Estude como funciona a previdência privada como aposentadoria complementar

A expectativa de vida no país e no mundo vem aumentado a cada novo ano que passa. Ao mesmo tempo, o governo brasileiro (independente do partido político) parece não ter conseguido seguir o mesmo ritmo. Logo, entender como funciona a previdência privada é o primeiro passo para não “ficar na mão”.

Apesar de termos escolhido uma expressão muito fajuta, considere que é isso mesmo que você entendeu. Assim sendo, o que tem acontecido é que as pessoas estão vivendo mais e precisa cada vez mais da previdência social. Porém, o governo não tem conseguido dar conta de tudo isso. O resultado você sabe: mudanças, novas regras, etc.

Desse modo, o que resta ao trabalhador brasileiro é conseguir montar a própria aposentadoria ou algo como uma “aposentadoria complementar” à da previdência social. Logo, temos aqui a principal importância de entender esse assunto. Afinal, ninguém sabe até quando o governo vai conseguir custear os aposentados.

Novamente lembrando você, leitor, nós não estamos aqui para criticar o governo A ou o governo B. No entanto, temos que ser sinceros quanto à realidade do país. Por isso, nada melhor do que começar a estudar os investimentos para planejar essa aposentadoria a mais. E isso começa entendendo como funciona a previdência privada.

O papel do INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social é o responsável pela gestão e pagamento dos aposentados no nosso país. O problema está no fato de que não se sabe até quando ele vai suportar os pagamentos. Além disso, tem outra problemática que você tem que saber.

Conforme pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito, mais de 20% das pessoas que se aposentam sentem a necessidade financeira de continuar trabalhando. Enquanto isso, quase 50% de todos continuam trabalhando na prática.

Logo, a motivação você deve imaginar: o INSS não consegue fazer um pagamento para que o trabalhador consiga suprir todas as necessidades diárias e básicas. Então, o papel do INSS é importante, mas já não é tão eficaz assim.

E nessa somatória toda que você tem que considerar, saiba que durante a aposentadoria, também conforme estudo, as pessoas têm um aumento de gasto com os itens básicos, como alimentação e remédio. Bem, visto isso, vamos falar de como funciona a previdência privada.

A importância da previdência privada

Com todo esse contexto que mencionamos acima, não fica difícil entender onde a previdência privada, também chamada de previdência complementar, entra na história, não é mesmo? Saiba que ela é uma opção e não uma obrigação.

Ou seja, quem quiser ter uma previdência privada pode sem que seja obrigado a isso, como acontece no caso dos funcionários brasileiros que precisam pagar o INSS. No entanto, a previdência privada é indicada para todas as pessoas, para todo tipo de trabalhador.

Logo, a ideia é simples: complementar a aposentadoria que vem do governo. Portanto, isso poderia resolver a questão de “se aposentar e ter que continuar trabalhando”, por exemplo. E também auxiliaria em outras questões.

Então, como funciona a previdência privada

Visto isso, vamos entender o funcionamento desse tipo de investimento. Basicamente, o que você tem que saber é que o primeiro passo é saber quanto ainda falta para você se aposentar e que esse é um investimento para o longo prazo.

Por isso, não adianta você querer formar uma previdência faltando 1 ano para a aposentadoria. Do mesmo modo, seria um erro usar o investimento para casos emergenciais. Afinal, para isso temos que ter a reserva financeira.

Sabendo disso, a próxima coisa é entender que há vários tipos de previdências complementares. Dá para pensar naquelas que possuem valores mínimos e mais baixos. Ou então naquela que permite fazer aportes 1 vez ao ano e assim por diante.

No geral, o que você tem que saber é a previdência rende juros. Portanto, se você ficar juntando dinheiro mensalmente nela, saiba que no final do período vai ter mais do que juntou. Afinal, você receberá juros além dos aportes feitos. É como uma poupança, mas melhor.

A inflação!

O único cuidado que você deve ter para entender como funciona a previdência privada de verdade é pensar na inflação. A inflação é aquele índice medido pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que diz o quanto os produtos aumentaram de preço.

Logo, se a inflação foi de 10% e o seu salário subiu só 2%, então, é como “perder dinheiro”. Isso porque o seu salário desvalorizou. Esse conceito também vale para os investimentos e para as previdências.

Então, qual é a ideia? A sua análise sempre deve considerar um investimento que fique acima da inflação. Logo, isso vai fazer o seu dinheiro, o seu aporte e o seu investimento valorizar. Essas informações devem estar em toda lâmina de previdência, ok?

Além desse cuidado, considere que uma previdência terá um gestor por trás, que é alguém ou alguma empresa que faz a gestão e administração do negócio. Por isso, você terá que arcar com uma taxa. Logo, se a taxa for muita alta é ruim para você porque diminui o rendimento.

As alternativas à previdência privada

como funciona a previdência privada

Para quem quer considerar a previdência como forma de ter uma aposentadoria complementar, mas não fica satisfeito com a cobrança de taxas e não sabe se o rendimento fica acima da inflação, uma boa ideia é começar a pesquisar alternativas.

Previdência Privada ou Tesouro Direto para uma aposentadoria rica?

Atualmente, qualquer pessoa pode se tornar um investidor. Inclusive, o mercado financeiro oferece diversas opções para o longo prazo, da renda fixa até renda variável. Um bom começo seria estudar o Tesouro IPCA, que é para o longo prazo e sempre fica acima da inflação.