentagem de compra e ao invés de 3% pode comprar 6% ou 12% ou qualquer porcentagem acima disso. Por sinal, você pode comprar títulos diferentes também e aumentar sua carteira de investimentos.

Tudo isso pode ser acompanhado pelo Canal Eletrônico do Investidor, no site do Tesouro Direto, onde as consultas são feitas por título ou rentabilidade e são divididas pelos tipos: IPCA, Prefixados e Selic. (Saiba quanto Rende 5 mil reais com a queda da Selic). Dentro desses itens é possível verificar todos os detalhes, tais como tributação, taxas e quaisquer outras informações condizentes.

E essa queda de juros, como influência no Tesouro Direto?

Os investimentos no Tesouro Direto continuam sendo uma boa opção, ainda mais se for comparado à poupança ou mesmo com alternativas da Renda Fixa. Antes do impechment da presidente Dilma Rousseff, as taxas prefixadas eram de 16% o que tornou esse investimento um dos melhores do mercado. Hoje, as taxas são menos atrativas, mas, ainda assim, compensadoras.

Como a tendência é de queda, quem conseguir prefixar agora terá boas taxas por um bom tempo. “As vezes, quem ficar esperando a melhor oportunidade, pode perder uma boa oportunidade”.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

Fabiano Pessanha é consultor financeiro na BankRio Financial Group e em artigo publicado na revista Exame, ele afirmou que “melhor do que investir muito, é investir sempre”. Mesmo que você tenha apenas 50 reais por mês, já é possível fazer isso através do Tesouro Direto, que é uma excelente alternativa à tradicional poupança.

Para ele, muitas corretoras usam estratégias para conquistar os clientes zelando pelas taxas cobradas e que é, de fato, uma boa alternativa aos custos dos bancos. Mas, caso não esteja confortável, o investidor pode tomar a decisão de investir por conta própria, buscando a ajuda de um profissional.

O Tesouro Direto nasceu com o intuito de permitir que as pessoas comprassem diretamente os títulos públicos, sem a real necessidade de aplicar em fundos ou rendas pelos bancos. Essa é a maior vantagem para o seu bolso, pois você é liberado de pagar taxas de administração dos fundos, que reduzem a rentabilidade dos investimentos.

Com isso, esses títulos públicos nada mais são do que dívidas que o governo tem com você. E, assim, há o pagamento de juros semestrais ou apenas na data do resgate, dependendo da opção. Ah, e vale lembrar que esses investimentos são de baixo risco já que é muito difícil (muito mesmo) o governo não te pagar o que deve.

E se o seu banco falir, o que acontece? Saiba a resposta no vídeo abaixo:

Sobre a Poupança

Ela vem perdendo espaço, mas ainda é o preferido dos brasileiros. Isso é o que está na pesquisa da Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ) e do Instituto Ipsos, que ouviu mais de 1,2 mil pessoas em 72 municípios. Segundo a instituição, em 2016, a aplicação na poupança teve preferencia dos 76% dos brasileiros que tem algum dinheiro guardado, mas o percentual já foi de 88% em 2012.

Glória Amorim, diretora de Políticas e Estratégias do Fecomércio-RJ disse que a caderneta da poupança sempre foi a preferencia nacional em aplicações financeiras, no entanto, os juros mais altos registrados nos últimos tempos levaram o brasileiro a prestar mais a atenção em outros investimentos, como em fundos de renda fixa, por exemplo.

A exemplo disso, ela afirmou que em 2016, 7% dos poupadores aplicaram em fundos (Passo a Passo para investir na Renda Fixa dos Fundos), ou seja 4 percentuais a mais do que em 2012. Já em relação à 2015, o estudo mostrou que a parcela das famílias com algum dinheiro guardado foi de 18%, sendo que as pessoas com mais de 60 anos de idade são a maioria, representando 25% do total.

Ainda conforme a pesquisa, 7 em cada 10 brasileiros que poupam dinheiro fazem isso para alguma eventualidade. Já outros 10% usam o recurso para reformar a casa, 6% para comprar automóvel e 6% para gastar com lazer.

As 3 melhores notícias para você entender EXATAMENTE tudo sobre a poupança e as Rendas Fixas:

  1. Fato consumado: Renda Fixa é mais atraente do que a poupança e imóveis
  2. Poupança? Aprenda como investir da forma certa e ter mais rentabilidade com a Renda Fixa
  3. Esqueça a poupança e aprenda a investir seu dinheiro no Tesouro Selic

Ainda não tem nenhuma grana para investir? Veja os 5 passos para economizar dinheiro

Pesquisas e pesquisas! Ah, elas são ótimas e apesar de algumas defasagens, sempre nos mostram alguma informação chocante. E agora temos uma inclusive. É uma pesquisa do Instituto Datafolha, que mostrou que 91% da população brasileira atribui Deus ao sucesso financeiro, ou seja, 9 em cada 10 brasileiros dizem que o progresso material se deve a Deus.

Reprodução: Google

Reprodução: Google

VEJA BEM: não estamos julgando crendices nem religiões, ok? Mas, uma coisa é certa: se você não tiver um bom controle financeiro, seu dinheiro vai estar em falta SEMPRE. Vamos falar sobre comportamento e hábito, assim, você poderá chegar ao equilíbrio financeiro, sem dúvidas. Acompanhe esses 5 pensamentos e aprenda a fazer a própria fortuna!

1 – Avaliação do Comportamento – Você precisa economizar e isso só depende de você. Faça uma análise sobre si mesmo e tenha as respostas sinceras: O que te faz gastar? Com o que você gasta? Como você gasta?

2 – Tenha uma Meta – Vai Casar, Comprar um Carro ou Viajar? Defina suas metas. Seja consciente quanto à isso e ponha a mão na massa.

3 – Qual ferramenta usar – Saiba como fazer isso. Investir é uma ótima opção. Programa sua data de resgate e aplique em cima disso. Conheça as opções de Renda Fixa e de Títulos Públicos. Baixa o Guia Definitivo da Renda Fixa!!

4 – Tenha Limite – Gastar apenas 70% do salário e usar 10% para investimento é essencial. Conheça mais sobre essa regra e saiba como usar com sabedoria.

5 – Persista – Economizar não é fácil e quebrar os paradigmas sobre investimentos também não. Por isso, persista em buscar conhecimento e em aprender cada dia mais. Saiba exatamente o que está fazendo e lute para conseguir cumprir as metas financeiras.

Com informações do Administradores, EBC e Exame