Como investir em bitcoin – o Passo a Passo

Aqui no blog, nós sempre focamos em falar que você pode minimizar os seus riscos ao investir dinheiro, né. Só que hoje o artigo é um pouco diferente, a ideia é única: de te mostrar como investir em bitcoin.

Mas, só se você tiver interesse e quiser correr riscos.

O Bitcoin (BTC) é uma moeda virtual criada por Satoshi Nakamoto como códigos.

Acredita-se que existam apenas 21 milhões de códigos e o poder é descentralizado, sem que bancos tomem conta da movimentação.

O investimento financeiro não é nada tradicional no Brasil e alguns governos não têm autorizado a sua comercialização – justificando que a moeda é instável e envolve riscos.

Bem, a escolha de investir é sua.

E nesse artigo vamos apenas mostrar como você pode fazer isso, está bem?

Confira o passo a passo!

Carteira de Bitcoin

Mesmo quem nunca ouviu falar em bitcoin pode comprar ou vender a moeda virtual com facilidade.

Se você quer saber como investir em bitcoin, considere que o 1º passo é criar uma carteira virtual.

Essa carteira vai facilitar as transações (compra, venda, armazenamento).

Ela funciona exatamente como uma conta em um banco, porém, sem burocracias – o processo é online e leva poucos minutos.

Para criar essa carteira, porém, o detalhe é ficar atento ao site pelo qual você vai fazer isso. Existem nomes conhecidos no Brasil.

Tais como: Coinbase.com, Coinmkt.com, Blockchain.info e Hivewallet, entre tantos outros.

Conta do banco

Depois de criar a sua carteira de bitcoin, você tem que linkar ela com a sua conta bancária – isso vai ser essencial para comprar os primeiros bitcoins.

É como se você fosse abrir uma conta em uma corretora de valores, sabe?

Geralmente, para fazer a transferência, você tem que fornecer os dados do banco, como se fosse fazer um deposito na conta PayPal ou outro serviço virtual.

A solicitação segue a linha: número da conta, da agência e o seu nome completo.

Mas, em casos mais raros, são solicitados: opção de contato e número de telefone de terceiros.

Em termos de segurança, entenda que vincular a sua conta do banco à uma carteira de bitcoin é exatamente igual ao fazer compras online, quando você precisa fornecer esses dados.

A dica, nesse caso, para quem quer saber como investir em bitcoin é:

– analisar se o website é sério, se tem reputação, se tem padrões de segurança e se tem a encriptação de dados.

E se você ouviu dizer que esses sites foram atacados por hackers, saiba que o mesmo aconteceu com outros grandes revendedores online, né.

Compre bitcoin

Você pode comprar bitcoin se já tiver dinheiro na sua conta.

E isso vai acontecer depois de fornecer os seus dados bancários e da verificação do site.

Geralmente, na página da carteira virtual, existe um botão “Buy Bitcoin” ou algo do mesmo gênero.

Aí, basta clicar neste botão e seguir os passos para transferir dinheiro da conta para a carteira.

A dica, neste tópico, é saber que o preço do bitcoin pode variar de um dia para outro, gerando resultados negativos – ou não.

E, além do mais, o bitcoin é uma moeda nova, o que gera um mercado instável (em termos de valores) e a cotação do BTC tem que ser consultada antes de realizar a transação.

Use os bitcoins

A maior parte das pessoas usa os bitcoins para ganhar dinheiro ao longo do tempo.

Só que é possível encontrar outro uso também: o de comprar produtos com bitcoins.

Ele se tornou uma forma de pagamento em lojas famosas e de grife, como Amazon, WordPress, Victoria’s Secret, Subway, Zappos e outras.

Aqui, porém, o cuidado é para você fazer os bitcoins renderem mais do que você pagou por eles, lembrando que se a cotação estiver baixa, talvez a compra não seja tão rentável.

Venda os seus bitcoins

Vender bitcoins quase nunca é tão fácil quanto compra-los.

E, a isso se soma o fato de não existir uma fórmula para sacá-los de volta ao seu banco, entende?

Então, o objetivo é você encontrar um comprador disposto a pagar por eles com dinheiro, produtos ou mesmo serviços.

De maneira geral, um jeito simples de fazer isso é se registrar em um mercado de bitcoins, onde torna possível encontrar compradores – um website tem que intermediar isso.

Nesse método, é preciso ter uma conta de vendedor também, que é um novo cadastro, com a mesma identidade, em um processo separado.

Apenas para fins informativos, nos Estados Unidos, existe o CoinBase e o LocalBitcoins, que são mercados que oferecem esse tipo de serviço.

