Descubra como funcionam os BDRs, ativos para investir no exterior

ANÚNCIO

Como o dólar costuma ser muito valorizado comparado com o real historicamente, considere que fazer investimentos fora do Brasil, através de BDRs, acaba sendo uma ótima opção para quem quer diversificar a carteira. Então, vamos entender como funcionam os BDRs.

Até mesmo porque esse ativo internacional nos leva a crer que o investidor não será submetido a perda do poder de compra, mantendo o patrimônio acumulado. Os BDRs é uma forma de ativo que é emitido no Brasil, mas estão atrelados a empresas de outros países.

ANÚNCIO

Quer entender melhor sobre esse tipo de aplicação e como ele pode ser usado para diversificar a sua carteira de ativos? Confira o conteúdo que preparamos para vocês com muito carinho.

O que são BDRs?

Os BDRs (Brazilian Depositary Receipts) são uma modalidade de investimentos representados por valores imobiliários lançados no Brasil. No entanto, são de empresas do exterior.

Dentre as várias possibilidades para se investir no exterior, os BDRs são uma das mais simples para o investidor brasileiros, especialmente os mais novatos. Afinal, diferente de outras formas, nesse caso não é preciso abrir conta em nenhuma corretora fora do país.

ANÚNCIO

Agora, considere que os ativos que são mais utilizados pelos BDRs são as ações.

Dessa forma, as empresas internacionais são capazes de acumular capital em terras brasileiras, ao passo que os investidores nacionais conseguem um bom caminho para investir dinheiro em mercados internacionais.

Entenda como funcionam os BDRs

Um dos pontos importantes é entender que esse tipo de aplicação não é feito de forma direta entre as empresas que estão oferecendo as suas ações. Então, o investidor não deve ir lá na B3 e comprar a ação e nem mesmo nas bolsas internacionais. É preciso fazer isso por uma corretora.

A forma com funciona os BDRs é bem parecida com os títulos de investimento, porém ao aplicar seu dinheiro você não irá ser sócio da empresa emissora. Entretanto, conseguirá gozar dos dividendos.

Com já dissemos antes, as operações são feitas no Brasil, na Bolsa de Valores, também conhecida como B3. Isso facilita para os investidores investirem em BDR via home broker oferecido por corretoras de valores. Outra alternativa é através do balcão organizado.

Mais uma particularidade dos BDRS é que suas transações se baseiam na moeda brasileira e não em dólar.

Como acontecem as emissões dos BDRs

Para que seja possível fazer a emissão desses ativos, a empresa que está disposta a oferecer esse tipo de investimento deverá encontrar duas instituições onde poderá fazer depósitos.

A primeira, no próprio país da empresa. Já a outra, no Brasil, pois essa, que será responsável pela emissão do ativo aqui.

Depois disso, essas instituições depositárias, precisam estar regularizadas pelos órgãos responsáveis. No caso do Brasil, elas são representadas pelo Banco Central e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Os BDRs então serão acoplados aos valores mobiliários do país que tem as ações e que deverá enviar uma resolução para autorizar a instituição depositária. Do outro lado, a segunda instituição será responsável por emitir os BDRs.

Esses títulos poderão ser comercializados em dois tipos de mercados, o primário e o secundário. Você entendeu como funcionam os BDRs, né? Mas, ainda precisamos citar quais os tipos de papéis que existem. Veja abaixo.

Quais são os principais papéis dos BDRs

Os BDRs são separados em dois tipos e possuem níveis distintos: BDR patrocinado e BDR não patrocinado. Eles passam por variações do câmbio e por cotações das empresas. Ser cotado em reais, não os deixa livre desses valores.

A primeira opção, que é o BDR patrocinado, precisa que a companhia internacional indique seu interesse em comercializar ativos no Brasil, por meio de alguma instituição depositária.

Dessa forma, poderá ser efetuado acordo do emissor, que deverá expedir ou cancelar a operação, dependendo de qual seja a necessidade dos investidores locais no mercado primário. Essa operação poderá ser feita em 3 níveis diferentes.

O processo do BDR não patrocinado é diferente. Este se baseia em um programa elaborado por uma instituição depositária. A própria, se responsabiliza por emitir os ativos, sem a necessidade de firmar uma determinação direta da companhia.

A empresa brasileira ainda precisa fazer a divulga no mercado, os dados da corporação e econômicos dessas ações que são utilizadas no BDR.

Quais os benefícios dos BDRs?

Agora que você sabe como funcionam os BDRs, resta saber que a diversificação da carteira é o maior benefício dos BDRs. Ele permite que mantenha seus negócios na B3, mas pensando no mercado fora daqui.

Sendo assim, o investidor poderá mesclar seu capital em outras opções, para se manter seguro e correr menos riscos. Além disso, investir em empresas de fora costuma apresentar uma boa valorização nos negócios.

como funcionam os BDRs

Ao passo que o seu capital ficará protegido e se tornará mais sólido no futuro, se continuar com esse investimento ativo. Saiba ainda que poderá começar a investir com pouco dinheiro, a média é de R$ 110.

Para isso, é preciso ter conta em alguma corretora de valores brasileira. Mas, antes de aplicar seu dinheiro, verifique as taxas e todos os custos da operação porque cada corretora cobra um valor para cada serviço.

Outra grande vantagem é conseguir ativos de gigantes internacionais, entre elas Adidas, Aple, Coca-Cola, McDonald’s e muitas outras, sem precisar se deslocar do Brasil.

ANÚNCIO