Aprenda como começar a investir do zero com essas 5 dicas de investimentos com pouco dinheiro

Se existem duas coisas que o brasileiro ainda não entende muito bem sobre a educação financeira são: “como começar a investir do zero” e “como investir com pouco dinheiro”. Afinal, esses são tabus que deixam muita gente de cabelo em pé, pensando que vão ficar para sempre pobres.

Porém, o que sabemos é que, históricas verídicas nos comprovam isso, dá para começar com pouco e do zero, sim. Para isso, você vai precisar de um pouco de dedicação. Afinal, o mercado de investimentos não é o lobo mau como muita gente acha que é. De fato, dá para perder dinheiro nele, mas só se você não souber o caminho certo para chegar até a vovozinha.

Se você não entendeu a historinha acima, a gente indica a leitura do folclore da “Chapeuzinho Vermelho”. Mas, se você já leu basta fazer as comparações. Dá para perder dinheiro na bolsa de valores. Por outro lado, também dá para ficar rico investindo dinheiro com segurança.

Ou seja, o que é necessário é que o investidor iniciante conheça os caminhos, que são os investimentos que vão levar ele até o objetivo, que pode ser qualquer um, da viagem de fim de ano com a família até a compra de um carro novo ou mesmo o enriquecimento.

Os investimentos com pouco dinheiro

Só para começarmos a explicar um pouco mais desses 5 investimentos é importante saber que mesmo que eles exijam pouco dinheiro nenhum investidor deve aplicar sem conhecimento. O ideal é que se conheça o ativo, os aportes, as rentabilidades. Por isso, essa matéria pode fazer tanto sentido para você.

1 – Tesouro Selic

como começar a investir do zero
Foto: (reprodução/internet)

Para você que quer aprender como começar a investir do zero, considere que os títulos públicos sempre serão vistos como boas indicações. Inclusive, o motivo para isso é bastante claro: são seguros e mais rentáveis do que a caderneta da poupança.

Ou seja, aqui ninguém vai falar que você vai ficar rico da noite para o dia. aliás, longe disso. O que você precisa saber é que investir mensalmente no Tesouro Direto pode fazer o seu patrimônio acumular, isso com certeza.

E para começar, o Tesouro Selic porque ele é o título do Governo que mais tem liquidez. Ou seja, como acompanha a variação da Selic, você poderá solicitar o resgate a qualquer momento e vai receber o seu recurso no dia seguinte.

Para quem está estudando ele, vale a pena fazer a comparação com a poupança e com o CDB com liquidez diária. O motivo é que todos esses são líquidos e muito aconselháveis para quem quer montar a reserva de emergência. Curiosamente, os aportes partem de R$ 100.

Portanto, o Tesouro Selic também responde muito bem a pergunta sobre quais os melhores investimentos com pouco dinheiro para começar. Ainda mais para quem viu, durante a pandemia, que ter uma reserva financeira se faz, cada vez mais, necessário.

2 – Tesouro IPCA

como começar a investir do zero
Foto: (reprodução/internet)

O próximo ativo que trouxemos aqui é o Tesouro IPCA. Ele também é um título público, porém, com funções bem diferentes do Tesouro Selic. Nesse caso, os títulos são sempre para o longo prazo. Por exemplo, para daqui 15 anos ou mais.

Mas, o que não muda é que ele tem a garantia do governo. Por outro lado, se você fizer o resgate antecipado, antes do prazo combinado, você pode ter perdas na rentabilidade. Entenda que você não perde o que você investiu, mas pode perder rendimentos.

Justamente por isso, a ideia é que você use o Tesouro IPCA como forma de garantir uma melhor aposentadoria ou realizar um sonho daqui longos anos. Também por isso, o aconselhável é que o Tesouro IPCA só sirva para quem já tem a reserva financeira.

O motivo é que assim você evita ter que fazer um resgate antecipado e perder dinheiro. Atualmente, há ativos do Tesouro IPCA com vencimentos para 2026, 2030, 2035, 2040, 2045 e 2055. Os aportes iniciais partem de R$ 42 e os rendimentos variam conforme o prazo.

Saiba que tanto as informações do Tesouro Selic como do Tesouro IPCA ou do prefixado podem ser encontradas diretamente no site do Tesouro.

3 – CDBs

como começar a investir do zero
Foto: (reprodução/internet)

Os CDBs também são títulos da renda fixa, como os do Tesouro. O que quer dizer que são seguros. No entanto, eles não são do governo e sim dos bancos ou instituições financeiras. Por isso, ainda que sejam confiáveis, a garantia se dá pelo FGC e não pelo governo.