Já no Reino Unido, o BitBargan e o Bittylicious são opções.

Além deles, tem o Purse.io, que permite que os vendedores transfiram BTC ao comprador.

Entenda que isso nada mais é do que uma forma de usar os bitcoins para comprar em sites que não aceita a moeda virtual.

E isso tem como investir em bitcoin.

Sites de troca

Outra opção para os vendedores de bitcoin é usar os sites de trocas – um vende e o outro compra, exatamente como um comércio.

Quando isso é feito, o site funciona como intermediador e vai reter o dinheiro até que os usuários sejam verificados e a transação efetivada.

Geralmente, esse site cobra uma taxa de serviços.

O importante é ressaltar que o processo não é tão rápido quanto parece, podem demorar bastante tempo.

Dentre esses sites estão: Circle, Kraken e Virtex. Além do Bitcoinshop, Dogecoin e Litecoin.

Sistema regular de compra

Para quem quer saber como investir em bitcoin, mas não conhece muito do mercado, precisa entender essa opção do sistema regular de compra.

Você pode reservar uma porção do seu salário para comprar moedas virtuais, que é uma maneira de acumular o bitcoin sem a necessidade de fazer uma única transação cara.

Algumas carteiras oferecem a opção de configurar compras automáticas e o método é assim:

  • você seleciona valor
  • seleciona intervalos de tempos e a
  • carteira se atualiza (automaticamente).

Comprar bitcoins localmente

Se você deseja manter o seu dinheiro na comunidade local, pode usar serviço que permite a venda para pessoas próximas, também.

Alguns sites dão essa opção, para quem quer um contato mais próximo, só que vale lembrar que a moeda continuará sendo virtual.

Para este caso, vale a pena tomar cuidados usuais, marcar encontros e tomar precauções gerais de encontros.

O localbitcoins.com é um dos sites que fazem isso em mais de 6 mil cidades em 200 países.

Empresas que investem em bitcoin

Uma opção também alternativa é colocar o dinheiro em empresas que investem em bitcoin e essa é indicada porque é bem menos arriscada, dizem os especialistas.

A Bitcoin Investment Trust permite aos usuários comprar e vender ações da empresa, assim como pode ser feito no mercado acionário.

Essa empresa pode usar um capital levantado para vender ou comprar bitcoins com a meta de gerar dividendos para os investidores, portanto, é outra forma de como investir em bitcoin.

Como elas negociam o BTC, o valor da companhia também está associado ao valor da moeda virtual, porém, alguns usuários acham interessantes porque trata-se da Trust.

E, assim, não há necessidade de lidar com a compra e a venda da moeda virtual.

A mineração do bitcoin

O bitcoin é uma moeda virtual que é criada em processos computacionais, chamado mineração.

Em termos mais simples, um computador que minera compete com outras máquinas para encontrar os algoritmos.

Quem resolve o problema, é pago.

E, quando recebe o dinheiro (bitcoin) tem também vários benefícios, como o fato de gerar BTC e ter um alto investimento.

O processo de mineração não é simples, portanto, é importante que os bitcoins são distribuídos em blocos – a dica é: juntar grupo de mineradores e dividir recompensas.

Comprar na baixa e vender na alta?

A estratégia é ganhar dinheiro com a criptomoeda, ou seja, tem tudo a ver em como investir em bitcoin em 2018.

É o seguinte: comprar quando a moeda está desvalorizada e vender quando está em alta é uma estratégia para lucrar, só que é de alto risco.

O mercado de bitcoin é volátil demais e muito difícil de se prever as flutuações do preço.

Tendências do mercado

As variações da moeda virtual são difíceis de serem “descobertas”.

Assim, uma opção para lucrar com essas operações é acompanhar de perto o mercado.

Como isso pode variar, surgem às oportunidades de lucro, como disparos repentinos e questões do dia a dia – portanto, fique atento às oportunidades de investimento e as tendências do mercado.

Existem fóruns de discussão online (bitcointalk.org) que falam sobre a flutuação do mercado. Porém, é preciso considerar também que nenhum investidor pode prever variações com certeza.

Alternativas mais seguras

Ter estabilidade no mercado de bitcoin é conseguir deixar parte do capital investido em opções mais seguras e menos voláteis, como a bolsa de valores , com ações e commodities.

O coinabul.com tem usuários que compram ouro com bitcoin.

Você também pode vender parte dos fundos e investir no mercado financeiro ou em títulos.

O portfólio mais conservador tem a melhor opção para um investimento estável e com dividendos moderados.

