Aprenda como calcular a taxa de juros compostos nesse guia completo

Ninguém menos do que Albert Einstein já disse uma vez que “os juros compostos são a maior força do universo porque permite uma sistemática de acumulação de riqueza”. Por isso, atualmente, saber como calcular a taxa de juros compostos pode fazer a diferença na sua vida.

Curiosamente, considere que essa conta toda é bem diferente de quando usamos os juros simples. Inclusive, calcular os juros simples é tão simples que quase ninguém usa fórmula. Por outro lado, para saber os juros compostos somente com fórmula.

Mas, também se engana quem pensa que isso é complicado demais. Aliás, é bem mais simples quando você entende essa conta toda. Por isso, nós vamos explicar tudo o que for interessante sobre o tema nessa matéria.

Só para fechar a introdução, considere que a fórmula dos juros compostos vale para quem está investindo dinheiro. O que é ótimo porque mostra quando você pode “ganhar” ao longo do tempo. Porém, também serve para calcular o tamanho da sua dívida em financiamentos.

Usando os juros compostos nos investimentos financeiros

Antes de continuarmos com o texto, considere que a gente tem uma matéria que tem tudo a ver com o que estamos falando aqui. Inclusive, a gente cita nela alguns exemplos de investimentos, que são beneficiados com os juros compostos.

Por exemplo, pensando em renda fixa, a gente pode “alongar” os prazos das aplicações para “ajudar” esses juros compostos a terem melhores resultados. Ou a gente pode pensar em opções de ativos isentos de imposto de renda, que acabam não minimizando os rendimentos.

A gente ainda tem o mercado de ações, que acaba sendo opção para quem quer impulsionar os ganhos. De todo modo, antes de investir em qualquer uma das opções, o ideal é que você leia a matéria na íntegra, para entender esses juros nos investimentos.

Mas, como calcular a taxa de juros compostos?

Bom, chegando até aqui parece não termos dúvidas sobre o fato de que para fazer esse cálculo, a gente precisa ter a fórmula, certo? A boa notícia é que hoje em dia temos fórmulas do Excel prontas ou aplicativos de celulares que fazem isso.

De todo modo, pode ser que você tenha interesse em aprender a fórmula, manualmente falando. E tudo bem, esse é um hábito bastante interessante que muitos investidores possuem. Por isso, nós trouxemos aqui a fórmula dos juros compostos.

Inclusive, a gente usou a mesma expressão que já mostramos aqui no blog, em outra matéria:

  • M = C. (1+i)  ͭ
  • Sendo M o montante, C o capital, i a taxa e t o período de tempo

Desse modo, qualquer pessoa pode encontrar o valor dos juros compostos. Inclusive, você tem que lembrar que esses juros vão crescendo de forma exponencial e serve tanto para investimentos (tópico acima) como para financiamentos ou créditos também.

Exemplo prático dos juros compostos!

Para que você entenda mesmo essa conta toda, vamos usar um exemplo rápido aqui. Pense em um investimento de R$ 300 com rendimento de 3% ao mês (isso não existe, mas é para a gente entender na prática, ok).

Então, qual será o meu capital total aplicado após 6 meses? Se a gente fosse considerar juros simples, a gente teria R$ 9 a mais em cada mês, concorda? Afinal, 3% de R$ 300 dá R$ 9. No entanto, os juros compostos são diferentes.

Ou seja, se no fim do primeiro mês eu tenho R$ 309 então agora eu vou calcular 3% sobre esses R$ 309 (e não sobre os R$ 300 iniciais). Por isso, usar a fórmula se faz necessário.

Nos juros simples, a gente teria um ganho de R$ 9 mensais. Então, teríamos 6 vezes R$ 9 e isso daria R$ 54. Ou seja, a soma seria de R$ 354. Mas, nos juros compostos, o valor fica acima porque é juros sobre juros. Assim, no fim de 6 meses, a gente vai ter R$ 358,21.

O mesmo vale para as dívidas!

Mais um exemplo que temos aqui, só que agora negativo, é sobre a dívida do cartão de crédito. Considere que você tenha uma dívida de R$ 100. O problema é que tem juros de 10% em cada mês. Então, no fim do primeiro mês você deve R$ 110. E parece pouco, mas não é.

Depois, no outro mês, você tem uma dívida de R$ 121. E assim por diante. Note que esse valor vai subindo mês a mês e a sua dívida pode dobrar em pouco tempo.

Dá para usar os juros compostos para dobrar de capital

como calcular a taxa de juros compostos

Se você gostou do assunto sobre como calcular a taxa de juros compostos e entendeu isso, vamos trazer aqui um bônus para você. Na verdade, o que temos é a indicação de uma matéria que fizemos há alguns meses e foi muito vista.

A ideia foi mostrar justamente como dá para usar a força dos juros compostos para dobrar o capital que você tem hoje. Aliás, isso pode ser feito de várias formas. Mas, nós usamos a regra dos 72, você conhece? O resultado dela indica o número de anos que temos para o objetivo.

Dessa forma, a gente usou na matéria 2 exemplos reais que demonstram esse poder todo. Por exemplo, daria para pensar em dobrar um valor de R$ 4 mil pensando em uma taxa baixa de rendimento, que é de 4% ao ano.

Assim como daria para dobrar de dinheiro em 7 anos, se a gente considerar um rendimento de 10,2% ao ano. Achou confuso isso tudo? Então, o legal é ler a matéria para entender sobre essa regra dos 72 e como usar ela para projetar o seu futuro, usando os juros compostos.