Descubra o que fazer para comer bem gastando pouco

ANÚNCIO

Todo mundo que começa a estudar as possibilidades de ter uma dieta balanceada nota que comer bem é muito diferente de comer muito, não é mesmo? O equilíbrio está tanto na quantidade como na qualidade dos alimentos. E o resultado disso é que dá para comer bem gastando pouco.

Se você não sabe como fazer isso, considere que este conteúdo foi pensado em você. A gente quer trazer algumas ideias de alimentos que podem fazer parte da sua rotina, do seu dia a dia e que podem te ajudar a ter uma alimentação mais balanceada.

ANÚNCIO

Assim sendo, é bastante importante considerar o que é uma alimentação saudável, quais são os tipos de nutrientes e alimentos que existem, o que se deve comer pensando em cada tipo de objetivo e assim por diante. E vamos falar um pouco sobre tudo isso, acompanhe.

O que é uma alimentação saudável

Hoje em dia, a gente considera uma alimentação saudável aquela que é equilibrada. Portanto, não estamos falando de restringir nada. Esqueça essa ideia de dietas restritas. Ao menos, neste conteúdo ela não será exemplo.

Agora, o contrário é muito bem aceito e faz todo sentido no resultado final: equilíbrio. E o equilíbrio nada mais é do que você comer um pouco de cada alimento. Só que será que é correto comer um pouco de arroz, um pouco de batata e um pouco de macarrão?

ANÚNCIO

Na verdade, não. Portanto, para saber como comer bem você também deve conhecer os tipos de alimentos e quais os nutrientes que eles possuem. Isso vai ser muito importante para você fazer escolhas mais inteligentes em cada alimentação.

Os tipos de alimentos que existem

Os especialistas da saúde recomendam que o seu prato, tanto do almoço como do jantar, tenha alguns elementos para que te dê energia para o dia e sem que você consuma demais para ganhar peso.

Então, esses nutrientes são: carboidrato, proteína, gordura, fibra. Logo, o arroz com feijão é ótimo para te dar carboidrato. Já a verdura e legumes são para as fibras e gordura. E a carne vem com a proteína necessária.

Mas, qualquer excesso de um desses nutrientes pode te trazer muito problema ao longo do prazo. Por exemplo, muito carboidrato engorda e muita gordura traz problemáticas com peso e na questão cardiológica também.

A quantidade de nutrientes no seu dia a dia

A partir disso, você começa a ver que dá para comer bem gastando pouco porque você tem que revezar e limitar a quantidade de nutrientes que você come em cada refeição. E para isso é preciso entender qual é o forte de cada alimento.

Por exemplo, o carboidrato não está apenas no arroz, mas também no arroz integral, no macarrão, na farinha, na batata e na mandioca. Entre as leguminosas, além do feijão, temos o grão de bico e a soja. E além das carnes, a proteína também está no ovo, por exemplo.

E, sabendo disso tudo, você começa a ver que dá para fazer substituição para montar um prato que seja saudável e, ao mesmo tempo, econômico. Isso tudo sem deixar de lado o seu objetivo: que pode ser de perder peso ou ganhar massa, por exemplo.

A substituição por alimentos mais baratos

Recentemente, a gente publicou aqui no blog uma matéria mostrando como dá para substituir dois dos alimentos mais consumidos no país: o arroz e o feijão. A nossa dica veio a partir de alimentos mais econômicos e que são tão nutritivos como eles.

E as dicas valem para todo tipo de gente, para todo tipo de objetivo e dieta. A soja, por exemplo, sempre vai ser uma boa ideia frente ao feijão, quando ele está com um preço alto. Exceto se você for intolerante, né.

Além da soja, o Brasil é muito rico em alternativas de feijões, como o preto, o carioca, o branco, o de corda e assim por diante. É isso que vai permitir um cardápio variado e que vai permitir, também, comer bem gastando pouco.

Para ver a matéria completa que falamos disso, clique aqui.

O que fazer para comer bem gastando pouco

Descubra o que fazer para comer bem gastando pouco

Terminando este conteúdo, se você entendeu o que a gente quis passar de informação aqui no texto, ficou claro que o ideal é ter uma dieta balanceada e que isso pode ser feito a partir da substituição de vários alimentos, não é mesmo?

Então, o grande segredo é justamente optar por alimentos que tenham o mesmo fim, mas que estejam com preços melhores. Isso vai acontecer porque eles barateiam seus valores a partir da safra, da produção, das chuvas, do tempo, do clima, etc.

Então, se um alimento está mais caro porque não está em uma época boa, outro de semelhante característica pode estar mais barato. E é aí que vemos uma grande vantagem de morarmos no Brasil, que tem uma infinidade de recursos e opções alimentares.

Os cuidados extras!

E, agora sim para terminar, saiba que além dessas substituições inteligentes que citamos acima, você também deve pensar no corte ou diminuição drástica de certos tipos de alimentos, que não agregam valor ao seu cardápio.

O refrigerante e os embutidos são ótimos exemplos deles. No lugar o refrigerante, opte pela água ou pelo suco natural, por exemplo. E no lugar os embutidos, temos carnes frescas, especialmente o peixe e a carne de frango, que é bem mais em conta.

Aliás, se a gente está falando de alimentos mais baratos, não podemos deixar de citar o ovo, né. Que nos permite criar vários pratos e várias receitas, sendo um personagem coadjuvante ou principal dependendo do seu preparo. Ele é rico em proteína. Só não exagere no óleo, ein!

ANÚNCIO