Dinheiro que não pode perder

Como todo tipo de investimento de alto risco, o capital investido em bitcoin não deve ser o total de recursos que o investidor possui.

A dica final aqui é: nunca investir dinheiro sem o qual você não possa sobreviver.

Já ouviu falar em diversificar investimentos? Isso também vale para os bitcoins.

Bom, aqui terminamos nosso texto sobre como investir em bitcoins, mas se você quer entender como deve criar uma carteira de investimentos diversificada, leia o bônus abaixo.

Como investir em bitcoin

Outras 7 moedas além do Bitcoin

Em todo artigo focamos em como investir em bitcoin, mas talvez você ainda não saiba que o mercado de criptomoedas, apesar de ser novo, tem outras opções de produtos.

Nós buscamos as 7 outras opções que vão além do bitcoin e prometem fazer concorrência, veja.

1 – Litecoin

Esse é apontado como o concorrente número 1, chamado de prata digital (sendo que o bitcoin é o ouro digital).

Ela foi criada em 2011 (3 anos após o bitcoin) e foi criada por Charlie Lee, um ex-funcionário do Google, que buscou reduzir o tempo para confirmar as transações e ajustar a mineração.

“Minha visão é que as pessoas usariam Litecoin todos os dias para comprar coisas. Seria apenas o método de pagamento escolhido”, ele diz.

O limite de moedas é de 84 milhões unidades, sendo que o bitcoin tem 21 milhões.

O valor de mercado do Litecoin é de 13,5 bilhões de dólares e o desempenho anual foi de 6.000%.

2 – Monero

Tem um valor de mercado um pouco menor – 6,20 bilhões de dólares e acumulou desempenho acima dos 2.000% no último ano.

O criador, porém, é anônimo.

E nessa opção os detalhes incluem remetente, destinatário e tamanho, que são gravados em um sistema público, mas que não pode ser rastreáveis.

A moeda é indicada para empresas que querem mover o dinheiro sem que os concorrentes saibam.

Ao todo, são mais de 15 milhões de moneros em circulação.

3 – NEO

É o Ethereum da China, apelido que ganhou quando o fundador deu uma entrevista pública.

“Eu diria que há uma bolha nesta indústria, mas diria que está tudo bem. Toda tecnologia que seja tão perturbadora, definitivamente haverá bolhas, como o trem ou o automóvel”.

O NEO existem desde 2014, quando foi chamada de Antshares, depois mudou o nome.

Hoje são 65 milhões de NEO em circulação, que tiveram desempenho acima dos 99.000% em 12 meses.

O valor de mercado é de 8,16 bilhões de dólares.

4 – Cardano

No mercado, a empresa vale 20.21 bilhões de dólares e teve desempenho acima dos 3.000% nos últimos 12 meses.

O desenvolvedor criador foi o Blockchain Input Output Hong Kong (IOHK), em um projeto que começou em 2015 e ganhou fama pela sua filosofia cientifica.

Ele ainda é desconhecido se comparado aos concorrentes, especialmente ao bitcoin, só que já tem muitas trasações privadas.

Charles Hoskinson é o CEO da empresa e diz que ela se aplica em “sustentabilidade, interoperabilidade e escabilidade”.

5 – Ripple

No mercado, vale mais de 95 bilhões de dólares e teve desempenho de 41.000%.

Foi desenvolvida por Ryan Fugger, Chris Larsen e Jed McCaleb.

Eles trabalharam em empresas de softwares e criaram a Ripple em 2012, com a moeda digital XRP.

Para outros especialistas, é o sucessor do bitcoin.

Ela conecta bancos, provedores de pagamento, ativos digitais e empresas.

A tecnologia é licenciada a mais de 100 bancos e existem mais de 40 bilhões de XRP em circulação.

6 – IOTA

Vale mais de 11 bilhões de dólares no mercado e teve alta de 570% no último ano.

Criado por uma equipe de empresários, matemáticos e desenvolvedores tem como característica a taxa de negociação, mineradoras ou blocos.

7 – Bitcoin Cash

A última alternativa vale 45 bilhões de dólares e foi criada por uma equipe de pessoas.

É uma nova versão do bitcoin, só que mais rápido do que a moeda digital.

O desafio é ser adotado em grande escala, sendo preciso convencer as empresas a aceitar como forma de pagamento.

No máximo, são 21 milhões de moedas.

Bônus – carteira de investimento diversificada

Montar uma carteira de investimentos é uma estratégia muito comum na vida dos grandes investidores e que tem que fazer parte da sua vida também.

São dois os motivos principais: reduzir riscos e elevar o potencial de ganhos.

