Como decorar com pouco dinheiro e muita criatividade? 5 dicas milagrosas

O sonho da casa própria no Brasil é antigo e significa algo de muito valor para a maior parte das pessoas que vivem aqui. Mas, após conseguir realizar esse objetivo, as pessoas ficam em dúvida sobre como conseguir decorar com pouco dinheiro – será que é possível?

Neste artigo vamos selecionar algumas dicas de especialistas do mercado imobiliário e que são experts em design de interiores. Mas, fique tranquilo, isso não quer dizer que você precisará gastar muito com um simples orçamento.

A ideia geral é te mostrar como algumas mudanças simples podem fazer toda a diferença no seu bolso, a se considerar, inclusive, o valor das obras e dos materiais usados. Se você quer aprender a decorar gastando quase nada, a hora é agora!

Como é possível decorar com pouco dinheiro?

A resposta está no título deste artigo: com criatividade. Mas, claro que não é isso!

A decoração de um imóvel tem a ver com o próprio imóvel em si, estruturalmente falando. Se você comprou uma casa grande, com um alto valor venal, saiba que sua decoração, por mais simples que seja, vai ficar cara.

Por outro lado é super viável fazer a decoração de casas pequenas gastando pouco.

Além da criatividade, na receita tem que ter soluções práticas, acessíveis e bonitas – que tenham a ver com a sua cara. E, a cereja do bolo é saber que essas soluções são funcionais e confortáveis, tanto para o seu ambiente quanto para o seu bolso.

A arte de decorar uma casa vai além da vontade de ter muito dinheiro para fazer isso.

Leia Também – 7 ideias de decoração barata no estilo faça você mesmo

Ideias, gosto, pesquisa e pechinchas… Esses são os ingredientes que não podem faltar. A decoração econômica é possível e ter um ambiente personalizado pode estar próximo da sua realidade financeira.

Especificamente para quem mora em locais pequenos, investir em uma boa decoração tornam os espaços mais dinâmicos, como se desse a impressão de serem maiores.

5 dicas para decorar com pouco dinheiro

Conforme foi anunciado no início deste artigo, fizemos uma seleção das melhores dicas. E elas serão listadas agora, confira!

1 – Crie um orçamento financeiro para decorar a sua casa

Se você tem pouco dinheiro ou não quer gastar muito, vai precisar ter uma previsão disso.

O planejamento começa com um valor estipulado desde o início e, ainda que tenha oscilações, esse valor terá uma média (um norte a ser seguido). Acredite: esse simples comportamento de ter um orçamento pode te fazer não estourar o seu limite.

Na psicologia e em outras áreas que estudam a vida humana, isso é chamado de consciência real. Logo, se você sabe quanto pode gastar com a decoração de um espaço, terá que fazer pesquisas de preços e quantidades, com base no estilo escolhido, entende?

Deixando a teoria de lado um pouco, o mais importante é notar que o orçamento é imprescindível e deve ser um dos primeiros pontos a serem pensados. Aliás, isso vai evitar que você entre em estado de dívidas!

2 – Busque inspiração em sites e revistas de decoração simples

Decorar gastando quase nada é possível e precisa de criatividade. Então, o que fazer? Busque informações e ideias em fontes que lhe sirvam de indicações. Existem muitas revistas e sites que tem esse foco.

Ah, você está duvidando? Vamos falar de uma única plataforma então… Lá vai: Pinterest! Aí, gostou né? Lá tem muita e muita e muita coisa boa, gente. Dicas de decoração também. A ideia deles é lançar fotos com inspirações – e isso vale a pena.

E você pode procurar também no Facebook e no Twitter.

Nessas redes você encontra muitas possibilidades de deixar sua casa do jeito que você gosta, com decorações baratas e simples, em vários estilos e preços. Ah, tem também dicas artesanais, do tipo “faça você mesmo”.

3 – Considere levar em conta o “faça você mesmo”

Em português talvez a expressão seja pouco conhecida, mas no inglês ela é bem famosa: “do it yourself”. Essa é uma prática difundida em todo o mundo e muita usada para decorar casas pequenas ou grandes, não importando muito a estrutura.

