Com a Selic caindo, a Renda Fixa continua sendo o melhor investimento para o investidor conservador

As recentes notícias mostram que a taxa de juros no Brasil vai cair gradativamente nos próximos meses e a expectativa é que a Selic feche o ano de 2017 na casa dos 9,5%. Mas, a pergunta que fica é: com essa taxa, como ficam os investimentos em Renda Fixa? Para se ter uma ideia, Janeiro teve o IPCA mais baixo em 23 anos e a tendência é que as taxas de juros nominais fiquem bem próximas à inflação.

Abaixo, ao final do artigo, você vai ler também: 7 Opções de Renda Fixa para Fevereiro.

Assim, como boa parte da dívida do Brasil é indexada à inflação, o governo, provavelmente, vai te pagar a inflação mais 5% ao ano. Esse é um bom investimento e super indicado para quem não quer correr risco, e chamado de pós-fixado, na qual a rentabilidade só é sabida após a apuração do índice de inflação.

Para conhecer Mais: Temos um Guia COMPLETO sobre Rendas Fixas. Nele explicamos o que é, de fato, uma Renda Fixa e qual a melhor aplicação que pode ser feito nela. Mostramos também os tipos de Renda Fixa tão bem quanto uma breve comparação com a poupança. Você pretender investir dinheiro à longo ou curto prazo? Também falamos disso. Então, baixe GRATUITAMENTE: Como Investir em Renda Fixa – O Guia Definitivo!

Com a Selic caindo, a Renda Fixa continua sendo o melhor investimento para o investidor conservador

Reprodução: Google

“Mas, a inflação está caindo”, você pode argumentar. E com toda razão, afinal em 2015, ela era de 10,67%, em 2016 ficou em 6,235 e as perspectivas mostram que será de 4,5% em 2017. Por outro lado, para os anos seguintes, entre 2018 e 2022 os representantes da economia nacional devem elevar a taxa novamente. Esse é um fenômeno que acontece periodicamente.

Tesouro poderá fazer leilões extras e inflação deve permanecer estável

Em uma simulação, podemos imaginar 2 investimentos: um que pague 9% nominal ao ano e outro que pague uma taxa de inflação mais 4,5%, ambos por um período de 10 anos. O resultado, como já falamos, vai depender da inflação final. Porém, se a inflação ficar maior que 4,5% na média, melhor será para quem escolheu a segunda opção.

O que se conclui é que dobrar o investimento em 5 anos, como acontecia em tempos antigos, não deve acontecer, porém, se proteger da inflação, é mais do que possível. “A última reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) motivou um forte ajuste para baixo nas taxas de juros. Os rendimentos agora estão mais magros”. Além disso, os especialistas afirmam que investir em Renda Fixa continua sendo uma das melhores opções.

A dica continua sendo a mesma de tempos remotos: investir pelo maior tempo possível. O Tesouro Selic, por exemplo, oferece uma boa rentabilidade, com risco baixo e boa liquidez. “Quem puder abrir mão da liquidez e investir parte do patrimônio por quatro ou cinco anos vai encontrar papéis com rentabilidade superior ao Tesouro Selic, e com risco muito baixo também”, disse Ricardo Zeno, da AZ Investimentos.

Sobre Investimentos e Tesouro Selic, separamos 3 notícias muito importantes! Leia:

  1. Esqueça a poupança e aprenda a investir seu dinheiro no Tesouro Selic: Você é daquelas pessoas que insistentemente tem aplicado o dinheiro na poupança? Em caso positivo, aposto que você, muito provavelmente, já notou que não está fazendo um bom negócio, não é? Pois é, de fato, está acontecendo o que você já imaginava: você está perdendo dinheiro. Leia Mais. 
  2. Descubra qual a rentabilidade de 5 mil reais com a Taxa Selic em 13% ao ano: Apesar da queda, os economistas afirmam que a taxa continua elevada, ou seja, a poupança ainda tem rendimento menor do que a aplicações financeiras de Renda Fixa. O que é bom também para os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários) com taxas pós-fixadas, Fundos DI e o Tesouro Selic, título do Tesouro Direto. Opções que tem rendimento atrelado à taxa CDI, que é próxima ao juro básico. Leia Mais!
  3. Saiba quanto o seu investimento pode render com a queda da Selic para 13,75% ao ano: Apesar dos cortes, a taxa continua elevada, o que beneficia as aplicações conservadoras, como os CDBs (Certificados de Depósitos Bancários), os Fundos DI e o Tesouro Selic. Isso porque essas 3 opções têm o rendimento atrelado à taxa CDI, que é próxima ao patamar do juro básico. Leia Mais. 