O FGC é o Fundo Garantidor de Crédito. Ele é um órgão responsável por assegurar valores aos investidores para alguns investimentos, como o CDB, em caso de falência do banco. Hoje em dia, o valor é de R$ 250 mil para cada CPF e banco. O máximo garantido é R$ 1 milhão.

Entre as vantagens do CDB é que ele tem aporte mínimo baixo e rendimentos diferentes. Assim, você consegue encontrar CDBs com liquidez diária, que acaba funcionando como o Tesouro Selic, para reserva. E tem os CDBs mais longos, que podem ser como o Tesouro IPCA.

Conforme varia o tempo, também varia o rendimento e os aportes. Por isso, é interessante pensar no CDB sim, mas sempre considerando a sua atualidade e objetivo. Por isso, se você procura dicas de investimentos com pouco dinheiro, dá para pensar no com liquidez diária.

Atualmente, há bancos digitais pagando mais de 100% do CDI, outros oferecem aportes a partir de R$ 1 e tem aqueles que tem liquidez diária. Ou seja, no mercado há uma grande variável de opções de CDBs, sendo que todos os ativos são garantidos pelo FGC.

4 – Fundos

como começar a investir do zero
Foto: (reprodução/internet)

Os fundos costumam estar entre as principais respostas para quem pergunta sobre como começar a investir do zero. Afinal, eles são formas simples e cômodas de investir dinheiro hoje em dia. Além do mais, há vários tipos de fundos, o que aumenta a chance de escolha.

Mas, aqui deve-se ter atenção para alguns fatos. O primeiro é que praticamente todo fundo de investimento tem a cobrança de tarifas de administração. Ou seja, o seu rendimento não será liquido como se comprasse um CDB ou um Tesouro Selic.

O segundo cuidado é para o fato de que há fundos de investimentos da renda fixa, assim como também existem os da renda variável. Mas, o que isso quer dizer, na prática? Que nem todo fundo de investimento vai ser o melhor para você, obviamente.

Como falamos lá encima, essa escolha por um fundo ou outro fundo vai depender de muitos fatores. Primeiro, da taxa de administração, depois do seu objetivo, atualidade, aportes, etc. Por isso, mesmo que seja uma forma fácil de investir é preciso atenção com os fundos.

Só para quem ficou curioso saber, considere que os mais conhecidos são os fundos de curto prazo, os fundos de renda fixa, os fundos de ações e os fundos multimercados. Inclusive, há muito investidor tradicional que opta pelos fundos pela facilidade deles.

5 – Ações

como começar a investir do zero
Foto: (reprodução/internet)

Se você leu o texto todo com atenção, com certeza, notou que os três primeiros tópicos são da renda fixa e o 4º é variável, podendo ser da renda variável também. Portanto, a partir do tópico acima, a gente começa a falar para quem tem mais potencial ao risco.

Já nesse último tópico, saiba que você dificilmente vai escolher ações se estiver buscando formas de como começar a investir do zero. Afinal, se você está realmente começando do zero tem que ter uma reserva montada, antes de tudo. E não se faz reserva com ações, ok?

De todo modo, vamos supor que você tenha a reserva montada. Porém, agora você quer começar a investir de verdade. Então, mantenha o seu dinheiro na reserva e comece a aplicar mensalmente em ações, também. Porém, antes disso, faça testes para saber se é para você.

O motivo é muito simples: as ações podem oscilar e, portanto, o investidor pode até perder dinheiro na bolsa de valores. No entanto, a gente citou essa opção aqui porque ela entra como forma de investir com pouco dinheiro. Afinal, há ações a menos de R$ 5 no mercado.

Com tanta informação assim, ficou claro para você que dá para começar a investir do zero e sem ter que aplicar muito dinheiro, não é? O segredo está em estudar os investimentos melhores para você e ser constante nos aportes mensais.

Os investimentos em ações para iniciantes

Para fechar a matéria, a gente se sentiu na obrigação de trazer aqui um texto que fizemos há alguns dias e fala muito bem dessa questão das ações para quem é iniciante. Afinal, geralmente, quem começa do zero tem que optar pela renda fixa.

No entanto, há casos excêntricos que permite esse investimento em ações, também. Na matéria que fizemos, a gente cita três alternativas que são bastante simples para quem quer investir em ações, mesmo que não conheça muito do mercado variável.

Leia a matéria aqui: Está procurando um investimento em ações para iniciantes? Conheça 3 deles

A gente explica em detalhes sobre os clubes de investimentos em ações, sobre os fundos de investimentos em ações (como falamos no tópico 4) e sobre os ETFs (que também são fundos, mas de índice). Se você tiver interesse poderá ler na íntegra, no link que deixamos acima.