O DIY tem a filosofia de fabricar os próprios móveis ou objetos decorativos, sem precisar compra-los em lojas. Isso é bom porque te ajuda a criar coisas novas e também porque sai muito mais barato.

– Uma dica: isso é uma excelente oportunidade até mesmo para quem quer presentear algum amigo com um presente icônico, único, exclusivo. Os adornos são os mais variados possíveis, como bijuterias, velas, pulseiras, roupas.

Atualmente, existem muitas casas pequenas decoradas com esses itens. Existem casos de pessoas que se tornaram especialistas nisso e hoje ganham dinheiro com essa prática, que inicialmente era vista como uma terapia pessoal.

São muitas as dicas para usar o DIY em casa, como pintar móveis, fazer acabamentos, usar a bricolagem, o crochê e outras técnicas artesanais de fácil acesso e manuseio.

4 – Leve em conta apostar na compra de objetos usados

Não é porque você vai decorar sua casa nova que precisa ter tudo novo, está bem?

O retrô voltou e está em alta. Especialmente nesse período de crise financeira, as pessoas começaram a mudar os hábitos e isso incentivou a troca de objetos, inclusive, móveis.

Criou-se uma economia financeira e uma crescente de plataformas que auxiliam nisso, como o Enjoei ou o Mercado Livre, além da OLX e muitos outros. Listamos algumas plataformas no final deste tópico!

A ideia, se nós estamos falando em decorar com pouco dinheiro, é fazer uma boa pesquisa de preços e encontrar os produtos ideias que tenham bons custos-benefícios, ou seja, que estejam em boa qualidade e não sejam caros.

E isso é possível porque sempre vão ter pessoas que estão com móveis novos e precisam se mudar de casa ou aquelas que estão mudando de cidade ou aquelas que ganharam novos móveis ou simplesmente enjoaram deles.

O importante é estar determinado para conseguir criar essa decoração simples sem que o barato saia caro demais. Leve em conta o seu estilo e o seu gosto porque no fim é você que tem que estar satisfeito.

Veja algumas dessas plataformas!

I – O Mercado Livre é a plataforma mais conhecida. Lá, é possível vender diversos tipos de produtos e durante 60 dias, o anúncio e a venda são isentos de tarifas.

Para aumentar a confiabilidade do comércio, o site possui um sistema de avaliação de compradores e vendedores.

II – A OLX vem ganhando mercado nos últimos anos e reúne anúncios gratuitos de diversas categorias, inclusive, os móveis.

Se o anunciante tiver 5 ou mais produtos anunciados, podem criar uma loja virtual, também sem custos. O site cobra serviços adicionais, como um espaço privilegiado do site.

III – Que Barato é outra opção de classificados de produtos usados que trabalha de forma gratuita. O diferencial é que ele também vende serviços, então, se você manda bem na cozinha ou é afiado em matemática, você também pode vender algumas aulas particulares.

IV – Remobile é especializado em móveis e objetos de decoração e para realizar o cadastro de um produto é preciso passar por uma análise do site. Os produtos, para serem vendidos, são taxados. Além da porcentagem de comissão, que é de 20%.

V – Market Decor é outra plataforma para móveis e objetos de decoração. O cadastro inclui a análise das peças que ficarão na “vitrine”.

O site cobra 20% sobre a venda e uma taxa de mais de 2 reais pelo anúncio.

VI – Sala Sale – É um brechó de artigos para casa com pré-seleção. O pagamento pode ser eito com cartão de crédito ou depósitos e transferência por conta da empresa.

VII – eBay também vende diversos produtos e cobra tarifas por anúncios, mas, normalmente, os 20 primeiros anúncios são gratuitos.

E, em cada venda, a taxa de comissão é de 10% sobre o valor total da venda.

5 – Pense em cada cômodo separadamente

É óbvio que o conjunto da obra precisa estar de acordo e todos os cômodos precisam estar em harmonia. Mas, a ideia de pensar em cada cômodo separadamente é importante porque os objetos podem ser melhores destacados.

Lembre-se: muitas vezes a vontade é mais importante do que o dinheiro.