Certificado de Depósito Bancário (CDB)

Ricardo diz que os CDBs dos bancos médios, que pagam aproximadamente 118% do CDI (ou seja, mais de 15% ao ano), tem valor mínimo de 5 mil reais para investimento e são boas opções. Conforme ele diz, o mínimo aceitável é de 100% do CDI para superior ao rendimento do Tesouro Selic.

Essa opção também é indicada para quem precisa sacar o investimento em um tempo curto. “Para quem precisa de liquidez diária, há CDBs específicos, que pagam entre 100% e 102% do CDI. Essa taxa é ligeiramente superior ao Tesouro Selic”, afirma o especialista.

Outro comentário de Ricardo é quanto ao Imposto de Renda, que é cobrado em ambos os casos. Então, para não sair perdendo, o investidor precisa ter um rendimento, no mínimo, de 8%.

Como Perder o Medo de Investir: As 5 Melhores Dicas

Já para Illan Besen, da BR Advisors, a Renda Fixa ainda é rentável, porém, se a inflação continuar caindo em 2 anos os investidores vão precisar buscar aplicações de maior risco. “Hoje, ainda é possível encontrar aplicações de renda fixa, com risco muito baixo, que pagam um juro real de 5,5%. Mas a tendência é que haja uma mudança estrutural na economia, com as taxas caindo para a casa dos 4% ao ano”.

Leitura Complementar: Como aumentar os ganhos na Renda Fixa e 2 drivers que farão o Brasil render mais que outros emergentes! Um fato importante que todo bom investidor deve saber é: para atingir altos ganhos com a Renda Fixa é preciso alongar o prazo das aplicações. Isso é possível, inclusive, sem correr riscos de um aumento inesperado da inflação. Leia!

Tesouro Direto

Esse é um dos investimentos preferidos dos brasileiros, tanto é que mais de 1 milhão de pessoas estão cadastradas nessa modalidade. É um crescimento expressivo já que no começo da década havia apenas 175 mil pessoas. É seguro e simples: com apenas 30 reais é possível escolher um título público e se tornar um investidor.

O que é Tesouro Direto? Os 5 Melhores Motivos para aplicar no Investimento Mais Democrático do Brasil

Segundo o site da Fazenda, o Tesouro Direto é a oportunidade que o Tesouro Nacional abre para você ter a rentabilidade de grandes investidores, a partir de 30 reais. Justamente por isso é considerado o ativo com menor risco em uma economia.

Quando você aplica no Tesouro Direto você está emprestando seu dinheiro para o Governo. Em troca, você recebe juros. Portanto, ele é diferente de outros investimentos de Renda Fixa, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário), do LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio) que são emitidos pelos bancos (Lembrando que você deve Fugir dos Empréstimos dos Bancos). Leia na íntegra!

Fundos de Investimentos

Se você é novato e, mais do que isso, não tem nenhum interesse em conhecer o mercado de investimentos, mas quer, de alguma forma, investir dinheiro, então, segundo os especialistas, a dica é aplicar em fundos de investimentos, dependendo do seu patrimônio.

“Uma coisa é tomar uma aspirina para aliviar uma dor de cabeça simples. Outra é tratar uma infecção. Você vai precisar da ajuda de um médico para receitar o antibiótico certo. A Renda Variável exige um acompanhamento constante. Você precisa ficar em cima, monitorando os papéis e as notícias. Se você não tem tempo, vai correr um risco ainda maior”, diz Besen.

Se você tem interesse em investir no mercado de ações com RISCO ZERO, preciso conhecer uma série de vídeos gravados pelo Robinson Trovó, um dos poucos brasileiros que faturaram mais de 1 milhão de reais na Bolsa de Valores.

