Aprenda como calcular as metas financeiras para diferentes prazos

Sempre que um novo ano começa, a gente faz aquela listinha de metas para realizar no novo ano, não é verdade? E mesmo que não tenhamos isso escrito, a gente tem os sonhos descritos na mente. O difícil mesmo é saber como calcular as metas financeiras.

E a gente vai mostrar como fazer isso neste conteúdo. Trouxemos aqui uma explicação bem bacana sobre o que são essas metas, como fazer a organização delas, os prazos, os valores e até mesmo algumas opções de ativos. Leia mais.

O que são as metas financeiras

Antes de qualquer coisa é importante deixar bem claro que a gente está usando a expressão de “meta financeira” para falar daqueles objetivos que você tem na vida, como comprar um carro novo, ter a casa própria, viajar no final do ano, se aposentar com mais segurança, etc.

Logo, a gente tem que definir prazo para cada um desses objetivos. E, independente de quantos seja, saiba que sempre haverá 3 prazos: de curto, médio e longo período. E se você tem alguma dúvida sobre como eles funcionam, considere que:

  • Os de curto prazo são para metas que devem ser realizadas em 1 ano,
  • Já os de médio prazo são para aqueles sonhos que variam entre 1 e 10 anos,
  • E, por fim, os de longo prazo são para objetivos acima dos 10 anos de vencimento.

Isso já dá uma boa ideia para você. Sendo que qualquer objetivo que você tenha pode ser pensado em diferentes prazos. O importante é você ter em mente que para cada objetivo há um prazo e você tem que ser guiado por ele. Isso fará toda diferença.

Por exemplo, você pode querer fazer uma viagem ainda este ano (curto prazo) assim como realizar uma viagem para comemorar o aniversário de 30 anos (médio prazo) ou até mesmo de 50 anos (podendo ser de longo prazo).

Como organizar as metas financeiras

Para responder como calcular as metas financeiras, você também tem que saber sobre a organização de tais objetivos que você tem na vida. Isso não é tão complicado quando você considere o que chamamos de “prioridades”.

Logo, independentemente de qualquer coisa, uma das suas primeiras prioridades é pagar as dívidas que você tem. Se não tem conta atrasada, fatura do cartão vencida ou empréstimos, pense também em financiamentos e compras a prazo, como sendo mais primordial.

As dívidas entram no topo da lista porque elas possuem juros e tarifas, que te fazem perder mais dinheiro. Outra coisa é saber que o atraso no financiamento da casa ou do carro pode te fazer perder o bem, o que faz que sejam prioridades também.

Sendo assim, a gente começa a criar a organização financeira. Sendo que as dívidas fazem parte dos objetivos de curto prazo, entendeu? Você tem que as quitar o quanto antes. E para saber o prazo certo vá até o credor e renegocie a dívida com parcelas que você pode pagar.

Depois, o médio e longo prazo

Seguindo essa trajetória, após considerar as dívidas, saiba que você também deve ter metas financeiras para outros prazos. Por exemplo, a pintura da casa, a viagem de fim de ano, a troca do celular. Tudo isso pode ser de médio prazo.

Enquanto que a aposentadoria ou a compra de uma casa na praia devem ser para o período mais longo. E dá para ter várias metas ao mesmo tempo. Mas, o recomendável é que sempre você quite as dívidas antes de tudo. Depois, faça a divisão dos seus objetivos.

Por exemplo, após pagar as dívidas, você pode pensar em juntar dinheiro para:

  • Viajar no final do próximo ano,
  • Pintar a casa no próximo ano,
  • Trocar de carro daqui há 3 anos,
  • Comprar uma área de lazer daqui 12 anos,
  • Pagar uma viagem de intercâmbio para o filho daqui 20 anos,
  • Se aposentar tranquilamente daqui há 30 anos, etc.

Note, no entanto, que quanto mais objetivos você tiver, mais terá que ser feita a sua divisão de investimentos. Porque você tem que saber quanto vai poder investir mensalmente e pegar esse valor para repartir entre os vários objetivos.

O valor dos investimentos

Já começando a falar em números, que é importante para aprender como calcular as metas financeiras, saiba que você tem que ter um bom planejamento para saber quanto poderá usar da sua renda mensalmente para cumprir as metas.

E você só vai conseguir fazer isso bem-feito após ter uma planilha onde lista os custos, os gastos e a entrada de dinheiro. Em resumo, você sabe o que fazer: tem que gastar menos do que ganha para ter condições de quitar as dívidas e realizar os sonhos.

Então, vamos supor que todos os meses você tenha separado R$ 500 para as metas. Primeiro, você usa para pagar as contas em atraso (dívidas). Depois, divide entre as suas metas. Aliás, se você achar que tem pouco dinheiro para realizar os objetivos, aí temos uma dica.

  • Você pode diminuir mais os gastos ou
  • Você pode dar um jeito de ganhar renda extra

A gente sempre aconselha os dois. Mas, primeiramente, saiba que ao fazer uma faxina financeira nas suas contas, você vai ver que pode estar gastando demais em alguma área, especialmente o lazer, com pizzas, cinemas, bebidas, serviços, etc. Isso pode ser cortado.

como calcular as metas financeiras

Como calcular as metas financeiras

Por último, como não poderia ser diferente vamos aos cálculos. O ideal é que você considere os seus objetivos. Depois, que saiba quanto vai poder juntar para cada um deles. Isso vai te dar uma chance maior de visualizar as possibilidades.

Por exemplo, com R$ 500 que citamos como exemplo, saiba que vai ser bem difícil realizar todos os objetivos que trouxemos acima por que daria uma parcela pequena para cada um.

  • Viajar no final do próximo ano,
  • Pintar a casa no próximo ano,
  • Trocar de carro daqui há 3 anos,
  • Comprar uma área de lazer daqui 12 anos,
  • Pagar uma viagem de intercâmbio para o filho daqui 20 anos,
  • Se aposentar tranquilamente daqui há 30 anos, etc.

Nesse caso, o ideal é você priorizar os sonhos. A gente trouxe um exemplo, veja:

  • Viajar no final do próximo ano (18 meses) = R$ 200
  • Pintar a casa (12 meses) = R$ 150
  • Viagem de intercâmbio para o filho (20 anos) = R$ 100
  • Se aposentar tranquilamente (30 anos) = R$ 50

E o mais legal é que para cada objetivo você poderá ter um ativo financeiro para investir. Inclusive, no próprio Tesouro Direto há opções para todos os prazos. Para prazos curtos, temos o Tesouro Selic e para prazos médios o prefixado, já para os longos, o IPCA.