Trouxemos alguns exemplos para facilitar sua compreensão.

O quarto das crianças é um espaço que precisa ser alegre, portanto, você pode optar por adesivos coloridos nas paredes. As latas podem servir de porta-lápis, também.

Na área externa, imagine um sofá feito de pallets e com tecido? Ficaria lindo, né! E o gasto é o mínimo possível – o que é bom para o seu planejamento financeiro.

Leia Também – 7 Dicas Essenciais Economizar Dinheiro ao Montar um Escritório em Casa

Na sala não é muito aconselhável usar as mesmas cores do quarto, mas há de se pensar em quadros de fotos feitos com recicláveis. E se você acha que os tapetes são muito caros, pode fazer um de retalhos… Isso está em alta também.

Na cozinha podem-se usar latas, que são versáteis, para decoração. Elas podem servir como fonte de inspiração para a criação de uma adega de vinhos… Já pensou!

E assim por diante!

Bônus – Tem como Mobiliar a Casa sem Recorrer aos Parcelamentos?

Levando em conta que os móveis e utensílios não são como os produtos de segurança, que precisam ser de qualidade, então, o ideal é analisar a melhor relação custo-benefício e levar em consideração a durabilidade do produto.

Sofás, estantes e camas devem ser resistentes e durar, pelo menos, 5 anos. Outros itens também devem ser considerados, como: manutenção e conforto.

Aí, nesse caso, vale também pensar no seu estilo e da sua família. As famílias grandes, normalmente, curte um clima de descontração e informalidade e, por isso, vão se sentir mais confortáveis em um ambiente clássico e formal, mas que requer muita manutenção.

Já se você gosta de itens mais sofisticados, então, é preciso ainda mais atenção para não cair na tentação de deixar o ambiente simples demais para o seu bem estar.

Ainda quanto aos objetos, um desafio para quem está com o imóvel em reforma é guardar, com seguranças, os móveis.

O ideal é embalar tudo com plástico-bolha ou lona, porém, com o alto custo disso, uma saída tem sido cobrir com lençóis e, sempre que possível, armazenar tudo em um único cômodo.

Já os itens pessoais e algumas mudas de roupas devem ficar à mão, enquanto a maior parte, guardados.

Sim. E isso é muito importante para quem acabou de comprar um imóvel ou alugar e que, provavelmente, está com o orçamento ajustadíssimo. Para que isso aconteça, o 1º passo é economizar dinheiro em casa.

Mas, atenção: primeiro economiza-se e só depois vá às compras. Assim, nunca faça o contrário.

Logo, quando você define uma meta e um valor para guardar mensalmente, você consegue prever até mesmo o prazo pelo qual a sua casa será mobiliada no decorrer do tempo.

Se você comprou a casa e vai se casar daqui 12 meses, então, sabe que terá esse prazo para juntar dinheiro rápido no período.

Outro ponto que pode te dar um empurrãozinho na hora de comprar as mobílias novas é vender as velhas e usadas. Sempre tem uma mesinha que você herdou dos avós e não usa para nada ou aquele sofá que está encostado.

Tudo isso, somado aos livros antigos, entre outras coisas, podem não te dar uma renda tão substancial assim, mas, com certeza, vai ajudar na compra dos novos produtos.

Por fim, não há muito mais o que fazer se não TER FOCO. Se a sua meta é mobiliar a casa, então, foque em mobiliar a casa.

Você pode ter vários objetivos financeiros, inclusive, em diferentes prazos, mas cuidado para não querer fazer tudo ao mesmo tempo e de uma só vez.

Todo sucesso financeiro vem por etapas, então, estipule prazos e economize dinheiro.

O mais importante, afinal de contas, é ter uma casa funcional e com tudo o que você precisa. Sem dúvidas que se você tem alguns pertences à mais, vale a pesquisa dos valores e uma possível venda para conseguir uma grana extra e custear as despesas.

O hábito de ter muito apego às coisas materiais com nossos pertences não é um hábito muito saudável, conforme analise dos especialistas, já que nem sempre usamos a razão para tal e somente a emoção.

Com informações da Organizze e dicasdemulher