O que se sabe é que se você consegue montar uma carteira de investimentos diversificada você fica, praticamente, imune ao cenário econômico.

Bom, vamos colocar os pingos nos is.

O que é uma carteira de investimentos?

Ela nada mais é do que um conjunto de aplicações financeiras de um mesmo investidor – que pode ser pessoa física ou jurídica.

No linguajar financeiro, ela também é chamada de cesta de investimentos ou portfólio de investimentos.

Agora que você já sabe o que é uma carteira de investimentos, resta saber para que ela serve.

Ela reúne todos os ativos financeiros de uma pessoa – que podem ser da renda fixa ou da renda variável, assim como dólar, imóveis, ouro.

Tudo o que uma pessoa tem investido.

Lembrando que o foco é lucrar mais, mas também proteger o seu patrimônio.

Como montar uma carteira de investimentos?

Tudo vai depender do seu diagnóstico financeiro.

Aliás, aqui já estamos considerando que você sabe a importância de se investir dinheiro, está bem?

Não vamos nos ater a falar sobre as técnicas para economizar dinheiro, juntar dinheiro ou investir dinheiro e sim, como fazer isso!

Após fazer uma análise profunda da sua vida financeira (se pergunte onde estão seus investimentos financeiros e como eles estão se comportando frente ao mercado)…

Você deve criar uma estratégia financeira para fazer seu dinheiro render mais – e sem riscos!

O que se sabe é que sua carteira deve refletir, diretamente, a sua situação atual.

Na prática, se você tem uma carteira de investimentos que está focada na liquidez dos ativos, isso mostra que você está preocupado com o presente, em formar uma reserva de emergência.

Se o longo prazo é o seu ideal, então, sua situação é pensar no futuro.

É mais ou menos isso – o fato é que a diversificação de investimentos que você faz deve estar relacionada diretamente com a sua situação atual.

Considere também…

E o que mais é preciso considerar nesse diagnóstico financeiro? São várias coisas, algumas delas são:

  • Quanto dinheiro você ganha mensalmente, na média?
  • Quanto você gasta com as contas fixas?
  • E quanto gasta com as variáveis?
  • Você pode investir quanto todos os meses, sem falhar?
  • Você pode fazer aportes de quais valores anualmente?
  • Qual sua real necessidade de precisar do dinheiro amanhã?

E essas são só algumas questões a serem levantadas.

Por que, o que é importante notar aqui?

Que você não tem que ter o melhor exemplo de carteira de investimento diversificada do mundo porque pode ser que ela não sirva para você.

Essa é uma questão totalmente pessoal e intransferível.

Uma boa carteira de investimento diversificada para Warren Buffett vai ser diferente da do Bill Gates.

Que é diferente da do Neymar, que é diferente da sua, da minha, das outras pessoas.

Cada pessoa tem objetivos diferentes e isso precisa ser considerado na hora de pensar na diversificação de investimentos.

A diversificação de investimentos vale a qualquer custo?

É mais ou menos assim: “o risco de uma carteira é menor do que a soma dos riscos individuais de cada ativo”, entende isso?

A frase acima é de Harry Markowitz, que estudou o mercado financeiro em 1960 e foi considerado o pai moderno da teoria dos portfólios.

Mais tarde, criaram a expressão: “nunca colocar todos os ovos na mesma cesta”.

E tudo isso contribui para o que chamamos hoje de carteira de investimentos diversificada.

Na prática, isso quer dizer que se você tem 10 mil reais ou qualquer outro valor, não deve aplicar tudo no mesmo ativo financeiro porque ele pode variar.

O ideal é dividir em 2 ou 3 opções diferentes, de rendas diferentes (fixa e variável) e de mercados diferentes também.

Vamos à outro exemplo hipotético: você destinou 10 mil à bolsa de valores…

Então, o que é melhor fazer:

  • Investir tudo na Petrobras? Claro que não.
  • Investir tudo no Itaú? Também não.
  • E se investir tudo na Droga Raia? Também não.

O ideal sempre vai ser a diversificação de investimentos.

Você pode aplicar seus recursos nas 3 empresas, por exemplo.

Levando em conta que uma é estatal, outra é de bancos e a outra é uma small cap que tem apresentado bons números. Isso é diversificar investimentos.

Daí, se por acaso, alguma delas tiver resultado negativo, é possível que as outras tenha números positivos e compense essa perda. Entende o que estamos falando?

Proteger o seu patrimônio, essa é a melhor expressão!

Isso explica porque a recomendação é aplicar em ativos que tenham pouca correlação entre si – é o que chamamos de diferentes mercados.

Com informações do Wikihow