Workshop 100% Online e Gratuito: Risco Zero nos Investimentos

“É importante ler o prospecto e saber em que determinado fundo investe. Analise o histórico de rentabilidade. Pesquise quais são as expectativas para os ativos investidos no fundo. Veja se aquele gestor possuir boas qualificações. E fique atento também à taxa de administração”, continua Besen.

Para ele, os fundos multimercados e de ações cobra taxas de 2% e exigem aplicações iniciais de 10 mil reais.

Números dos Fundos: Em Janeiro foi registrada a maior captação dos últimos 4 anos. Se forem descontados os resgastes, os fundos receberam quase 40 bilhões de reais, ou seja, 1/3 da captação registrada em 2016. Para Diego Kashiwakura, da Moody’s, afirmou que a recuperação da economia aumentou o apetite dos investidores. Mas, segundo analistas, o principal motivo é a média da rentabilidade, que foi de 13,7%, segundo a Anbima.

Os Fundos de Renda Fixa foram os que mais registraram a captação, com 39,9 bilhões de reais. Para Michael Viriato, do Insper, a melhor parcela da rentabilidade neste ano virá da melhoria dos indicadores econômicos.

O passo-a-passo para investir na Renda Fixa dos Fundos DI e as 3 Melhores Vantagens:

  1. Opte por um fundo que seja coerente com seus objetivos: Se você vai fazer uma viagem daqui um ano ou quer comprar um carro mais novo… Não importa qual seja o seu objetivo, mas você precisa ter um em mente. O investimento, nesse caso, pode ser considerado um veículo muito rápido para te levar até o seu objetivo.
  2. Busque informações sobre os procedimentos que a instituição determinou para realizar as aplicações: É aqui que entra o planejamento financeiro já que você precisa estar atento ao seu objetivo, se é para longo prazo ou curto, por exemplo. É preciso lembrar que o fundo é apenas um meio para você alcançar o seu objetivo.
  3. Envie os documentos pessoais e o cadastro para a abertura da conta corrente: É preciso criar uma conta em algum banco para transferir o dinheiro. Caso você ainda não tenha, faça isso. E saiba que também existem fundos de investimentos em corretoras e não apenas nos bancos.

Leia Mais!

Os Fundos Multimercados tiveram captação líquida de 20,3 bilhões, após amargar uma saída de recursos de 31,7 bilhões de reais no ano anterior. A Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) lembra que quem aceita correr risco não pode esquecer-se de verificar o que compõe a carteira do fundo. Aliás, a aplicação em multimercado é para médio ou longo prazo.

Leia Também: Fundos de Ações tornam-se melhor opção de investimentos em Janeiro!

7 Opções de Renda Fixa para Fevereiro

A Inva Capital divulgou sua carteira de renda fixa para o 2º mês do ano. Para os analistas, os juros futuros têm ficado estáveis. “Isso tem funcionado já que a carteira de renda fixa tem mostrado uma menor volatilidade que o benchmark em qualquer período de comparação”, afirmam.

Benchmarking consiste no processo de busca das melhores práticas numa determinada indústria e que conduzem ao desempenho superior. É visto como um processo positivo e através do qual uma empresa examina como outra realiza uma função específica a fim de melhorar a forma como realiza a mesma ou uma função semelhante. O processo de comparação do desempenho entre dois ou mais sistemas é chamado de benchmarking e as cargas usadas são chamadas de benchmarks. Leia Mais!

As 4 notícias mais importantes sobre Renda Fixa de Janeiro de 2017

Em dezembro de 2016, a carteira teve desempenho positivo e valorização de 1,51%. Veja a carteira recomendada para fevereiro.

  1. LCI/LCA AAA – Peso 33%
  2. NTN-B (15/08/2024) – Peso 10%
  3. LCI A+ – Peso 15%
  4. LTN (01/01/2019) – Peso 10%
  5. LTN (01/01/2018) – Peso 7%
  6. BNP Paribas Match – Peso 10%
  7. NTN-B (15/08/2050) – Peso 5%

Com informações da UOL e Infomoney